"Nesses primeiros dois meses, meu computador foi invadido quatro vezes. Minha sala foi grampeada"

O ministro brigão

Abraham Weintraub diz que o MEC é até hoje um centro ideológico da oposição. Ele afirma que foi grampeado dentro do gabinete e que ganhou uma cusparada na cara em seu primeiro dia de trabalho
16.08.19

O paulistano Abraham Weintraub é um dos ministros mais polêmicos de Jair Bolsonaro. Desde que assumiu a Educação, no dia 8 de abril, protagonizou episódios inusitados. Gravou um vídeo em que, segurando um guarda-chuva como Gene Kelly em Cantando na Chuva, dizia estar chovendo fake news em Brasília. Apareceu tocando gaita no térreo do prédio que abriga seu gabinete, na Esplanada dos Ministérios. E, em poucos meses, soltou frases polêmicas – muitas frases polêmicas. Em uma das mais célebres, afirmou que universidades que promovem “balbúrdia” terão recursos cortados. Há poucas semanas, ele teve problemas com manifestantes durante as férias com a família em Alter do Chão, no Pará. Cercado, não hesitou em tomar o microfone para confrontá-los. O vídeo viralizou na internet.

Nesta entrevista a Crusoé, concedida há duas semanas em Brasília, Weintraub diz que uma das principais diferenças do governo de Jair Bolsonaro em relação aos demais é que, pela primeira vez, chegou ao poder um grupo que responde à altura os ataques da esquerda. Weintraub aderiu ao projeto bolsonarista ainda em 2017. Foi um dos coordenadores do programa de governo e, depois, ajudou a chefiar a equipe de transição. Em janeiro, tornou-se secretário-executivo da Casa Civil. Deixou o posto para substituir Ricardo Vélez no Ministério da Educação. Na função atual, vive às voltas com remanescentes da era petista. Ele afirma que o MEC é até hoje um centro ideológico da oposição, diz que tomou uma cusparada no rosto em seu primeiro dias de trabalho e revela que teve de desbaratar um esquema montado para espioná-lo dentro do gabinete. Eis os principais trechos da entrevista.

Como foi sua chegada ao MEC?
No meu primeiro dia, cheguei lá embaixo e juntou um monte de funcionários do MEC para me cumprimentar. Lá pelas tantas, me deram uma cusparada na orelha. Cusparada, não. Era ranho mesmo. Esse era o ambiente. Cheguei aqui, entrei na sala, o cara me serviu café. Um cara mal-encarado. Pensei: “Quem é esse cara?”. Mandei checar. Era líder da Juventude do PSOL no Distrito Federal. Serviu café para o (ex-ministro Ricardo) Vélez durante 100 dias. Além disso, nesses primeiros dois meses, meu computador foi invadido quatro vezes. Minha sala foi grampeada. Na primeira semana, uma conversa minha com o (Carlos) Nadalim (secretário de Alfabetização) foi inteiramente gravada.

O sr. atribui todas essas invasões e vazamentos a servidores do MEC?
Não são servidores do MEC. Muitos são terceirizados. A verdade é que o Brasil está sendo governado pelo PT há 16 anos e antes disso era pelo PSDB, Fernando Henrique Cardoso. Não é um cara de centro. Ele mesmo vai falar: “Sou de centro-esquerda”. E aqui no MEC é o centro ideológico disso. Talvez aqui e a Cultura (que no governo Bolsonaro virou uma secretaria).

Centro ideológico do quê?
O centro ideológico desse movimento. Não tem como negar isso. Mas tem também muito funcionário de carreira que está aqui fazendo o trabalho normalmente. Mas tem muita gente que foi….

O sr. descobriu quem invadiu seu computador?
A gente vai cercando, né? A gente vai cercando.

Mas descobriu?
Estou aqui conversando no meu gabinete e tal, 15 minutos depois a conversa vazou. Já peguei o cara e mandei embora na hora. Outro falou, eu mando embora de novo. Vocês têm que entender de onde eu vim. A minha vivência é em banco e mercado de capitais. Em operações de mercado de capitais, você não vaza informação. Não se vaza nada. Então a gente tem formas de descobrir quem vaza. Não é com tecnologia, é com técnica. Você vai passando as informações e vai mudando. Daí vazou, você descobre quem é. Chega na pessoa.

E como está agora? Já conseguiu afastar os tais espiões?
Aqui no meu gabinete, sim: 100%. No andar, também já estou seguro. No prédio, me sinto bem seguro, mas ainda não estou 100%. O MEC é um mundo. São mil pessoas no prédio e 300 mil funcionários no país. É um colosso.

O sr. encontrou muitos problemas deixados por seu antecessor, Ricardo Vélez?
O Vélez é uma pessoa muito afável, muito tranquila. É um acadêmico. Não que eu não seja. Sou um professor federal concursado, mas essa minha entrada na vida acadêmica é mais recente. A minha vida era muito mais dura, de mercado, de reunião, de conflito. Ele (Vélez) foi engolido. Volto ao primeiro exemplo que dei. Sendo um ministro do governo de Jair Bolsonaro, você beberia o café e água servidos pelo cara da liderança da juventude psolista do Distrito Federal? Qual é a chance de a água ter sido zoada?

O sr. vive uma guerra ideológica?
Não. Acho que o país está dividido de uma forma como poucas vezes esteve, ideologicamente falando. Há um grupo que não aceita o resultado das eleições, que não está aberto ao diálogo. Está aberto apenas se você falar: sim, vocês estão certos, e nós nos rendemos. Era isso o que o PSDB fazia. Mas vamos conversar, vamos sentar para negociar? Traz os números para me mostrar, abre a tela. Tem muita gente que vem e mostra, muitos reitores estão vindo e mostrando, mas tem alguns que se recusam. Então, não é guerra. Mas há um cenário de não aceitação do resultado da eleição. Tanto que o nome disso é resistência, e eles falam abertamente: estamos na resistência.

E o que o sr. pensa dessa “resistência”?
Eu aceito. Enquanto não houver violência física, acho que estão no direito democrático de fazer um movimento que, particularmente, acho que é equivocado. É como esses jornais mais engajados, que mentem, que difamam. Eles estão no direito de mentir e difamar. Eu estou no meu direito de pedir direito de resposta e falar que eles são mentirosos. Isso é democracia. Eu vejo da seguinte forma: havia uma alternativa, entre aspas, ao poder, que era o PSDB. E o PSDB não é uma oposição ao PT. É muito mais uma transição ao PT. Hoje há uma oposição de fato (ao PT). São duas visões antagônicas do que a gente quer para o futuro do Brasil. Uma é totalitária, a favor do coletivismo, isto é, os interesses coletivos são mais importantes do que as liberdades individuais e das famílias. E, do outro lado, existem as liberdades individuais e das famílias. Existe a soberania nacional. De um lado, você ainda tem aquela visão do bom selvagem, a de que o ser humano é bom na sua essência e é essa sociedade capitalista malvadona que faz ele se comportar mal. No outro, não: existem pessoas com coisas boas e ruins dentro delas e a gente tem que conduzir essa realidade do ser humano, dando liberdade para cada um fazer as suas escolhas para elas tentarem ser felizes.

“O MEC é o centro ideológico disso (da esquerda). Talvez aqui e a Cultura”
O sr. parece descrever um cenário de guerra.
Não. Quando a gente prega a morte de alguém, aí você está indo para a guerra. Da nossa parte, que eu saiba, nunca houve desejo que as pessoas da esquerda fossem mortas. Que eu saiba, não há. Do lado de cá, em momento algum se diz que tem que exterminar, tem que matar, tem que destruir. Nunca vi, por exemplo, alguém do PT sentado no restaurante com filho pequeno ser agredido por um grupo organizado que bolou um ato três dias antes, com dinheiro pago por uma fundação, planejou e foi executar do jeito que sofri. Nunca ouvi falar.

Mas o próprio governo tensiona também, não?
Ideologicamente, acho que a gente responde, pela primeira vez, à altura. Quando a gente escuta que o (líder da Revolução Cubana) Che Guevara é bacana, pela primeira vez a gente responde: olha, o Che Guevara era um racista. Matou uma criança de 10 anos. A história é horrorosa. O Che Guevara botava as pessoas que iam ser decapitadas em gaiolas, né? Pela primeira vez há um grupo que fala na lata: o Che Guevara é um assassino. Há feministas que não falam nada que tem 300 milhões de mulheres em países árabes tratados como aliados que têm a genitália mutilada por razões, sei lá, bárbaras. Essas feministas são incapazes de falar contra mutilação de genitália feminina. Ou contra a lapidação, que é o apedrejamento de mulher por adultério. Quando falamos uma coisa dessas, eles espanam. Aí se insere até o que houve em Alter do Chão (refere-se à discussão com manifestantes que o cercaram enquanto jantava com a família em um restaurante do balneário paraense, durante suas férias).

Por quê?
Foram muito sacanas. Pegaram o microfone do músico e começaram a me xingar. Daí me cercaram e começaram a filmar. Quando eles começaram a filmar, já tinham parado de me xingar no microfone. Daí eu saio, pego o microfone e começo a conversar. Eles estavam preparados para dois cenários. Que eu saísse de lá com o rabo entre as pernas, como os tucanos faziam. Ou como um bárbaro, dando uma bica na mesa e indo para a frente deles. Tinha uns quatro caras que dava para ver que eram violentos.

Eles se apresentavam como indígenas protestando contra medidas do governo.
Nada. Tudo vagabundo com o cocar de plástico na cabeça. Cara normal. Todo mundo ali era gente normal. Não tinha ninguém que come tapioca no café, almoço e jantar e vive no cafundó do Judas. Tudo habitante de cidade. E aí o que aconteceu? Os quatro caras mais violentos estavam preparados para os dois cenários. Mas não estavam preparados para que eu fosse conversar. E, na hora que eu comecei a falar “E aí, o que eu fiz de errado? Fala para mim, o que eu tenho?”, isso os deixou transtornados. Eles começaram a gritar, xingar e a me ameaçar fisicamente. A população local e os turistas vieram me defender. A dona do restaurante estava sentada numa praça, saiu lá de dentro para me defender. E depois teve tudo pichado.

O sr. identificou a origem da manifestação?
É dinheiro da Fundação Ford. A família Ford tem interesse na região. A Fordlândia (uma referência o projeto que Henry Ford tentou implementar na Amazônia) está lá há mais de 100 anos.

O sr. falou que tem mira laser na sua cabeça. Por quê? 
Tem um monte. Estou com 58 processos. Teve um lá que são sete promotores do Rio Grande do Norte que estão me processando. Pedem 5 milhões de reais por dano moral aos alunos de lá porque eu falei “balbúrdia” (o ministro disse em uma entrevista que havia muita balbúrdia nas universidades federais).

O que o sr. tem a apresentar até agora em resultados?
A gente já soltou muita coisa. Mandamos para o Congresso a proposta do novo Fundeb (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação), que é muito boa. Aumenta e distribui melhor o recurso, não estoura a responsabilidade fiscal, coloca critérios de desempenho. Tem a Política Nacional de Alfabetização, que já tem 100 dias que a gente mandou. E o programa que o Jânio (Carlos Macedo, secretário de Educação Básica) apresentou, que é para educação fundamental. Se você notar, os parlamentares mais próximos da educação que no começo falaram para eu mostrar as propostas agora estão quietos. As críticas de que a gente não tem proposta nenhuma sumiram.

A deputada Tabata Amaral, por exemplo, continua a criticá-lo.
Não queria falar dela, porque a vejo não como uma agente final, mas como um veículo das pessoas que a criaram. Então, não queria polemizar com a Tabata. Acho que vocês têm que trazer para a sociedade que existem, assim como a Fundação Ford, outras fundações que foram criadas no Brasil, nos últimos anos, com estratégias de médio e longo prazo, para chegar ao poder e fazer com que o estado vá na direção dos seus interesses. A Tabata é uma de cinco parlamentares que estão lá (para defender esses interesses).

Como o sr. define a direita brasileira que chegou ao poder com a eleição de Jair Bolsonaro? 
Não houve ainda uma leitura adequada sobre ela. Existe uma linha, uma espinha dorsal ideológica muito mais sólida do que aquela que o pessoal tenta o tempo todo desmerecer. Por exemplo, se você for pelos grandes veículos de comunicação, o que passam da minha imagem? Que sou um burro. É a primeira vez na vida que estou sendo chamado de burro, despreparado e louco. A minha vida toda é o oposto disso. Sou formado pelas melhores faculdades do Brasil e do exterior, tenho MBA internacional, que é reconhecido em cinco universidades tops. Fui o melhor aluno do MBA. Tenho uma vida de sucesso profissional forte — senão, nem teria recursos para estar aqui. Tenho uma vida estável, casado com minha esposa há muito tempo, filhos pequenos. As minhas relações pessoais e profissionais são de longo prazo. O que ocorre comigo também ocorre com esse movimento de direita que chegou ao poder. O tempo inteiro tentam desqualificar. Essa desqualificação acaba fazendo com que as pessoas não percebam a solidez do movimento. Pela primeira vez no Brasil, tem um movimento de direita com uma linha ideológica.

“O Carlos, dos três (filhos do presidente), é o mais sensível. Ele é muito sensível, por isso ele tem essa habilidade com comunicação nas redes. Ele se magoa muito”
O próprio presidente por vezes mostra que não se preparou muito para o cargo.
O presidente se preparou. E ele fala: comecei a minha jornada muito antes. O presidente Jair Bolsonaro tem um papel muito importante: ele é uma bandeira. Quando a gente olha esse movimento conservador liberal, existem vários grupos. O pessoal vai dar risada (pega chocolates sob sua mesa para explicar): tem o grupo monarquista, mas é um movimento importante. Existe o pessoal ligado à área militar e policial, que é importante. Existe o movimento ruralista, existe o movimento evangélico. E existem os liberais não alinhados ao PSDB, esse liberal “fronhonhoen”, especial, que gosta de tomar vinho cabernet sauvignon. Eu também gosto de tomar vinho, mas não fico cheirando rolha. Esses liberais também estão aqui. Então tem vários grupos e o presidente Jair Bolsonaro conseguiu ser a bandeira que amalgamou todos eles.

Os grupos não conflitam muito?
Olha, quando cheguei aqui no MEC, estava tendo briga interna. Quem brigou internamente, eu raquetei. E fui respeitado por todos os grupos por ter feito isso. Por quê? Porque não se pode brigar internamente por razões pessoais. Tem um propósito maior que é colocar o país de volta nos eixos. E não é por razões pessoais, interesses particulares ou falta de controle emocional que você pode pôr tudo a perder.

Entre os vários grupos que apoiam Bolsonaro, o sr. se considera parte de qual?
Então, essa é uma das vantagens… Se você notar, eu, meu irmão (Arthur Weintraub, assessor especial da Casa Civil), o (ministro da Casa Civil) Onyx (Lorenzoni), a gente é aceito em todos os grupos. A gente transita bem do liberal ao evangélico. Do militar à bancada da bala, ao ruralista, ao monarquista.

O que pensa de Carlos Bolsonaro?
Gosto do Carlos. Acho o Carlos brilhante. O Carlos não atrapalha. Qual o problema? Os filhos viram o pai ser esfaqueado. Esse cara não tem um minuto de paz na vida dele. O Carlos, dos três, é o mais sensível. Ele é muito sensível, por isso ele tem essa habilidade com comunicação nas redes. Ele se magoa muito. Aquilo que ele foi lá para defender o pai (refere-se à posse, quando Carlos sentou atrás do pai no carro presidencial) é verdade. Ele fisicamente levaria uma bala pelo pai. O que procuro ver é o saldo. Se você não tiver nenhum defeito que te inviabilize, como ser ladrão por exemplo, eventualmente vai cometer erros. O saldo do Carlos é amplamente positivo. O saldo do Flávio e do Eduardo também. O Eduardo é um político com futuro brilhante.

Não há muita interferência dos filhos no governo?
Vocês precisam entender que não haveria um movimento sem o presidente Jair Bolsonaro e os três filhos. Os filhos tiveram um papel fundamental. Até fisicamente, na proteção física do pai. Há ameaças o tempo inteiro.

O sr. se considera integrante da chamada ala ideológica?
Como assim? Todos eles têm ideologias. O presidente Jair Bolsonaro é o ponto comum. Mas todo mundo é ideológico. Vai falar que o movimento evangélico não é ideológico? Eles têm uma ideologia muito clara: resgatar os valores judaico-cristãos. Vai falar que o Paulo Guedes não é da área ideológica? Lógico que é. Ele defende o liberalismo na medula.

O que o senhor acha do Olavo de Carvalho?
Acho o Olavo de Carvalho um homem brilhante. Ponto.

Por quê?
O Olavo de Carvalho acertou muito. Demais. Em tudo. Ele foi o cara que conseguiu ler todo o movimento de esquerda, descrever e traçar uma estratégia de enfrentamento (contra a esquerda) que, hoje, se você pegar os movimentos americanos (de direita), eles não conseguem ter o resultado que a gente aqui no Brasil tem. Ele inventou uma coisa nova, sem ser um movimento totalitário. Nós não somos um movimento totalitário. Então, quando você pega movimentos ditos de direita na Europa, onde você tem o flerte com movimentos supremacistas brancos, aqui não existe isso. Aqui é um movimento conservador liberal na essência. Ele (Olavo) desenvolveu primeiro a leitura perfeita e, segundo, a estratégia de enfrentamento, que dá certo. Acho o Olavo brilhante. É a pessoa perfeita e nunca diz uma bobagem. Ele é santo? Não, lógico que não. Ele está cheio de defeitos.

Mais ajuda ou mais atrapalha?
Mais ajuda. Ele nunca esteve no governo. O papel dele é ser um pensador. Ele é a espinha dorsal, filosófica, do movimento liberal conservador. O Paulo Guedes é a espinha dorsal econômica do pensamento liberal conservador. A junção do Olavo de Carvalho com o Paulo Guedes é a ideologia do nosso movimento. A gente está aqui para realmente ter um país.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Excelente entrevista do ministro Weintraub.O aparelhamento petista do Mec.aos poucos vai se desmontando .Força ministro.O Brasil agradece.

  2. EU VOTEI NO BOLSONARO PQ ELE ERA A OPCAO PRA TIRAR O PT E PQ ELE PROMETEU GOVERNAR COM OS MELHORES, SEM TOMA LA DA CA. ENTRE OS MINISTROS TEM 3 Q TEMOS Q TIRAR O CHAPEU - GUEDES, MORO E TARCISIO. O RESTO, E' O RESTO. ESSE MINISTRO E' DE UM RIDICULO DE DAR VERGONHA E E'PIOR QDO RESOLVE FAZER PERFORMANCES COMO O DE DANÇARINO. O' CARA, ASSUME LOGO TUA VOCACAO, LIBERTA ESSA TIGRESA Q MORA DENTRO DE VC. VAI A LUTA.

  3. Boa entrevista! O ministro está de parabéns pela sua competência e coragem. Sugiro uma entrevista com Marcos Cintra, para falar sobre outro ambiente hostil e corporativista.

  4. Lendo isso fico cheia de esperança. Seremos perseverante. Vamos vencer essa. O Brasil tem jeito. Meu povo merece uma vida digna. A EDUCAÇÃO É A BASE DE TUDO.

  5. Deu para perceber que os entrevistadores não perderam tempo com perguntas mais profundas, já sabendo de antemão dos limites intelectuais deste"ministro"!

  6. Muito boa a entrevista, me identifiquei bastante com as respostas do ministro r acho q realmente é necessário um certo tempo para mudar toda a estrutura educacional no Brasil que foi fortemente aparelhada por esses partidos de esquerda desde o PSDB e tendo seu ápice com o PT ...é só observar como aumentou o número de faculdades particulares e de cursos de pós graduação de qualidade duvidosa vendendo ilusão aos q cursam bem como a degradação da educação básica do nosso país .Muda Brsadil!

  7. Weintraub é um ótimo ministro. Tem fibra, inteligente, destemido. Precisa de mais apoio pra enfrentar a in "docência" nas universidades federais.

  8. Que otima entrevista com o Ministro da Educacao! Os professores da rede estadual de ensino do Rio de Janeiro precisam conhece-lo melhor,mas a maioria nao tem condicoes financeiras para assinar a Crusoe .Eu o conheci melhor atraves desta entrevista . Ouco professo res que o criticam sem conhecer seu trabalho. Em geral sao petistas ou de outros partidos de esquerda.

  9. O ambiente nas redações é porco e decadente, por isso o repórter é irônico quando o ministro fala das intrigas corporativas. Está falando sobre o que não entende, por isso caçoa.

  10. Brilhante !!! Agora, eu li um homem se abrindo e tentando explicar um cenário complexo, que envolve intrigas corportaivas para um jornalista, por definição um sujeito que não tem formação em nada, possui um conhecimento raso das coisas e se acha um "formador de opinião", tem a ilusão de ter uma cultura que na verdade não tem. então a entrevista é isso aí, é irônica, é boboca, reflete a estreiteza mental do entrevistrador.

    1. Quis fazer pegadinha e se deu mal ante à abrangência e firmeza do ministro.

    1. Exatamente, Maysa. O povinho "vai ter que rebolar"... Um Grande Ministro!

    2. Convém esperar um pouco mais para uma avaliação mais isenta desse ministro. Fala demais como o chefe mas o chefe tem a autoridade que o excelente desempenho nas unhas lhe confere.

  11. Li com atenção a entrevista. O Ministro não tem nada de tolo. Mesmo sob forte pressão de funcionários recrutados pelos vivermos anteriores, organizações que viviam da treta, além de responder a mais de 50 ações judiciais, propostas exatamente para desnortear o Ministro, ele mantém o equilíbrio. Nada tem de pitoresco. No episódio do restaurante, reagiu como homem e pai ser quando confrontado em situação de nenhuma segurança próxima. Mais importante, tem total apoio do Presidente.

  12. Espetacular. Continue assim. Não se curve e nem baixe a cabeça quando estiver certo. Combata com serenidade e convicção e os inimigos serão vencidos.

  13. Excelente ministro. Dos melhores. Tem a tarefa mais árdua: combater a esquerda que foi implantada por mais de 20 anos no Ministério da Educação. Guedes, na economia, já entrou com o povo sabendo da crise da Previdência. Teve o enorme mérito de formular e organizar o grupo para aprovar a Reforma. Moro, já é conhecido e detentor do cetro pela mudança da seriedade da justiça no Brasil. E os demais estão desbravando.

  14. Junto com Dalmares e o do Turismo (que lembramos que existe por conta do laranjal!!!! viu moro???) forma o tripe caricato da gestáo de turno,,,,pobre Brasil,,,

    1. Exato, o lula tá preso baaaaa esquece isso!!!! que tara!!! SIM ESTA PRESO PORRA, QUE FIQUE POR LÄ

  15. boa entrevista... além de lúcido é capaz de citar algumas diferenças entre as tribos conflitantes; uma é violenta e ataca mesmo, com facas e empurrões e humilhando crianças e idosos; a outra tribo não tem praticado violências nem ataques mortais.

  16. De longe, é o ministro com a mais árdua tarefa do novo governo: eliminar o aparelhamento que culminou na implantação do marxismo cultural em todas as esferas da educação brasileira. Força ministro!!

  17. Issaí, Ministro. Mete bala! (No sentido figurado; tem q explicar tudo hj em dia para esses analfabetos funcionais e/ou desonestos intelectualmente...). Tem q manter issudaí, talquei! 👊💪🤙👉

  18. Parabéns Ministro , Avante, não está fácil trabalhar , levar adiante as mudanças na educação, tão almejada pelos brasileiros, enfrentar até jornalistas que colocam este título ridículo na entrevista ! Haja paciência! Parabéns de novo!!!

  19. brabo! Autêntico, de firme propósito e direto ao assunto. Excelente entrevista . Vá em frente Ministro e promova a limpesa neste trambolho de ministério decadente.

  20. Este está na área mais aparelhada do Estado. Enquanto o brasileiro não for bem instruído desde a base, não se consolidará como nação. É um problema extremamente grave, difícil de ser resolvido e demorado em apresentar resultado duradouro (pelo menos de uma geração). Tem que ser transformado em política de Estado e não de governo.

  21. Como sempre, o ministro mostra sua total incompetência intelectual. Além de ser um professor e pesquisador medíocre, ele é também um mentiroso que não consegue articular um plano concreto para a educação no país, apesar de todas as oportunidades que o repórter deu a ele. Não nega ser um olavista terraplanista. Ao chamar o Olavo de liberal, ele xinga o liberalismo e todos os intelectuais que construíram esta corrente política. Ministro, você é ideologicamente xucro e intelectualmente desonesto.

    1. Caro, v. tá comentando entrevista errada, não pescou nada.....burro

  22. Tem que ser macho mesmo CRUSOE, não se pode se acovardar diante dessa manada de vagabundos que tomou conta das repartições públicas do país durante décadas, sugando as tetas do herario público enquanto quem trabalha sofre como condenado em transporte públicos superlotados por um mísero salário para sobreviver, essa raça passa o dia tomando cafezinho e lendo jornal, poucos produzem alguma coisa de útil. Com tanta gente sugando a vaca chamada Brasil não sobreviverá.

    1. Desculpe Marcos, erros ortográficos eventualmente podem ocorrer no calor de uma revolta.

    2. Aladim, gostei do seu comentário, mas (não vá me xingar), "erário" é sem "h".

  23. O financiamento da educação envolve a contribuição da União, estado e município. Há uma dificuldade de coordenação natural à organização tripartite. As mudanças têm que ser negociadas com várias partes interessadas... Deve existir uma liderança e um projeto com apoio popular. E tem que mudar em busca de eficácia.

  24. O título da matéria não tem nenhuma relação com a entrevista e nem com o ministro, que é muito tranquilo, gente boa, e enfrenta a oposição com humor e não com violência. Nota para o título, 10 para o ministro e a entrevista.

  25. Eu quero ver o governo acabar com a farra das empresas multinacionais do mercado da educação superior, reduzindo significativamente o FIES e o PROUNI, para transferir a fábula de dinheiro que se gasta em universidades particulares para o ensino fundamental e médio. Quero ver o governo impor mecanismos mais rígidos de controle e gestão de gastos com a educação fundamental e o ensino médio. Somos o país que mais gasta em educação no mundo, em relação aio PIB, e estamos entre os piores.

    1. Isso! O desafio é viabilizar políticamente essa correção. As universidades privadas merecem melhor avaliação e sua divulgação para que as famílias possam saber a qualidade da educação que estão pagando.

  26. Ótima entrevista. A esquerda se acostumou a não ter oposição, muito menos de direita. Portanto, o país testa um viés mais nova antes na história desse país..... Precisamos que sejam acertivos, errem pouco, assim sendo, a esquerda vai demorar pra voltar seu modelo que faz festa com o dinheiro dos outros.

    1. De tudo só não gostei do título, nunca vi esse lado brigão do ministro.

  27. Espero que ele dê alguma atenção ao ensino de exatas no país, que é muito precário e resulta na falta de bons técnicos e consequente entrave ao desenvolvimento da nação.

  28. A manchete deveria ser "Ministro Combativo", desalojar esses petralhada das entranhas do MEC, não vai ser fácil, é preciso combater e eliminar essa ideologia nefasta que atrasa e escraviza pensamentos de liberdade e de liberalidade no nosso país.

  29. Excelente perfil gestor. Mas Desenvolveu pouca ciência. Vi no lattes. Sem afinidade com ciência? Privatize a graduação nas universidades públicas e isente quem não pode pagar. Invista pesado nas pesquisas direcionando pra programas que vcs julgam estratégicos pra o país. Continue investindo na educação básica e fundamental como vc e Bolsonaro viram em Taiwan. Se não investirem em ciência e tecnologia seremos engolidos pela China vendendo commodities agrícolas. O CNPq não precisa acabar.

    1. Sensato? Ou infantil? Ou irônico? É este seu raso argumento? Brilhante... nas palavras do nobre ministro! Bom mesmo será aquele que driblar a escassez de recurso e investir na educação básica e fundamental, além de ter coragem de dizer em alto e bom som que vale muito a ciência! Essa que te medica, que vc dirige, que vc come, que trata sua água, que fabrica sua roupa, seu celular, seu computador, que te transporta em vôos com segurança. Bom mesmo será o ministro da educação do partido NOVO!

  30. O ministro é gestor, não cientista, pelo lattes se vê. Excelente perfil de gestor. Todos os reitores das públicas deveriam. Mas há risco grande em desinvestir em ciência. Privatize a graduação pra quem pode pagar. Invista e priorize ciência escolhendo programas estratégicos pra o país. Continue priorizando ensinos fundamental, básico. Cobre taxa mínima pra quem pode pouco. O que é de todos, não é de ninguém. Sem ciência seremos engolidos pela China, vendendo commodities. Ciência, tecnologia já!

  31. Excelente a entrevista com o Ministro Abraham Weintraub! A Esquerda esteve no poder durante muitos anos e a sua metodologia de ensino mostrou-se totalmente equivocada. Muita cautela Ministro, muita persuasão! Há que adotar estratégias, investigar a fundo o seu Ministério e verificar os pontos fortes e os pontos fracos. Coragem Ministro, seja resiliente e forte, pois o Brasil precisa do senhor! o País precisa evoluir! Muito sucesso!

  32. O título da matéria é desonesto: ministro brigão?! Queriam o quê? O cara é brilhante, lúcido e competente! Menos afetação ajuda bastante a Crusoé!

  33. Se não acabar a famigerada aprovação automática nas escolas, a qualidade do ensino no Brasil continuará sendo catastrófica, que professor tem interesse em se dedicar se sabe que não pode cobrar resultado e que aluno terá interesse em aprender se tem certeza de não ser reprovado.

  34. O MEC foi o Ministério mais aparelhado pela esquerda. Há mais de 50 anos . Antes na clandestinidade mas depois da redemocratização na cara de pau . Seguem a cartilha de esquerda . Preparam mal as futuras gerações mas as deixem bem politizadas . O centro de toda a militância . Usam o trabalhador e o cidadão sem educação como massa de manobra . Não tem uma preocupação com o País e sim com o socialismo . Radicais , pouco afeitos as controvérsias . Adoram o auto elogio entre seus pares .

  35. Acho que o ministro vem atuando bem! Um pouco espalhafatoso na postura, mas está no caminho certo em suas propostas. É muito bom vê-lo enfrentar os esquerdopatas do atraso que dirigem e dominam as universidades, usando a mesma "linguagem do porrete", que é a única que eles praticam e entendem!

  36. Pode até vir a ser brilhante, mas é um boboca. Conseguiu dar uma bandeira pra oposição ao falar bobagens anunciando com espalhafato um contingenciamento de gastos perfeitamente normal e necessário.

  37. Gostei muito de ler a entrevista do Ministro da Educação. Concluo que é mais um Ministro de alto nível e qualidade. Estamos bem de propostas. Acredito na reorganização da Educação Nacional.

    1. Acabei de ler a entrevista do Ministro VALENTE como foi dito . Gostei muito da posição dele,e fiquei realmente impressionada com tanto equilíbrio. AGIR com Equilíbrio,se programa. REAGIR,é muito difícil. por isso os entrevistadores, estão sempre em melhor condição que os Entrevistados. NOSSO PRESIDENTE MESMO É BEM VISCERAL. DEVERIA SER ELOGIADO POR TANTA SINCERIDADE!.. AINDA NÃO APRENDEU A SER "POLÍTICO" (dissimulado) EU PAGARIA PARA VER TANTA GENTE QUE ENTREVISTA,SENDO ENTREVISTADO. AH!..

  38. A esquerda comunista xinga Olavo de Carvalho de astrólogo como xinga a oposição de fascista, racista. Não respeitam os astrólogos do Brasil, que é uma profissão honrada e é rebaixada pelos PTistas.

    1. A propósito, li " O mínimo..." e comecei a ler a QUINTA EDIÇÃO do "Imbecil Coletivo", um dos mais lidos entre as várias obras do "astrólogo verborrágico destemperado, coisa e tal" como dizem os obtusos. Como disse Felipe de Moura: " O de C. não é para frouxos.", por mais que se achem condoreiros, como o amigo Aguia, autor dos comentários mais infelizes aqui postados, sobre o filósofo em tela.

  39. Suga em frente com o excelente trabalho, Ministro. E não deixe de responder e enfrentar esta turma que luta pelo atraso e defende ladroes da república.

  40. Gosto do jeito direto , sincero , seguro e bem humorado do Weintraub. O título foi equivocado e algo pejorativo . Em vez de “ O Ministro Brigão” e deveria ser “ O Ministro Valente”.

    1. Perfeita a sua observação. No MEC, como nos demais ministérios, tem que ter ministro valentes, de enfrentamento, pois caso contrário não conseguirão acabar com o aparelhamento bandido e individualista. Esses vermelhos têm que ser banidos das organizações públicas e se possível do Brasil, se não o governo não conseguirá vencer a resistência.

  41. Parabéns ministro. Quando apanhar não de a outra face. Bata também. Essa esquerda não estava acostumada com isso. E foi um dos motivos da vitória do nosso Presidente.

  42. Muito bom, cabra macho, correto, preparado academicamente, com seus acertos e erros eventuais, como qualquer ser humano. MAS, curiosamente, não tocou no nome do Flávio (...) e infelizmente se enternece demais quando cita o tal astrólogo do cachimbo, homenzinho verborrágico e tão destemperado que só é sábio quando calado e infernizou tanto por aqui que provocou a queda do Gal Santos Cruz (não confundir com o tal Santa “Cruz” que a OAB carrega...). Tomara que acerte, pois sua Pasta é FUNDAMENTAL!

    1. Parece que atingi o alvo. A águia é uma galinha... Se não gostou, coma menos. Sou olavete e estou bem acompanhado... Ao passo que você, só aprendeu a xingar com o O de C, sem os motivos dele.... Se leu, não aprendeu porra nenhuma, coletivinho... Vá, escreva mais "algo seu e de real valor". Mostre-se, Aguia. Desça. Andes não lhe está fazendo bem. O clima aqui é outro, meu nobre escritor... Compre uma praia pra você. Esta, onde estou é democrática. De-mo-crá-ti-caaaaa!

    2. Ja li sim e não gostei. E ele que se diz um autor consagrado já pediu dinheiro pela Net para pagar remédio é um astrólogo quebrado sim e babaovos da KKKan como você, otario. Ah e sim novamente: Obtusa é a mamãezinha, seu panaca de merda. Vá tirar sarro barato noutra praia, ou escreva algo de seu e dereal valor, olavete palhaço!!!

    3. Tenho a impressão de que só quem nunca leu um texto sequer do excelente escritor Olavo de Carvalho, aplica-lhe a alcunha de astrólogo... Saiam um pouco dos vídeos, "Meu Deus do Céu" (Expressão do OC quando está lidando com pessoas obtusas. Acho ótimo!!!)

  43. Parabéns ao Nosso Novo Ministro da Educação! A mudança precisa começar com força e muita coragem e assim, daqui alguns anos, quem sabe ficaremos livres dessa ideoligia que destruiu a Educação em Nosso País e seremos um País melhor. Vamos a luta!

  44. Se há alguém capaz de levar a educação a patamares das décadas de 60 e 70 é esse ministro. Lúcido , centrado, com ótimas propostas e incansável trabalhador, além de inteligente e patriota.

  45. Quem quer saber a quantas anda o MEC atualmente, vejam o Editorial do Estadão hoje. Esse Ministro jeca vai ficar pra história como o Ministro da Balbúrdia. E só.

  46. Não considero o ministro polemico. Ele é extremamente assertivo e consistente, sem ser grosseiro ou arrogante, com uma saudável pitada de ironia e humor inteligente . Deve ser um papo interessantíssimo numa roda de amigos e competente e pro ativo no trabalho.

  47. Dentro de uma edição funesta, que transmite um quadro e futuro político horrorosos, ainda tenho a esperança da virada na educação e considero o Ministro um agente de mudança ao invés de a gente de mudança. Ele diz coisa com coisa, ataca o que considera errado, trazendo algumas soluções práticas de primeira linha, basta manter o pulso e rezar pela sobrevivência

  48. Claro como água da chuva. Sem firula, mas com metas claras. Espero que consiga melhorar um pouco a qualidade do estudante brasileiro, que não sabe regra de três simples, mesmo completando o ensino médio.

  49. Gostei. Quero ver como vai agir quando perceber que o presidente está vendendo a alma ao diabo, se associando ao que tem de pior na política para salvar o couro do filho encrencado com a justiça.

    1. Pelo que se observa, e que o MEC esta sendo desintoxicado, bando de professores que nao dao aulas, isto quando vao a escola/faculdade. A ma conservação dos predios/instalacoes por ma gestao e orientacao pedagogica aos alunos/estudante, bem como descaso e ausencia de disciplina. A questao nao e apenas ideologica, mas de educacao mesmo.

    2. O melhor é uma educação livre de ideologia, aliás, uma promessa de campanha que vocês esquecem rápido.

    3. O que é melhor, uma esquerda corrupta que atenta contra a moral do povo, ou uma direita que quer preservar a decência.

    4. O caminho certo seria transformar o MEC num centro ideológico de direita?

  50. Gostei desse ministro. Crítica da esquerdalhada se combate com trabalho sério e mostrando resultados. Estou torcendo por ele. O seu sucesso é o sucesso da educação no Brasil.

  51. Gostei da entrevista. Mostra como a esquerda reage ao governo e o governo reage a esquerda PODRE . Só faltou colocar Sergio Moro como a espinha dorçal ANTI CORRUPÇÃO .

  52. Gosto desse ministro. Parece-me que tem garra pro enfrentamento da "balbúrdia" que de fato existe. Desejo que acerte mais do que erre! O Brasil almeja isso!

  53. Respostas diretas, sem enrolações ou meias verdades. Raciocínio lógico. Foco no trabalho planejado, no já desenvolvido e a ser executado. Visão estratégica da educação fundamental, básica e superior. Dirigente estruturado e dotado de extrema praticidade e rara racionalidade... Um líder! Nos meus 60 anos de vida JAMAIS um outro ministro da educação reuniu todos esses predicados. Que diferença dos ex: "Rethhadad"; Mercadante; Cid Gomes; Tarso Genro; Cristovam Buarque, e outros farsantes

  54. Gostei da entrevista, Ministro. Sempre pensei assim também, pois os petistas e a extrema esquerda em geral nunca tiveram um adversário a altura no Brasil. Com certeza eles estão sentindo os contra ataques às suas mentiras.

  55. É o melhor ministro do governo, sabe e quer enfrentar os esquerdopatas , vou mais longe , seria um ótimo presidente depois que o Bolsonaro acabar seu mandato .

  56. Esse é o melhor ministro do governo Bolsonaro , sabe e quer enfrentar os esquerdopatas , vou mais longe , seria um ótimo presidente depois que o Bolsonaro sair .

  57. O entrevistador deve ter sido funcionário da Foice de São Paulo ou da Carta Capital, mas o ministro se saiu muito bem na entrevista.

    1. Por quê? Só porque ele (o entrevistador) não é um puxa-saco que aceita tudo sem fazer questionamentos importantes? Olha aqui, eu sou de direita e votei no Bolsonaro, mas discordo totalmente desse tipo de postura acrítica, radical, que não quer pensar e sempre concorda 100% com tudo que o governo faz.

  58. Meus cumprimentos ministro, bela entrevista. Para fazer frente aos bárbaros coletivistas, além da competência e inteligência; é preciso ter os ovos bem colocados. O Sr. é bárbaro. Rss

  59. O grupo de ministros estão se revelando excelentes, estáo fazendo mudanças radicais. O Problema parece ser o chefe.Infelizmente vem se perdendo e não vejo como retomar a linha programática a que fora eleito. Será que o gigante voltou a dormir?

  60. O ministro tem nosso apoio , cansamos de ouvir um monte de asneiras da esquerda e da imprensa vendida, agora nosso presidente e seus comandados estão nos representando dando as respostas a altura que gostariamos de dar.

  61. Enquanto ele dá cá a cara a tapa seu chefe Bolsonaro está abraçado com os corruptos que ele combate. Sai fora ministro, está sendo feito de palhaço por ambos.

    1. A oposição não reclamava que o governo não articulava ? Agora o governo está articulando . 🇧🇷

    2. Não sou vidente nem espião, logo não sei realmente se Bolsonaro está abraçando corruptos ou não. Vamos considerar que sim está, mesmo assim não é interessante e necessário fazer um bom trabalho no MEC? Se o líder estiver errando todos os bons devem sair até que se encontre um líder que não erre? Nisso tudo o Brasil que se f#.... que espere? Pessoas de valor com estabilidade emocional trabalham bem até na lama. Podemos ter um governo 40% bom ou voltar a ter um governo 100% Mer#d!a..

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO