Reprodução

Hezbollah promete vingança após mortes em protesto

17.10.21 16:21

O grupo terrorista Hezbollah e seus aliados do partido Amal enterraram as sete pessoas que morreram durante um protesto pela remoção do juiz Tarek Bitar. No final da última semana, manifestações ocorreram ao sul da capital Beirute, com homens atirando para o alto (foto).

Quatro dos mortos eram membros do Hezbollah e três do Amal. O Hezbollah afirma que seus integrantes foram pegos em uma emboscada das Forças Libanesas, um grupo cristão. Não está claro quem começou o tiroteio ou quem foram os envolvidos.

Apesar da violência, o juiz Tarek Bitar conseguiu se manter no cargo. Fontes próximas afirmam que ele não pretende renunciar.

O Hezbollah, contudo, não desistiu de pedir sua saída. O Hezbollah e o partido Amal passaram a pedir a remoção do juiz Tarek Bitar, depois que ele assumiu a investigação sobre a explosão no porto de Beirute, no ano passado. O Hezbollah cuidava da administração do porto. Na terça-feira, 12, Bitar havia emitido uma ordem de prisão preventiva para o parlamentar Ali Hasan Khalil, do Amal.

A preocupação é de que o grupo terrorista escale a situação já caótica do país, a ponto de tornar a saída de Bitar incontornável. Uma das maneiras de conseguir isso seria entrar em atrito novamente com as Forças Libanesas, que negam envolvimento nas mortes.

Na sexta-feira, 15, o líder do Conselho Executivo do Hezbollah, Hashem Safieddine, disse que as Forças Libanesas foram as responsáveis pelo que ele chamou de um “massacre contra civis“, planejado com antecedência.

Quem cometeu esse crime impronunciável foram as Forças Libanesas, as quais devem ser responsabilizadas por derramar o sangue dos mártires“, disse Safieddine para o canal Al Manar, do Hezbollah. “Nós não deixaremos que nos empurrem para uma guerra civil, mas ao mesmo tempo não deixaremos que o sangue dos mártires tenha sido derramado em vão“, acrescentou.

É muito incerto o que o Hezbollah fará a seguir. Muito vai depender das decisões do juiz Tarek Bitar. Ele pode continuar seu trabalho atual e investigar mais membros do Hezbollah, o que provavelmente inflamará ainda mais a situação. O Hezbollah deixou claro que vai perseguir seus próprios interesses e está claramente preocupado com o que o juiz possa descobrir“, diz Joe Truzman, pesquisador da Fundação para a Defesa das Democracias, em Washington, e especialista em Oriente Médio. “O público libanês tem grande interesse em descobrir quem é o culpado pela explosão do porto de Beirute, mesmo que isso envolva membros do Hezbollah. No entanto, não acho que o grupo veja as coisas dessa forma.”

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. É só nesse horroroso monotema e funestas derivações que esse pessoal pensa 24 horas por dia: "morte", "matar", "morrer", "auto-explodir", "explodir todos", "explodir tudo e qualquer coisa"!!!!

    1. Gente sinistra, sô.... e a "sinistrice" é contagiosa.... essa gente contaminou uns loucos sádicos que teimam em nos desgovernar!!!....

Mais notícias
Assine 50% off
TOPO