A testemunha fala – e quer negociar

Vizinho de Adélio Bispo na cadeia, o iraniano que escreveu a Jair Bolsonaro dizendo ter informações inéditas sobre o atentado de Juiz de Fora depõe à polícia e afirma que só revela o que sabe se ganhar o perdão judicial do presidente. Só que há um problema: ele é visto como um sujeito inconfiável e mentiroso
01.11.19

Como mostrou Crusoé em outubro, por ordem de Jair Bolsonaro, os órgãos de inteligência do governo têm despendido esforços para transformar em questão de estado a investigação sobre o ataque a faca sofrido pelo presidente durante as eleições do ano passado. O próprio Bolsonaro chegou a divulgar em 6 de outubro um vídeo na internet afirmando que recebeu uma carta de um “vizinho de cela” do autor do atentado, Adélio Bispo de Oliveira, que teria pistas sobre o suposto mandante da facada. Há pouco menos de um mês, revelamos que o autor da carta é o iraniano Farhad Marvizi, apelidado de Tony e condenado por encomendar o assassinato de um auditor da Receita. Marvizi é um velho conhecido das autoridades por seus relatos pouco críveis e pelo hábito de escrever para autoridades e personalidades que vão de Donald Trump a Silvio Santos. Já preso, em 2014 ele denunciou um suposto plano do Primeiro Comando da Capital, o PCC, para sequestrar o ex-marido da então presidente Dilma Rousseff. Por causa do relato, a PF chegou a reforçar a proteção do ex-marido de Dilma por sete dias. Depois, concluiu que o suposto plano nunca existiu.

O histórico do iraniano, porém, não impediu o governo de reunir esforços e empregar recursos para averiguar uma nova e igualmente explosiva “revelação” feita por ele. Nesta quinta-feira, 31, o delegado encarregado da investigação do atentado, Rodrigo Morais Fernandes, viajou de Belo Horizonte a Campo Grande para ouvi-lo. Crusoé teve acesso ao depoimento, no qual Marvizi apresenta uma proposta surreal: ele diz que sabe o nome do suposto mandante do atentado a Bolsonaro e que poderia revelar ainda a qual facção criminosa Adélio estaria ligado, mas só conta se conseguir do próprio presidente da República o perdão judicial pelos seus crimes e a garantia de que poderá deixar o Brasília rumo a Israel ou aos Estados Unidos, onde residem seus familiares. Sim, um preso que cumpre penas que somadas superam 30 anos (além do homicídio, ele foi condenado também por descaminho, lavagem de dinheiro e organização criminosa) e chegou a ser investigado até por suspeita de envolvimento com terrorismo, agora quer a confiança e o beneplácito do presidente.

DivulgaçãoDivulgaçãoO delegado Rodrigo Morais tomou os depoimentos do iraniano, de Adélio e de outros presos nesta quinta, 31
Ao delegado, Marvizi contou que teria se aproximado de Adélio em abril deste ano e obtido dele informações inéditas sobre o atentado – algo que, sustenta, poderia mudar os rumos da investigação. O iraniano afirmou ter descoberto que Adélio seria ligado a uma facção e que, além disso, lhe teria revelado o nome do mandante do crime e o nome de uma outra pessoa que supostamente o informou sobre a presença de Bolsonaro em um ato de campanha em Juiz de Fora. Os dois seriam políticos, segundo o relato. O ataque de Adélio só teria ocorrido após uma promessa de pagamento de 500 mil reais para matar o “dr. Jair” (sem o acordo com o presidente, ele não revela quem teria feito a promessa). Para completar, Marvizi disse que várias pessoas da mesma facção à qual Adélio seria ligado foram a Juiz de Fora e deram cobertura para o atentado, informando inclusive a hora em que Bolsonaro estaria exposto. Há mais de um ano destrinchando o caso, e baseado nos vários vídeos do momento do atentado que não mostram ninguém ajudando Adélio no dia, o delegado Morais quis saber, então, o que o iraniano teria de concreto para confirmar a sua versão. O termo de depoimento, obtido por Crusoé, registra o seguinte: “Perguntado ao depoente se tem algum dado concreto que possa dar o mínimo de credibilidade aos fatos que está narrando, principalmente em relação à participação de políticos e de facção no atentado em que foi vítima o presidente Jair Bolsonaro, afirma que não irá dizer mais nada, nenhum dado concreto, pois teme ser morto”.

Marvizi contou que, além de escrever para o próprio presidente, mandou cartas sobre o suposto mandante do atentado para o vice Hamilton Mourão, para o procurador-geral da República Augusto Aras, para o deputado federal Marcos Feliciano, para o ministro da Economia, Paulo Guedes, e até para o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. Em nenhuma delas ele chegou a mencionar os nomes dos outros supostos envolvidos no crime. Marvizi ficou detido por cerca de um mês em uma cela vizinha à de Adélio Bispo na ala médica da Penitenciária Federal de Campo Grande. Adélio foi transferido para essa ala no dia 30 de abril, quase dois meses depois de ser apresentado à Justiça o laudo dos peritos oficiais atestando que ele sofre de transtorno delirante permanente. Marvizi tem problemas decorrentes de má-formação congênita, utiliza uma bolsa para urinar que precisa de manutenção constante e, por isso, costuma ficar na ala médica. Ao perceber de quem estava próximo, o iraniano viu uma oportunidade para se aproximar e, quem sabe, conseguir alguma informação que pudesse lhe garantir algum benefício na Justiça, onde ainda responde a vários processos criminais.

“Para puxar conversa, a fim de obter informação, o depoente disse a Adélio Bispo que tinha um advogado muito influente em Minas Gerais, chamado dr. Joaquim José Miranda Junior, ex-corregedor-geral do Depen, que poderia ajudá-lo; que esclarece que era apenas uma mentira dita com o propósito de buscar informações da parte de Adélio Bispo”, registraram os policiais. Indagado se o autor da facada lhe teria contado se mais alguém participou do ataque, o iraniano respondeu: “Que Adélio Bispo teria dito pertencer a uma facção criminosa, que Adélio Bispo teria dito o nome da facção, ao que o depoente, mentindo para buscar confiança, disse também pertencer a mesma facção; que o depoente se recusa a informar o nome da facção, pois teme por sua segurança”. Depois emendou: “Que Adélio Bispo teria dito o nome do mandante, bem como o nome da pessoa que falou a hora e a data em que Jair Bolsonaro estaria em Minas Gerais; que o depoente se recusa a fornecer estes nomes, pois teme por sua segurança”.

Adélio: agora ele diz que desistiu de matar Temer e Bolsonaro
É a partir daí que o depoimento passa a ganhar contornos insólitos. Mesmo se recusando a informar quem seria o suposto mandante e a pessoa que teria informado Adélio sobre a ida de Bolsonaro a Juiz de Fora, Marvizi afirma que conhece os dois apenas “da televisão”. “São pessoas da alta sociedade, não pertencentes a facções e que possuem muita influência, pois são políticos”, afirmou. Depois, ele reiterou que “há uma facção criminosa da qual participa Adélio Bispo que também está por trás do crime de que foi vítima o presidente Jair Messias Bolsonaro”. É neste exato momento que Marvizi afirma que, mesmo temendo por sua segurança, pode contar tudo o que ouviu de Adélio, inclusive mostrando supostas provas, se Bolsonaro autorizar seu perdão judicial. Há alguma garantia de que as informações são verídicas? Ele mesmo diz: “Irá dizer tudo que foi dito por Adélio Bispo, inclusive os nomes, dando garantia de que é tudo verdade e que teria provas. Que perguntado como faria essas provas, esclareceu que há muitas mensagens no computador de Adélio Bispo e áudios em seu celular apreendidos e que não foram localizados até agora, mas que tem possibilidade de haver mensagens de uma pessoa mencionada por Adélio Bispo nesses equipamentos”. O preso disse que “há 99% de chances” de a polícia “encontrar mensagens” capazes de elucidar o atentado nos equipamentos a partir do nome que ele estaria guardando em segredo. Afirmou ainda que Adélio ainda não abriu a boca para acusar a participação de outras pessoas por medo medo da facção à qual ele pertenceria.

O próprio Adélio foi ouvido, mais uma vez, pelo delegado da Polícia Federal. Chegou a ouvir uma oferta de delação premiada, mas disse não ter nada a acrescentar em relação ao que já afirmou nos depoimentos anteriores sobre a participação de outras pessoas no atentado – ele sustenta que agiu sozinho. Desta vez, o esfaqueador de Bolsonaro afirmou que desistiu de matar o atual presidente e seu antecessor, Michel Temer – antes, ele afirmara que quando deixasse a cadeia iria assassinar os dois. Também disse que finalmente desistiu de lutar contra a Maçonaria, que, segundo ele, seria fonte de muitos males e de conspirações contra o Brasil. O delegado ouviu ainda o depoimento de outros presos, entre eles Felipe Ramos, ex-piloto de um helicóptero a serviço do PCC preso sob a acusação de participar do assassinato de dois chefes da facção, em 2018. Ramos admitiu que, a exemplo de Marvizi, tentou extrair informações de Adélio de modo a utilizá-las em um acordo de delação. Na cadeia, o autor do atentado a Bolsonaro virou, definitivamente, uma espécie de bilhete premiado. Em tempo: o Planalto ainda não se manifestou sobre a proposta de perdão judicial apresentada pelo preso iraniano.

Já é assinante?
Assine a Crusoé ou nosso combo e ganhe o novo eBook de Mario sabino

Assine a Crusoé

*válido até 30/06/2021

Assine a Crusoé ou nosso combo e ganhe o novo eBook de Mario sabino

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. O rufião Farhad Marvisi por mais embusteiro que seja tem o perfil de um "capo" que pode saber mais do que o próprio Adélio, este sim um mísero soldadinho da máfia.

  2. Por exemplo, Gilmar Mendes, Renan Calheiros, Gleisi Hoffmann, poderiam ser todos SUSPEITOS ÓBVIOS (pegar os piores como exemplo) a partir dos quais se poderia tentar mapear os raios e a teia que levariam à toda a rede por trás de Adélio. Se qq um deles demonstrar ser um SUSPEITO IMPROVÁVEL ou um falso positivo refutado pelas evidências e análises, então seria colocado em quarentena para se esperar informações adicionais ou descartado.

  3. A melhor forma de se detectar uma rede é cruzando relações pessoais e os fluxos de comunicação. O que seja que havia em torno de Adélio teve que se comunicar ou encontrar com ele. A estes elementos podem ser agregadas outras informações, como dados financeiros, interações e atividades em redes sociais, dados do sistema penitenciário, dependendo dos envolvidos. Sem contar que por simples inferência é possível se testar possíveis CORRUPTOS de interesse que pudessem estar envolvidos.

  4. Indivíduos, números de celular, contas de email, IPs, registros de comunicação, geolocalização, e outras coisas mais, todos podem ser cruzados para se determinar os pontos de interseção entre os membros da rede criminosa por trás das sabotagens ao país. Não bastassem ter ido além de qq limite, os CORRUPTOS tb estão obsoletos. Não seria possível que qq indivíduo tivesse ajudado Adélio sem se comunicar com ele ou estar no mesmo lugar, possivelmente os dois.

  5. Se Adélio sabia de antemão onde Bolsonaro estaria, então não pode ser que o número dele tenha ficado registrado em qq uma das torres ao redor? A tecnologia hj permite que as redes sejam vislumbradas por meio dos fluxos e padrões de comunicação, talvez seja algo complexo e trabalhoso de se fazer, mas certamente não impossível. O mais importante é se enumerar e analisar quais todos os dados possíveis e disponíveis para se montar o quebra-cabeças.

  6. Na fase de planejamento de cada uma das ações, os mesmos elementos provavelmente trocaram msgs e se comunicaram com uma certa frequência. Teoricamente, o padrão de comunicação entre eles deveria começar concentrado em uma pequena teia que conforme fosse chegando mais perto dos eventos teriam disperso seus tentáculos para alcançar os peões que levariam a cabo as ações planejadas. Dependendo do teor de alguns dados, talvez nem quebra de sigilo seja necessária.

  7. Se políticos fizeram contato com Adélio, então não haveria um fluxo de comunicação entre eles e o(s) número(s) de celular(es) ou IP(s) dos computador(es) usado(s) por Adélio não teria trocado dados com o(s) número(s) e IP(s) utilizados por Adélio? Fora isto, se os elementos por trás de Adélio forem os mesmos por trás dos roubos das msgs, então a rede de comunicação é a mesma e os fluxos devem seguir padrões similares no núcleo da rede em cada um dos eventos.

  8. Se há políticos envolvidos e eles tiveram contato com Adélio, então eles não exerceriam algum tipo de fascínio e poder sobre ele suficientes para convencê-lo a realizar um ato completamente estúpido e risco total para ele, uma vez que ele seria pego ou morto? Mas para que isto fosse possível, seria necessário um processo de lavagem cerebral e convencimento de Adélio, o que pressupõe contato direto ou remoto entre o manipulador e o manipulado.

  9. Adélio está mais para ponta solta do que nodo, ele era o peão que deveria executar a tática desenhada pelas torres, bispos, cavalos, rei e rainha. Supondo que o delegado da PF não seja parte da rede, ainda assim, quais os pontos de contato entre os advogados de Adélio e o juiz do caso. Como estes se ligam a personagens conhecidos da vida política brasileira (incluindo os ministros do STF) e que teriam grande interesse na morte de Bolsonaro?

  10. Como o delegado do caso e o juiz se conectam aos advogados de Adélio. Se houver alguma conexão entre estes três vértices de um triângulo da corrupção, então ela pode ser apreendida pelas teias e redes em volta de cada um dos vértices. Quaisquer pontos de contatos ou nodos contidos nas redes e teias em volta de qq um que estivesse envolvido para abafar e sabotar as investigações são na verdade elementos de uma rede única que tinha por objetivo eliminar Bolsonaro.

  11. Não poderia haver gente da PF e do baixo escalão do judiciário sem os peixes grandes da política e do judiciário. Afinal, se a lógica da corrupção implica na dominação da máquina exercida por uma rede de favores (ou influência) e cumplicidade, então os peixes pequenos respondem aos grandes em virtude de serem "devedores" destes ou esperar obter alguma vantagem no futuro. A quem o delegado da PF colocado no caso deve favores? A quem o juiz do caso deve favores?

  12. O pior cenário para os CORRUPTOS era exatamente o que ocorreu, Adélio ser preso e Bolsonaro sobreviver. Desta forma, não eliminaram o inimigo e ainda ficaram com mais um problema na mão. Se os CORRUPTOS se prepararam minimamente, então eles precisariam garantir que todos os canais pelos quais Adélio pudesse passar estivessem viciados. Ou seja, PF e judiciário principalmente, seria necessário que houvesse AGENTES infiltrados prontos para agir.

  13. A tecnologia hj permite não só que se saiba quando as pessoas conversaram e trocaram msgs, mas tb quando elas se encontravam em exatamente uma mesma localização. Se o relato do iraniano for verossímel, pq políticos se exporiam diretamente mantendo contato com Adélio? E se ele tem vínculos com facções, então o procedimento lógico caso Adélio conseguisse escapar seria eliminá-lo logo após o atentado. Ele ter sido pego provavelmente salvou a vida dele.

  14. Isto por sua vez indicaria que os fluxos de comunicação entre os nodos e pontos de contato dentro da rede são mais intensos e volumosos. Conversas e trocas de msgs tiveram que ser realizadas até que se chegasse ao ato final. Inclusive, os passos de Adélio podem ser sincronizados com as comunicações realizadas por ele. Da mesma forma, outros nodos e pontos de contato nos fluxos de comunicação tb poderiam ter seus passos e histórico de interações entre si sincronizados.

  15. Se Adélio fosse um nodo de uma rede, quais seriam os raios e a teia em volta dele? Se há o(s) número(s) de celular dele, então com quais outros números ele se comunicou, quais dias, horários? E os advogados dele? Quais os raios e teias em volta deles? Qual a rede e os fluxos de comunicação? Até onde elas levam e qual a rede e os fluxos de comunicação dos outros nodos? Quanto mais gente tiver envolvida no atentado a bolsonaro, teoricamente maior é a rede.

  16. OLHA O TITULO, "TETEMUNHA QUER NEGOCIAR". Pergunta: Testemunha de quê?kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk. a revista deveria se valorizar mais, deveria por exemplo explorar fatos mais consistentes, como: o Caso QUEIROZ e o fato do Bozo ter corrido na frente para pegar a prova (áudio) na portaria do condomínio.

  17. A PF já concluiu esse fato, parece que o Bolsonaro está desmerecendo a credibilidade da própria PF, nesse caso o Moro já deveria ter dado uma enquadrada no Bozo. Agora esse papo sem nexo, querendo plantar essa figura que nada tem a ver com a história, e pior criando uma estória a mando sabe lá de quem para satisfazer o Bolsonaro que não aceita resultados que não seja a seu modo. Só acho que esta revista deveria ser mais sensata com a realidade.

  18. É tão fácil, chega o "pau" nos advogados que estão defendendo este PSOL que, além de falar quem estão os pagando, eles vão até assumirem que são mentores do crime.

  19. Se a Crusoe continuar com manchetes sensacionalistas pra reportagens ridículas como essa vai deixar de ser um ilha pra virar uma península no jornalismo.

  20. Nao tem provas de que o Adelio teve ajuda???? Como assim. tem vídeos e videos rolando p ai q mistra claramente uma moca e dois homens

  21. O caro jornalista.Seu.comentário me induz que esse preso é mentiroso,muito perigoso,quer se beneficiar. O Adélio é uma vítima da sociedade e foi induzido a dizer o que o cara alega. Há, jornalista, o Adélio é considerado maluco.Então o que ele diz nāo pode ser levado em consideração. Vá te catar jornalista de Maia tigela.

    1. Pelos antecedentes essa pessoa não tem credibilidade alguma.Acha que a justiça e idiota ...perda de tempo A verdade surgir mais Ja menos dia “nada fica oculto debaixo do sol”

  22. Creio que a resposta está com o advogado do Adélio para descovrur quem financiaproteção a defesa e o silêncio do culpado.. A OAB parece que protege o ilícito. O advogado de Adélio deve ser investigado.

    1. Eis a questão.Penso que atitudes esquizofrênicas desse assassino são orquestradas nele deve saber muito

  23. Já que criminososos normalmente se tornam presidentes de partidos políticos, o Adélio ñ seria um bom presidente da Orcrim chamada PSOL? PT já é com Gleise, MDB tem Juca, sob supervisão do Renan(Essa Orcrim ninguém confia no companheiro), PSDB lembra Aécio...

    1. Creio que o PSOL pode estar por trás. Mas Adélio pode ter querido se sobressair no partido e planejado esse atentado.

    1. compartilho do mesmo princípio. Saudades dos nossos antigos generais, heróis dessa nação!!!

  24. No tempo que podia descer o kcete em malandro, não precisava de porra de delação premiada, muito menos escutar conversa mole de um 171.

  25. É mesmo Leão, a facada foi executado por um incompetente, deveriam ter utilizado gente do quilate que assassinou o Celso Daniel e todos envolvidos no assassinato. Gente que assassinou o Teri Zavaski, o Toninho do Pt. Dessa vez, chamaram um louco, pois sabiam que se descoberto, não teria credibilidade por ser doente mental. Mas um dia tudo isso pode vir a público, pois ele é louco mas sabe falar.

  26. Tem vídeos lá em JF onde aparece alguém falando "calma, Adelio" ou "agora não, Adelio".. Como concluíram que Adelio agiu só?? São FAKES os vídeos?? Não parecem.

  27. A facção a que ele se refere deve ser a Maçonaria do Rito Escocês, a que pertence o Gen. Mourão. Nada do que Adélio diga merece credibilidade por si só.

  28. Não importa quem foi o mandante. Bozo e sua família maluca devem ser muito gratos a Adélio. Sem aquela facada, jamais teriam vencido as eleições.

    1. Essas pestes (esquerdopatas) parecem pardal, aquele pássaro que não tem nada de útil, mas que é encontrado em qualquer lugar. Vão postar suas mensagens nos blogues da esquerda!!!

    2. Eu votei no Bolsonaro, não pela facada mas porque do contrario o poste seria eleito (grana e crença).

    3. Até aqui na Crusoe tem petista (ESCONDIDO ATRÁS DE LEAO) Parece PERSEGUIÇÃO. Vai assinar outro site. Aqui não tem espaço esquerdopata.

    4. Lamentável haver pessoas com este pensamento de faroeste caboclo, que colocam concepção política acima da justiça e da Constituição.

    5. Hah, hah. O presidiário de Curitiba, saqueador do Brasil é que teria sido eleito. Petismo é ou não é uma coisa patológica?

  29. E só pegar o tal Adelio, colocá-lo em uma sala, tratá-lo com carinho, que ele conta tudo. O que tá faltando e tratamento com amor

    1. É só pedir pra um hacker desses, acessar o cel do Adelio e divulgar as informações

  30. Difícil ser aceito juridicamente as afirmações de um homem que está no mesmo presídio onde só tem laudados psicologicamente!

  31. Qual a utilidade dessa reportagem, Crusoé? Se esse presidiário disser, não terá como provar. Afirmar e não provar não tem valor algum. Algo assim costuma ser "útil" apenas para a esquerda, que repete uma mentira até que seja aceita, por imbecis, como se verdade fosse.

  32. Tudo conversa fiada. Se quiserem descobrir o(s) mandante(s) da tentativa de assasinato do Bolsonaro é só ter acesso ao celular e hardware dos prestimosos advogados de Adélio. Qualquer delegado do interior solucionaria rapidamente o caso.

    1. Acho que "as duas polícias federais" (digo duas policias, porque a instituição tem comunistas também) esta sabem quem esta por trás da tentativa de assassinato do Jair Bolsonaro, só não tem como apresentar as provas por terem sidos obtidas sem ordem judicial!

    2. Exatamente. É um absurdo que o advogado não seja obrigado a fornecer as informações, num crime contra a segurança nacional.

  33. Está mais do que claro que não é possível dar crédito a um elemento como esse. Mas vejam só o paradoxo, a palavra dele não vale nada. Já as mensagens vazadas pelo Verdevaldo (na concepção da hiena fedorenta chefe que está no "stf"), têm toda a credibilidade.

  34. Dar crédito a marginal que é, em acréscimo, totalmente pirado é equivalente loucura. Espiona-se e investiga-se. A PF sabe perfeitamente realizar o seu excelente trabalho de sempre!!!

  35. Se a declaração do iraniano for verdadeira, basta debruçar sobre os computadores e celulares do Adélio, já que, segundo Marvizi, as provas estão lá. Liberar assassino de um agente público é um ataque ao estado. O currículo do delinquênte é inegociável. 30 de Cadeia e sem progressão. Sem negociação..

    1. Adélio deve estar medicado e demostra efeito. !Não quer mais matar Temer e JB (se saísse da cadeia-era ideia fixa). ND + de acusar Maçonaria. 2- em hosp. psiquiátrico não tem essa de se NEGAR a ser MEDICADO, TOMA OBRIGATORIAMENTE. 3- DESSE super malandro criminoso pode fazer Delação- É CONTUMAZ MENTIROSO-ele não vai provar muitas coisas mas pode levantar Poeiras!.BOA p. MPPF(SOSMORO, Bretas e seu pessoal , e o "CrimINAL Minds" cont PRESO.4-PQ ARTIGO SÓ NO FINAL TEM CONTEÚDO PLAUSÍVEL?

  36. Dar crédito a marginal que é, em acréscimo, totalmente pirado é equivalente loucura. Espiona-se e investiga-se. A PF sabe perfeitamente realizar o seu excelente trabalho de sempre!

  37. Como pode a Crusoe da crédito a um psicopata oportunista. Diante da obtusidade brasileira é capaz que esse sujeito com sua mentira consiga liberdade. Pelo nível ( aparente ) de seus jornalistas , a Crusoé devia aprofundar investigações para identificar quem manipula os cordéis dos marionetes que conspiram e derrubam os Estadistas brasileiros nacionalistas desde José Bonifácio. O Rui não foi Presidente porque editou o Dec. 119-A de 07/01/1890.

  38. Peraí! O cara está condenado a apenas 30 anos de prisão e ESTÁ em cana de verdade?? E ninguém, nenhum dos Kakays da vida, ainda pediu um HC para o Beiçola?? Realmente, vivemos no país das desigualdades...

  39. A matéria termina insinuando que Bolsonaro estaria cogitando negociar o perdão do iraniano. Nossa, Crusoé igual a Globonews e Folha!!! PQP!!!

  40. Acreditar nisso, é acreditar que Lula é santo. Esse criminoso está inventando para se livrar da cadeia. Diz que já viu os políticos na TV, muito simplório a sua tese.

  41. Tem um erro na matéria , se um candidato a presidência da República é esfaqueado em plena campanha e sendo um Capitão do exército na reserva, é lógico que isso é um probleminha do Estado sim. Bolsonaro não pode como chefe das forças armadas e da Polícia federal investigar ? Até isso, vcs sociais democratas perdidos no tempo, incrustado em um passado de vinho social que não resolveu os problemas nacionais, vão implicar ? Se eu fosse o Bolsonaro não confiaria nem em vocês , nem no Iraniano.

    1. Eu ia fazer comentários com o mesmo fundamento. Acrescento que ao falar de envolver a PF para proteger um ex-terrorista o dito jornalista não deu ênfase de desperdício, mas ao falar do atual fez parecer um descabimento. Releiam. Parcialidade assim só encontramos na globo, veja, fsp e outros jornalecos.

    2. 👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻

  42. Se um vagabundo deste, condenado a mais de 30 anos de prisão, chantageia autoridades, caracteriza-se obstrução de investigação criminal. Dobrem sua pena para ver se não abre o bico. Só não deixem cair nas mãos do comparsa Gilmar Mendes.

  43. OK, façam o acordo com o safado e expulsem-no do país, SOMENTE após a PF investigar e confirmar as informações e, quem sabe, prender alguns envolvidos.

  44. Nesse caso, há muitos interesses em jogo... A própria "Corte" impediu investigação nos celulares daqueles quatro advogados; os "paladinos humanitários" do bandido Adélio.

  45. Nos vídeos do atentado dá para perceber pelo menos dois comportamentos suspeitos de pessoas presentes. A moça que levantou suspeitas por estar próxima de Adélio no momento da facada aparece, minutos mais tarde, andando apressada com um enorme sorriso de satisfação estampado no rosto. Ora, porque motivo uma eleitora de Bolsonaro estaria tão feliz (e apressada) logo após o candidato ser ferido? Um outro rapaz suspeito se joga no chão, simulando um tombo, retardando Bolsonaro e favorecendo Adélio.

    1. Nos vídeos disponíveis no YouTube tem ainda uma voz masculina orientando Adélio sobre a melhor hora de efetuar o ataque. Percebe-se nitidamente a frase: - Agora não, Adélio!!! Agora não!!! Então, precisa confrontar diretamente com o agressor para ver como ele ser posiciona, se algo novo pode surgir.

  46. Com ou sem o depoimento do vizinho de cela a PF já poderia ter feito muito mais do que fez até agora. Está demonstrando que tem uma fraqueza neste tipo de investigação ou tem coisa nessa panela que está escondida.

  47. "um sujeito inconfiável e mentiroso" coisa que o porteiro não era, correto? Por isto, foi amplamente divulgado. Tá çerto.

  48. Já dá preguiça de ler no início. Têm feito esforços para tornar questão de Estado? É questão de Estado! Matar um candidato à presidência? Em primeiro nas pesquisas ainda!

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO