RuyGoiaba

Novíssimo tolicionário da língua portuguesa

05.03.21

“Tolicionário” é a tradução de Augusto de Campos para o “sottisier” de Gustave Flaubert. O autor de Madame Bovary não conseguiu concluí-lo antes de morrer, em 1880: tratava-se de uma coleção de citações idiotas tiradas das obras de escritores famosos. Hoje, geralmente é editado com o Dicionário das Ideias Feitas, sátira dos lugares-comuns mais em voga na França do século XIX, publicada 30 anos após a morte do escritor francês, com base em suas notas.

Tenho para mim que Flaubert não conseguiria concluir seu tolicionário nem se tivesse vivido 300 anos: ele está sendo atualizado todo dia, talvez a cada segundo, e hoje — graças às maravilhas da tecnologia que nos deu a internet, as redes sociais e o WhatsApp — é ainda mais fácil as pessoas serem cretinas: basta apertar um botão. E nas redes elas ainda têm o reforço positivo (na forma de coraçõezinhos e likes) de seguidores ainda mais burros: tudo converge para que a produção diária de burrice seja torrencial, caudalosa, impossível de catalogar.

Eu mesmo escrevi em 2011, para uma revista chamada Dicta & Contradicta — que você aí não leu, mas asseguro que era coisa fina, com a exceção do meu cantinho meio bagunçado e cafona por lá —, um “novo tolicionário da língua portuguesa” que era só a pontinha de um iceberg de clichês capaz de afundar inúmeros Titanics. O texto falava de chavões do esporte (o “fantasma do rebaixamento”), do jornalismo (os “moralistas de plantão”, com atendimento 24 horas, suponho) e da cultura (“releitura” de obras “seminais”). Passados dez anos, acho que já dá para fazer uma espécie de novíssimo tolicionário — que ficará obviamente desatualizado ainda antes de eu pôr o ponto final nesta coluna.

Sei que vocês não curtem muito se manifestar por aqui, mas faço o convite mesmo assim: fiquem à vontade para sugerir verbetes adicionais nos comentários. O tolicionário, afinal, é uma grande obra coletiva. Vamos lá:

– Pensar fora da caixa

Dei-me ao trabalho de fazer uma busca nas redes por esse esplêndido clichê do coaching e juro que não encontrei quase ninguém que não estivesse usando a expressão A SÉRIO. Felizmente, a busca também retornou algumas fotos de gente fazendo a pose do Pensador de Rodin do lado de fora de alguma agência da Caixa Econômica Federal, que é o único comentário que esse lugar-comum merece. Não consigo deixar de imaginar Jack, o Estripador, acondicionando uma de suas vítimas dentro de uma caixa de presente e dizendo “pensa fora da caixa agora, palhaço”, antes de fechar a tampa e arrematar com um laço caprichado.

– Endereçar a pobreza extrema

Muitos dos possíveis verbetes de um tolicionário no Brasil de hoje são traduções ineptas do inglês, inclusive o “think outside the box” do parágrafo acima. Mas essa versão Herbert Richers do verbo “address” — que tem traduções facílimas em português, como “enfrentar”, “tratar de” ou “lidar com” — é especialmente irritante: Luciano Huck, esse eterno possível candidato ao Planalto, é um que volta e meia aparece nas redes dizendo que o Brasil precisa “endereçar a pobreza extrema”. Cheguei a perguntar no Twitter para qual CEP Huck pretendia enviar a pobreza extrema e se era via Sedex; ainda não obtive resposta.

– Desconstruir, deslegitimar, ressignificar

O Brasil, ou pelo menos a parte considerável dele que assiste ao BBB, experimentou recentemente uma overdose desses conceitos-clichês da academia por obra e graça de Lumena, a militante eliminada pela votação do público nesta semana. Quem frequentou esses ambientes nada recomendáveis, porém, sabe que o desconstruir, o ressignificar e o deslegitimar — assim como essa ridícula mania francesa de transformar verbos em substantivos — estão na moda há muito tempo. Jacques Derrida não morreu: sofreu desconstrução epistêmica das funções vitais, mas seu fantasma continua por aí, todo serelepe.

– “Tratamento precoce” da Covid-19

Não existe, o que não impede o Imbecil Lombrosiano do Planalto e seu gado de irem atrás de todo tipo de “remedinho milagroso” (cloroquina, ivermectina, spray nasal) para não ter de lidar com as duas únicas coisas que comprovadamente diminuem a incidência da Covid-19, lockdown e vacina. Queria escrever aqui algum trocadilho com “imunidade de rebanho”, mas o problema do Brasil é talvez pior: não ser imune AO rebanho de idiotas. Como já disse o sempre citável comediante britânico Ricky Gervais, “quando você morre, você não sabe que está morto; quem sofre são os outros. É a mesma coisa quando você é idiota”. Burrice não dói, mas mata — e, infelizmente, não apenas aqueles que a exercem.

***

A GOIABICE DA SEMANA

Pode o filho do presidente da República comprar uma casa de 6 milhões de reais com entrada muito acima de seu patrimônio declarado, com renda familiar menor que o mínimo exigido pelos bancos para um financiamento desse tamanho e juros que nem a sua mãe cobraria, se ela emprestasse dinheiro? Claro que pode, para os aplausos e zurros entusiasmados dos bolsonaristas: se Lula tinha o seu “Ronaldinho”, por que Jair Bolsonaro não pode ter o seu, ora essa? Se há uma coisa que jamais precisará de atualização é aquela definição de Ivan Lessa: o brasileiro é um povo com os pés no chão. E as mãos também.

Pedro Ladeira/FolhapressFoto: Pedro Ladeira/FolhapressO “Ronaldinho” de Bolsonaro: haja chocolate para comprar casa de R$ 6 mi

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

Só R$ 1,90* no primeiro mês

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

*depois, 11 x R$ 14,90

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Felipe Moura Brasil, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. epicentro qualificar/requalificar tal coisa "dialoga" ou "não dialoga" com outra comunista, esquerdista, petista, gaysista golpe mortadela/coxinha estruturar pavimentar alavancar (gov. fhc) venezualização neoliberal lógica monetarista, rentista precarização sustentabilidade enxugamento da máquina globalismo kit gay, ideologia de gênero

  2. Deixo aqui minhas sugestões de verbetes a serem explorados pelo autor do Novíssimo Tolicionário da Língua Portuguesa: Problematizar (complicar o que é simples); Branco privilegiado (e os brancos ferrados, existem?); Novo normal.

  3. Seu tolicionário me lembrou o grande Quintana, em sua crônica "Não despertemos o leitor". Aí vai o primeiro parágrafo: "Os leitores são, por natureza, dorminhocos. Gostam de ler dormindo. Autor que os queira conservar não deve ministrar-lhes o mínimo susto. Apenas as eternas frases feitas." Genial!

  4. Tinha esperança de conseguir rir hoje lendo sua coluna. Não me decepcionou. Ótimas frases do Gervais e do Lessa. Menos Stf e mais Goiaba! É o que este país precisa.

  5. Mas como você não percebeu? A expressão mais irritante que existe há uns dez anos é "história,histórico".Todo mané que quer enfeitar um texto fala em momento histórico,subida histórica,descida histórica,pela primeira vez na história destepaiz,histórico de pesquisa,pela primeira vez na história do time-tal,tombo histórico ....RECORDE HISTÓRICO auaahhahaha

  6. Amigues, vamos tombar os fascistas! A língua portuguesx é a expressão máximes do patriarcado opressor ocidental globalista neoliberal.

  7. E lendo os demais comentários abaixo, todos ótimos, percebo o quanto são inventadas derivações das palavras, como se os que inventam esses discursos quisessem todos ser Guimarães Rosa.

  8. Já que hoje é o dia Internacional da mulher, que tal discutirmos a coisificação das mulheres pela sociedade machista patriarcal opressora eurocêntrica heteronormativa que precifica tudo no capitalismo consumista? Objetificando especificamente a decadência ocidental?

  9. Minha filha tinha 5 anos quando me disse que seu tio morreria por ser fumante, mas não tinha problema, ele não saberia que morreu. As coisas são tão simples.

  10. Lendo a sua coluna, passou um filme na minha cabeça e o mundo nunca mais voltou a ser o mesmo, com o velho e o novo vivendo em perfeita harmonia.

  11. Empoderamento e precarização também já encheram o saco que não sei se devo empoderar a precarização ou precarizar o empoderamento

  12. “Disruptivo” é outro da moda nas empresas. Não aguento mais ouvir “empatia” também. “Negacionismo” ou “negacionista” é outro que, assim como “empatia”, tem sua razão, mas já cumpriu sua função neste mundo. Se quisermos cair na política, “fascista” já atinge até quem solta pum no elevador. A lista é infinita. Trago mais se me lembrar.

    1. Gratidão por partilhar. Só assim evitaremos a distopia que vem de encontro ao fazer por onde.

  13. E os médicos, enfermeiros e atendentes de clínicas que infantilizam os pacientes com diminutivos? Ponha o bracinho aqui, estique a perninha, logo você vai estar melhorzinho, tome aqui o remedinho...

  14. Importante fazer uma “curadoria” para “ir selecionando” as melhores “narrativas”, cada uma com o respectivo “lugar da fala”.

  15. Ultimamente o Tolicionário foi bastante atualizado com as colaborações maciças de Lula, Dilma e Bolsonaro que não quis perder para os dois de jeito nenhum!

  16. Mais uma goiabice que eu acho é "estar procurando" (esse gerundismo é a maior goiabice que conheço) termos em inglês (lockdown, etc) pra ofuscar nosso pobre português.

  17. Muito bom Ruy! É um dicionário extenso atualmente e requer boa vontade para interpretá-lo. A goiabice da semana ainda está me dando indigestão.

  18. É interessante incluir no tolicionário os termos "empoderamento" e "lockdown" (nas variantes original e climatização brasileira). O "gerundismo" também poderia ser abordado.

    1. Ah, tá. Mesmo quando a ANVISA já falou em cadeia nacional que não funciona?!

  19. Lembrar Ivan Lessa foi emocionante... como faz falta o velho Pasquim nestes tempos tão bicudos! Crusoé desperta o instinto crítico apurado de seus leitores, infelizmente um público reduzido... saudades do jornal impresso! Amo seus textos e suas provocações, amigo Goyaba...

  20. Parece que o idiota é sempre o outro. Pode alguém com dois neurônios funcionando recomendar as vacinas do COVID 19, quando ainda não se tem um único estudo CIENTÍFICO no mundo dos efeitos adversos dessas vacinas a longo prazo? Ouvi dizer que esse vírus, além de sacralizar vacina e Cloroquina, come neurônios!

    1. Ela prefere que o povo se contamine e morra do que tomar a vacina, ter um possível efeito adverso...

    2. Vamos conseguir a curto prazo o estudo dos efeitos de longo prazo? Explica isso aí. O ótimo é o inimigo do bom, por isso qualquer vacina razoável é desejada para ontem. Exceto para quem já toma a aftosa, se me entende...

  21. “Não existe almoço grátis” “Eu, enquanto ser humano,...” “Nós acordamos que...”, ao invés de “concordamos” ou “chegamos a um acordo que...” “Com certeza!”, ao invés de certamente Esta lista é interminável... kkk

  22. O gerundando assassina a língua portuguesa!Lula disse "caseliti" ñ gostava de ver domésticas indo p/ Disney.Mas desde então (ir p/ Disney e ficar lá trabalhando ilegal),as recepcionistas assimilaram DELAS o "I' going to" q acham "super chic" e dizem "vou estar repassando a sua ligação p/ Dr. Deivid", "vou estar remarcando sua consulta c/a Dra. Jhenniffer ou c/a Dra. Lorheyne". "Mas eu gostaria de estar lembrando a sra. p/ estar telefonando pro Prof. Djonhatann". Qto + h, y e letras dobradas + IN

    1. Como diz o pai do Ypsilone, a Magda não se importa de dar nome de biscoito (ou bolacha) para a filha. PS: minha filha também é Maria...

    2. Em BH conheci um guia de turismo, um jovem mto simpático (deve estar me lendo) q tinha no crachá o nome RANSDONA.Perguntei se era sobrenome. Ele esclareceu que não, era prenome.Sua mãe achou o nome do diretor global - HANS DONNER - mto bonito e qdo o filho nasceu fez a homenagem. Ainda bem q não colocou uns h, y, ou letras dobradas entremeando o "Ransdona" p/ ficar + "chic" (Rhansdohnna?). Se agora eu tivesse uma filha seria simplesmente MARIA e o filho um simpático JOÃO ou PEDRO. Menos é mais!

  23. “Passar pano para” . Essa p* dessa expressão pegou e é muito idiota. Com tantas alternativas na língua portuguesa, nada justifica seu uso.

  24. ‘GUERRA DE NARRATIVAS’ - tem um radicalzinho de direita chamado Rodrigo Constantino que em cada dez palavras, usa essa expressão. A pouco tempo escutei nosso excelentíssimo Ernesto Araújo em uma entrevista repetindo diversas vezes a mesma expressão. Goiaba, tal expressão merece constar no Tolicionário ou estou exagerando? Ela me irrita muito !!!!

  25. Relembrando Charles Chaplin: "Take It easy!" ou Kafunga: "no Brasil o poste faz xixi no cachorro".... Não há solução nessa terra sem lei, ética ou qualquer coisa parecida.

  26. ...Rui, além das tolices elencadas, me irrita a papagaiada bengala jornalística e em moda de narrar o infinito ou afirmativo em gerúndio. As moletas verbais: 1) Construindo , para tudo, ex., um pensamento. Você , quando se refere a ação de outrem, institucional ou de governante. Só confunde os ouvintes e irrita que refiram a "você ",quando se trata de ações de politicas públicas , de responsabilidade de outrem @

  27. Ler sua coluna sábado de manhã depois de uma semana extenuante de trabalho, num frio congelante do meio oeste americano é minha tradição do final de semana. Eu preferi temperaturas enfrentar temperaturas 30C negativa para não ter notícias do BBB. Pelo amor de Deus, pare de falar dessa estupidez... vc é maior de isso!!!

  28. Aaahh! A delícia dos agraciados com quarentena-vip-queijo-e-vinho-na-varanda-gourmet! Renda garantida para flanarem sobre a pandemia debatendo flaubert e debochando do inculto pessoal chão de fábrica que luta pra sobreviver. Um pouco de empatia lhes cairia bem e ajudaria a humanidade.

    1. “Grande maioria “ .... pelo menos ainda não falam “pequena minoria “... mas , como comentado acima , o “gerundismo” ainda é o que mais agride aos meus ouvidos .

    1. Sim...Todos e todas , construindo um consenso e presidenta, são campeãs do besteirol. Sou capaz de infartar nas reuniões da universidade.

    1. Kkkkkkkkkkkkkkk Odeio também. Coloco "lacrar" e "mitar" juntas!

  29. Estava me esquecendo do COPO MEIO CHEIO. É uma outra que muito é falada mas que não combina em nada com o Brasil: FREIOS E CONTRAPESOS???? E a mais mentirosa? Aquela do EX Super Ministro Que parece acreditar em papai Noel? Tipo assim: A ECONOMIA VAI CRESCER EM V.... Eu heim????

  30. para o tolicitario coloquem a seguinte frase publicitada na Globo: "Vacina salva" se salve engano nao falha minha memória científica vacina nao é cura; é medida de prevenção; mas se prevenir já for a cura ao menos avisem que curas nao salvam nada pois que se a morte nao leva de um jeito sempre sobram outros; tô esperando a propaganda televisiva do Spry milagroso que mandaram buscar na terra santa; seria algo mais do feitio da Record e sairia assim "Spray consagrado de Israel é a Universal"

  31. Sérgio Porto criou o FEBEAPÁ, talvez inspirado no Tolicionário, cujas fontes de sandices são inesgotáveis. Lembro-me de algumas: o tal CEO sai da boca dos asininos que não têm a menor ideia do que seja, para designar o gerente ou presidente de uma firma. Quanto a tornar o adjetivo em substantivo, temos pérolas: "vou falar com meu financeiro", "isso mexeu com meu psicológico". O gerundismo então...

  32. A mais prostituída hoje em dia pelos gananciosos : " Nós estamos reabrindo seguindo todos os padrões e regras da vigilancia sanitária." E aí entopem Shoppings , praias e lojinhas. Com uma garrafinha de alcool gel na entrada.

  33. O meio acadêmico de Humanas, todo de esquerda, tem vários chavões esnobes e irritantemente idiotas. Alguns deles: "problematizar"; "detonar a discussão" (vão explodir uma bomba durante a reunião dos debatedores?); "a nossa discussão será atravessada por tal e tal..." (discussão agora virou rua - é proibido falar que "iremos abordar os temas tais e tais", para parecer que os temas aparecem "sozinhos"); e por aí vai. Faculdades de Humanas são fontes infinitas dessas babaquices vocabulárias.

    1. É mesmo! Fiz doutoramento na "Sociologia do Desennvolvimento"... Tem verbetes e teorias de torrar a paciência democrática de anjos.

  34. Que pena que você não abordou, talvez por falta de espaço, a grande coqueluche dos q se julgam especiais: "Lugar de fala." como se a fala precisasse de lugar.

    1. é verdade, lugar de fala é ótimo. Ma o pessoal que fala isso mereceria é um "lugar de falo", isso sim!

    2. Eu costumo dizer que o "lugar de fala" de quem usa esta expressão é a lata de lixo. Heheheh!!

  35. "brasil acima de tudo. deus acima de todos." Acho que esse deveria ser o mote da campanha do Bolsonaro. brasil= MECANISMO deus= ele mesmo, ou numa simbiose, ele que é o pai, Flávio Bolsonaro que é o filho, e toda essa maracutaia que sabemos que está acontecendo e ainda não se materializou em punicões, que é o espírito santo.

    1. Meus filhos acima de tudo e EU acima de todos os corruptíveis...

  36. 🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣Empoderamento feminino, ranço (essa eu odeio), lugar de fala...são tantas🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣

    1. Empoderamento é dose ... até hoje não vi empoderada nenhuma fazer acontecer; só blá blá

  37. Tratamento precoce significa prematuro, antes do tempo portanto é uma idiotice em si. Tratamento preventivo sim faz sentido e tem nome: VACINA!

    1. Vc tá preocupado com o vernáculo de precoce, mas todo sabe que esse termo está sendo usado para os primeiros sintomas. Enquanto não for vacinado e caso contraia a doença então fique em casa aguardando uma possivel melhora (ou piora).

  38. A que eu tenho mais nojo, a empresa esta cheia de falhas e você comenta com o gerente, vem a resposta : Isso já esta no nosso radar. vai acontecer porra nenhuma

  39. "Não existe tratamento precoce para a Covid". Essa sua enfática afirmação contrariando milhares de médicos, e muitos renomados como dra. Tess Lawrie, dr. Pierre Kory e muitos outros, deveria ser "engraçadinha" mas nesse momento é irresponsável, querendo usar politicamente essa questão.

  40. “Endereçar” é dose (q muitas vezes significa “encaminhar” - q vc não citou). Tb tenho birra c/ “no final do dia” (by the end of the day), pois temos “no fim das contas” e dói na alma ler “na outra mão” (in the other hand) qdo se quer dizer “por outro lado”. No mais, qto ao “tratamento precoce”, sugiro mais humildade, pois é muito cedo p/ dizer se existe ou não (muitas “coisas” nem tentadas ainda podem se mostrar eficazes); enfim, a ciência ainda deve estudar muito o corona p/ chegar ao veredito.

    1. Ah, e já vi tradução de “spirits drinks” como “bebidas espirituosas” Kkkkk

  41. meu medo é o que significa esta compra.... Os Bolsonaros não pretendem sair de Brasília, mesmo se não forem reeleitos...pensem nisso!

    1. Pagamento antecipado à amiga colorida do amigo do amigo de meu pai.

    2. Pode ter sido para investimento : deve voltar para o Rio no final do mandato e vender chocolate .

  42. Sensacional. Esse país é, sem dúvida, um celeiro de inspiração para o Tolicionário. Sugiro para a novíssima versão: "mudar seu mindset".

  43. Os que todos corruptos falam a serem pegos pela justiça: “eu confio na justiça “ e “a verdade prevalecerá “. O que os nossos congressistas falam quando armam para enfiar a mão no erário público: “em nome da democracia”. O que certos jornalistas muito chegados a certos ministros de tribunais superiores falam para minimizar a proteção indevida para certos réus: “é um garantista”. O que certos defensores falam para disfarçar um homicídio em massa: “é um negacionista “ e “é uma gripezinha”.

  44. Essa compra de casa em Brasília mostra que os bolsonaros esperam ficar lá por muito tempo. Não seria um indício de que preparam um golpe e uma ditadura?

  45. O politicamente correto - chavão - largamente utilizado - chavão - pelas milícias digitais - outro chavão - é pródigo em bobagens irritantes. Mas ai daquele - mais um chavão - que descumprir as regras dessa novilíngua - eita! - neomoralista.

  46. Oi Goiaba ...minha contribuicao ao tolicionario ... Estruturante ( tudo que parece importante e ...estruturante ) Comecou com os genios burocratas do PT mas continua ....

  47. Meu caro Rui Goiaba Toda semana espero ansiosamente pela sua coluna. Ela é o meu remédio em dose semanal contra esses absurdos e contra a falta de vergonha que existe na elite dirigente desse país, bem como em muitos outros lugares dele também. Sem falar das observações precisas sobre o nosso povo brasileiro e seus "modismos". Parabéns, meu caro, por ser a minha bóia salva-vidas deste Titanic chamado Brasil. Suas colunas são simplesmente fantásticas!!

  48. Você “Problematizou” muito bem a questão, Goiaba. Já pode “aplicar” por um aumento de salário “enquanto” colunista tão elogiado. Só cuidado para não gastar tudo em drogas, por que elas podem te levar à “adição”.

    1. 🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣 Levar à adição é sensacional.

  49. "0 brasil é o país do futuro" pois "a esperança é a última que morre". Sendo assim, " me criticar é facil, dificil é ser eu". Pois, " o apressado come crú" e sendo a "farinha pouca o meu pirão (vem) primeiro. Afinal "manda quem pode e obedece quem tem juizo". O resto é "mimimi"! "Fazer o quê?"

  50. Eu comecei a te amar na Dicta, não nos subestime. O mundo do trabalho é pródigo em verbetes pra o Tolicionário. Tome nota do primeiro: Dano Existencial: um meio, inspirado em Sartre, de tirar dinheiro do ex-patrão tirano.

  51. Muito bom! É sempre a primeira coisa que leio ( acho que não sou só eu, pede aumento pra chefia :-P ) Mas, faltou a "resiliência" do "lugar de fala".

  52. "Tem um adulto no parquinho" é ótima. Só espero q esse adulto não seja o Bolsonaro ou Pazuello, entre tantos exemplos de adultos responsáveis no país.

    1. Com o Brasil de pernas pro ar, espero com ansiedade suas goiabices semanais para rir um pouco. Obrigada !

    2. Prezado Psidium guajava: Se eu estiver fora ou dentro da CAIXA, estarei dentro ou fora do meu QUADRADO? . Ou será que ainda preciso “ ESTAR APRENDENDO” a “ESTAR USANDO” esse novo linguaja

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO