Reprodução/redes sociaisBriga de gigantes: os EUA pressionam o Brasil a não incluir a chinesa Huawei no leilão de 5G

A batalha do 5G

A um ano da decisão brasileira sobre a tecnologia que promete revolucionar a internet, o que está em jogo na disputa que contrapõe americanos e chineses e mobiliza setores importantes do governo
28.08.20

A introdução da tecnologia 5G alterará profundamente alguns hábitos, revolucionará negócios e poderá injetar até 12,3 trilhões de dólares no PIB mundial dentro de quinze anos, o equivalente à economia da Índia. Com uma velocidade 100 vezes maior que a das redes atuais para trafegar dados, os carros serão capazes de dirigir sozinhos. Chamadas em vídeo poderão ser feitas por hologramas. Na agricultura, sensores acompanharão a saúde dos animais em tempo real. Nas fábricas, robôs trabalharão de maneira muito mais interativa com os operários. Essa revolução, contudo, deverá começar tardiamente no Brasil. Como a disputa global entre Estados Unidos e China gerou divisões dentro do governo, por aqui a decisão que guiará a implantação da nova tecnologia ficou para o próximo ano.

Os Estados Unidos têm pressionado o Brasil para não incluir a empresa chinesa Huawei no leilão de 5G. Um dos maiores perigos apontados pelos americanos é que a lei de inteligência da China obriga cidadãos e organizações do país a cooperarem com os trabalhos de inteligência do governo. A norma, portanto, poderia afetar a segurança nacional e econômica, a privacidade e a propriedade intelectual. Em Brasília, o ministro de Relações Exteriores, Ernesto Araújo, o ministro do Gabinete de Segurança Institucional, Augusto Heleno, e o deputado Eduardo Bolsonaro, filho do presidente, fazem coro com a posição americana.

Em junho, o secretário de estado Mike Pompeo e o embaixador americano em Brasília, Todd Chapman, divulgaram um comunicado em língua portuguesa contra a escolha da Huawei como fornecedora do 5G. O texto dizia que a brasileira Vivo estaria se tornando uma “telecom limpa” ao se livrar de “fornecedores não confiáves”. Em entrevistas, Chapman também falou que o Brasil poderia sofrer consequências econômicas se não bloqueasse a Huawei, porque empresas americanas ficariam inseguras de investir no Brasil.

Alan Santos/PRAlan Santos/PRO embaixador americano, Todd Chapman, falou que o Brasil poderia sofrer consequências econômicas se não bloqueasse a Huawei
Dado o alinhamento do atual governo com os Estados Unidos, seria de se esperar que o Brasil correspondesse à expectativa, seguindo o caminho de países como Reino Unido, República Tcheca, Dinamarca, Estônia, Letônia, Polônia, Romênia e Suécia. Em diversas decisões diplomáticas, o Brasil seguiu os americanos. Na Organização Mundial de Saúde, a OMS, o país apoiou uma resolução pedindo que se investigue a atuação da entidade, acusada de ser leniente com Pequim, nos primórdios da pandemia.

Ainda em Genebra, mas na Organização Mundial do Comércio, a OMC, Brasília assinou com Washington uma carta em defesa de políticas orientadas para o livre-mercado como condição fundamental para um sistema de comércio global “livre, justo e mutuamente vantajoso”. O texto foi considerado um ataque ao lado chinês. Nos corredores do Ministério das Relações Exteriores, corre a versão de que se o Brasil não banir a Huawei, isso poderia afetar as negociações comerciais em andamento com os Estados Unidos.

O lado pró-China é liderado pelo vice-presidente, Hamilton Mourão, e pela ministra da Agricultura, Tereza Cristina, que tem ao seu lado pesos pesados do agronegócio brasileiro. Para eles, o Partido Comunista em Pequim poderia interpretar o banimento da Huawei na licitação como o “cruzamento de uma linha vermelha”. Retaliações aos maiores exportadores do agro poderiam crescer e afetar a já combalida economia nacional.

Adriano Machado/CrusoéAdriano Machado/CrusoéO ministro Fábio Faria diz que o leilão do 5G é um “assunto do presidente”
Outros que também pedem uma atitude benevolente com a China são as grandes operadoras de telecomunicações. No passado, elas adotaram equipamentos da Huawei para montar boa parte de suas redes 3G e 4G. As máquinas, em geral, são consideradas baratas e de boa qualidade. Se o Brasil não banir a gigante chinesa, as companhias nacionais poderiam atualizar a infraestrutura 5G com baixos investimentos e sem problemas de compatibilidade.

Crusoé apurou que, desde 2016, a Anatel já autorizou mais de 50 usos experimentais da frequência do 5G para operadoras, fabricantes de equipamentos e instituições de pesquisas. A Vivo está entre as empresas que mais testes realizaram, em sua maioria com equipamentos da Huawei. Até mesmo o diretor-geral da Telefônica, Christian Geabra, saiu em defesa da tecnologia chinesa — o que parece contrariar a afirmação dos americanos de que a Vivo estaria, na visão dos americanos, se tornando uma “telecom limpa”.

A pressão dos dois lados tem reflexos na Esplanada, onde lobistas e diplomatas chineses e americanos circulam pelas repartições para angariar apoio. Nenhum dos dois lados, contudo, conseguiu se sobrepor. Recém-chegado ao cargo, o ministro das Comunicações, Fábio Faria, preferiu não segurar a batata quente e disse, em rede nacional, que o leilão do 5G “é um assunto do presidente”. Um comitê interministerial foi montado pela Casa Civil para coletar informações e análises para ajudar Jair Bolsonaro a avaliar a questão.

Como Crusoé já informou, diante dessa queda de braço que só pode trazer embaraços para o governo, o leilão que estava previsto para este ano deverá ficar para o final do primeiro semestre de 2021. O adiamento da decisão poderá ter um efeito prático importante. Uma possível vitória do democrata Joe Biden nas eleições americanas em novembro poderia desinflar a pressão americana. O governo brasileiro, assim, ficaria mais à vontade para não desagradar aos chineses. A postergação não agrada à ala mais ideológica do governo, afinada com os americanos. A força que esse grupo terá no ano que vem ainda é incerta e será um dos elementos para o presidente considerar na hora de finalmente empunhar a sua caneta Bic.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. A Caneta não é BIC pois essa é Francessa..ele vai mesmo com uma Compactor, que apesar de ter sido fundada no RJ por Alemães, seus proprietarios sempre viveram no Brasil.

  2. Toda vez que os americanos se intrometem em assuntos internos brasileiros, o perdedor sempre é o Brasil. Para os americanos é que sejamos um país subdesenvolvido eternamente e atrelado a eles.

    1. Bom mesmo é Cuba, Venezuela, Irã, ditaduras africanas e asiáticas.

  3. Está decisão de introdução de 5G temos que adiar, ao meu ver. Em primeiro lugar temos muitas outras áreas a serem investidas com mais urgência, e a outra questão é essa questão política. Se é que temos receio que a China deixe de comprar nossos produtos agricolas se não fecharmos com a tecnologia 5G deles, então não estamos preparados para negociar uma questão destas.

    1. A questão não é comprar a tecnologia chinesa, e sim eliminar os chineses da licitação por pressão dos americanos

  4. Os americanos espionam até seus mais fiéis aliados. Nesse mundo animal, não tem mocinhos e mocinhas, só bandidos interessados em lucros e poder. Nesse caso, se o Brasil correr o bicho pega, se ficar, o bicho come !

  5. Qualquer que seja a escolha da tecnologia 5G, estaremos sendo profundamente vigiados. E, creio, em um nível que nem a ficção científica pensou. Um dos autores que parece estar fazendo as melhores previsões do que virá é Yuval Harari, em seu livro "Homodeus". Futuro um tanto preocupante, de qualquer maneira.....

  6. Filme de terror:Ernesto Araújo,Augusto Heleno e Dudu Bananinha. Esse trio é sinônimo de total incapacidade para essa tomada de decisão.O pai do Bananinha me dá desespero se depender dele a decisão sobre este assunto.E por falar em Bananinha Bolsonaro onde anda este político?O q efetivamente tem feito pelo povo?Falei povo, não clã.

    1. Pensando bem, Ernesto, Heleno e Dudu, são três mentes fantásticas, já mostraram que MENTE são as deles. Os 3 FANTÁSTICAMENTEM.

  7. Os argumentos americanos são os mesmos usados por Bolsonaro na campanha: senão o PT volta!!! Mas já vimos q ele, JB, consegue ser pior do que o PT foi. Como seria se tivesse ganho, não temos bola de cristal. Preocupa-me muito saber q a decisão final está nas mãos de um esquizofrênico e seus herdeiros genéticos. Se correr o bicho pega, se ficar o bicho come.

    1. Não exagera, o PR é só um corrupto traidor imundo preocupado com o seu passado e de seus filhos, o PT é um projeto de poder comunista aos moldes da China e Russia.

  8. Olha, eu já trabalhei nessa área. O "comercial" do primeiro parágrafo desta matéria, tomada por "Verdade", é pura propaganda setorial, sendo, no mínimo, discutível. Atrasado como o nosso país é, melhor seria esperar ver para crer antes de implantar essa tecnologia, evitando fazer o jogo dos detentores dos respectivos interesses comerciais, que além de estarem imersos numa batalha geopolítica, certamente não tem a menor conexão com os interesses da maioria da população brasileira.

    1. Quanto mais tarde o país implantar o 5G maís atrasados ficaremos no desenvolvimento tecnológico com a impossibilidade de escolas, faculdades, empresas , estudantes avançarem no conhecimento de áreas em que a informação mais rápida é fundamental

    2. Concordo plenamente Mario! Fora, outras coisas que preocupam... como alertas vindos de pessoas com Phd na área da saúde (!) que dizem que a exposição a essa tecnologia traz alguns riscos à saúde... Daí, ao menos pra mim, fico me perguntando se alertas de Phds servem apenas para o Covid e devem ser ignorados para os outros tópicos... quem quiser conferir acesse: ehtrust . org

  9. A Casa Branca relata que a Huawei é um setor de inteligência dos comunistas chineses. Nessa vertente, é extremamente perigoso se alinhar as ideias contrárias a Washington. É necessário averiguar as informações. Pois o frango consumido pelos comunas chineses, movimentam a economia brasileira de forma impactante. Isso não significa alinhamento, caso comprove-se tudo ou parcialmente declarado por Trump. Mas se tratando de comunista, não dúvida nada...

    1. O peso desse cenário deveria ser o contrário! Nós somos detentores de boa parte do alimento chinês e até o presente momento ela não teria envergadura para iniciar uma guerra de facto contra o Brasil (não pelas FAs brasileiras isoladamente mas pelo contexto global) Nesse caso o Brasil tem sim que tomar muito cuidado com a espionagem chinesa que se disfarça de Huawei, de tik-tok, de WeChat...

  10. Qualquer opção escolhida pelo Governo brasileiro em relação à tecnologia 5G não mudará nosso destino colonial submetido aos interesses das grandes potências. Na realidade, a escolha da empresa fornecedora da tecnologia de transmissão de dados é um dos problemas mais amenos do país.

  11. Vivemos, uma vez mais, num mundo polarizados: E.U.A. × China. Como nações adultas e muito bem educadas, estabeleceram um acordo comercial entre si para só depois fatiar o mundo. Estamos no bolo. Grande fetia de mais de 211 milhões de almas. Do ponto de visita comercial, vale tudo. Por exemplo: Mourão vistou à China? Voltou falando chinês. Cristina? Parece esquecer q a China aumentou o volume de grãos adquiridos nos "States". E os Bolsonaros ignoram que HÁ um porquê do amor ianque por ÁGUIAS...

  12. Obviamente devemos é ver tudo sobre todos, o que há de ambos os países principalmente e, sobretudo, ponderar a respeito do que for visto alicerçando conclusões em opiniões abalizadas dos nossos cientistas 'idôneos' e 'experts' na área e nas áreas conexas. Nada de "exercício ilegal da Ciência" nos moldes do "exercício ilegal da medicina", quando um "pseudo-entendido" ""receita"" irresponsavelmente para a população ou adquire aeronaves baseando-se em propinas.

    1. E, imprescindível, inapelável, manter trapalhões acéfalos como os "dudus-embaichapeiros" bem longe dessas movimentações! Aliás, não interessa a mínima o que um irrelevante acha ou deixa de achar, causando estranheza considerar qualquer coisa advinda de um traste que só nos prejudica, a não ser que se tome conhecimento apenas para prevenir os problemas de sempre e as idiotices ideológicas, com uma boa camisa de força.

  13. O Brasil é um poderoso fornecedor de alimentos, assim como a China e os Estados Unidos, de tecnologia. A proximidade e a tradição nos aponta os americanos como fornecedores mais confiáveis. A China e seus governantes são um mistério para todo o mundo. Daí, ...

  14. Aos chineses devemos exportar, mormente produtos do agronegócio! A ciência/tecnologia devemos buscar em países confiáveis!

  15. Inacreditável como ainda venham cogitar manter a China no leilão do 5G. Uma Ditadura comunista em que os cidadãos são obrigados a cooperar com o governo, colocará em risco a segurança nacional!

  16. É a velha máxima: "Os EUA não têm amigos, mas apenas interesses". O governo atual cismou que são amigos, o que é um erro. Por outro lado, não se deve descartar a possibilidade de más intenções da China. Infelizmente, o Brasil está no meio de uma "Guerra Fria" cada vez mais quente.

    1. Acho que se um pais compra de outro e paga o combinado no contrato é confiável, mas por exemplo se um pais compra, vamos supor respiradores, e no meio do caminho em uma escala, outro pais sequestra esses respiradores sem dar satisfação, acredito que este pais não pode ser taxado de confiável.

  17. O Brasil tem ótimos tecnólogos em informática e engenheiros especializados em sistemas inteligentes de dados informatizados. A tecnologia 5G, ou superior, poderia ser aqui desenvolvida no intuito de substituir essa pretensão de importar...

    1. Então sua sugestão é que o Brasil tem q redescobrir a roda? A única coisa boa q o corrupto Collor fêz foi abrir a importação e derrubar a Lei da Informática. Como homem jovem que era, interessado em carros modernos, numa viagem à Suiça ele descobriu q o Brasil não tinha carros, tinha carroças. E agora vc quer q o Brasil invista em pesquisas p/ redescobrir as rodas dessas carroças? Ora, tenha paciência!

  18. Deve estar claro o longo prazo: não podemos ficar à mercê duma ditadura q viola sistematicamente a privacidade d seus nativos e tb espiona mais q todos governos. A China não é confiável

    1. A China leva dolares no paralelo como nenhum outro país. Se fosse possível somar a entrada real de dólares (legal e paralelo) assustaria o mundo.

    2. A China é sim confiável, tanto que é nossa maior parceira comercial e nos garante um superávit vultoso em dólares. Os EUA vem atrás da China enquanto parceiro e com um detalhe muito importante, temos déficit comercial com os EUA Então a China deixa dólares aqui e os EUA levam parte destes embora. Qualquer endurecimento das regras comerciais entre Brasil-Estados unidos teriam piores pra ele enquanto uma briga Brasil-China complica toda a base de nossa economia, mineração/Agro. Vai dar tudo certo!

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO