Foto: Pedro Ladeira/Folhapress

Maia acha ‘muito difícil’ governo conseguir liberar emendas em troca de votos em Lira como promete

12.01.21 20:00

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (foto), afirmou nesta terça-feira, 12, que será “muito difícil” o governo Jair Bolsonaro conseguir cumprir o acordo selado nos bastidores pela liberação de recursos de emendas parlamentares em troca do apoio de deputados a Arthur Lira, do Progressistas, na eleição pelo comando da Casa, prevista para fevereiro. 

Impedido de concorrer à reeleição por decisão do Supremo Tribunal Federal, Maia é o principal articulador da campanha de Baleia Rossi, do MDB, pela sucessão. O bloco capitaneado pelos dois reúne 11 partidos e tem Lira como o principal concorrente.

Entre as negociações, o Planalto pôs à disposição dos congressistas que votarem no candidato do Progressistas cargos em ministérios, empresas estatais e conselhos e, sobretudo, comprometeu-se a liberar emendas parlamentares.

Maia, porém, avalia que, em meio às combalidas contas públicas, o dinheiro destinado a investimentos será escasso, o que compromete a promessa do Planalto. ”Não tem nenhum problema o presidente da República ter simpatia pelo candidato B ou pelo candidato A. O que acho que tem que tomar cuidado é que, com um orçamento que não tem espaço para investimento, eles estão oferecendo emendas por aí e, mais uma vez, não vão cumprir a palavra com os deputados”, disse. 

O parlamentar citou o Teto de Gastos, que impede que as despesas da União cresçam acima da inflação do ano anterior, e observou que, caso o governo descumpra o acerto, poderá provocar uma “animosidade” no plenário.

Você tem um rombo de 25 bilhões de reais no teto de gastos, que deixa claro que não há recurso para investimento. Se não há recurso para investimento, vai ser muito difícil o governo cumprir essas promessas que está fazendo aos parlamentares sobre a questão dos recursos extra orçamentários, o que pode gerar, num segundo momento, logo a partir de março, uma animosidade do plenário com as matérias do governo, mesmo aquelas consensuais em relação à agenda econômica do nosso país”, emendou.

O presidente da Câmara ainda rechaçou as críticas a Baleia Rossi pelo alinhamento com o governo em votações. Maia alegou que, em meio à pandemia, formaram-se duas bases de apoio ao Planalto — uma fielmente cega e outra independente, “que tem convergência na pauta econômica”.

Você pergunta: por que o deputado Baleia tem tantos votos próximos aos votos do governo? Vou te explicar de forma muito fácil: porque muitas matérias polêmicas, a presidência da Câmara barrou e não deixou pautar. Certamente, se matérias sobre armas, meio ambiente e tantas outras tivessem ido a voto, o número de votos de Baleia divergentes de Lira e da base do governo seria muito maior. Mas, como a pauta da Câmara é formada ouvindo líderes, muitas dessas matérias radicais e polêmicas foram evitadas pela presidência da Casa, gerando uma falsa expectativa de que os dois têm a mesma pauta. Não é verdade”, argumentou.

De acordo com o parlamentar, como de costume, a votação para a presidência da Câmara ocorrerá de forma presencial. Ele ressaltou, entretanto, que a Mesa Diretora deve consultar especialistas para avaliar a melhor opção para deputados que integram o grupo de risco da Covid-19 — a participação remota para esses parlamentares em específico, portanto, não está descartada.

Na sequência, Maia disse que, apesar de ser contra, está aberto à discussão sobre o voto aberto. “Se todos os partidos políticos entenderem que o voto pode ser aberto, quem sabe não pode ser um debate para que não paire dúvida sobre minha transparência e do meu trabalho nos últimos anos“, pontuou Maia. 

Eu não defendo, acho que o voto tem que ser fechado, mas por que não, já que se quer tanta transparência, os agentes sociais ligados ao Bolsonaro estão em campanha pelo voto impresso já, com carreatas e caravanas a caminho da Câmara dos Deputados em Brasília no dia da eleição pedindo voto impresso já, então quem sabe uma transparência total também na eleição para Presidência da Câmara“, ironizou.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

Só R$ 1,90* no primeiro mês

Edição nova toda Sexta-Feira. Leia com Exclusividade!

Assine a Crusoé

*depois, 11 x R$ 14,90

Deixar para mais tarde

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. O que o senhor está esperando, presidente Rodrigo Maia, tenha coragem e abra o processo de #ImpeachmenteDeBolsonaroUrgente. Vamos recordar as marias e clarices que choram tanta gente que partiu neste rabo de foguete pilotado por um bêbado trajando luto.

    1. O único erro do Maia foi não ter encaminhado o impeachment to Bozo. Se assim ele tivesse feito, o Brasil estaria muito melhor e os bozistas delinquentes já teriam voltado para o esgoto.

    2. Antônio, esse cafajeste trancou os projetos do governo relativos a reforma tributária, política, prisão em 2a. Instancia, pacote anti- crime e outras mais tão importantes para nossa economia e combate aos corruptos como ele ( né nhonhô) e agora com o fechamento da Ford ( que já estava prevista a muito tempo ) pela nossa alta carga tributária, quer culpar o presidente . É a escória do nosso vergonhoso parlamento.💩😧

    1. Tem espaço para tudo que se possa imaginar, no fundo, são o retrato da nossa sociedade, que elege, não cobra, nem é ouvida.

Mais notícias
Assine
TOPO