Karime Xavier/Folhapress"Não é adequado nem prudente contrapor a atenção à economia ao cuidado com a saúde das pessoas"

‘A prioridade deve ser a saúde’

Dom Odilo Scherer, cardeal-arcebispo de São Paulo, diz que não é prudente contrapor a economia aos cuidados com a saúde da população e critica a aliança de Jair Bolsonaro com os evangélicos
15.05.20

Aos 70 anos, dom Odilo Scherer é a principal voz da Igreja Católica no Brasil. No último sábado, 9, o cardeal foi surpreendido no final da manhã por uma ligação do papa Francisco em seu celular. O pontífice estava preocupado com a escalada das mortes pelo novo coronavírus no país, especialmente em São Paulo, onde o arcebispo comanda desde 2007 a terceira maior arquidiocese católica do mundo. Dom Odilo diz que o papa expressou solidariedade aos brasileiros e que ele, em resposta, fez um relato das ações adotadas pelas autoridades e do atual quadro da epidemia por aqui.

Nesta entrevista a Crusoé, o cardeal revela o que pensa sobre o embate político em torno da pandemia e expõe suas insatisfações com o governo de Jair Bolsonaro. Nascido no Rio Grande do Sul, em uma família de imigrantes alemães, dom Odilo é econômico nas palavras, mas não tergiversa nas respostas. Faz duras críticas à “polarização ideológica” reinante no Brasil e critica, por exemplo, a aliança do presidente com denominações evangélicas. “Acho arriscado quando um governante aposta suas fichas num grupo, por mais que este seja aguerrido, fechando-se aos demais, de maneira radical”, diz.

Dom Odilo afirma que o atual governo promoveu “pesados retrocessos na gestão ambiental”, um dos principais temas debatidos em Roma no ano passado, e disse que é preciso avançar mais na luta contra a corrupção porque ela “ainda não está debelada e se reinventa”. Apesar das críticas ao governo e em meio ao crescente movimento pedindo a saída de Bolsonaro, o arcebispo não defende o impeachment do presidente. “Acho que um processo de impeachment com motivação política não é bom para o Brasil neste momento complicado “. Eis a entrevista.

Que relato o sr. fez ao papa no telefonema do último fim de semana?
O papa manifestou sua preocupação em relação à expansão da pandemia no Brasil, mas o objetivo principal da ligação foi manifestar sua proximidade e solidariedade ao povo de São Paulo e do país, com palavras de encorajamento, suas orações e sua bênção. Relatei brevemente os dados disponíveis sobre a pandemia e os lugares de maior incidência. Falei também das medidas já tomadas para evitar o contágio, sobre o atendimento ao povo mais pobre e sobre a situação das estruturas sanitárias para atender os doentes.

Como o sr. tem visto o embate político entre governadores e o presidente da República sobre a melhor estratégia para o enfrentamento da pandemia? Concorda com as medidas de isolamento social ou defende uma flexibilização das ações para evitar mais desemprego?
Vejo com perplexidade e preocupação, uma vez que o combate à pandemia acabou se tornando um embate político. Melhor seria unir esforços para o combate ao insidioso inimigo comum, o novo coronavírus. Não é adequado nem prudente contrapor a atenção à economia ao cuidado com a saúde das pessoas. A economia existe em função das pessoas. A experiência de vários países que enfrentaram a crise da Covid-19 antes de nós mostra que o isolamento social parcial, ou até total, é uma medida adequada para enfrentar a crise. Neste momento, essa é a única estratégia de defesa que temos contra o ataque do vírus, uma vez que ainda não temos uma vacina, nem um medicamento eficaz para curar os doentes. A crise econômica é quase inevitável, como decorrência dessa pandemia. Mas depois de vencermos a pandemia, poderemos unir esforços também para levantar novamente a economia.

O que pode ser feito para amenizar o impacto da crise sobre a população mais pobre?
O auxílio emergencial do governo para ajudar a população mais pobre já foi uma medida importante, embora ainda seja insuficiente. É preciso estarmos atentos para que esse auxílio chegue, de fato, a todos os que precisam dele. Considero boas também as medidas de socorro a empresas, ameaçadas de fecharem, pois isso levaria inevitavelmente à perda de muitos empregos. Vejo que há muitas iniciativas espontâneas de solidariedade em todos os níveis da sociedade e isso é bom.

O que mais preocupa a Igreja neste momento?
A Igreja também tem suas preocupações com a crise, e não apenas por causa da restrição necessária às suas atividades religiosas durante este tempo. Ela promove um volume grande de ajuda social de todo tipo e também emprega muitas pessoas. A prolongada restrição às ações da Igreja a faz perder sua capacidade de ajudar as pessoas e também de sustentar os empregos em suas organizações.

Karime Xavier/FolhapressKarime Xavier/Folhapress“A expressão ‘terrivelmente evangélico’ é infeliz. Seria infeliz, da mesma forma, se fosse alguém “terrivelmente católico, espírita, muçulmano, ateu, agnóstico”
Já há impacto disso na prática? A Igreja já teve que reduzir seu trabalho social e demitir funcionários?
É inegável que as bem necessárias medidas de isolamento social já têm reflexos na economia. Mesmo assim, é preciso continuar priorizando o cuidado com a saúde. Para as organizações da Igreja, não é diferente. Sem a presença do povo nas celebrações e com os templos fechados, as doações e ofertas dos fiéis caem e a Igreja consegue fazer menos pelos necessitados e também pela missão que lhe é própria.

O sr. acredita que podemos chegar em uma situação de caos social se a situação se agravar no Brasil?
Penso que isso não está excluído, mas, neste momento, ainda é uma possibilidade remota. Vai depender muito da sabedoria e da prudência dos governantes. As medidas de socorro emergencial já tomadas foram importantes para aliviar o sofrimento da população mais carente. E vejo muita solidariedade no meio do povo. Com cuidado e paciência, vamos superar a crise sanitária para, depois, superarmos também as outras crises desencadeadas: a econômica e a política.

Como o sr. vê a relação do governo Bolsonaro com as lideranças evangélicas, que têm defendido, inclusive, a flexibilização da quarentena?
Foi uma escolha do presidente, coerente com o que ele pensa. Acho arriscado quando um governante aposta suas fichas num grupo, por mais que este seja aguerrido, fechando-se aos demais, de maneira radical. O presidente precisa governar para todos. A pressão excessiva para a flexibilização do isolamento social vai contra as medidas tomadas pelos governantes de outros países com população igualmente grande. Seria melhor aprender as lições de experiências já adquiridas.

Bolsonaro tem dado espaço a evangélicos no governo e dito que vai indicar um ministro “terrivelmente evangélico” para a próxima vaga no Supremo Tribunal Federal. É um critério válido?
A expressão “terrivelmente evangélico” é infeliz. Seria infeliz, da mesma forma, se fosse alguém “terrivelmente católico, espírita, muçulmano, ateu, agnóstico”… Esse não deveria ser um critério para ocupar uma vaga no STF. Critérios decisivos deveriam ser a retidão pessoal, a experiência e a competência já demonstradas no campo jurídico pelo candidato a ser escolhido.

Karime Xavier/FolhapressKarime Xavier/Folhapress“No clero e entre os bispos, as posições extremadas são mais sutis e bem mais raras”
Como a polarização política tem se refletido dentro da Igreja Católica no Brasil?
A Igreja Católica é formada por pessoas que também possuem opinião política própria. Por isso, as polarizações existentes na sociedade, de modo geral, também se fazem presentes entre os cidadãos católicos. Já no clero e entre os bispos, as posições extremadas, se existem, são mais sutis e bem mais raras.

Quais saídas o sr. enxerga para a polarização política no país?
A saída é maior objetividade em torno dos problemas e necessidades reais do Brasil neste momento e do atendimento às necessidades e angústias da população. Por outro lado, diálogo sereno em vez de polarização ideológica ou arroubos autoritários.

O que há de concreto na disputa entre as alas progressista e conservadora da Igreja que vemos no noticiário sobre o Vaticano?
Em torno desse assunto há muito clichê e preconceito. No meio dos representantes da Igreja, que são os bispos, existem várias posições, e não apenas progressistas e moderadas. Posições mais radicais são bem raras, embora possam chamar mais atenção sobre si mesmas. Não entendo que as diversas posições estejam necessariamente “em disputa”. Disputa para o quê? Posições diversas são legítimas e complementares na Igreja e não devem ser vistas como excludentes.

Em fevereiro, o papa recebeu o ex-presidente Lula. Essa visita, em um momento de acentuada polarização política no Brasil, não trouxe problemas para a Igreja?
Foi uma visita privada e não se revestiu de oficialidade. Na ocasião, o assunto foi explorado de maneira sensacionalista e mexeu um pouco com os ânimos mais exaltados, mas já passou. Não podemos ter a pretensão de controlar ou aprovar a agenda pessoal do papa. Ele recebe quem ele achar que deve receber e dialoga com todos.

Tem ganhado força um movimento pela renúncia ou pelo impeachment do presidente Jair Bolsonaro. Qual a opinião do sr. sobre uma possível interrupção do mandato do presidente da República?
A lei deve ser observada, se houver algum argumento legal para promover um processo de impeachment. Neste momento, porém, me parece que os motivos seriam, sobretudo, políticos. Acho que um processo de impeachment com motivação política não é bom para o Brasil neste momento complicado de sua história. Passaram-se apenas poucos anos desde que houve o impeachment da presidente Dilma. Acho que a credibilidade da política brasileira teria muito mais a ganhar se houvesse um entendimento sério das forças políticas para a governabilidade do Brasil. A grandeza dos políticos deve aparecer através do seu esforço concertado para promover o que o país mais precisa, não pela afirmação de paixões ideológicas e partidárias.

Nos últimos anos, o Brasil desnudou uma corrupção sistêmica, envolvendo agentes públicos e empresários. Qual a avaliação do sr. sobre o trabalho alcançado pela Lava Jato até agora?
Ao meu ver, o trabalho já feito foi bom, mas ficou a meio caminho. É preciso avançar nessa luta, pois a corrupção ainda não está debelada e ela se reinventa, como estamos assistindo agora, em pleno combate à pandemia do coronavírus.

Como a Igreja tem visto a gestão ambiental no Brasil?
Infelizmente, constatamos pesados retrocessos na gestão ambiental no atual governo. E isso é preocupante e muito ruim para o presente e o futuro do Brasil. Sobre o cuidado do ambiente, nossa “casa comum”, temos a palavra iluminada do papa Francisco a nos orientar, na encíclica Laudato si.

O Sínodo da Amazônia em 2019 havia proposto ao Vaticano a ordenação de padres casados para atuarem em regiões afastadas no norte do Brasil, mas a medida foi rejeitada pelo papa. A questão pode ser novamente discutida no futuro?
O papa Francisco não “rejeitou” a proposta da assembleia do Sínodo, mas considerou que, neste momento, não era oportuno acolhê-la. Não é uma questão fechada e poderá voltar a ser proposta no futuro. No presente, Francisco indicou vários outros caminhos para que a Igreja Católica possa cumprir de maneira adequada a sua missão na Amazônia.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

Só R$ 1,90* no primeiro mês

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

*depois, 11 x R$ 14,90

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. lamentável termos um Papa abertamente aliado à Estédile e a Leonardo Boff.Mais lamentável ainda é ver que o conceito de saúde se restringe ao coronavirus.É muito mais amplo em sim, a saúde física e mental também está ligada à economia.

  2. Pelo contexto da entrevista esperava-se um debate razoavel aqui nos comentários,,,,,,engano grande,,,a sociedade inflada por ineptos fundamentalistas esta muito violenta e raivosa,,,cada comentário que beira a insanidade,,,,,,,,,,,,,,onde estavaos nos utimos anos que naó percebemos essa tendencia??? Já sei, preocupados com o pt e a ameaça comunista, a maxima se fez presente, o que esta ruim pode piorar, piorou,,,que sirva de licáo, voto de protesto náo serve para nada,,,,#forapt #forabozo

  3. Crusoé não fez a pergunta que muitos católicos gostariam de saber, qual seja, a opinião da Igreja Católica sobre o regime genocida, responsável pela pandemia, que interfere na liberdade de crença submetendo os católicos aos interesses do PCC, que quer controlar até o livro sagrado dos cristãos.

  4. Já há consenso entre a 'comunidade científica mundial' que a fome mate 100% dos casos, enquanto do COVID-19, algo em torno de 0,1% dos infectados. Façam as contas e decidam: Tendo o MESMO FOCO, a VIDA, Quem merece maior atenção?

    1. Quem aceita esse "consenso" de boa merece toda atencao do serviço de psiquiatria para se tratar ou no minimo ficar enjaulado de boca fechada,,,,,quem aceita ter escolha qual morte é "mais" aceitável náo tem perdáo

  5. Sugiro à Crusoé "fechar", temporariamente, a seção de "Comentários". Aparentemente esse espaço se transformou na latrina da escatologia que preenche os cérebros (se é que existem) das falanges de bolsonarolavistas desocupados.

  6. Principal Voz da Igreja Católica ? Tá de brincadeira !!! Padre Paulo Ricardo e Bernardo Kuster tem muito mais influência do que esse bispo burocrático.

  7. Estes gramputas nem sabem mais resar uma missa , eu sou católico adoro ir às igrejas mais quando não tem ninguém cagando no altar , porque no altar existe folders da campanha da CNBB ( abrii as portas aos irmãos) e na casa paroquial está escrito ( proibido entrar) gramputas nogentos comunistas !

    1. Tem gente que não respeita os padres e nem a ortografia da língua portuguesa.

  8. Não entendo como um cristão pode conviver com ideias progressistas, e como um cristão ser devoto do diabo. Olha a agenda progressista: casamento gay, aborto, ideologia de gênero, ateísmo, feminismo, degradação da familia, paganismo, etc.

    1. Elias, o Cristão é conservador! Conservam os valores que nos foram deixados por Jesus Cristo O Inimigo da Igreja procura dividi-la, para que eles não entendam "O que é Diversidade de Dons e de Carismas". Abre o olho, Irmão!

  9. Sou católico, filho de pais católicos. Está passando da hora da Igreja Católica cuidar dos seus grandes problemas e não se meter em assuntos que não lhe compete.

    1. Lauro, se você fosse Católico, saberia que Nós "não somos do mundo, mas estamos no mundo!". A alienação é um dos instrumentos de Satanás, O Senhor da Mentira!

    2. Pensando assim, está na hora das igrejas evangélicas deixarem o governo, a começar pelo presidente.

  10. Sou católico, filho de pais católicos. Está passando da hora da Igreja Católica cuidar dos seus grandes problemas e não se meter em assuntos que não lhe compete.

    1. Está na hora de você assumir que a igreja católica não é a sua igreja. Deixe-a em paz.

  11. Bolsonaro é evangélico e pela 1a vez em muito tempo um presidente cita valores e religião. Tivemos as piores experiências nesse campo, e a CNBB se alinhava a esses sem o menor pudor, portanto, as ideologias estavam alinhadas. Desde algum tempo não contribuo mais com o dízimo, faço minha caridade diretamente a quem precisa. A minha igreja católica por vários fatores vem perdendo credibilidade. A mídia também perdeu, ao entrar no front de guerra e com flagrante distorção nas matérias, vide Crusoé!

    1. Bolsonaro se diz católico e que sua esposa é evangélica. Como ela é praticante e o Presidente não é praticante dos ritos católicos ele acaba priorizando os evangélicos

  12. Nada disse durante os desmandos e corrupção do pt! E o papa Francisco recebeu o maior ladrão/pinguço/cínico/mentiroso da república que comandou o maior saque a um país na história. E não foi daqueles nunca antes nefepaif, foi no mundo!

  13. O arcebispo se engana em algumas afirmações. A recepção (espalhafatosa) dada pelo papa a um ex-presidente já condenado por corrupção - tanto pela Justiça e quanto pela maioria do povo brasileiro - não foi tratada de forma sensacionalista; ao contrário. Outra coisa: o impacto negativo desse claro desrespeito aos católicos de bem não passou. O país realmente atravessa uma fase difícil e a Igreja marcha a passos largos para um terrível retrocesso.

    1. O encontro do papa com o chefe mor da maior organização criminosa do Brasil não foi oficial, foi reservada e muito animada, inclusive com trocas de presentes e conversa sobre o foro de São Paulo!

  14. Só tenho a dizer que a Igreja Católica Apostólica Romana é riquíssima e bem pode continuar financiando ações sociais com folga. O que minimizaria a fome nesses tempos horrorosos que estamos vivendo.

    1. também concordo , velhos comunistas , e comunistas velhos !

  15. A igreja fala , fala e se mete em tudo que não lhe diz respeito. O papa receber um criminoso que não foi arrepender-se é o fim da picada, é dar força para a esquerda vil. Conforme vários comentários emitidos . O que a igreja fez em doações aos pobres até agora ? Considero essa entrevista bastante moderada, apesar de não concordar que a igreja se meta no governo assim como o governo não se mete na igreja. Cada um acredita no que quer, porém não comunga com a pedofilia que existe na igreja .

    1. O problema é que toda Igreja é uma organização criminosa. A católica apostólica romana é formada por maioria de pedófilos e homossexuais desmoralizados.

  16. Ainda bem que minha assinatura vence amanhã. Cancelei minha assinatura. Não colaborarei com essa oposição irresponsável ao Bolsonaro, que só favorece a esquerda e os corruptos fisiológicos do Centrão.

  17. O Estado Católico (universal) é e sempre será a igreja satanica de Lúcifer. Crianças são entregues a satisfação da desgraçado desejos de padres bispos e papas. Maldita o fogo 🔥 eterno te aguarda. Eu como cristão não me indigno quando as palavra brotam da boca os filhos de Lúcifer. Com certeza queimarão no inferno vindouro.

    1. Esses padres só gostam de 3 coisas: vinho, crianças e $$$$$$$$$$.

  18. Faltou perguntar quanto em dinheiro que o Vaticano mandou para ajudar o tratamento das ovelhas dele aqui no Brasil com tantas pessoas e empresas brasileiras estão fazendo. Rezar e pouco......

  19. Dom Odilo nasceu no Brasil, é só uma questão geográfica, ele é alemão, um povo rico, e isto é o DNA deles, podem até não terem riquezas materiais, mas são ricos em espirito, nada de mais nisto, mas, altera a ótica deles em relação a nossa realidade. Quem gera emprego e renda no Brasil em sua maioria não tem caixa para bancar uma parada geral. O Governo tem que obrigar o uso de máscara e os cuidados para impedir a propagação da doença. Instruções e apelos em massa em todas as mídias!!!

    1. Não é desrespeitando a igreja dos outros, que você vai conquistar respeito para a sua e nem é tentando destruir a igreja dos outros, que a sua vai ser fortalecida.

  20. Estranho seria um líder católico falar que gostava de alianças com evangélicos!! A cúpula da igreja católica tem um viés de esquerda no mundo inteiro, defendem a pobreza e não os pobres... Uma diferença enorme...

  21. Cardeal abre a porta da Igreja mostre compaixão com os doentes. Assista os enfermos. Siga o exemplo de São Luiz Gonzaga que morreu durante uma peste porque atendia os necessitados. Minha Igreja jamais perecerá. A sua já morreu. Juvenal Canto

  22. Já que representa Deus, o cardeal deveria falar com Ele e resolver esse pequeno problema. Deveria, também, pedir que os futuros padres nascessem sem o órgão genital, para não assediarem mais crianças.

  23. Mesmo para mim que sou Católico, a entrevista do Odilo é um amontoado de bobagens, de uma Igreja omissa, parcial nos seus julgamentos, ausente junto aos mais necessitados. É a mesma Igreja que acoita pedófilos, perdulários Bispos e Cardeais, escândalos financeiros, camufla a tal Teologia da Libertação e que chega ao escárnio de convida para sua Comissão de Direitos Humanos um abortista declarado, confrontador dos Evangelhos. Ou Odilo se esquece da sua Igreja protegendo o Lula?

    1. Qualquer HOMOSSEXUAL é um ser humano como qualquer um de nós e merece respeito em QUALQUER escolha que faça. Acontece que a Bíblia que nos orienta diz textualmente que " os efeminados não herdarão reino de Deus ", assim como os adúlteros, injustos, avarentos, entre tantos. Portanto não é coerente que Padres HOMOSSEXUAIS deem e recebam sacramentos. Lhe digo, caro Irmão, que Padres HOMOSSEXUAIS merecem mais respeito que fanáticos, idólatras e acobertadores de falcatruas no Banco do Vaticano.

    2. Meu caro Irmão, quem foi que lhe disse que eu devo SUBMISSÃO ao Papa, qualquer Papa? Por sua visão embotada, Jesus deveria ser SUBMISSO ao Sinédrio, o que não ocorreu e esse mesmo Sinédrio facilitou a sanha dos que queriam matá-Lo. Jesus nos ensinou que a VERDADE liberta e a Igreja com seu poderio massacrou a verdade, fomentou exércitos e guerras, matou seus pares que não se dobraram às tiranias Papais. Ainda que vc filhos, sobrinhos, o que faria se um deles fosse seviciado por padre tarado?

    3. De católico você não tem o principal, que é o respeito e a submissão ao sumo pontífice. Seria mais proveitoso se você rezasse para os bispos e jejuasse na intenção de toda a Santa Igreja. Deus lhe abençoe

  24. o objetivo da igreja na Amazônia e' , pasmem, catequizar os índios,isto em 2020, msntendo-os nesta condição de pobreza eternamente. Bichinhos de estimação dos europeus.

  25. Sem dinheiro no bolso e uma casa boa para morar, em dois,tres,quatro neses de isolamento ,a pessoa também adoece física e mentalmente, podendo morrer também.

  26. Entrevista fraca, tirada de quem é como o papa francisco, o amigo da Cristina. Opinar que um impeachment neste momento é impróprio, pq recentemente houve 1? Por isto a igreja brasileira, c tantos representantes medíocres vem perdendo adeptos. Sou 1 dos q se envergonha. Ñ podemos ser estúpidos e desunidos. Somente a n determinação política, direta no q interessa ao POVO, a PRISÃO EM 2ª INSTÂNCIA E O FIM DO FORO PRIVILEGIADO, nos levará à reconquista da Pátria aparelhada por comunistas c/o papa.

  27. Diferença basica em a igreja catolica e boa parte ( nao todos, repito, boa parte)dos pentecostais que dao suporte ao capitao, foco na vida (Francisco) foco no bolso ( edires, silassss, valdomirossss, etc), simples assim

  28. Ñ podemos ser tão estúpidos e desunidos. Somente a n determinação política, direta no q interessa ao POVO, a PRISÃO EM 2ª INSTÂNCIA E O FIM DO FORO PRIVILEGIADO, nos levará à reconquista da Pátria, aparelhada por bandidos de COLARINHO BRANCO, em conluio c corporações criminosas na OAB, STF, mídia, bancos, e até em açougues. Só as RUAS, sem ideologias e partidos políticos, na PRESTAÇÃO DE CONTAS definitiva c o Congresso, em quem confiamos n/voto e nos traem, haveremos de sair do caos.

  29. Muito fácil falar fique em casa quando a geladeira de casa esta vazia e as contas estão atrasadas... Quero vê a revista Crusoé fazer uma reportagem sobre os estudos que dizem que a quarentena não impede a proliferação do virus.. em Nova Iorque 80 % dos contaminados pegaram em suas casas....

  30. Esse aí reza na cartilha do Francisco I e da CNBB, portanto, zero de credibilidade! Destruiram a igreja católica no Brasil. Eu era católico, mas com essa turminha, estou fora ! Quero Bento XVI de volta !!

    1. É só Francisco porque é o primeiro papa com esse nome.

  31. O cara acha que o trabalho contra a corrupção ficou pela metade e vê como normal um presidiário por corrupção ser atendido pelo chefe dele... Isso é incoerência ou cumplicidade?

    1. Essa questão vem dos que agora bajulam o Roberto Jeferson, outro presidiário por corrupção que é recebido de braços abertos pelo presidente.

    1. Não fale asneiras. Eu participo ativamente e nenhum dos nossos é sequer simpatizante desse partido. A ampla maioria dos católicos é contrária ao comunismo e ao esquerdismo. Não se atenha à minoria barulhenta. Deus lhe abençoe

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO