Adriano Machado/Crusoé

Bolsonaro reclama de ‘militância’ em salas de aula e volta a atacar o Enem

24.11.21 19:11

O presidente Jair Bolsonaro (foto) afirmou nesta quarta-feira, 24, que a “militância política impera” em algumas salas de aula do país e pediu que parlamentares “persigam” mudanças na legislação que regra a educação nacional.

Bolsonaro discursou em uma solenidade, no Palácio do Planalto, em que houve a certificação de 43 escolas cívico-militares e o anúncio de que, no próximo ano, o governo federal deve implementar 216 instituições de ensino enquadradas no modelo, para “suprir a dificuldade de criar colégios militares“.

O que acontece de errado no Brasil nas últimas décadas? O que vem acontecendo? Há um desvirtuamento. Não por parte de todos os professores, mas por parte de alguns. Uma militância imperando em sala de aula“, reclamou.

O presidente ainda voltou a atacar o Exame Nacional do Ensino Médio, Enem, e sinalizou estar descontente até mesmo com algumas questões da última prova, aplicada no domingo passado. Bolsonaro negou mais uma vez ter interferido no exame.

Olha as provas do Enem como eram até pouco tempo. Questões que não tinham nada a ver com nosso futuro. Estamos aos poucos mudando isso. Acusaram a mim e ao ministro de ter interferido na prova do Enem. Se eu pudesse interferir, pode ter certeza, a prova estaria marcada para sempre com questões objetivas de fato, não com questões ideológicas, como ainda vimos nessa prova”, discursou

O presidente disse que, se pudesse, incluiria na prova questões objetivas sobre o período da ditadura militar. “Não vou discutir se foi ou não foi ditadura militar. Mas eu queria, sim, botar uma questão lá se pudesse: ‘Quem foi o general que assumiu em 1964’. Foi Castelo Branco. Em que data? Duvido que a imprensa acertaria se fosse fazer a prova“, disparou.

O que quero com isso? Não é discutir o período militar. É começar a história do zero. Foi dia 15 de abril, depois de uma eleição de 11 de abril, onde o Castelo Branco foi votado pela Câmara e pelo Senado e foi escolhido presidente, a luz da Constituição de 1946“, emendou.

Bolsonaro ignorou o fato de que, antes da “escolha” do marechal, houve prisões de líderes políticos, sindicais e camponeses e a edição do Ato Institucional nº 1, que permitiu a cassação de mandatos legislativos, a suspensão dos direitos políticos de qualquer cidadão, a punição dos integrantes da administração pública, além da eleição indireta do presidente da República. Castelo Branco conquistou o mandato num pleito de candidato único.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. sem meios termos quem tem mais de dois neurônios sabe bem que todas instituições do Estado foram aparelhadas por comunazistas . não é mero acaso sermos hoje um ESTADO TUITELADO isto faz parte da guerra revolucionária pregada por ZéDirceu em claro curso .. e o PIOR está por vir .. dúvidas? abram copiem e abram este link criminoso ..... https://www.youtube.com/watch?v=bRNWDeawius

  2. Sasinhóra.... tal qual o marginal luladrão, rachid, ignorante, burro, vulgar, boçal, baixo, imoral, nocivo sem noção, e ainda tem brasileiros igualmente, que, saqueados em sua cidadania, estupidamente pretendem votar nesses tralhas de subespécie!!!!

  3. Esta jornalista ou o copydesk devem ter usado da erva para fins medicinais e recreativos ao nomear o Enem Ensino e não Exame. Erro besta, ou ato falho? Com a palavra o articulista

  4. Sempre que escuto essas cobranças do PR pertinentes às provas do ENEM, mais o admiro. Apesar da provas atuais ainda terem resquícios ideológicos da esquerda, já melhorou 90%, agora é identificar de onde vem esses 10% e transferir essas pragas para outros setores, já que não pode demitir.

  5. Esqueceu nada. Ele está correto. O Brasil vivia uma guerra contrato comunismo internacional. A URSA acabara de TENTAR instalar mísseis em Cuba para atacar os Estados Unidos. Expulsos de Cuba, os soviéticos voltaram seus olhos pro Brasil. Eles financiaram passaporte, deram dinheiro e treinamento pros dissidentes brasileiros. Se os militares não tivessem feito o que fizeram, hoje seríamos mais uma República Soviética e os Estados Unidos seria um deserto radioativo.

    1. Jaime .. o Brasil não viveu o Brasil VIVE uma guerra revolucionária suja e criminosa e isto não pé nenhum segredo por Zé Dirceu a proclamou nas TVs da vida e qualquer um pode ver isto . esta guerra tem fases e as iniciais foi o aparelhamento do Estado feito em anos e que HOJE nos impõe um Estado TUTELADO que é a penútima fase antes da ocupação do poder . poder legislativo que poderia reagir está pôdre acovardado por mais de 150 processos no STF e tentam controlar o executivo mas houve reação ...

Mais notícias
Assine 50% off
TOPO