Agência BrasilCabral preso: delação amedronta uma ala do Judiciário fluminense

Luzes para a Lava Toga

A nova safra de revelações na Lava Jato abre caminho para o esperado mergulho nos bastidores dos tribunais
08.03.19

Sérgio Cabral, outrora o homem mais poderoso do Rio, tornou-se enfim um corrupto confesso. O viciado em dinheiro, como ele próprio se definiu, tem sinalizado que pode contar os segredos que ainda guarda e já disparou recados àqueles que se beneficiaram da sua influência para conseguir uma vaga nos tribunais. Orlando Diniz, um dos asseclas de Cabral que comandava o orçamento multimilionário da Fecomércio, injetou dinheiro em bancas de advogados capitaneadas por parentes de ministros e desembargadores — e agora acena com uma possível colaboração com a Lava Jato. A OAS, empreiteira com fortes laços nos três poderes, já começou a mostrar o potencial da delação de seus executivos.

Juntos, Cabral, Diniz e os executivos da OAS podem inaugurar uma nova safra de delações e acusações com força para dar fôlego à Lava Jato em dezenas de inquéritos envolvendo políticos. Mas há um fator especialmente relevante nesses movimentos: eles têm muito a falar sobre o Judiciário. E, assim, dar aos investigadores um caminho para a deflagração da chamada Lava Toga, focada nos bastidores das cortes de Justiça.

O primeiro aceno de Sérgio Cabral veio quando o ex-governador mudou o discurso e passou a admitir que recebia propina. Até ali, era uma novidade que só servia aos interesses dele próprio — e uma obviedade ante as inúmeras provas que resultaram em condenações que já somam quase 200 anos de pena. Mas Cabral disse mais. Como mostrou Crusoé, o primeiro recado veio em uma declaração lateral nesse mesmo depoimento. Cabral falou dos sucessos de Régis Fichtner, seu ex-braço-direito no mundo jurídico que também ganhou, como o passar dos anos, a condição de operador de propinas. O ex-governador não citou nenhum crime envolvendo advogados ou togados, mas de uma vez só mencionou um ministro do Superior Tribunal de Justiça e relembrou que era comum Fichtner ajudar nas indicações de nomes para os tribunais. Algo que, ao longo dos anos em que esteve no poder e gozava de prestígio junto ao governo federal, Cabral soube explorar com habilidade.

O citado era Marco Aurélio Bellizze, cuja promoção de juiz para desembargador, segundo Cabral, foi uma “conquista política” de Fichtner. Mais tarde, com o apoio de Cabral, o magistrado ascendeu de desembargador a ministro do STJ. Belizze e Fichtner são cunhados. O ministro de pronto rebateu a insinuação de Cabral: disse que figurou por três vezes seguidas na lista de mais votados para a vaga de desembargador e, desse modo, a promoção era automática. O fato é que o depoimento de Cabral foi calculado de modo a mostrar que, de nomeações em tribunais, ele sabe muito e muito pode contar. Em especial, sobre os cariocas que pediram a sua benção. Não foram poucos.

Léo Pinheiro, ex-presidente da OAS, é outro que pode ajudar na Lava Toga
Cabral, é verdade, está longe de fazer uma delação. Não está claro nem se a Lava Jato, hoje, toparia um acordo com ele. Mas contar o que sabe, ainda que seja fora do âmbito de uma colaboração premiada, pode significar alguns anos a menos de cadeia nos processos que ainda estão em curso. Caso prossiga na disposição de trazer à luz peças úteis ao quebra-cabeças que os investigadores ainda estão por montar no Judiciário, pode ser bom para os dois lados: a Lava Jato avança em uma seara ainda carente de bons testemunhos e, ao mesmo tempo, o corrupto cujos esquemas levaram o Rio à bancarrota pode ter algum refresco. Por ora, os dois lados jogam cuidadosamente um jogo de estratégia. A ver o resultado.

Em outra frente, começaram a aparecer os primeiros resultados da arrastada delação da OAS, uma das gigantes do petrolão. Esse acordo começou a ser negociado há mais de três anos. Quando o procurador-geral da República ainda era Rodrigo Janot, tudo caminhava bem até que vazou a suposta disposição de Léo Pinheiro, ex-presidente da companhia, de contar que fizera favores ao ministro Dias Toffoli, hoje presidente do Supremo Tribunal Federal. A negociação travou. Só foi retomada tempos depois. Oito executivos da empreiteira já tiveram seus acordos homologados. O resultado dessa colaboração trouxe de volta a Brasília o clima de apreensão experimentado nos corredores do poder no auge da Lava Jato, quando a delação da Odebrecht, por exemplo, prometia implodir uma parte significativa do establishment. Entre propina e caixa dois, os executivos da OAS citaram 21 políticos que receberam 125 milhões de reais.

Desse mesmo pacote da empreiteira podem sair revelações importantes também sobre os tribunais. Embora tenham se assustado com a reação à menção pretérita do nome de Dias Toffoli, executivos da empreiteira mantiveram a disposição de revelar relações heterodoxas com outros magistrados de alto nível. Ainda é cedo para saber o que de consistente restará dessa parte da negociação, mas há menções a ministros do STJ, por exemplo.

A principal estrela da OAS, Léo Pinheiro, ainda não teve seu acordo homologado, mas tende a ser o ponta de lança nessa parte do material. Por décadas, ele esteve enfronhado no poder. E lidava como admirável desenvoltura não apenas com políticos, mas também com magistrados. Nas fases da Lava Jato que miraram a OAS, os investigadores descobriram, por exemplo, mensagens que ele trocava com o ministro Benedito Gonçalves, do mesmo STJ. Em uma delas, o ministro pedia a “ajuda valiosa” do empreiteiro para um projeto pessoal. Havia, ainda, menções a outros togados de Brasília. Se esse mesmo empresário depois se oferece para fazer uma delação, a PGR deveria pelo menos perguntar o que seria essa “ajuda valiosa”. É o que se espera.

Adriano Machado/CrusoéAdriano Machado/CrusoéRaquel Dodge: pressionada entre o dever e as mesuras da corte
Os caminhos iluminados que se abrem para a Lava Toga incluem ainda uma frente na qual os procuradores estão bastante empenhados. É a investigação em torno da Fecomércio-Rio e de seu antigo comandante, Orlando Diniz. Como Crusoé já mostrou, Diniz manifestou intenção de fazer delação. Mas, ao menos até agora, ele não disse tudo o que sabe. A negociação prossegue. O acordo só sairá se Diniz topar revelar histórias sobre setores que, aparentemente, ele ainda tenta proteger. Em paralelo, porém, os investigadores têm a opção de seguir o caminho do dinheiro. À frente da Fecomércio, Orlando Diniz gastou pelo menos 118 milhões de reais com advogados.

Entre os destinatários dos pagamentos, que eram registrados em sistemas próprios para evitar a curiosidade de olhos enxeridos, está o jovem Eduardo Martins, filho do ministro Humberto Martins, também do STJ. Martins, como é sabido, recebeu cerca de 13 milhões de reais. Outro escritório que faturou alto com a Fecomércio foi o do advogado paulista Roberto Teixeira, que se gabava de ter bom trânsito nos tribunais superiores de Brasília no auge dos governos do compadre Luiz Inácio Lula da Silva: foram pelo menos 38 milhões. Esses pagamentos, vale dizer, a Lava Jato já conhece e estão documentados e provados. A dúvida que se quer tirar, agora, é se eles se referiam apenas a serviços jurídicos.

Se a Lava Jato implodiu o Congresso e colocou na prisão o presidente da República mais popular da história do país, não se pode dizer o mesmo de juízes e ministros de tribunais. O Judiciário, até aqui, tem se mostrado um tabu para a operação. Com as janelas de oportunidade disponíveis, os investigadores parecem estar diante de uma chance inédita de avançar. A situação coloca sob holofotes (e sob pressão) uma figura fundamental nesse processo: a procuradora-geral Raquel Dodge. Escolhida para o posto por Michel Temer após ficar em segundo lugar na lista tríplice, ela adotou uma postura discreta e cautelosa no cargo. Dodge tornou-se uma espécie de antítese de Rodrigo Janot, seu antecessor. Com Janot, a PGR fechou muitos acordos de delação (vários deles criticados, é verdade) e deu um novo patamar para a área criminal do Ministério Público. A postura causou reações dentro do próprio MP. Uma consequência clara disso foi justamente o fato de Dodge, desde sempre conhecida por ter um estilo bem diferente, conseguir votos suficientes dos colegas para entrar na lista. Ela está no comando da PGR há cerca de 17 meses e, de fato, não repetiu as grandes operações do antecessor.

Nos bastidores, os aliados da procuradora sempre sustentaram que, sob o seu comando, as delações premiadas passariam a ser submetidas a um rigor maior. Para ser aceitas, teriam de ser mais robustas e conter provas cabais. O acordo dos executivos da OAS dirá se essa promessa se cumpriu. E, ao mesmo tempo, revelará o tamanho da disposição de Dodge para comprar brigas com integrantes dos tribunais superiores – com os quais a convivência nos salões de Brasília costuma ser harmoniosa, o que quase sempre funciona como uma pedra no caminho de investigações dessa natureza.

Nesta semana, chegou à mesa da procuradora-geral mais uma situação desafiadora e que também guarda relação com os melindres das altas rodas. A força-tarefa da Lava Jato no Paraná pediu que ela aponte a suspeição de Gilmar Mendes nos casos envolvendo Paulo Vieira de Souza, o Paulo Preto, acusado de ser o operador de propinas do PSDB. O pedido tem por base mensagens interceptadas que mostraram que o ex-chanceler Aloysio Nunes Ferreira, defendido pelo mesmo advogado de Paulo Preto e também investigado, fez contatos em fevereiro com o gabinete de Gilmar para tratar de um processo de interesse do operador. Detalhe: o ministro do Supremo foi um dos principais apoiadores da campanha de Dodge para ser nomeada por Temer para a cadeira de procuradora-geral. Ainda não se sabe o que ela fará no caso. Disso tudo, uma coisa é certa: embora as condições estejam dadas, é preciso ter coragem para vencer o tabu reinante em Brasília. A República pede, mas nem sempre é ouvida.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

Só R$ 1,90* no primeiro mês

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

*depois, 11 x R$ 14,90

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Felipe Moura Brasil, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Cada um tem algo que impede-lhe de exercer com transparência, ética, justiça seus cargos quer seja por favores obtidos, quer seja .......

  2. Nosso país tá tão sujo, mas tão sujo, que se for fazer uma limpa não sobra mutia gente fora da cadeia não.... é tanta roubalheira que é mais fácil achar um ladrão que um honesto... mas tem que começar a limpeza no judiciário, eita povinho ladrão esses....

  3. São vergonhosas algumas decisões dessa senhora. Agora, o lava-toga tem que vir e urgente. Ninguém aguenta mais essas decisões do STF. Deviam ser os guardiões da CF, mas...

  4. Para o País funcionar : Acabar com os "urubus de toga" ..todos eles....cadeia para esses comunistas corruptos bandidos do Supremo COVIL Federal......ou 1 cabo e 1 soldado. FIM.

  5. Vamos detonar esses juízes corruptos, não há outro nome para o que fizeram, vamos reformar o judiciário começando com as exonerações em escala planetária.

  6. Em tempos de Big Data,BI e IA é uma questão de tempo.Os novos procuradores habilitados,inclusive com cursos no exterior,maturam a ciência/tecnologia com os cases proporcionados pela Lava Jato(laboratório).Será muito ruim para o país/cidadania que esse resgate venha de fora do Judiciário e não por iniciativa dos "não envolvidos".Sugiro um filmete da IBM sobre essa tecnologia-Watson.

  7. o judiciário brasileiro parece que não leu a revolução francesa, não aquela romantizada pela esquerda, mas aquela real que degolava, vão descobrir que no final não restam heróis e que a única coisa democrática que resta é a guilhotina.

  8. Diante do exposto, fica claro que a Lava Toga é imprescindível se quisermos passar o Brasil a limpo! #foratoffoli #foragilmarmendes #foralewandoviski

    1. Depois de expurgar políticos corruPTos, e deixar um rastro aos demais de que a velha ordem mudou, ver togados corrompidos fora do judiciário parece sonho, mas é um novo Brasil surgindo. Doa a quem doer!

  9. Sobre o Lavatoga 1)Deve ser revitalizante pois aposentadoria aos 75 quando os mortais irão até os 65 a contragosto! 2)Legislativo e executivo permitem que joguemos o lixo fora através de eleições. 3)São intocáveis legalmente ou corporativamente?

    1. Qualquer funcionário público pode trabalhar até os 70 anos, se quiser. E talvez isto seja alterado em breve para 75. É a aposentadoria compulsória, há vantagens de gratificação se continuar no serviço e muita gene não quer ficar em casa "comendo mosca".

  10. É tanta sujeira que há mais de 20 anos vem sendo escondido que um(a)estando em cargo de Justiça, fica sem saber se quem está a seu lado ou acima não tenha um rabo preso que a qualquer momento possa vir à tona!

  11. É complicado acreditar que ocorrerá essa lava toga, com tanta gente entranhada no mesmo ninho. Acredito que no governo não ocorra a máxima que é bem vista na iniciativa privada: "Amigos, amigos, negócios a parte."

  12. Desses ingredientes pode-se fazer um bom prato. A sobremesa seria o afastamento de Gilmar Mendes da corte eu ficaria satisfeito!

    1. Não é só o Gilmar não, tem muita gente no Judiciário para ser investigada . LAVATOGAJÁ !

  13. Excelente matéria. Parabéns. Precisamos como assinante ler matérias de interesse geral, sem ideologia ou rasgação de saia como alguns gostam de fazer. Ai sim, dou valor a revista Crusoé.

  14. É o LUPANAR DE SEMPRE: pais e filhas na "incestuosa relação de delitos, cunhados e amigões. Espero não chegar ao ponto de perguntar, "até tu Raquel Dodge?"

  15. É o LUPANAR no seu melhor: pais e filhas no "incestuoso delito", cunhados, e amigões de sempre. Espero não chegar ao ponto de afirmar "até tu Raquel"? Paulo Preto e Cabral correm o risco de terem seu peixe envenenado?

  16. Seria gratificante, e tragicômico, se aparecesse alguém no Congresso (e principalmente no STF) e desfiasse uma "catilinária", atualizada, para aqueles corruptos. Imagine alguém apontando o dedo para o Gilmar beiçola (para começar por ele), e proclamando: "até quando, beiçola corrupto, abusarás da nossa paciência". Depois para o Tófolli mesadinha, para o patético MAM, para o Lewandowski dilmowiski, e por que não o Celso de Mello prolixo-inútil; e para todos os demais. Porque não escapa um!

  17. Desculpem-me a extensão das Catilinárias. Mas relendo este belo texto em latim, acompanhado da tradução, para desopilar um pouco. E pode ser que algum corrupto que se considera como insuspeito, leia ainda no Congresso as Catilinárias, afim de se proclamar incorrupto. O TEMPORA, O MORES!

  18. Quo usque tandem abutere, Catilina, patientia nostra? / Quam diu etiam furor iste tuus eludet? / Quem ad finem sese effrenata iactabit audacia? / Nihilne te nocturnum praesidium Palatii, / nihil urbis vigiliae, / nihil timor populi, / nihil concursus bonorum omnium, / nihil hic munitissimus habendi senatus locus, / nihil horum ora vultusque moverunt?

    1. A conversa tornou o artigo ainda mais interessante! Abençoados sejam os Catilinias do Brasil

    2. Cicero. Estou lembrando teu xará, o grande Marco Tulio Cicero. Catilina é o facínora que bem prefigura os corruptos de hoje. Só que hoje não temos "ciceros" (a não vc por aqui... rsss), mas proliferam os corruptos, como enxame de mosquitos ou montanha de vermes, corroendo o Brasil e abusando da paciência dos brasileiros honestos.

    3. Não te dás conta que os teus planos foram descobertos? / Não vês que a tua conspiração a têm já dominada todos estes que a conhecem? / Quem, dentre nós, pensas tu que ignora o que fizeste na noite passada e na precedente, onde estiveste, com quem te encontraste, que decisão tomaste? / Oh tempos, oh costumes!

    4. Até quando, Catilina, abusarás da nossa paciência? / Por quanto tempo a tua loucura há de zombar de nós? / A que extremos se há de precipitar a tua desenfreada audácia? / Nem a guarda do Palatino, / nem a ronda noturna da cidade, / nem o temor do povo, / nem a afluência de todos os homens de bem, nem este local tão bem protegido para a reunião do Senado, / nem a expressão do voto destas pessoas, nada disto conseguiu perturbar-te?

    5. Patere tua consilia non sentis? / Constrictam omnium horum scientia teneri coniurationem tuam non vides? / Quid proxima, quid superiore nocte egeris, ubi fueris, quos convocaveris, quid consilii ceperis, quem nostrum ignorare arbitraris? / O tempora, o mores!

  19. Lembrando aos ministros da segunda turma que 84% dos brasileiros querem a continuidade da Lava Jato. Não se atrevam a levar investigações e ações para justiça eleitoral!!!!

  20. É hora de mostrar serviço para tentar permanecer no cargo e nada melhor que lavar a toga do inimigo número um do país. Para um governo populista como Bolsonaro não há nada melhor que pegar um inimigo pra Cristo. A menos que Bolsonaro ou os filhos tenham algum tipo de laços que não sabemos com GM.

    1. Exatamente. Se ele quiser se manter no cargo é bom lavar toda a sujeira que o seu número um e amigos fizeram. Foi pra isso que eu e outros 57 milhões votaramos nele. Enfie tua viola no saco porque o seu número 1 é um bandido. Se o meu candidato, atual Presidente, um dia for bandido como o seu, eu voto em outro que coloque ele e os amigos dele na cadeia tbm. Vcs querem o “seu ladrao” no poder, e nós não queremos nenhum ladrão no poder. Essa é a diferença.

  21. Boa matéria! Antecipa algo que eh fundamental e que vai impactar bastante o país, gerando uma transformação profunda. Espero que até lá tenhamos reformas aprovadas e a recuperação econômica fundamentada.

  22. A República não "PEDEmas nem sempre é ouvida"! A República no Brasil SÓ chora de desespero...e nem os seus "guardas oficiais " parecem ouvir seu choro, sua última esperança quebrando...

  23. Se Cícero fosse vivo hoje, poderia desfiar suas Catilinárias contra políticos e membros do judiciário. Cada um, a seu modo, poderia vestir a carapuça. Estão esgotando a paciência de qualquer um. A PGR, com seus senões e mi mi mis, o STJ e STF (principalmente o último) com seus "garantismos" para bandidos, e os advogados de ricos corruptos e de políticos... Ah! os advogados e a OAB! Quo usque tandem (Catilinas) - Raquel, Gilmar, Botafogo, MAM, Mesadinha, Lewand... - abutere patientia nostra?

  24. o lava toga seria a redenção do país. desde muito cedo, lá pelos tempos do segundo império até hoje o judiciário brasileiro sempre foi o Maria apoia o poder e sempre esteve como a Igreja ao lado do poder. Então a lava toga pode colocar o Brasil entre as potências como os EUA pois lá Judiciário é Judiciário e aqui só é para os pobres pois o resto tudo acomoda

  25. O caminho que segue o país está chegando a uma encruzilhada chamada judiciário, e será o divisor de águas para o sucesso ou fracasso de tudo que foi investigado e descoberto até aqui.

    1. Sim, mas temos pressa. Celso de Mello se aposenta em Novembro/2020, Marco Aurélio em Julho/2021, o Gilmar tem apenas 63 anos, Lewandowsky também tem pouca idade para o limite (75), Toffoli apenas uns 50 anos. A única forma de limpar aquele antro é através de impeachment e uma nova Lei Orgânica da Magistratura. Osso duro de roer, mas não impossível.

  26. Se o Brasil fosse um corpo humano, e se fosse feita uma ressonância magnética dele, poder-se-ia ver que todos os órgãos desse corpo estão contaminados. O judiciário muitíssimo, pois é nele que os corruptos confiam para se livrarem. Tal como Al Capone na Chicago dos anos 20/30, que tinha juiz, prefeito, vereador, polícia, em suas mãos. Capone foi para a cadeia (11 anos) apenas por fraude no IR, não por assassinato, corrupção, extorsão, contrabando, etc...

    1. Ocorre que a podridão é certamente bem maior do que possamos imaginar. E a floresta de vermes que corrói o Brasil tem uma lei máxima, por onde os vermes num pacto maldito tem se protegido uns aos outros. Considero as delações como algo surpreendente. Por isso os vermes maiorais, togados e políticos, tentaram abafá-las. Elas deram alguma esperança de que poderemos conhecer alguns segredos mais deste pântano. E devem ser coisas ainda espantosas.Basta ver o desespero dos vermes.Não esqueçamos a OAB

    2. Bolsonaro tem enorme chance de substituir Rachel Dodge por um novo PGR sério e duro, que, ao lado de Sérgio Moro, ataque a fundo a corrupção em todos os cantos, sobretudo no sistema judiciário, principalmente em suas cortes mais altas. Tem muita lama ainda escondida nesse pântano.

  27. Estão demorando demais para chamar o Cabo e o Soldado e flecharem a zona do STF. STF hoje juntamente com STJ são os maiores inimigos do Brasil.

    1. Tem de ser pra já. Assegurar a demo crac ia no pa ís implica em aca bar com o STF. 11 pessoas mandam no pa ís. Para quê então senado, presid, deput????

  28. Não é preciso ser muito inteligente para perceber o envolvimento do Ministro Gilmar Mendes com a promiscuidade do Judiciário e certas figuras influentes do país. Basta ter memória e se lembrar da venda de acórdãos no passado. Também não precisa ser brilhante para concluir que outrosfigurões têm sido beneficiados pelos nossos Ministros da Suprema Corte e também de outros desembargadores. Basta estar atento às decisões contraditórias desses mesmos magistrados, dependendo de do seu destinatário.

  29. Raquel Dodge já deu uma mão a Ricardo Lewandowski! o crime dele de abuso de autoridade foi gravado! vamos pedir o impeachment da procuradora geral.

  30. Não acredito que a Raquel Dodge seja prevaricadora, nem tampouco compactue com o tráfico de influência praticado debaixo de seu nariz.

  31. Até algum tempo atras, antes da Lava Jato eu achava que a corrupção endêmica no Brasil até que não atrapalhava muito. Afinal, para roubar é preciso fazer, como praticou Maluf. Mas depois da Lava Jato, veio a tona uma realidade alarmante, a corrupção é muito, mais muito mairo e alastrada por todos os cantos onde há poder público, Da prefeitura das pequenas cidades até o STF. Só falta agora descobrirem corrução nas Forças Armadas aí é só pedindo falência.

  32. o Novelo esta mais enrolado e agruvinhado que não vai ter solução naõ só deus na causa para desagruvinhar esse conflito de interessaes

  33. A MATÉRIA É ALTAMENTE RELEVANTE E DEVE SE APROFUNDAR. O JUDICIÁRIO É UM "REI NU". PESSOALMENTE TENHO PROBLEMA ESCAMOTEADO HÁ 50 ANOS, COM PROVAS IRRECUSÁVEIS. O POVO NÃO CRÊ MAIS NA JUSTIÇA E NO DIREITO AQUI. SOU UM DEFENSOR PÚBLICO APOSENTADO E TENHO COMPROMISSO COM A VERDADE!

  34. É preciso que caia a primeira peça para que o domino se espalhe. O silêncio do Beiçola é eloquente no episódio Aluysio. Se a conversa com o advogado foi gravada, o que garante que o diálogo com o próprio Ministro também não o tenha sido? E a ausência de divulgação seja mera estratégia do MP?

    1. No tabuleiro, entre os jogadores da Operação Abafa, Gilmar Mendes é o Rei.

  35. A operação abafa está a pleno vapor na justiça. Quero ver a Dodge ter coragem de pedir o afastamento de seu apoiador Gilmar e o Toffoli afastá-lo de fato. Nenhum jornal ou TV comentaram o fato com a ênfase que merecia.

  36. Dodge nao vai fazer nada até pq lhe falta autoridade moral pra tal. Esta na PGR ha mais de 500 dias e nada fez de importante. Nao me surpreenderia se fosse reconduzida por bolsonaro. Afinal ele é muito fraco e sequer tem consciencia do presente que lhe caiu no colo. Veja q no tempo livre divulga videos pornograficos de carnaval. E. Assim vamos nos preparando para o Mourao

  37. quero ver a blindagem da justiça quebrar e não ficar nada sem investigação ... e além disto, a maquina da justiça é muito cara, lenta, corporativistas, livre de controles... juízes, promotores, fazem o que querem, não tem horários e disciplina... muitas férias, feriadões e paradas misteriosas

  38. É uma decepção. Havia tanta esperança. Mas, ao que parece, a atual Procuradora Geral veio para “colocar panos quentes” em cima de todas as apurações, e “baixar a poeira” do que foi feito por seu antecessor. Lamentável.

  39. Vocês viram algum jornalismo falar sobre o caso. GILMAR MENDES? Pois é amigo . Imagina se fosse o Sergio Moro!!! O Carvalhosa é im heroi. Vamos pressionar os senadores a impeachar esse bandido dessa SUPREMA ORCRIM. E ai KAJURU LASIER e Delegado ALESSSNDRO solta os cachorros nesse Gângster.

    1. MPF TAMBÉM VAI ENTRAR NA FILA SE ATACAR O JUDICIÁRIO. A única solução é acabar de vez com a prerrogativa de foro

  40. Se no Executivo e no Legislativo se sucedem notícias e investigações de mal feitos. Se até condenações já houveram. Como imaginar que os tribunais superiores também não tenham sido atingidos pelo tsunami de corruoção? Serua uma ingenuidade assim pensar. Semelhante a de acreditar que sem uma devassa, resultante de profunda reforma institucional se venha a sanear o País.

  41. Matéria elucidativa. Binocular o Judiciário é o último grande passo da Lava Jato. Cabe à mídia tb não dar trégua à redoma onde se esconde parte da obscuridade do país, os togados acima da lei

    1. 🎶Se gritar Pega Juiz, não fica um, meu irmão! Se gritar Pega Juiz, não fica um!🎶

  42. A Raquel Dodge cuida mesmo é de manter o jogo do poder dos togados. Não fará nada contra eles. Imagine, segundo ela, o Levandowski não cometeu abuso de poder por ameaçar prender o homem que, como eu, disse que tem vergonha do STF. São todos da mesma casa, vão ficar se protegendo sempre!

  43. A Lava-toga parece ser essencial para complementar o serviço de limpeza das instituições iniciado com a despetização na política.

  44. Raquel Dodge está de cócoras para o GILMAR Mendes. Mas nao vamos deixar barato. Essa senhora nao será conduzida ao cargo. Uma vergonha dizer que nao testemunhou o diálogo do Patralhoski uma testemunha. Precisava Raquel !!!! Se o Brasil inteiro viu o vídeo e o audio. Só vamos aceitar um PGR linha dura. Chega de colocar comprades e comadres desses rábulas do STF.

  45. Esperemos que a PGR deslanche a operação lava-toga. Mas a Raquel tem dado mostra que foi colocada lá por quem quer abafar a lava-jato e outras "lavas". E tem feito um bom trabalho para seus "padrinhos". Tudo o que saiu foi "à saca-rolhas". Com argumentos de "rigor" nas provas robustas, e que tais, tem feito o mesmo trabalho de obstrução à lava-jato dos seus "compadres" garantistas do STF. Esperemos o milagre!

  46. O episódio ‘a envolver’ o Gilmar e o Aluysio não deveria receber capitulação criminal !? Mero pedido de suspeição/impedimento me parece leniência por parte do MPF.

  47. O judiciário precisa ser lavado sim, tem muita falcatrua entre vários membros, mas o corporativismo é gigante, um juiz é pego em falcatrua e o que acontece, é aposentado com salário integral... é brincadeira...

    1. Tá tudo tomado!!!!! Só quem trabalha heroicamente é a Lava Jato!!! Só em 50anos veremos uma limpeza real!!! Se é que existe!!!!

  48. O grande problema do Brasil continua sendo o CORPORATIVISMO. Gente importante envolvida em corrupção mantém blindagem de seu grupo. E muitos poucos se salvam.

  49. No Peru, quando as investigações da Odebrecht chegaram aos tribunais superiores, a PGR e os ministros destes tribunais exoneraram os procuradores que os investigavam. Inútil, mais crise institucional, o presidente ameaçou chamar um plebiscito, fizeram um proibindo até reeleição de deputado! Voltaram atrás, os ministros e a PGR dançaram, a lava-jato deles segue em frente. O mundo mudou. (Raquel Dodge fica até quando? Setembro?)

  50. Por enquanto apenas a Crusoé e O Antagonista estão fazendo essa divulgação. Qual seria o motivo do silêncio dos outros canais de divulgação?

    1. Provavelmente os outros veículos de comunicação têm medo de perder as fontes.

  51. Duvido que Raquel Dodge, vote pelo impedimento do Gilmar Mendes, no julgamento dos Ladroes Tucanos , PAULO CAIXA PRETA DO PSDB E SEUS COMPANHEIROS DE QUADRILHA, essa procuradora até hj não fez nada p colocar tTemer na cadeia, foi escolhida no gov temer com apoio de GILMAR MENDES, o que vocês acham ?? Gilmar Mendes denominado por Raul jugman , SENHOR DOS ESCRAVOS , frase após GMENDES SOLTAR PAULO PRETO MAIS UMA VEZ, aguarde jungman seu deboche será cobrado, já já!! Bandidos

  52. Até o QUARTO PODER vem sendo passado à limpo. Tudo começou com o legislativo do João Alves, o sortudo, passando pelo mensalão e tudo o mais, pegando o executivo do Collor e Dilma. Falou-se neste caminho em auditoria externa do executivo e fisiologistas recuaram nos processos até contra presidentes. Não é fácil mas acreditando na máxima de que nada fica impune de alguma forma, temos a esperança. O QUARTO PODER está sendo togado pelo POVO.

    1. auditoria externa do executivo, leia-se auditoria externa do Judiciário.

  53. Fiz dois ou mais comentários que incomodariam , pessoas do gov e nenhum deles foi publicado, CRUZOE FILTRA OS COMENTÁRIOS? E só pública o que é conveniente????

  54. Que a PGR tenha a postura profissional da ética e competência intelectual para atuar com decência e independência. Que o "espírito de corpo não se transforme em espírito de porco". A sociedade exige responsabilidade.

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO