Adriano Machado / Crusoe

Onyx é exonerado para indicar emendas ao Orçamento e volta ao cargo na terça

26.02.21 21:35

Onyx Lorenzoni (foto) foi exonerado “a pedido” do cargo de ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência na noite desta sexta-feira, 26. O ato consta em edição extra do Diário Oficial da União.

Em nota, a pasta informou que a demissão ocorreu para que Onyx reassuma o mandato de deputado federal, do qual estava licenciado, “para tratar de emendas do orçamento no Congresso Nacional”, e garantiu que ele reassumirá o cargo na próxima terça-feira, 2.

Emendas parlamentares são recursos do orçamento público legalmente indicados pelos membros do Congresso Nacional. O prazo para as sugestões dos congressistas vai até o dia 1º de março.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

Só R$ 1,90* no primeiro mês

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

*depois, 11 x R$ 14,90

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Felipe Moura Brasil, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Este deputado é um infeliz e desprestigiado ministro, sem moral e dignidade, sendo apenas um capacho do MITO "honesto". Dispor favor, salve a Pátria.

  2. Deboche. A negociação feita entre executivo e congresso foi em troca de atendimento às emendas dos “parlamentares”. Em deboche à nação brasileira, este aí deixa seu cargo no executivo para propor suas emendas. Deboche explícito.

  3. É o cara de ""mil e uma utilidades"", o ""faz tudo"" sem especialidade em nada, sem vontade e nem pensamentos próprios, a serviço do broncossauro-griponildo-cloroquildo-maricas.

  4. Isso é um absurdo. Parlamentar em exercício de mandato q seja convidado ou queira assumir outra função no executivo deveria ter de renunciar definitivamente ao mandato legislativo p o qual tenha sido eleito. O mesmo deveria valer p poder disputar outro cargo eletivo durante a vigência de seu mandato. Fica muito fácil, o cara é deputado tenta uma prefeitura por exemplo ,não ganha e volta p o parlamento com o cargo original garantido. Corra o risco ora bolas.

  5. Revoltante , vergonhoso e falta vergonha para essa manipulação .Sabe-se de antemão que emendas são contra partida para efetuar trocas.

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO