ReproduçãoRicardo Barros com Bolsonaro em tempos de alegria: hoje o ambiente é de tensão de parte a parte

O homem-bomba

Amigo do peito de Jair Bolsonaro, Ricardo Barros se vê ainda mais atolado no escândalo da compra de vacinas e passa à condição de aliado capaz de implodir o presidente
02.07.21

Ricardo Barros é o típico profissional da política. Capa-preta do Centrão na Câmara, o líder do governo gosta de se apresentar como “político de resultados”.  “Eu faço acontecer e cumpro o que prometo”, alardeia. Devido à capacidade de trocar rapidamente de casaca para se adaptar ao figurino do presidente de turno, o parlamentar conseguiu a proeza de ocupar postos estratégicos nos últimos cinco governos.

Em 2016, quando Barros foi alçado pelo então presidente, Michel Temer, ao comando do Ministério da Saúde, o ínclito Paulo Maluf quis fazer troça, mas acabou descrevendo o colega de partido talvez com mais propriedade do que ele próprio: “Barros não é médico, mas é alguém que entende de operações”. O perigo é o de que os efeitos colaterais dessas intervenções nem sempre cirúrgicas possam complicar a vida dos que topam se associar a alguém do naipe de Barros.

É exatamente o que ocorre agora. Ao mover mundos e – ao que tudo indica – fundos para que a vacina indiana Covaxin fosse adquirida pelo Ministério da Saúde, Barros virou um problemão para Jair Bolsonaro. Primeiro porque rifar o líder do governo na Câmara significa arrumar briga não só com ele, mas com o Centrão, bloco de partidos fisiológicos que hoje dão sustentação ao Palácio do Planalto no Congresso. Depois, porque o deputado sabe demais e pode, se perceber que será abandonado à própria sorte, implodir o que resta da administração Bolsonaro.

Hoje, o governo se esgueira como se andasse sobre um campo minado. O escândalo do mensalão do PT ensinou que não convém deixar quem sabe demais ao relento. Mas blindar Barros indefinidamente significa manter a bomba na antessala do gabinete presidencial.

Na terça-feira, 29, Crusoé revelou um dos mais importantes lances do Covaxingate até agora. Depois de se reunir pessoalmente com Bolsonaro para informá-lo sobre as suspeitas de corrupção na compra da vacina, o deputado Luis Miranda, até dias atrás aliado de primeira hora do governo, ouviu de um conhecido lobista de Brasília uma proposta indecente: se topasse “ajudar” a destravar o processo da Covaxin, levaria 6 centavos de dólar por cada dose da vacina que fosse comprada pelo governo – o contrato da Precisa com o ministério somava 1,6 bilhão de reais. Como seriam 20 milhões de doses, a “propina” corresponderia a algo próximo de 6 milhões de reais. Àquela altura, a aquisição da Covaxin estava atravancada no Ministério da Saúde porque o irmão de Miranda, Luis Ricardo Miranda, funcionário de carreira da pasta, havia detectado irregularidades no processo.

O lobista Silvio Assis é flagrado, em 2017, levando “parceiros” ao Ministério da Saúde: acesso privilegiado a Ricardo Barros
A oferta foi feita ao deputado pelo lobista Silvio Assis ao final de um convescote que contara com a participação de Ricardo Barros. O encontro foi na casa do lobista, no Lago Sul de Brasília. Silvio Assis e Ricardo Barros são grudados há pelo menos uma década. Ultimamente, os dois estavam engajados em favor da empresa Precisa Medicamentos, intermediária da venda da Covaxin para o governo.

À CPI da Covid, depois de muito esforço dos senadores, Luis Miranda já havia revelado na semana passada que Ricardo Barros era uma das figuras ocultas por trás da operação Covaxin. O deputado disse ter ouvido do próprio presidente, na reunião em que denunciou as suspeitas em torno do processo, que se tratava de um esquema de Barros. Bolsonaro teria dito, ainda, segundo o deputado: “Se eu mexo nisso aí já viu a m… que vai dar”. Na ocasião, o presidente prometeu que acionaria a Polícia Federal para apurar as suspeitas, mas nenhuma investigação havia sido aberta até a semana passada.

A trama já tinha virado um problema para Jair Bolsonaro por ele não ter tomado providências imediatas ao ouvir o relato de Luis Miranda – para um agente público, deixar de agir diante de evidências de crime configura crime de prevaricação. Dentro desse problema, porém, há um outro: por que, afinal, Bolsonaro não agiu? Foi para proteger Ricardo Barros ou haveria algo mais a esconder? Barros, evidentemente, tem a resposta – e, como é comum nessas situações, se se sentir abandonado pode abrir a boca e comprometer o presidente.

Bolsonaro sabe disso, e justamente por essa razão que ele tem mostrado cuidado desde que o escândalo estourou. Até esta quinta-feira, 1º, Ricardo Barros seguia líder do governo. Somou-se à crise a aparição de um cabo da Polícia Militar que circulou por Brasília como representante de uma empresa interessada em vender vacinas para o governo e disse, em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo (leia mais em outra reportagem desta edição), ter ouvido de um funcionário do Ministério da Saúde, durante jantar em um shopping, um pedido de propina de 1 dólar por cada dose a ser fornecida. O tal funcionário, Roberto Dias, tem ligação antiga com Ricardo Barros. Ele foi demitido. Todas das demais indicações do líder do governo, porém, seguem intactas até o momento, em mais um sinal de que se tratou apenas de uma operação emergencial de contenção de danos.

A associação da palavra “propina” ao governo no noticiário – e o que é mais grave, vinculada à compra de vacinas em meio a uma catástrofe sanitária – agravou o quadro. No Planalto, os articuladores políticos sabem que o ambiente é inflamável e que qualquer movimento em falso pode fragilizar ainda mais o presidente. Interlocutores do Centrão já espalham à boca miúda que Barros, se for abandonado, tem condições de transferir a crise para o gabinete presidencial.

Pedro Ladeira/FolhapressPedro Ladeira/FolhapressLuis Miranda: oferta de propina para não embarreirar negócio da Covaxin
O silêncio de Bolsonaro guarda relação com o pavor que ele tem de ter sido gravado por Luis Miranda – em entrevista a O Antagonista, o deputado insinuou que teria como comprovar a conversa. “O presidente está acuado, nervoso. Sentiu o golpe. Conhecendo Miranda como conheço, ele tem a gravação. É preocupante”, comentou um vice-líder do governo em conversa com Crusoé. O presidente da CPI da Covid, Omar Aziz também não tem dúvidas de que a gravação existe, como disse ao site. Nesta semana, ex-aliados de Bolsonaro e partidos de oposição apresentaram um “superpedido de impeachment” amarrando todos os casos que o enredam em possíveis crimes de responsabilidade do inqulino do Planalto. O presidente da Câmara, Arthur Lira, que é quem tem poder para deflagrar ou não o processo de impeachment, por ora vai deixar o pedido em banho-maria. O cenário, no entanto, pode mudar a qualquer instante.

Aos 61 anos, Ricardo Barros cultiva o hábito de deixar um tabuleiro de xadrez de mármore verde e branco, as cores da bandeira paranaense, sobre uma mesa de reuniões de seu escritório em Maringá, cidade onde nasceu, debutou na política e da qual já foi prefeito. Para evitar que o escândalo lhe custe não só o posto de líder do governo como até mesmo o mandato – nesta semana, o PSOL pediu sua cassação no Conselho de Ética –, Barros entende que, a partir de agora, precisa atuar como um enxadrista, acomodando as peças de modo a evitar que seja ameaçado por um xeque-mate.

Desde a famosa reunião de 20 de março em que Miranda avisou Bolsonaro sobre os indícios de corrupção nas negociações para a compra da vacina indiana, o líder do governo já teve ao menos dez encontros com o presidente da República. Ele tem dito que em nenhuma dessas audiências Bolsonaro mencionou a denúncia ou o questionou sobre o assunto. Entre integrantes da base governista no Congresso, era grande a expectativa de que o deputado ao menos se licenciasse do posto de líder até a conclusão das investigações. Mas ele resiste à ideia. Em uma reunião nesta semana, disse que teria como se defender e pediu a confiança dos pares. O discurso foi repetido em conversas privadas.

Barros tem tentado mostrar-se firme diante do caso. Na quarta-feira, 30, surpreendeu colegas ao comparecer à cerimônia de posse do ex-ministro da Agricultura Francisco Turra como presidente do conselho de uma associação de produtores de biocombustíveis. Do mesmo modo, aparentando normalidade, escreveu em seu perfil no Twitter na quinta-feira, 1º, que havia participado de uma “excelente reunião” no Planalto sobre reforma administrativa. “A ministra Flávia Arruda (da Secretaria de Governo) reafirmou o apoio do governo à aprovação. Na próxima quarta-feira, o ministro da Economia, Paulo Guedes, estará na comissão especial”.

No governo, há quem diga que a postura adotada por Barros nos últimos dias é um recado para Bolsonaro na linha do “não vou aceitar ser sacrificado” com facilidade. O presidente conhece o deputado desde os tempos em que foram colegas na Câmara e sabe que ele é capaz de desferir golpes abaixo da linha da cintura. Em setembro do ano passado, antes de ser catapultado à liderança do governo na Câmara, Ricardo Barros elevou a voz em uma reunião da bancada do Paraná com o então ministro da Secretaria de Governo, general Luiz Eduardo Ramos, hoje chefe da Casa Civil. “O presidente não pode demitir o deputado, mas o deputado pode demitir o presidente”, disse. “A palavra final é nossa. Ele é que tem que querer estar de bem conosco. Se ele não quer, está ótimo para nós”, acrescentou.

Kevin David/A7 Press/FolhapressKevin David/A7 Press/FolhapressAmpolas de Covaxin: escândalo preocupa Jair Bolsonaro
Outro episódio envolveu o próprio Bolsonaro. No longínquo ano de 1999, Barros chegou a ser acusado por ele de chantagem. No início daquele ano, os dois congressistas e então colegas de partido entraram em conflito sobre a votação de uma medida fiscal de interesse do governo Fernando Henrique Cardoso, em seu segundo mandato. Estava em pauta a cobrança da contribuição previdenciária de aposentados. Barros teria pedido e chantageado Bolsonaro para que se ausentasse da votação. Na época, ele negou as acusações, enquanto Bolsonaro dizia ter gravações para comprovar a coação. A turma do “deixa disso” entrou em cena e o assunto foi esquecido.

A interlocutores, Barros tem dito que irá “de cabeça erguida” à CPI, que nesta semana aprovou a sua convocação – o depoimento chegou a ser agendado para a próxima semana, mas foi desmarcado e, até esta quinta-feira, ainda não tinha nova data definida. Apesar de ser um político acostumado aos códigos particulares de Brasília, e de saber como poucos a maneira como funciona uma CPI, falar à comissão não será uma missão trivial.

São muitos os indícios contra o deputado do Centrão. Foi ele quem apresentou a emenda permitindo a compra da Covaxin e pressionou a Anvisa para acelerar sua liberação. Seus apadrinhados estavam aboletados em postos-chave da operação. O dono da Precisa Medicamentos, Francisco Maximiano, é seu antigo parceiro de negócios. Max, como é conhecido, figura como sócio de uma empresa que em 2017, quando Barros era ministro da Saúde no governo de Michel Temer, vendeu remédios ao ministério e não os entregou. O líder do governo virou réu no processo.

Para esclarecer as ligações entre o Ministério da Saúde, Barros e a Precisa, e esquadrinhar melhor a trama, os senadores montaram um robusto cronograma. Além do próprio Barros e do lobista Silvio Assis, os integrantes da CPI querem ouvir outros funcionários e ex-funcionários da pasta que de alguma forma lidaram com o processo de aquisição da Covaxin, finalmente suspenso nesta semana, após a avalanche de suspeitas. Os fios ainda soltos, acreditam os senadores, serão ligados pelo resultado das quebras de sigilo já aprovadas. Max, o dono da Precisa, também será ouvido.

Há um fardo adicional para Ricardo Barros. Para além dos casos atuais, ele terá sua trajetória de envolvimento em suspeitas de desvios revisitada pela CPI. A lista é extensa. Um dos pontos sensíveis está justamente na parceria que o deputado costuma fazer com lobistas. O próprio Silvio Assis, o amigo dele que aparece no relato de Luis Miranda como o autor da oferta de propina em troca de ajuda para liberar a compra da Covaxin, é um dos que têm histórias pretéritas de rolos que o envolvem. No período em que Barros era ministro, Assis tinha livre acesso a seu gabinete e costumava levar a tiracolo empresários interessados em facilitar negócios na Saúde. O lobista atribuía o fácil acesso ao então ministro à estreita amizade que eles cultivavam. E era estreita mesmo. Ao mesmo tempo em que atuava para azeitar negócios no ministério, Assis adulava Barros com presentes – como exclusivas abotoaduras Mont Blanc e gravatas – e outras graças.

Reprodução/Justiça FederalReprodução/Justiça FederalRoberto Bertholdo: mais um lobista parceiro de Barros
Outro lobista que abria portas para empresários no gabinete de Ricardo Barros é Roberto Bertholdo, dono de uma extensa ficha corrida, que, assim como Silvio Assis, inclui passagem pela cadeia. Também quando Barros era ministro de Temer, Bertholdo costumava receber em seu escritório representantes de empresas que precisavam destravar processos na pasta. A pelo menos um deles, que relatou o caso em detalhes a Crusoé sob a condição de que seu nome fosse preservado, o lobista deu seu preço: 10% em troca da assinatura de um contrato de venda de medicamentos. Bertholdo participava de reuniões no gabinete de Barros para tratar dos mesmos assuntos que antes eram discutidos com ele, na base da informalidade. A depender do rumo dessas conversas informais, o humor e a disposição do então ministro para acolher os pedidos dos empresários mudavam.

O desenrolar da crise nos próximos dias ditará os rumos das investigações que enredam Ricardo Barros. Como esse é um daqueles momentos políticos em que se vive um dia por vez, é arriscado fazer prognósticos. Ao menos uma coisa é certa: quanto mais encrencado estiver Barros, pior será para Bolsonaro. Os dois – o presidente e seu ainda líder na Câmara – são sócios políticos no escândalo.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Só no Brasil, sujeitos come este continuam incólumes na política. Os mecanismos contra a corrupção não existem e cada vez mais são enfraquecidos

  2. Ricardo Barros, vergonha o Paraná continuar elegendo esse canalha... e infelizmente não é o único deputado que precisa ser eliminado da bancada do Paraná. lobistas é codinome de facilitador de propina?

  3. Quem assume o cargo presidencial no Brasil, tem que se alinhar ao famoso centrão ( COBRAS CRIADAS), ou não governa, ao entrar nesse lamaçal, está consumado a corrupção, aconteceu com Lula, aconteceu com Dilma, aconteceu com Temer, não seria diferente com o atual presidente...

  4. Eu digo sempre, não adianta trocar presidente, enquanto não houver um portentoso expurgo nos quadros de indicados políticos a ministérios, deixando a administração nas mãos de funcionários de carreira, bem como uma desratização no Congresso, mandando todos os ratos pra cadeia ou pra casa em definitivo.

  5. A lama entranhada nas mãos de Barros! Oportunismo e corrupção no lamaçal do Capetão! Vade retro, Capetão! Volta pra cadeia, Luladrão!! #nenhumdos2em2022

  6. Enquanto não houver uma Reforma Política importante, séria e enxuta no Congresso, deputados iguais a esse irão se perpetuar em Brasília e levando o "presidente da vez" no caminho.

  7. Dessa leitura, olhando pelo retrovisor, depreende-se q o Min. Luiz Henrique Mandetta não facilitaria os trâmites inescrupulosos p aquisições medicamentosas! Ou seja, tinha algo mais além do incômodo destaque público do Ministro no início da pandemia q assombrava o Presidente Jair Bolsonaro.

  8. Bolsonaro o melhor presidente q o Brasil já teve! Melhor do mundo! Honesto, homem simples e de caráter ! Seus imbecis ! Parem de acreditar nesta imprensa canalha! Bolso.22 cortou a mamata deles! Tudo a beira da falência!

    1. 🤣🤣🤣🤣😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂🐄🐄🐄🐄🐄🐄🐄🐄🐄🐄🐄🐄🤡

  9. Algumas pessoas procuram heróis na política, mas em casos como estes, o que vemos é que tudo não passa de um jogo, onde o único beneficiado são os próprios políticos... lamentável...

  10. Dominguetti; o cabo " jumento de tróia "plantado na CPI, para confundir, segundo senadores. Pastor , coronéis, e até um general derretem o governo Bolsonaro no fogo da corrupção.

  11. Todo impeachment pelo conjunto da obra. A obra vai ficando cada dia mais bem acabada. Mas só faltam 1 ano e meio de governo. É hora do Gal. Ramos estudar como Lula escapou do impeachment no caso do Mensalão em 2005/2006.

  12. O maior erro de Bolsonaro foi ter se aliado ao Centrão. Erro político estratégico. Há uma quadrilha montada no seio da máquina pública com os indicados desse grupo. Sigam o dinheiro, ou na Esplanada, sigam os ministérios com os maiores orçamentos.

  13. Infelizmente o brasileiro é refém de um sistema político que não irá mudar, de graça. Ainda mais agora com dinheiro do contribuinte financiando os partidos e seus caciques. A centralização em Brasília favorece o sistema. Se as cidades e estados tivessem autonomia financeira, a população poderia exercer pressão e controle nos governos locais. Enquanto persistir esse estado de coisas podem esquecer um país mais forte e solidário. Mas teremos os políticos e burocratas mais ricos do mundo.

    1. Concordo, Manoel, nosso sisema de poder (o mecanismo) não irá mudar, pelo menos não mudará 'pelo voto'. O quê fazer então se nos militares tb não podemos confiar? Estamos no mato sem cachorro.

  14. Se cai o sociopata cairá também o Lularapio , ambos não sobrevivem sem o outro num segundo turno contra qualquer outro candidato ! Ficamos na torcida !!

  15. O fato de um escroque como Ricardo Barros ter desempenhado altas funções para os governos do último quarto de século demonstra como a bandeira do combate à corrupção, agora engavetada em nome do "devido processo legal do Gilmar", é imperiosa e não uma "coisa de udenistas para desacreditar a política".

  16. Esses políticos sabem que o escândalo será esquecido rapidamente e continuarão fazendo seus assaltos. É só fazer mais uma rachadinha como acontece em todos os casos escabrosos. Dividir com outros senadores, deputados, ministros do STF etc. Triste país.

  17. Maringá é aquela cidade que os herois são ricardo barros-paolichi-jairo gianotto, tem dois matagais (mata fechada)na cidade que nenhum cidadao entra, mas eles chamam de parques, a palavra distopia se aplica bem, por fim dizem que, é no paraná -que-o-PI-acaba.

  18. a U.E.M que nunca homenageou MORO , quem sabe agora, vendo o capacho do PT e de bolsonaro , se anima a homenagear ricardo barros.- que a propósito a contribuição da uem à sociedade que a sustenta é um ZERO bem redondo.

    1. Kkkk Então, pode até não existir gravação, mas pelo medo do Bozo já sabemos q o deputado não mentiu...rs..

    1. Então joga uma granada com pino puxado no colo bolsonaro que vc vai ver um monte de verme indo pelos ares.

  19. Será que o pessoal da CPI já se interessou em dar uma olhadinha na declaração de imposto de renda do Maximiano? O carinha vive essa vida de trambiques com uma receita de apenas R$ 50 mil anuais ... Haja trambiques.

  20. Além de sociopata e genocida, Bolsonaro não tem inteligência suficiente para fazer frente aos sociopatas do Centrão. Nesse quesito, Lula é o grande vencedor.

    1. Lula ainda é Usain Bolt da corrupção de mais 4 anos para o palhaço e verá o asteroide passar na velocidade da luz por sobre brasilia. Verá a Amazônia transferida em forma de todas para o mundo civilizado. O Brasil é inigualável todo presidente que sai deixa saudades

  21. batalhamos muito para tirar o Lula do poder, o Bolsonaro , ressuscitou.Acho que minha geração ,não ver um Brasil pujante.

  22. Pobre contribuinte brasileiro, paga elevados impostos que são administrados por uma Máfia Político Religiosa, estamos nas mãos de gângsters na mais de séculos

  23. E o povo pagando a conta de mais um bandido que além de roubar ainda tem imunidade e paga os advogados com nosso dinheiro. Ainda articulando para não ser incriminado. #STFVERGONHANACIONAL "governando o país" ,cuidando de soltar bandido e fraudar eleição! Mídia podre na maioria aplaudido a chuva de noticias ruins.. Povo besta tomando cachaça e badernando.

  24. Suspeita!!!!! Roubaram o país e é candidato a presidente, cadê as contas dos governadores. O centrão fez parte do governo nós últimos 35 anos. Viúvas do PSDB. HIPÓCRITAS. NÃO TEM TERCEIRA VIA, ENTÃO ESCOLHE.

    1. Wiliam, está para nascer um cretino igual vc. Esse binarismo idiota de Lula e Bolso já deu. 2022 jogaremos no lixo esses dois cancros da sociedade.

    2. Bovino idiota! Seu dono se mostra tão corrupto quanto os mandatários anteriores e vc vem com essa lenga lenga de mortadela petista defensor do Lula Livre? Vai ser imbecil lá na pqp!

  25. Só mar ginais como vice líderes :CHICO DA CUECA E BARROS .JÁ JÁ O PLANALTO VAI TER QUE INVESTIR EM FÁBRICA DE CUECÕES PARA PRO PINA DOS ALIADOS

  26. Infelizmente, faço parte dos milhões que votaram em Bolsonaro e estão à procura de alguém melhor para substituí-lo, o que parece não ser tarefa fácil diante da miopia dos nossos políticos da chamada 3a. Via. Um ótimo nome é o do jovem governador do RS Eduardo Leite, que sendo a antítese do atual PR o deixaria fora do 2º. Turno e venceria Lula no 2º Turno proporcionando a renovação política e um sopro desesperança ao país.

    1. Will, falta muito pouco para vc se tornar uma viúva bolsopetista. Chora gadaiada!!!!!! 🤣

    2. William, você é um gado bovino viciado em usar os antolhos que o corrupto bozo lhe colocou. Lixo, entenda uma coisa, se em 2022 eu tiver de escolher votar no Lula, Bolsonaro ou num cocô, votarei alegremente num cocô!

    3. Mais um viúva do PSDB. FHC comprou o congresso para ter a reeleição, de bom e ótimo ele tinha 30% na média dos 8 anos que governou. PSDB é igual ao PT, só um pouco mais instruído.

  27. Era uma vez um presidente q se declarava o HOMEM MAIS HONESTO DO MUNDO. Foi substituído por outro q acabou com a lava jato porque NÃO HESISTIA MAIS CORRUPÇÃO NO GOVERNO. No fundo farinha do mesmo saco, chefes de ORCRIM. Q venha Moro22 pra voltarmos a ter orgulho de ser brasileiro.

  28. PARABENS A CRUSOÉ PELA EXCELENTE MATÉRIA. Bolsonaro foi eleito com a bandeira de combate a corrupção, mas preferiu se aliar à nata podre do Congresso Nacional. Traiu Sergio Moro, desmoralizou as forças armadas, aparelhou a PF e ainda escolheu o atual PGR para acabar com a lava jato. Infelizmente Bolsonaro se igualou ao Lula.

  29. Triste destino de nossa Pátria Amada, primeiro veio o Mensalão, depois o Petrolão, agora estamos diante do Vacinão. Queira Deus, que 2022 nos traga alguma esperança de nos livrarmos dessa praga da corrupção.

  30. Lamentável escolher Lula ou Bolsonaro. Terceira via o mais rápido possível. Mais uma vez PARABÉNS AOS JORNALISTAS que fazem desta revista nota 10

  31. Ricardo Barros é um expert nisso, por onde passa leva muitas cifras de dinheiro para o seu bolso… se mexer irão encontrar muita coisa. Parabéns pela reportagem 👏👏👏

  32. Chegamos em 2021 com uma pespectiva de termos em 2022 dois candidatos lametáveis. Um deveria estar preso em um 'Manicômio Judiciário" e o outro em "Prisão de Segurança Máxima".

  33. Parabéns pela reportagem! Jornalistas sérios fazem o seu trabalho com isenção, como deve ser! Infelizmente, no país da impunidade, sabemos que as “tenebrosas transações” de governos corruptos acabam dando em nada. No final, o cidadão que paga seus impostos fica com cara de palhaço, o jornalista fica frustrado por não receber o reconhecimento devido pelo trabalho investigativo e o corrupto velhaco desfila sorridente pelos corredores de Brasília à espera de novos negócios. Com o beneplácito do STF

  34. os EXEMPLOS EXCECRÁVEIS que uma SOCIEDADE tão CORRUPTA é capaz de produzir! São DEGENERADOS MORAIS que IMPEDEM o BRASIL de AVANÇAR! Em 2022 SÉRGIO MORO “PRESIDENTE LAVA JATO PURO SANGUE!” Triunfaremos! Sir Claiton

  35. Minha irmã tem a mesma empregada há mais de 25 anos. A empregada rouba,não trabalha direito,falta ao emprego...mas minha irmã não pode manda lá embora,segundo minha irmã a empregada sabe todos os podres da família.

  36. Parabéns a todos vocês da Crusoé. Por essa razão, sou assinante desde a primeira revista. Ricardo Barros e Bolsonaro deveriam ir para Cadeia. Se colocar todos os nomes aqui, não terá espaço.Por isso citei dois nomes apenas.

  37. Bolsonaro enganou o Brasil Disse que seria a nova política Que iria acabar com a corrupção Que iria dar força a lava jato MENTIROSO!!! Não vai chegar nem no segundo turno Isso se não cair antes!!! É o governo do caos E pra piorar trouxe junto quatro filhos que não ajudam em nada!!! Esse país está parado, um caos, Bolsonaro não trabalha, nem sabe o que é trabalho!!! Precisamos voltar às ruas com segurança pra tirar esse louco do poder!!!

  38. Barros tem um olho em terra de cego. É inteligente. Difícil levar rasteira de um Bolso da vida... é uma representação do tipo de inteligência máxima q circula nos quadros dos governos no país. Maringá ñ é a melhor cidade do país a toa. Mas o preço disso é a ausência total de moral. Gente como Barros é responsável direto pelo ponto em que estamos e gente como ele ganha cada vez mais com essa situação de terra arrasada.

    1. Então é bom que você publique para todos nós o resultado de tão bem esmiuçado assunto. Estamos nós e a Crusoé defasados.

  39. Bolsonaro conhece Barros há muito tempo e, mesmo assim, o escolheu para ser seu líder na Câmara. Será que são apenas sócios políticos no escândalo? Ou serão também sócios nos "dividendos" da vacina? O silêncio de Bolsonaro é deveras eloqüente.

    1. Afrangonio, quantos centavos de dólar ganhas para postar as tuas mer...das aqui?

    2. Se manca, Afranio. quem está copiando e colando este comentário imbecil em todas as matérias é você.

    3. A defesa do Afranio é assim, passa pano para bandido corrupto fazendo copia e cola de mortadelas petistas em defesa do lula livre. 🐄🐄🐄🐄🐄🐄🐄🐄🐄🐄🐄🐄🐄🐄🐄🐄🤡🤡🤡🤡🤡🤡🤡🤡🤡🤡

    4. A política da Crusoe é a seguinte; copia e cola toda acusação proveniente de Renan Calheiros, Omar Azis e trupe. Os fatos são investigados, constata-se que não há nada de crime grave. Daí, Crusoe, Renan, Omar e trupe se calam, não se publica a verdade e começam a procurar outra fábula …. Parabéns Crusoe pela pilantragem. Dá até pra enganar alguns leitores.

  40. Tudo continua como dantes, com um agravante até então indefinido, nao se vislumbra um novo Sérgio Moro! Então escândalos vão surgir aos montes e nada vai acontecer porque não temos um Poder Judiciário forte nem independente. Tudo virou politicagem. Lamentável 😞

    1. A questão não é um judiciário forte e independente, e sim um judiciário honesto, principalmente as altas cortes. Cairia melhor as baixíssimas cortes. Causa-me embrulhos só em vê-los falar.

  41. Todos que não prestam são amigos do peito do Bolsonaro, segundo a revista do PSDB. Os 8 milhões do mamata connection pagaram bem.... kkkk

    1. Todos os que não prestam são discípulos do JB ou do Lula!!! NemNem Nem um Nem outro

    2. 🐄🐄🐄🐄🐄🐄🐄🐄🐄🐄🤡🤣

  42. Quem elege Barros? Quem elege Arthur Lira? Quem elege Renan Calheiros? Não há um único escândalo de corrupção relacionado com a Covid nos USA. Será por que? Se os brasileiros não entenderem que temos que parar de votar em bandits, não haverá mudanças. MS

  43. Essa revista cumpre muito bem as negociatas que faz com alguns bandidos que estão à frente dessa CPI histórica. Em resumo: Um contrato em andamento, que até hoje não gerou um centavo de despesa, constitui um crime grave, já os Governadores que desapareceram com milhões de reais não tem importância. São uns Crusoéguas…

    1. Afrânio, se há um adultério em andamento, por enquanto agendado para daqui a algumas semanas por sua senhora e o provável amante, mas ainda não aconteceu, responda: você é corno ou não?

    2. A atividade-fim e os métodos de atuação nas redes sociais e nas ruas de caras do estirpe desse Afrânio são tão similares às do gado bolsonarista e dos mortadelas petistas que temos dificuldade em identificar a quem ele defende ou serve. O nosso alento é que pesquisas indicam que boa parte da população e do eleitorado ainda não caiu nesse binarismo ridículo e idiota verificado na narrativa bolsopetista. Parabéns, mais uma vez, à Crusoé, que faz jornalismo de verdade nesse país da imoralidade!

    3. Mortadela Bozista derectado! Esse é vip! É gado da marca angus de qualidade! 🐄🤡

  44. Estou com 69 anos. Cansada da exploração deste País. Uma verdadeira lástima a negociata em Brasília. Triste e decepcionante, o que se passa na Política. Na mão de representantes do povo, egotistas e sem escrúpulos, o Brasil sofre. Não há luz no fim do túnel para nós. Um governo atrás do outro, todos repetem a mesma história. Enquanto isso, torcemos por vacinas, por oxigênio, por hospitais; clamamos por educação, por uma vida decente. Mas tudo parece impossível.

  45. Maringá é o berço da DRAMA nacional, gera figuras valorosas como MORO, ALVARO DIAS, LAURENTINO GOMES e a mesma Maringa gera vermes que envergonham o povo paranaense.

    1. Parabéns aos profissionais pela excelente matéria!!!

    2. E o pobre Álvaro Dias foi descartado pelos brasileiros na última eleição para presidente da república, o que foi uma pena...

  46. Acho incrível o jornalismo da Crusoe, parabéns assino desde o primeiro dia . Mas infelizmente os bandidos que mandam no Brasil ( alguns ministros do supremo) com uma caneta libera tudo , especialmente o Gilmar Mendes ,esses políticos não tem medo demais nada !!!! É tudo muito triste!!!

    1. Resta saber quem é o inimigo. Daniel, tente olhar os fatos de forma isenta, usando sua inteligência e o óculos da verdade e não daquilo que você gostaria que fosse verdade. Esse capitão que você fala vive há muito mais tempo embrenhado na selva podre da política do que em algum quartel. E veja o rastro de destruição que deixou.

    2. Com certeza a implantação desse policial bandido foi ideia de de Ricardo Barros, Bozobosta e seus aliados. Agora sabemos que o Bozoscheisse está com os dias contado no governo. Depende agora da Câmara da PGR e STF. Esse stück scheisse que temos como presidente wurde verhaftet. Só hoffem wir die brasilianer.

    3. Sendo militar, e conhecendo as táticas bélicas, o Capitão-Presidente domina o modus-operandi adequado para abater um inimigo.

  47. Há cuecas sujas de batom para todo lado nesse terrível escândalo. Mas os sacripantas envolvidos dispõem de poderosos produtos químicos capazes de deixar essas peças de roupa íntima bem lavadinhas. Assim como conseguem lavar valores. E, frequentemente, recorrem, se preciso for, à lavanderia maior, o STF.

    1. O problema é o stf LAVAR provas. Mto pior que bandido branquear capitais.

  48. Bom dia! Já não fico mais perplexa, só tenho nojo desses homens assim que se ocupam em corromper cada vez mais um País como o Brasil! Suas fortunas deviam virar alimentos para os que passam fome!

    1. Exatamente assim é o que penso! Vivemos num país sem brios, sem honra, sem compaixão!

  49. Fedeu! Esse Barros não é flor que se cheire, Bolsonaro idem. O circo está armado. Estou aguardando o próximo capítulo. Impeachment nesse covarde.

    1. essa história merece um final feliz,:uma acariacao entre R.Barros e Bolsonaro e os dois presos

    2. Nenhum deles é santinho lá. O tal do deputado Miranda no ano passado registrou um cnpj de importacão de luvas; lembram que faltava esse item no início da pandemia ? Pois é, e o irmão dele trabalha lá e libera as compras...

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO