Edilson Rodrigues/Agência Senado

Senadores vão pressionar Ernesto e Wajngarten sobre viagem do ‘spray milagroso’ israelense

09.05.21 10:27

Senadores que integram a CPI da Covid no Senado pretendem questionar o ex-chanceler Ernesto Araújo sobre a viagem a Israel no início de março destinada a conhecer um spray ainda em fase de testes que supostamente funcionaria contra o coronavírus. O ex-ministro das Relações Exteriores será ouvido pela comissão na quinta-feira, 13.

Fábio Wajngarten, que também fez parte da comitiva, é outro que será instado a explicar sua participação nas negociações pelo produto. O depoimento do ex-chefe da Secretaria de Comunicação da Presidência está marcado para terça-feira, 11.

“Eu quero que eles expliquem exatamente o que rendeu a viagem a Israel”, resume Otto Alencar, do PSD da Bahia, titular da CPI. “Ernesto vai ter que explicar por que assinou um documento, com quem e a mando de quem”, acrescenta. A aposta de parlamentares da oposição é que o diplomata, se pressionado, responsabilizará Jair Bolsonaro.

Como mostrou Crusoé em sua mais recente edição semanal, o então chanceler assinou uma “carta de intenções”, em nome do governo, em que se comprometeu a fazer o produto deslanchar no Brasil. O acordo foi firmado com a empresa privada que desenvolve o spray.

Antes de deixar o cargo, no fim de março, Ernesto havia dito ao Senado que o país não havia negociado com os israelenses a compra da fórmula. Só que em telegrama, ao qual Crusoé teve acesso, o embaixador brasileiro em Tel Aviv, general Gerson Menandro de Freitas, diz que no documento subscrito por Ernesto o governo se comprometeu a viabilizar, produzir e comercializar o spray “caso receba a aprovação das instâncias regulatórias nacionais”.

O Itamaraty alega que a carta era apenas o primeiro passo de uma negociação mais abrangente e que ela não gerou ônus financeiros ao Brasil.

Já é assinante?
Assine a Crusoé ou nosso combo e ganhe o novo eBook de Mario sabino

Assine a Crusoé

*válido até 30/06/2021

Assine a Crusoé ou nosso combo e ganhe o novo eBook de Mario sabino

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Se não saírem de lá presos, vou duvidar dessa CPI. Ou seja , CPI reladata por ladroa? Conta-me outra. Randolfo voz fina querendo aparecer? Conta-me outra. Mas digo, bolzo seus três patetas nunca mais. A sorte deles é que são investigados por também bandidos.

  2. A Revolução dos Bichos Bolsonarista vai sendo escrita. Temos já os órgãos aparelhados que seria uma espécie de polícia suína. E temos os personagens cotados para Sansão. Acho que o Pazzuelo é o que mais se parece com o cavalo orwelliano. Para saber o que acontecerá com os cavalos do Bolsonaro no futuro, é só ver o que ocorreu com os cavalos do Bolsonaro do passado. “Aqueles que renunciam à liberdade em troca de promessas de segurança, acabarão sem uma nem outra.”

  3. Se o spray não gerou custos aos cofres públicos, a portentosa viagem causou danos que deveria serem ressarcidos pelos participantes

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO