RuyGoiaba

Aqui não tem Chanel

02.08.19

Assim como Talquei ama sua prole, a imprensa brasileira – com quase a mesma intensidade — ama fidalgos. Não na acepção de pessoa nobre, generosa etc., mas no sentido estritamente etimológico: filhos d’algo. Nada explica que alguns deles tenham emprego e espaço nos veículos de comunicação, a não ser o pedigree e as conexões. E mesmo os realmente talentosos se beneficiam dos atalhos que o sobrenome ilustre proporciona.

Eu, por exemplo, gosto de ler as colunas da neta do Hélio Pellegrino e da filha do Paulo Miklos sobre empoderamento feminino. É bom para que eu me mantenha sempre consciente do meu lugar de fala como macho branco cis-hétero mansplainer gaslighter, que é basicamente nenhum: tenho de manter a boca fechada, a não ser para pedir desculpas pelos milênios da opressão exercida por todas as categorias que eu assinalo no Bingo do Opressor.

O caso é que, alguns dias atrás, a neta e a filha dos dois prominent men chocharam Tabata Amaral, deputada nascida e criada na periferia de São Paulo, mas que infelizmente se vendeu ao capitalismo financeiro e abandonou as causas verdadeiramente progressistas, como ser contrária à reforma da Previdência. É uma operação semelhante à que o petismo fez com Marina Silva em 2014, transformando a ex-empregada doméstica e ex-seringueira em “candidata do Itaú” e a branca com modos de patroa mandona — Dilmãe — em legítima representante das aspirações do povo brasileiro.

Geralmente, o que permite que uma senhora bem-nascida, que abre a casa rústica-chique no sul da Bahia para o fotógrafo da Casa Vogue enquanto “prepara um clericot na cozinha integrada ao living principal”, dê lições de progressismo a uma jovem mulher egressa da periferia é uma coisa só: a devoção a São Lula, que purga todos os pecados de classe. O Cordeiro de Deus, aquele que tirava o pecado do mundo, já era: é o hóspede da carceragem da Polícia Federal em Curitiba que lava mais branco a culpa dos ricos e transforma até Kátia Abreu, ex-rainha da motosserra, em amigona da galera.

(Abro um parêntese para observar que, no Brasil, já existe uma tradição de artistas que dedicam toda a sua obra à expiação de sua culpa burguesa, dos quais Petra Costa, de Democracia em Vertigem, é só o exemplo mais recente. “Somos milionários, mas vejam, estamos do lado certo da história: somos gente também. E minha família pode financiar seu partido, wink-wink”.)

Por outro lado, Tabata, Marina e muitos outros que não assinam embaixo da lista de causas certas – uma por uma — podem se preparar para ter suas carteirinhas de pobre (ou de ex-pobre) e de minoria (mulher, negra, LGBT) cassadas. Perdem o lugar de fala no ato. Passam a ser não pessoas de quem simplesmente se discorda, mas capitães do mato, aliados dos opressores, Judas Iscariotes reloaded; em suma, gente indigna de pôr os pés no apê de Paula Lavigne.

Dirão vocês que é inveja, ressentimento de classe. E estarão certos. Mas também é mais do que isso: cansei de ouvir discurso “progressista” condescendente de gente riquinha que não aguentaria meio minuto nas minas em que meu avô trabalhava no século passado. Aqui não tem Chanel (nunca vai ter, diferente do que cantavam os clubbers otimistas do Que Fim Levou Robin?), mas bem que o Iluminismo e a Revolução Francesa poderiam incluir o Brasil na sua turnê mundial. Até o que sobrou dos Beatles veio para cá e nada de eles aparecerem.

Enquanto isso não acontece, minha sugestão a Tabata e a todos que não têm pedigree é nascer de novo. Quem sabe na próxima encarnação a gente acerta.

***

A GOIABICE DA SEMANA

Já chamei Jair Bolsonaro de tiozão do churrasco, mas as barbaridades ditas pelo presidente ao longo de toda a semana que passou comprovam: na verdade, ele é uma caixa de comentários de blog que os brasileiros colocaram no Palácio do Planalto. Pensando bem, é ainda pior que isso, porque a caixa de comentários você pode ignorar – inclusive eu ignoro os seus aqui, a não ser quando vocês dizem que me amam –, mas o bestialógico do capitão é esfregado na nossa cara “diuturna e noturnamente”, como diria aquela outra besta lá.

Invertendo o sinal ideológico, o atual governo é um pouco como, no Teatro Oficina, ficar na fila do gargarejo — que ali pode ser perigosamente literal.

Karime Xavier/FolhapressKarime Xavier/FolhapressZé Sexo Martinez Corrêa, o inventor de um novo conceito em fila do gargarejo

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Trabalho no meio publicitário, portanto enquanto lia seu texto, pessoas iam vindo a minha mente... Sensacional!!! Convivo com esses seres diariamente, a turminha gourmet a la Roger Waters.... Parabéns pelo texto.

  2. Nunca comentei seus textos, mas esse preciso comentar pra dizer que gostaria de tê-lo escrito! Sensacional! É uma pena que muita gente vai ler e não vai entender. Ironia é para poucos, infelizmente. Parabéns! Uma obra de arte do início ao fim (inclui a goiabice!).

  3. A nossa kerida imprensa ainda vive em função dos políticos,em cada dez notícias,reportagens e editoriais todas são em função dos políticos. Os governos anteriores eram compradores e o atual não compra e as mídias continuam ganhando promovendo-o, seja por bem ou por mal.

  4. Tábata Amaral teve que sentir na carne como é verdadeiramente a esquerda. passou por um choque de realidade. A esquerda defende a "democracia", as minorias, as opiniões. Desde que convergentes com seus planos. Lá não há espaço para individualidade. É tudo massa, tudo gado. A lição foi dada. Tomara que a menina tenha aprendido, ao contrário de Marina que apenas varreu tudo para baixo do tapete.

    1. Não, ela não deu dinheiro. Ela pagou um trabalho que se fosse realizado por outra pessoa teria ficado bem mais caro. Pagou bem pouco pela qualificação do rapaz. Pesquise para ver.

    2. Espero que aTabata saiba diferenciar o que é dinheiro público do privado e pare de ficar dando dinheiro público ao namorado, dê outras coisas suas menina.

    3. Quem defende as opiniões defende as individualidades, pois são os indivíduos que têm opiniões. Tanto na esquerda como na direita são poucos que realmente defendem e se interessam pelas opiniões dos indivíduos

  5. É bom ler o que o Ruy escreve, porem necessita de muita reflexão porque as críticas ao Presidente Bolsonaro é dura demais. Se você comentou as roubalheiras da era PT durante décadas como se fosse um surdo/mudo/cego, fica uma advertencia. Tem o dom da palavra, porem é bom ir amansando...

    1. Mario, concordo plenamente. O Ruy é excelente cronista, mas precisa realmente baixar a bola.

  6. Hilario ...até quando fala do Presidente . Muito legal os textos ...muito mesmo e alegra o domingo . Apenas um detalhe : que o nosso Presidente continue dizendo “ besteiras “ ...e que continue fazendo as coisas certas . Colocamos ele lá para isso ...escutar uma ou outra besteira dele e muito melhor que o dilmes ou o lules ...

  7. Goiaba, eu te amo! Bom, agora que sei que você vai ler, aqui vai meu comentário: Ótimo! Estou na fila dos que devem nascer de novo! Só não sei como fazer para cair na nobreza. Vai que venho em família de bandidos! Deus me livre!

    1. Achei perfeito a forma dele escrever; ajuda ainda mais nessa prosa satírica! Adorei e ri

  8. Hahaha mas essa é a melhor coluna do jornalismo brasileiro. Goiaba consegue sintetizar as desventuras de se viver na Bananalândia entre corruptos e imorais por todos os lados e ainda sobreviver.

  9. Quanto ao tosco e sem crítica que está na presidência está cada vez mais parecido com o personagem que entretem a corte para que a equipe trabalhe. Também leva jeito.

  10. um diferencial - a Tábata tem mais recursos pessoais e vem demonstrando que fala o que pensa e não é porta voz do partido. Leva jeito.

  11. Pois é seu goiabinha,o senhor é que deveria ser Presidente da República.Possui coragem e competência para isso.KKKK Deixe o Bozo recuperar a economia com sua equipe e sua conversa de botequim.Continue sendo ridículo e metido a inteligente.Muito corajoso o senhor.

    1. Juntar Bolsonaro e competência na mesma frase é até engraçado...

  12. Mais perigoso do que a fila do gargarejo do Teatro Oficina é ficar aquelas horas intermináveis tentando ver onde vai dar. Parabéns a Tábata (e a Marina) que escaparam da fila do gargarejo e das horas intermináveis.

  13. É como nas capitanias hereditárias e na política nacional. As besteiras se sucedem por gerações, algumas delas bem mais aperfeiçoadas! Viva a Tabata, que é inteligente, preparada e linda, o oposto das suas invejosas detratoras!

  14. Também é lamentável ver a que ponto a subserviência aos ditames da cúpula "esquerdalha" faz com que personalidades públicas aluguem suas mentes para defender sabe-se lá quais outros mais interesses escusos, porém certamente idênticos aos que sempre foram apoiados por essa falsa intelectualidade artística brasileira. E não são poucos, nas mídias, nas artes .... Mas a fonte $ecou. para os verdadeiramente canahas!

  15. Kkkkkkk. Lavando a alma. Vc não sabe a quantidade de gente de pedigree e progressista que eu conheço. Como eu sou mulher, portanto minoria historicamente oprimida, eu posso gritar: Pau no cu desse povo hipócrita. Sonsos e babacas como um Gregorio Duvivier. Eu quero mais é ser phyna

  16. Nessa questão de fidalguia a que ponto chegamos hein? O Capitão, ou "Cavalão", que não é filho de ninguém, apanha todos os dias na imprensa de fidalgos com linhagem ideológica, em parte, idêntica a dele: os fidalgos Andreazza e os fidalgos Gianotti da Fonseca, por exemplo, mas o próprio Cavalão quer implantar seu regime de fidalguia, como o sans culotte Napoleão criou sua própria nobreza elevando ao primeiro estado o rebotalho que o acompanhava.

  17. Os esquerdosos são uns cínicos, arrogantes. Se observamos suas atitudes, fica fácil de comprova-lo. Quantos ' artistas ' casaram com suas empregadas domésticas, seus pedreiros ou jardineiros? Quantos casaram-se com pessoas negras? Quantos adotam crianças, esta atitude nobre e humanitária de distribuir riquesas? Quantos? E sim, Goiaba, te amo. Seu Sr. Brilhante!

  18. Muito interessante essa aproximação, em certo sentido, de Tábata com Marina, e dos que os que se acham "porta-vozes dos pobres e trabalhadores" fizeram e ainda fazem com pessoas que como elas tiveram a coragem de sair do cabresto, para pensar e agir de forma diferente e coerente com o compromisso que têm com sua própria história. Belo modo como o autor se coloca pessoalmente na História, permitindo-se entrar e sair.. para refletir com liberdade

  19. Eu poderia ter escrito esse texto. Mas não escrevi. Foi você. Sempre me perguntei como pode essa galera magnata posar de socialista politizado e ainda convencer? Valeu.

  20. Eu amo você! (pronto, agora que sei que você vai ler meu comentário...) Muito obrigado por sintetizar num texto bem escrito toda a minha repulsa por esses "figuras" "progressistas".

  21. Falta leveza, humor, mordacidade e clareza nos textos do Sr. Goiaba. Ah que saudade de um Bussunda ou, mais véio, Stanislaw Ponte Preta. Os petitas e afins odiariam ter alguém produzindo humor malvado e inteligente contra eles. Nesse adereço a Crusoé está em falta. O texto desta semana é pretensioso, intelectual metido a besta e de uma sem gracice total. Como diria o Pasquim de antanho, ferro na boneca.

  22. Bem, estive ausente durante akgum tempo desta classe de jornalismo. Certamente pelo rumo que estavam tomando em críticas severas e exdruxulas aos novos governantes. Certamente porque os apoie totalmente. Mas, certamente porque o Povo teve coragem de expulsar o comuno petismo do governo. E parece a Crusoé estava fazendo algum coro de biz aos perdedores. Volto torcendo para a imparcialidade da Crusoé. Dizer o que precisa com isenção.

    1. Vou fingir q entendi tdo e lhe dar parabéns. Vc é gênio.

  23. Goiaba disse que ignora comentários, mas, com vã esperança, aqui vai a sugestão de um artigo sobre a Praia do Espelho. Um lugar bonito, sim, porém longe de ser deslumbrante e que é coalhado de gente boçal, posando de simples e rústica, pagando tudo caríssimo e sendo pessimamente atendido. O Extremo Sul da BA tem outras praias tão ou mais bonitas e com ambiente muito mais agradável (não vou contar os nomes, para evitar que os boçais descubram rs). Fica a dica.

    1. Concordo com tudo o q vc falou!! Tb adoro aquela cidade do Sul da Bahia 1000 vezes melhor que Trancoso e sua praia chata, espelho. Não falemos o nome, por favor. Já basta Noronha, que não conheço ainda, mas já perdi a vontade de ir. Globais demais...

  24. Vale ressaltar que a neta de Hélio Pellegrino é casada com ninguém mais, ninguém menos, que Marcelo Freixo, o paladino das boas causas e da justiça social. Pago uma Skol, a R$ 20,00, para quem discordar. Se é que, na insuportável Praia do Espelho ainda vende Skol.

    1. essa Skol, onde você paga R$20,00, as garçonetes vem vestidas? Tá puxado o preço heim!

Mais notícias
Assine
TOPO