Xinhua

EUA anunciam boicote diplomático às Olimpíadas de Inverno em Pequim

06.12.21 17:09

Os Estados Unidos anunciaram nesta segunda, 6, que não enviarão representantes diplomáticos ou oficiais para as Olimpíadas de Inverno em Pequim (foto), em fevereiro. A participação dos atletas americanos não será afetada. O motivo são as violações de direitos humanos cometidas pelo Partido Comunista da China.

O governo Biden não enviará nenhuma representação diplomática ou oficial aos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Inverno de Pequim 2022, diante do genocídio e dos crimes contra a humanidade em Xinjiang e outras violações dos direitos humanos“, anunciou a secretária de imprensa da Casa Branca, Jen Psaki, em uma coletiva de imprensa. “Uma representação diplomática ou oficial dos Estados Unidos trataria esses jogos como se fossem normais, diante dos graves abusos e atrocidades dos direitos humanos da República Popular da China em Xinjiang, e nós simplesmente não podemos fazer isso.”

Em janeiro deste ano, o secretário de estado dos Estados Unidos, Mike Pompeo, acusou a China de crimes contra a humanidade e de cometer genocídio da minoria uigur, que professa a religião muçulmana e habita a província de Xinjiang. A declaração de Pompeo foi dada no último dia do governo de Donald Trump, e a postura foi mantida durante a gestão de Joe Biden.

Pompeo falou sobre “políticas, práticas e abusos moralmente repugnantes” na China para “discriminar e vigiar uigures étnicos“. Os uigures têm a liberdade restringida, não podem frequentar escolas, reunir-se em grupos ou praticar sua religião. “As autoridades da República Popular da China efetuaram esterilizações e abortos forçados em mulheres uigures, as coagiram a se casar com não uigures e separaram as crianças uigures de suas famílias“, disse Pompeo em janeiro.

Apesar do regime autoritário e o do descaso com os direitos humanos, a China tem tentado se mostrar como uma democracia no Brasil e em outros países. Diversos políticos e diplomatas brasileiros têm aderido à tese. Em novembro, a ex-presidente Dilma Rousseff afirmou no lançamento de um livro: “A China representa uma luz nessa situação de absoluta decadência e escuridão que é atravessada pelas sociedades ocidentais“.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
    1. Duda Teixeira poderia disfarçar melhor o seu viés americanofilo.

Mais notícias
Assine 50% off
TOPO