Dirceu Portugal /Fotoarena/Folhapress

O que sabemos sobre a cloroquina

Descontadas as paixões decorrentes da politização do tema, o remédio pode ou não ser a tábua de salvação para a pandemia? Reunimos o que se sabe sobre o tema até o momento
10.04.20

Um comprimido que não pesa mais que 400 miligramas e custa menos de 1 real contaminou o debate nacional sobre a pandemia do novo coronavírus. A discussão em torno da cloroquina ou da sua versão menos tóxica, a hidroxicloroquina, como resposta mais eficaz à doença causada pelo vírus descambou para a polarização política e contagiou o ponto mais importante da questão: afinal, o remédio é ou não é a solução para a pandemia? Os aspectos técnicos acabaram sobrepostos pelas paixões políticas atiçadas pela defesa enfática que o presidente Jair Bolsonaro e seu colega americano Donald Trump vêm fazendo do medicamento, apesar da carência de provas científicas sobre a sua eficiência. Nos últimos dias, porém, evidências terapêuticas que estavam associadas a duas figuras excêntricas, o médico americano Vladimir Zelenko e seu colega francês Didier Raoult, ganharam força com a entrada em cena de profissionais renomados, do Brasil e do exterior, que defendem ou tomaram um coquetel experimental com cloroquina para enfrentar a Covid-19.

Um dos novos rostos associados à cloroquina desembarcou nesta semana em Brasília para compor o gabinete de crise criado por Bolsonaro e tentar destravar junto à burocracia estatal e à comunidade científica a ampliação do uso do remédio para tratar de forma precoce pacientes leves, aqueles que nem chegam a ser internados. A imunologista Nise Yamaguchi chegou ao Planalto na última segunda-feira, 6, munida de dados pró-cloroquina no exato momento em que o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, que é avesso à ideia, mais balançou no cargo. “O meu papel é suprapartidário, não tenho nenhum conflito de interesses. Chega o momento em que não é questão de posição política, mas de humanidade. Se já temos evidências robustas de que o remédio reduz os sintomas e evita a internação, por que vamos deixar de salvar vidas aguardando a comprovação científica?”, disse Nise a Crusoé.

Apesar do reconhecido currículo profissional, a posição da médica foi vista com ressalvas entre os colegas por ter sido elogiada em sites bolsonaristas juntamente com outros pesquisadores favoráveis ao uso da cloroquina. Ela chegou a ser criticada até por amigos no WhatsApp por defender o “remédio do Bolsonaro”. Mas logo na sequência veio a público a informação de que dois médicos famosos de São Paulo infectados com Covid-19 utilizaram o medicamento para se recuperarem da doença. Bolsonaro não perdeu tempo e logo foi às redes para capitalizar o episódio. “Dois renomados médicos no Brasil se recusaram a divulgar o que os curou da Covid-19. Seriam questões políticas, já que um pertence a equipe do governador de SP?”, tuitou Bolsonaro na terça-feira, 7.

A identidade de um dos médicos citados pelo presidente já era conhecida. O infectologista David Uip, que coordena o gabinete de crise montado por João Doria, havia se negado a revelar o remédio usado em seu tratamento. Na sequência, porém, o cardiologista Roberto Kalil Filho, médico de políticos e celebridades, admitiu ter feito uso da cloroquina em seu tratamento, ao lado de outros medicamentos, para não ser levado à UTI em razão do coronavírus. No mesmo dia, Bolsonaro levou o caso para a TV, em mais um pronunciamento em cadeia nacional. Disse ter telefonado para Kalil para cumprimentá-lo pela “honestidade”. “Essa decisão poderá entrar para a história como tendo salvo milhares de vidas no Brasil. Nossos parabéns ao doutor Kalil”, afirmou.

O gesto do presidente já evidenciava uma preocupação externada ao longo da semana por bolsonaristas: o receio de que adversários políticos pudessem tentar tirar dele a “paternidade” da defesa da cloroquina como solução para a doença, algo que ele já vinha pregando há mais de um mês. A reação foi mais enérgica depois que Doria disse, em entrevista coletiva, que foi David Uip quem recomendou ao ministro Mandetta a distribuição do medicamento para hospitais públicos do país, iniciada no fim de março. “Canalha. Mil vezes canalha”, escreveu o deputado Eduardo Bolsonaro. O recado de maior peso político, contudo, foi dado por Mandetta na quarta-feira, depois de uma hora de reunião a sós com Bolsonaro no Planalto, para tentar acertar os ponteiros depois dos desentendimentos das últimas semanas. “Hoje, esse medicamento não tem paternidade. Governador não precisa politizar esse assunto. Esse assunto já está devidamente colocado”, afirmou o ministro.

A polarização em torno da cloroquina ganhou força justamente no momento em que os testes sobre o uso da droga no combate ao coronavírus avançam dentro de hospitais e laboratórios mundo afora. O número de especialistas que defendem o uso do medicamento contra o avanço da pandemia cresceu internacionalmente nas últimas semanas. Descontadas as paixões decorrentes da politização do tema, que invadiu até o campo da ciência, o remédio pode ou não ser a tábua de salvação para a pandemia? “A definição de políticas públicas em saúde depende de evidências científicas. A diferença fundamental está na aplicação do método científico baseado em evidências e na razão, e não em autoridade. No caso da Covid-19, quando um remédio vier a funcionar, não será por decreto ou por uma questão de fé, mas após a análise de dados e controles adequados”, diz o cientista Stevens Rehen, professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Crusoé organizou um conjunto de perguntas e respostas cruciais sobre a cloroquina. Eis o que temos até o momento:

O que é cloroquina ou hidroxicloroquina?

A cloroquina é um medicamento utilizado há cerca de 70 anos no tratamento da malária e tem sido prescrita em larga escala para pacientes com doenças auto-imunes, como lúpus e artrite reumatoide. A substância foi descoberta na década de 1930 e integra a lista de medicamentos essenciais da Organização Mundial da Saúde. Já a hidroxicloroquina é um fármaco sintetizado a partir da cloroquina e utilizado para a mesma finalidade, mas com efeitos colaterais reduzidos. As duas versões do remédio são produzidas pelos principais laboratórios do mundo, como Bayer, Novartis e Pfizer, entre outros. No Brasil, os principais produtores são Apsen, EMS, Fiocruz e Sanofi. A maior parte dos insumos é importada da Índia, que fechou suas exportações do produto, mas se comprometeu a mandar um carregamento para o Brasil. Nesta sexta, o laboratório Sanofi anunciou na França, onde fica a sua sede, que aumentará em 50% a produção de hidroxicloroquina até o final do verão europeu, por causa do aumento da demanda, e prometeu doar 100 milhōes de doses a 50 países, se os estudos sobre a eficácia do remédio no tratamento da Covid-19 forem conclusivos.

Qual é o estoque atual de cloroquina no Brasil?

Dados da Anvisa apontam um estoque de 8,9 milhões de comprimidos de cloroquina ou hidroxicloroquina no país, volume que seria suficiente para tratar 495 mil pacientes, no caso de cloroquina, ou 1,4 milhão de pessoas, no caso de hidroxicloroquina. O Exército anunciou que produzirá em seus laboratórios mais 1 milhão de comprimidos, mas ainda aguarda a chegada de insumos da Índia. No fim de março, o Ministério da Saúde prometeu enviar 3,4 milhões de comprimidos de cloroquina para os estados distribuírem aos hospitais públicos.

Quais estudos sobre a cloroquina já foram feitos ou estão em andamento no mundo, e o que eles indicam?

Os estudos divulgados até agora são experimentais ou preliminares, com um universo reduzido de pacientes, e apontam evidências de que a cloroquina, associada ao antibiótico azitromicina, consegue inibir a replicação do vírus dentro do organismo. Na China, um estudo feito em fevereiro pela universidade de Wuhan, epicentro da crise, com 62 pacientes infectados por Covid-19, constatou uma diminuição significativa da febre e da tosse em 80,6% do grupo medicado com hidroxicloroquina durante cinco dias, ante uma melhora de 54,8% no grupo de controle, que não recebeu a medicação. Apenas dois pacientes que usaram a droga apresentaram reações adversas leves e as quatro pessoas cujos quadros clínicos se agravaram estavam no grupo não medicado. Na França, um estudo com 42 pacientes comandado pelo médico Didier Raoult, de Marselha, concluiu que 75% dos pacientes que foram medicados com o coquetel da hidroxicloroquina e azitromicina se livraram do coronavírus. O levantamento, porém, foi contestado pela comunidade científica por causa de uma série de inconsistências, como a exclusão de seis pacientes, entre eles um que morreu e três que foram entubados. Raoult diz que resolveu publicar o estudo por causa da situação de guerra contra a Covid-19. Depois, o médico fez um estudo mais amplo, com 80 pacientes, mostrando a eficácia do coquetel em 93% dos casos com sintomas leves da doença. Nesta quinta-feira, 9, Didier Raoult recebeu a visita do presidente francês, Emmanuel Macron e lhe entregou os resultados. Desde 27 de março Nos Estados Unidos, o médico Vladimir Zelenko afirma ter curado mais de 600 pacientes com coronavírus utilizando o mesmo coquetel, acrescentando óxido de zinco, mas os dados nunca foram publicados formalmente. Segundo pesquisas, enquanto a cloroquina inibe a multiplicação do vírus, a azitromicina dificulta a ligação do vírus com os ribossomos, parte das células que sintetiza proteína. Já o zinco aumenta a eficiência da cloroquina. A Universidade de Oxford está iniciando um estudo com 40 mil médicos e enfermeiros na Europa, Ásia e África, para testar um possível efeito preventivo da cloroquina. O resultado, porém, só deve sair daqui a um ano.

E no Brasil, quais são os estudos envolvendo a cloroquina?

O estudo mais aguardado envolve uma coalizão composta por vários hospitais e liderada pelo Albert Einstein, de São Paulo, que vai testar a eficácia da hidroxicloroquina com a azitromicina em 630 pacientes hospitalizados com nível moderado da doença, grave e extremamente grave. Os resultados só devem ser publicados em maio. A operadora Prevent Senior, que administra uma rede de hospitais voltada ao atendimento de idosos e bastante atingida pela pandemia (até o meio desta semana  já havia registrado 117 mortes em três de suas unidades hospitalares), também iniciou uma pesquisa com o mesmo coquetel usado nos Estados Unidos e na França. A empresa afirma que dados preliminares mostram a necessidade de iniciar a medicação logo no segundo dia dos sintomas, para evitar o agravamento do quadro respiratório. Segundo a operadora, a partir do sexto começa o processo inflamatório do corpo e fica mais difícil reverter a situação com as drogas. Por isso, defende que o tratamento seja feito nos pacientes antes mesmo da confirmação da Covid-19 pelo teste, que tem demorado dias. Segundo a empresa, 300 pacientes já se livraram do vírus com o coquetel. Um estudo recém-divulgado pelo Fiocruz reforça a hipótese de que o uso tardio da cloroquina tem baixa eficácia. De acordo com o levantamento, 13% dos pacientes graves que fizeram uso do remédio morreram, enquanto o índice de mortalidade subiu para 18% entre os que não tomaram o medicamento.

Por que a cloroquina não é consenso no tratamento da Covid-19?

Apesar das evidências terapêuticas observadas em diversos países, os estudos são preliminares e feitos em um universo limitado de pacientes, o que não configura uma comprovação científica sobre a eficácia do medicamento no combate ao coronavírus. Enquanto estudos mais robustos não são concluídos, autoridades de saúde em diferentes países, como Brasil, Estados Unidos, França e Itália, têm liberado a prescrição médica de cloroquina aos pacientes de Covid-19, mas não adotam a substância como uma política pública de combate à pandemia. Nos EUA, a FDA o órgão longinquamente equivalente à Anvisa brasileira, avalizou o uso emergencial para pacientes graves no fim de março, mas há poucos dias o Centro Nacional de Controle de Doenças retirou a orientação médica para prescrição da cloroquina de seu site, alegando que os ensaios clínicos ainda estão sob julgamento. A divergência sobre o uso da droga é explícita no alto escalão do governo americano. Cético quanto ao remédio, o diretor nacional de doenças infecciosas, o eminente imunologista Anthony Fauci, um dos maiores especialistas em HIV do mundo, foi impedido por Trump de responder a perguntas sobre cloroquina nesta semana, durante uma coletiva.

Quais outros medicamentos estão sendo estudados para tratar o coronavírus?

A coalizão de hospitais liderada pelo Einstein também iniciou uma pesquisa que vai testar a transferência de anticorpos através da doação do plasma de uma pessoa já recuperada da Covid-19 para um paciente infectado pelo vírus que não apresente resposta imunológica. A primeira transferência de plasma foi feita nesta semana e os resultados devem ser divulgados em um mês. Experiência idêntica está sendo conduzida na França. Já a Fiocruz investiga a eficácia dos medicamentos antivirais atazanavir e ritonavir, utilizados no tratamento do HIV como agente de inibição da replicação do vírus. Testes in vitro constataram um efeito ainda melhor do que o da cloroquina, mas até o momento não há conclusões cientificamente válidas sobre a terapêutica. No Japão, na China e na Turquia, pesquisadores testam um medicamento japonês chamado Avigan, ou favipiravir, enquanto na Austrália há testes envolvendo outro  a ivermectina, um remédio normalmente usado em bovinos, como inibidor da replicação de vírus. Nesses casos, igualmente não há, até o momento, evidências suficientes quanto à sua eficácia.

A cloroquina, se tomada antes da infecção, pode proteger as pessoas contra o vírus?

Não há evidências científicas de que a cloroquina possa prevenir a infecção por coronavírus. Pesquisas para aferir se o medicamento pode ser usado preventivamente ainda estão em curso. Apesar disso, há relatos de que profissionais de saúde de diferentes países, que trabalham na linha de frente contra a pandemia, estão tomando o coquetel mesmo sem apresentar sintomas.

Há algum perigo em tomar cloroquina?

Como toda droga, ela pode ter efeitos colaterais. Os mais comuns são náusea, cefaleia, distúrbios visuais, como visão borrada, erupções cutâneas e arritmia cardíaca, quase sempre associadas a uma hiperdosagem ou ao uso prolongado do medicamento. Por isso, o uso da cloroquina sem prescrição e sem acompanhamento médico é apontado por especialistas como arriscado, especialmente para pacientes com problemas cardíacos. Na França, desde 27 de março, 54 doentes de Covid-19 tiveram problemas cardíacos que foram relacionados à hidroxicloroquina. Quatro morreram. Cardiopatias, aliás, são a comorbidade mais comum entre os infectados por coronavírus que foram a óbito – elas estão presentes em 50% dos casos. Dois professores ingleses, um de Oxford e outro de Birmingham, alertaram recentemente, no The British Medical Journal, para os danos potenciais que o uso da substância pode causar ao coração, em especial se associada à azitromicina,

Qual é a recomendação do Ministério da Saúde para o uso da cloroquina?

O Ministério da Saúde recomendava inicialmente o uso cloroquina ou da hidroxicloroquina apenas para pacientes de Covid-19 em estado grave, internados em unidades de terapia intensiva. No fim do mês passado, em meio à pressão do presidente Jair Bolsonaro e após consultar especialistas, o ministério autorizou a oferta do medicamento a pacientes hospitalizados fora da UTI, desde que haja prescrição médica e autorização do paciente ou de um familiar. Nesta semana, o ministro disse que não mudará o protocolo antes de “evidências científicas mais robustas” sobre segurança e eficácia da droga para pacientes leves, mas afirmou que médicos têm o direito de receitar esse tratamento, assumindo riscos e eventuais responsabilidades. Mandetta tem dito que, por ele, a orientação oficial só mudará se as entidades médicas chancelarem a orientação. A expectativa é que haja uma definição sobre o uso ambulatorial da cloroquina até o dia 20. A posição do ministro em relação a esse tema é uma das razões dos entreveros que ele e o presidente Jair Bolsonaro tiveram nas últimas semanas.

O que defende o presidente Jair Bolsonaro?

O presidente defende a ampliação do uso da cloroquina para todos os pacientes com sintomas de Covid-19. Para Bolsonaro, o tratamento com o medicamento é a forma mais eficaz de salvar vidas no momento e permitir a flexibilização do isolamento social no país e a redução dos danos da crise sobre a economia.

Qual é a polêmica do momento no Brasil sobre a cloroquina?

Um grupo de médicos, pesquisadores e operadoras de saúde defende o uso precoce do coquetel com cloroquina para pacientes com sintomas leves de Covid-19 que não precisaram ser internados. Eles argumentam que a medida diminuiria a demanda por leitos, deixando mais vagas para os pacientes graves, e que o tratamento dura de cinco a dez dias de medicação, com baixa incidência de efeitos colaterais. Estudos preliminares apontam que, a partir do quinto dia de sintomas, o quadro respiratório se agrava e a eficácia do medicamento já é reduzida. Nise Yamaguchi, a imunologista que foi chamada nesta semana para integrar o gabinete de crise do governo, defende a medida. Para ela, a partir das evidências terapêuticas, já há a chamada “prova do conceito” de que o tratamento é eficaz e o momento crítico da pandemia exige que as regras sobre uso de substâncias não comprovadas cientificamente sejam flexibilizadas.

Por que a uso da cloroquina no combate ao coronavírus causou uma polarização política no país?

Especialistas atribuem a polarização política sobre a cloroquina ao fato de o presidente Jair Bolsonaro ter apresentado o medicamento como alternativa ao isolamento social no combate à pandemia. Muitos passaram a ver a cloroquina como o “remédio de Bolsonaro”. Mas mesmo médicos que defendem o uso da substância em pacientes com Covid-19 reiteram a necessidade da quarentena decretada pelos estados. Em tempos de polarização, a pauta técnica sobre a eficácia do remédio se misturou à pauta política. Médicos que defendem a ampliação do uso da substância viraram celebridades da direita no Brasil e no mundo. Pesquisadores que estão engajados em comprovar cientificamente a eficácia da cloroquina passaram a ser alvo de ataques de grupos de esquerda, inclusive de colegas médicos e cientistas. Disputas à parte, os especialistas sérios continuam a recomendar o isolamento social como a medida mais adequada para evitar a contaminação pelo coronavírus. Além disso, é sempre bom lembrar, a automedicação pode causar sérios danos à saúde. Enquanto ainda não há certeza sobre a real eficácia do remédio mais falado do mundo nos últimos tempos, trata-se de seguir as orientações das autoridades sanitárias, até que elas próprias se livrem das dúvidas.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

Só R$ 1,90* no primeiro mês

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

*depois, 11 x R$ 14,90

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Até quando a intervenção política em todos os assuntos da sociedade que vão de vírus até a Salvação religioso da humanidade? uma confusão de conceitos e autoridade que dá um nó na cabeça!

  2. Acabou o espaço para os comentários dos leitores nas notícias do "Diário"? Caso positivo, é uma pena! Ali havia a oportunidade de um mútuo conhecimento entre os leitores - assinantes - e a própria Crusoé que, cada vez mais, se confunde com O Antagonista, o que é uma pena.

    1. Acabou sim. Vc conhece ou sugere outra revista que tenha um fórum de discussões/ comentários?

  3. Em 1918, em pleno surto da mortífera gripe espanhola, foi recomendado por renomados especialistas sanitários o uso do quinino para combater qualquer tipo de vírus. Hoje, com o remédio melhor desenvolvido ainda é tido com ceticismo tendencioso. É um absurdo colocar lentes políticas em análises clínicas. Há alguém pagando caro pela disseminação do pavor. A quem interessa esse terror?

    1. Em 1.889, ano do golpe que instituiu esta ré-pública, tramada aqui, em Campinas, e deflagada no Rio de Janeiro, de onde veio, segundo relato feito pelo historiador Jorge Alves de Lima em "O retorno da serpente" o vírus da febre amarela que matou 1/3 da população da cidade. Meu avô, órfão de pai médico, ficou aos cuidados de um dos heroicos médicos que não fugiram para São Paulo e me contou que o único remédio que ministravam era o quinino recomendado pelo botânico Joaquim Corrêa de Melo.

  4. Quando a Sífilis era um flagelo entre a década de 40 e 50, houve também grupos de médicos que não acreditavam na Eficiência do Benzetacil, seus pacientes continuaram sifilíticos sofrendo, os que acreditaram ainda deve ter sobreviventes.

    1. Deve ser pela falta de compostura de muita gente que comentava ali e confundia o espaço de comentários dessa conceituada revista com o banheiro de sua casa! Para tudo exste um limite, até para a liberdade!

    2. Realente uma decepção. Vamos acompanhar e esperar que revertam esta infeliz decisão. Outra possibilidade é que acabem com os comentários na edição da semana também . Censura só é ruim para que é censurado.....

    3. Quem patrocina a Crusoé somos nós que pagamos nossas assinaturas. Esse gesto da Crusoé escancara sua desonestidade

    4. Porque estávamos incomodando a Crusoé ou, quem esta patrocinando a revista. Lamentável.

    5. Talvez a Crusoé cedeu ao$ $ensívei$ argumento$ de intere$$ado$ em calar quem pensa

  5. O estagiário da Foia de sp e uoi desligou os comentários no diário do blog de repetição de noticias negativas sobre o brasil.

  6. Não consegui entender porque, nesse texto que se propõe lacrador, o autor omitiu o principal: o uso da hidroxicloroquina no estágio inicial da infestação, procedimento esse que comprovadamente salva as pessoas.

  7. Hoje a operação é de guerra. Se a imensidão de especialistas atestam que o uso da Hidroxicloroquina + Azitromicina e Zinco dão resultados satisfatórios, os estudos avançadaos devem ficar para a frente. A situação hoje é salvar vidas !!!

  8. Estratégia do Bolsonaro para combater o vírus: mais de 150 milhões de pessoas contaminadas e cerca de 1.5 milhão de mortos. Estratégia dos governadores e do Mandetta que será demitido: cerca de 400 mil contaminados e ao redor de 44 mil mortes. Qual das suas vocês preferem? Há ainda alguma dúvida?

    1. José, fico pensando de onde você tirou esses números. Já sei: do modelo proposto pelo Imperial College of London! Caso você não saiba eles já confessaram o erro absurdo que cometeram. O 1% de mortes de que você fala são calculados sobre 2% do total de infectados que precisam ser internados. Com uma regra de três simples vc verá o absurdo de seu argumento. Por fim, a estratégia de Bolsonaro é a mesma da Coreia do Sul, por exemplo, que controlou os efeitos da epidemia isolando o grupo de risco.

  9. Isto não terá que ser feito MAIS CEDO ou MAIS TARDE? Diante do FATO de que não há até agora TRATAMENTO COMPROVADO contra o COVID-19, isto não torna o TESTE acerca da EFICÁCIA DA CLOROQUINA INEVITÁVEL? Se há VIDAS EM JOGO, pq ADIAR a COMPROVAÇÃO sobre a EFICÁCIA ou não? Se ela se DEMONSTRAR EFICAZ, para que ISOLAMENTO HORIZONTAL?

  10. A ÚNICA EXIGÊNCIA não deveria ser que a CLOROQUINA fosse ADMINISTRADA por um MÉDICO que tivesse CONDIÇÕES de IDENTIFICAR que o PACIENTE é do GRUPO DE RISCO e não é CARDÍACO? Além do mais, o GRUPO DE RISCO já não constitui uma FRAÇÃO DA POPULAÇÃO que possui MAIOR CHANCE DE MORRER? No MÍNIMO não se poderia SELECIONAR INDIVÍDUOS DO GRUPO DE RISCO dispostos a ADOTAR o TRATAMENTO pela CLOROQUINA e nesta PARCELA se MEDIR qual é a TAXA DE MORTALIDADE?

  11. Portanto, já que no GRUPO DE RISCO a TAXA DE MORTALIDADE já é MAIOR, isto significa que se a TAXA DE MORTALIDADE com a APLICAÇÃO de CLOROQUINA ficar dentro dos NÍVEIS DA TAXA GERAL DE MORTALIDADE ou abaixo desta, que há uma CHANCE MAIS do que RAZOÁVEL de que ele tenha EFICÁCIA CONTRA o CORONA. Fora os PACIENTES CARDÍACOS, há CONTRAINDICAÇÃO do USO DA CLOROQUINA? 14 DIAS não é um PRAZO CURTO para se considerar como USO PROLONGADO? Portanto, são NECESSÁRIOS TESTES CLÍNICOS RÍGIDOS e CONTROLADOS?

  12. O GRUPO DE CONTROLE já não EXISTE, pois dada a TAXA DE MORTALIDADE verificada até agora, não se deveria esperar que a APLICAÇÃO da CLOROQUINA levasse a uma REDUÇÃO no NÚMERO DE MORTOS, independentemente de SUBNOTIFICAÇÕES, pois se ela for APLICADA somente nos INDIVÍDUOS DO GRUPO DE RISCO, a TAXA DE MORTALIDADE neles já deveria ser MAIS ELEVADA, ou seja mesmo que haja SUBNOTIFICAÇÃO, seria RAZOÁVEL esperar que a CLOROQUINA tivesse um EFEITO GRANDE caso fosse EFETIVA contra o CORONA.

  13. Inclusive, neste SEGMENTO ESPECÍFICO, haveria uma CORRELAÇÃO dela com a DOENÇA CARDÍACA, o que MACULARIA os RESULTADOS e os tornaria IMPRESTÁVEIS. No entanto, EXCLUINDO-SE os PACIENTES CARDÍACOS, há alguma CONTRAINDICAÇÃO para que ela seja ADMINISTRADA aos DEMAIS PACIENTES DO GRUPO DE RISCO? Os EFEITOS ESPERADOS não seriam só ESTABILIDADE ou REDUÇÃO no NÚMERO DE MORTOS, uma vez que os IMPACTOS dela no ORGANISMO já são conhecidos pelo fato de ela ser utilizada em LARGA ESCALA contra a MALÁRIA?

  14. No MÍNIMO só se poderia determinar a EFICÁCIA DA CLOROQUINA se fossem COMPARADOS INDIVÍDUOS do GRUPO DE CONTROLE e DE TRATAMENTO que fizessem parte do MESMO GRUPO DE RISCO. Mesmo que ela tivesse EFEITO em COMBATER o CORONA VÍRUS, fora do GRUPO DE RISCO estes seriam MENOS RELEVANTES. Portanto, o INTERESSE em torno da CLOROQUINA deveria estar nos EFEITOS dela sobre os INDIVÍDUOS do GRUPO DE RISCO e os CASOS MAIS GRAVES. Só que no caso de PACIENTES CARDÍACOS ela teria uma CONTRAINDICAÇÃO.

  15. Em essência o EFEITO da CLOROQUINA nos INDIVÍDUOS que estão FORA DO GRUPO DE RISCO é IRRELEVANTE, pois mesmo que eles tivessem RECEBIDO o MEDICAMENTO, em tese a TAXA DE MORTALIDADE entre eles seria MENOR, ou seja, há uma CORRELAÇÃO entre o INDIVÍDUO não ser do GRUPO DE RISCO e ele SOBREVIVER, portanto, a EFICÁCIA da CLOROQUINA nestes casos sofreria uma "INTERFERÊNCIA" EXTERNA decorrente da MENOR PROBABILIDADE de o INDIVÍDUO vir a MORRER.

  16. Informações não atualizadas : 1 Vide este Documento do FDA de 08/04/2010 : https://www.fda.gov/media/136832/download neste documento o FDA disponibiliza a hidroxicloroquina em estoque para uso segundo critério do médico. 2.O Antagonista já citou um estudo do Prof Raoult com 1006 pacientes . O Antagonista indicou os links aonde pode ser feito o download do Sumário e da Tabela Resumo deste estudo.

  17. "Na França, desde o dia 27 de março , 54 doentes COVID 19 tiveram problemas cardíacos que foram relacionados à hidroxicloroquina.Quatro morreram." Incrível! Perguntas óbvias: os 50 sobreviveram? Os problemas cardíacos "relacionados" foram comprovadamente causados pelo remédio? O que aconteceu com a linha editorial desta revista? Qualquer um que ler a bula de qualquer antibiótico fica com receio das dezenas de efeitos colaterais! O médico prescreve, o paciente aceita, ou não! Simples.

  18. Eheheheh cusoé... acabei de ver ! Quando há uns tempos atrás 99% dia comentários eram positivos...eram bem-vindos, não era mainardi e sabino? Agora que a maioria dos comentários são de críticas à à lambeção de saco do covidoria (também conhecido como Doriana) agora fecharam o acesso a comentários...suportar a discordância é duro... eheheheh grandes demo cratas!

    1. Verdade, arregaram para os comentários. Que feio, vou dar um tempo para ver se voltam a aceitar comentários no diário, caso contrario, me pico.....

  19. Excelente matéria jornalística!Parabéns a Crusoé!Que Deus nos ilumine a todos e um abraço fraterno em agnósticos e ateus!

  20. É inominável transformar em disputa político-ideológica a investigação sobre a eficácia de uma medicação contra a Covid 19, quando uma verdadeira ideologia há de consistir em querer o bem da humanidade.Que Deus nos ilumine a todos e um abraço fraterno em agnósticos e ateus!

  21. Ótima reportagem!!! Mostrou os dois lados da moeda e não uma torcida como li em outros lugares fazendo da cloroquina a salvação da Pátria. Creio mesmo que ela poderá ajudar em muitos casos em outros não por isto não é uma situação de cloroquina ou isolamento e sim de cloroquina e isolamento e outros medicamentos que por certo aparecerão.

  22. De fato se politizou a utilização de im remedio que esta a 70 anos à disposição do público, agora com exigência de receita , não sou médico para avaliar sua eficácia, mas creio que qualquer tentativa é valida quando se trata de salvar vidas em uma pandemia cuja cura se desconhece, como na segunda guerra em que se usou a penicilina que também tinha efeitos colaterais mas que salvou muito mais vidas do que ceifou!

  23. PARABÉNS, a melhor resenha sobre a celeuma comunista sobre salvar ou não salvar as pessoas condenadas pelo covid19 com o uso da cloroquina. VAMOS BOLSONARO, VAMOS SALVAR O BRASIL DA PANDEMIA!!!!!!

  24. Se tantos milhares já usam a cloroquina, porquê não se faz um levantamento da situação destes usuários e se estabelece a relação de contaminação ou não virus, quando comparadas com pessoas que não usam o medicamento ? Não parece óbvio ?

  25. Respondendo só a última pergunta da matéria: a falta de compromisso para com a disseminação de notícias capciosas, permitiram, em grande escala, por falta de argumentação, um ataque desproporcional ao medicamento, velho conhecido e potencialmente inofensivo, vendido "em budega de esquina" contra a malária, mas, para os formadores de opinião da nossa imprensa, um veneno mais letal que o vírus a ser combatido. Essa imprensa militante destrói e contamina uma sobrevivência, mesmo em tempo de crise.

  26. È DIFiCIL dar o Braço a torcer né CrusoPSDBé? O PRESIDENTE BOLSONARO TA CERTO È so falar nao doe nada isso é pelo BRASIL seu FDP

  27. Quer dizer que os especialistas sérios são somente os que recomendam isolamento social. Os demais são moleques? Inexistem Alternativas?

  28. Minha mãe tem artrite reumatóide e toma o Reuquinol (hidroxicloroquina) há 15 anos, completou 90 anos, felizmente. O texto do Fábio Leite é bem pesquisado, até o momento, parabéns! Os efeitos colaterais do Reuquinol são os que qualquer medicamento tem. Até café mata do coração, se eu tomar 2 litros. É só regular a dosagem.

  29. Os médicos da linha de frente continuam usando cloroquina quando contraem o Covid 19, alguns tomam dose menor preventivamente para impregnar e aumentam a dose no caso de sintomas ou testar positivo, provavelmente o que fez o coordenador de SP no combate ao coronavírus e que não quiz estranhamente falar sobre o assunto.

  30. Ninguém de bom senso acredita que a cloroquina seja a "tábua de salvação" para a pandemia. Trata-se, simplesmente, de salvar vidas e aliviar as UTI's. A pandemia irá cumprir os desígnios da natureza até que as pessoas adquiram imunidade. Não há um modelo científico válido para todo o mundo, cada lugar sem suas peculiaridades. Os governantes têm que tomar decisões, mesmo na ausência de um modelo "científico". Há muita gente apostando no caos, desdenhando o bom-senso e criando cizânias.

  31. Esta revista virou um pasquim de esquerda que torce contra Bolsonaro e contra o Brasil. Fraude Para cancelar sua assinatura entre em contato: WhatsApp: (11) 98832-6003 De segunda a sexta das 9h às 18h *Atendimento exclusivo por mensagem de texto. Telefone:(11) 4003-3759 (custo de ligação local) De segunda a sexta das 9h às 18h

  32. Reportagem esqueceu de publicar os resultados apresentados pelo Dr Didier ao Macron e ao mundo? 1061 pacientes com 0,47% de mortalidade. Tx mortalidade na França é de 14,5%. Resultado positivo assombroso do uso do coquetel. Crusoé totalmente tendenciosa . Triste. Era dos últimos Redutos da honestidade no jornalismo, ERA! Já cancelei a renovação da minha assinatura.

  33. [email protected] Este é o EMail pra solicitar cancelamento de assinatura, ou cancelamento de renovação automática da assinatura. Infelizmente, tive que cancelar. Não aguento tanta parcialidade e valorização de gente desonesta. Além de uma perseguição desproporcional ao Presidente da República. Crusoe, fica com o Dória, Rodrigo Maia, Alcolumbre, Xi Jinping, ONGS, etc... ADEUS.

    1. Obrigado pela dica do e-mail pra sair da revista. Tô pensando seriamente!

  34. Diogo Mainardi é a peça fundamental pra que eu não renove minha assinatura. Não que eu tenha Guru, mas me sentia representado quando via seus comentários. Agora percebi que até ele tem preço.

  35. oxalá minha assinatura acaba mês que vem. Nunca mais assino porra nenhuma, já desencanei, pensei que depois de 16 anos assinando Veja finalmente teria uma imprensa isenta. Mais uma vez fui iludido e dessa vez a traição foi fundamental pra mim desacreditar nessa merda toda. Diogo Mainardi

  36. O remédio então é o suicídio agora, antes de sermos infectados, já que não teremos tempo pra esperar a Fiocruz concluir seus estudos científicos. "Adeus mundo cruel"

  37. Impressionante. Tanto texto, tanta pesquisa, e o viés pró-vírus persiste. Citações contra exageradas ou distorcidas. A favor, pela metade ou distorcidas. Já estava lendo Antagonista e Crusoe pelo hábito e até vencer a assinatura. Depois do comportamento Globo-Folha-Veja no editorial da pandemia, de aumentar a participação do Felipe Moura Brasil e de perder (ela eh esperta, sentiu a mudança no editorial e fugiu) a Ana Paula Henkel, só esperando vencer a assinatura. 2014 a 2019 foi impecável. Tks

    1. [email protected] Este é o EMail pra solicitar cancelamento de assinatura, ou cancelamento de renovação automática da assinatura. Infelizmente, tive que cancelar. Não aguento tanta imparcialidade e valorização de gente desonesta. Além de uma perseguição desproporcional ao Presidente da República. ADEUS.

    2. Tem razão Marcos. Se continuar assim, também vou interromper as minhas assinaturas. Crusoe? Antagonista? Quem comprou voces?

    1. É mesmo! será que a Crosue não ficou sabendo desse furo..é conveniente ficar muda quando há alguém a proteger! Até tu Brutus...

    2. Até que gostaríamos de uma investigação da Crusoé sobre este fato lastimável quem sabe ela nos atende.

    3. O envolvimento desse chinês só aumenta a polêmica em torno da teoria da conspiração de que o vírus teria sido criado pelos chineses, com fins lucrativos.

  38. Novo estudo francês com mais de mil pacientes tem taxa de 91,7% de melhora e cura da Covid-19 com cloroquina. LINK -->> https://www.jornaldacidadeonline.com.br/noticias/19840/novo-estudo-frances-com-mais-de-mil-pacientes-tem-taxa-de-917-de-melhora-e-cura-da-covid-19-com-cloroquina

  39. Fabio Leite só não escrever alguns impropérios porque meu parco conhecimento me impede. Mas vamos fazer como o ANTAGONISTA preconiza, fazer teste! 400 pessoas: Quem vocês escolheriam para tomar CLOROQUINA e quem tomar PLACEBOS Com certeza os que não tomarem entrariam na estatística de mortos. Em plena pandemia nenhum cientista faria essa pesquisa pois ela neste momento é anti etica , como disse Dr.Paolo Zannoto cientista e varios outros.Parem de terrorismo.Eu preferiria usar a não usar.

  40. Não existe um remédio ou erva medicinal que não tenha algum risco para a saúde de alguém. Até água pode causar algum mal. Em tudo na vida, basta seguir a orientação médica e pronto.

  41. o que pode ser contra-indicado para os estados do sul e do sudeste, que enfrentarão temperaturas mais baixas quando começar o inverno. O isolamento NÃO é uma solução; é uma estratégia que deve ser regulada para evitar que o custo de vidas não seja ainda maior em face das implicações na economia do país. O isolamento indiscriminado, pois, é totalmente não recomendado e sua defesa denota ignorância ou má fé.

  42. A recomendação sobre o afastamento social omite a principal informação - seu objetivo: achatamento da curva exponencial da progressão do surto, de modo a que o número de pessoas que demandem UTI e respiradores mecânicos não ultrapasse o da capacidade de atendimento. O objetivo não é reduzir ao máximo a velocidade do surto, mas efetuar uma infestação controlada, por um lado, e dar tempo de o Estado aumentar a capacidade de atendimento, pelo outro. A quarenta ferrenha só adia a infestação - o que

  43. Excelente matéria! Muito informativa, completa, trazendo referências de outros paises e abordando todos os detalhes sobre a cloroquina. Com isso, cada leitor consegue construir sua opinião sobre o assunto.

  44. Se vocês pesquisarem a substância também foi usada na Gripe Espanhola, há 100 anos, no entanto, somente a usaram no final do surto.....

  45. Já que os dois renomados médicos utilizaram a cloroquina e azitromicina, por que nós, os mortais do grupo de risco, não a usaremos? Em tempo da ressurreição, não vamos aguardar até o terceiro dia para nós salvar.

  46. É incrível como, mesmo após uma reportagem detalhada sobre os estudos, os jumentos boldonaristas ignoram todas as evidencias e testes como “má fé” com o remédio sagrado do Bozo. Nem devem ter lido, ou são analfabetos mesmo. Pq ELES não tomam o lugar de médicos e cientistas??

    1. Também sou médica e concordo plenamente com o colega. Ótima observação.

    2. Favor assinar um documento afirmando que, caso tenha Covid-19, não quer que utilize hidroxicloroquina e azitromicina no tratamento para zerar a carga viral. Sou médico e assim como outros, David Uip e Kalil, utilizaria a associação. Vocês são um bando de hipocritas que, na hora da verdade e antes mesmo de iniciar a dispneia, vão implorar de joelhos por hidroxicloroquina e azitromicina.

    3. Por favor assine um documento afirmando que, caso tenha Covid-19, não quer que seja utilizada a associação hidroxicloroquina e azitromimicina para zerar a carga viral. Sou médico e assim como outros, David Uip e Kalil, utilizaria essa associação. Vocês são um bando de hipócritas que, mesmo antes de iniciar a dispnéia, vão implorar pelo uso de hidroxicloroquina e azitromicina.

  47. Concordo com o Luiz. Quem é contra que recuse seu uso em caso de necessidade. Eu aceito utilizá-la pois até os médicos, ditos Bam Bam Bans, na hora que contraíram a doença e se depararam com o medo da morte correram para os braços da cloroquina como foi o caso de David Uip e kalhil.

  48. Muito tempo atrás, eu gostava de ler bulas de remédios. Hoje em dia não leio mais. Se eu ler, não tomo o remédio, são muitos os efeitos colaterais mencionados nas bulas. Quem está doente deve confiar no médico, se não confia, troca de médico.

    1. A bula, entre outras coisas, serve para respaldar juridicamente o laboratório. Colocam até efeitos adversos que não existem para não responder processos. Só oligofrênico não percebe isso.

  49. Boa reportagem. É uma "flor do pântano" que se tornou esse folhetim (que, seja registrado, já cancelei a renovação - espero que vcs quebrem, viu?). Do resto, entre a morte certa e a incerta, fico com a segunda e aceito de bom grado a cloroquina se for acometido do vírus chinês.

    1. vou renovar só de mau....quebra não...gado não lê...só muge e balança o rabinho

    2. Sempre tem um gado imbecil anunciando q vai cancelar. Eles não vão quebrar, vão ficar mais fortes

  50. A experiência com os homens jovens efortes acometidos por Malária, causada pelo Plasmodiun vivax é muito boa. Tratar precocemente os pacientes com sinais e sintomas do Covid-19 é válido. Restrição aos pacientes cardiopatas

    1. Parabéns cientista. Aonde vc publicou seus resultados?

  51. Vocês sabiam que soldados nas guerras (Vietnã, Coréia, Afeganistão e outras tantas) recebiam, para uso, cocaína? Hoje muito combatida, e sua venda é crime, mas em guerras não. Exceções às regras, o "CARONA" (ZOINHO), veio pra ficar. Quem ele não infectou, passará assim mesmo, mas não mata por si só. É um complicador para quem tem problemas de saúde - idosos e outros. Quem passou pela "gripe asiática" sabe: o recomendado era o LIMÃO. Chupavam até as raízes. Cloroquina neles e #TEMOSQUETRABALHAR.

  52. Li muitos dos comentários abaixo, a maioria deles confirma as primeiras linhas da matéria, virou “paixão” bolsochavista, não há a menor racionalidade. A verdade é que leigos relativizam os efeitos adversos que poderão ocorrer mas um médico, um diretor de hospital, um secretário ou um ministro da saúde não podem correr o risco de administrar uma droga sem comprovação científica. CIÊNCIA, tudo que os terraplanistas odeiam.

    1. Nossa, quanta sabedoria desse petista arrependido, ora isentão. Realmente a cloroquina é um remédio novíssimo, inventado apenas para combater o vírus chinês. A ciência a desconhece totalmente. Que perigo. Eita!!!!

    2. A CIENCIA tb tem deixados experiencias negativas . É por isso q se espera. Alem disso sao estudos preliminares.

    3. A CIÊNCIA vem deixando evidências positivas com relação ao uso da hidroxicloroquina contra o Covid-19. Estamos numa guerra e não podemos esperar 6 meses, 1 ano para sair papers bonitinhos. A guerra é agora.

  53. Não há nada mais imbecil que politizar uma discussão que deveria ser exclusivamente científica. Estamos falando de vidas humanas.

  54. na hora que a coisa aperta, observe que até o secretário da saúde do Dória e médico do Lula não pestanejaram em tomar o remédio, pois conhecem bem os riscos e benefícios. Covardia é estarmos politizando esse debate enquanto pessoas morrem mundo a fora. Lamentável ver a imprensa não se posicionar a respeito da vida.. tem muito jornalista sonhando em ter a sorte da “Vera Magalhães “ pelo jeito..

    1. Vc tem deficiencia mental e não consegue ler? A droga ESTÁ sendo usada. Seus efeitos ainda estao sendo estudados e nao se pode afirmar q “salva vidas”.

  55. Faço uma proposta: repórteres da extrema imprensa devem abrir mão do uso do tratamento com hidroxicloroquina/azitromicina/sulfato de zinco, afinal, "os efeitos colaterais são devastadores" (sqn). Do meu lado, se desenvolver os sintomas quero ter essa chance e não abro mão. Não vou esperar estudo conclusivo nenhum.

    1. a ciência é morosa demais... já o corona, é rapidíssimo... se eu pegar essa peste, vou exigir cloroquina. Seguro morreu de velho..

    2. Veronica e Maria o nivel de jumentice no comentário de vcs é assustador. Uma reportagem completa sobre os estudos da droga e vem jumento bolsonarista falar de governo. Assumam vcs as pesquisas

    3. Você é imbecil ou pulou a parte dos efeitos colaterais, incluindo arritmia e morte?? São falsos?? Apresente suas provas entao! Diga q eles mentiram! Se vc quiser, tome! Mas se acontecer algo, não culpe os médicos!

    4. Boa Luiz! Pois na hora que a coisa aperta, observe que até o secretário do Dória e médico do Lula não pestanejaram em tomar o remédio, pois conhecem bem os riscos e benefícios. Covardia é estarmos politizando esse debate enquanto pessoas morrem mundo a fora. Lamentável ver a imprensa não se posicionar a respeito da vida.. tem muito jornalista sonhando em ter a sorte da “Verá Magalhães “ pelo jeito..

    5. Luiz está certíssimo tem governador querendo que morram mais pessoas, tanto que tem publicação no Diário Oficial obrigando médicos atestar qualquer morte como tendo sido por coronavírus, para culpar Bolsonaro, inclusive, não queria o uso do medicamento cloroquina.

  56. A Hc vai aliviar o sistema de saúde em 2 semanas . O número de mortos deverá ser reduzido . Mas ainda deveram ser mantidos todos os cuidados . Paz e Saúde a todos .

  57. Caro jornalista Fábio Leite, agradecendo pela pesquisa, para atualizá-lo, caso queira, indico-lhe mais fontes: https://www.thelancet.com/journals/laninf/article/PIIS1473-3099(03)00806-5/fulltext (2003); https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC1232869/ (2005); https://www.youtube.com/watch?v=KzvJx1RRCtc (s/uso profilático); https://www.gazetadopovo.com.br/vida-e-cidadania/cientistas-brasileiros-pedem-liberacao-da-hidroxicloroquina-para-todos-com-coronavirus/

  58. O Brasil falhou em não testar viajantes entrantes no país antes principalmente da China, já em janeiro/20. Além disso, deixou solto o Carnaval e depois optou pela não aglomeração de pessoas trabalhadoras, pura hipocrisia. Se Bolsonaro tivesse optado pela Quarentena Horizontal, a oposição liderada pelo Governo de São Paulo e capachos faria a Vertical por puro capricho. Não estão vendo o problema do Povo e sim seus estados e municípios quebrados querendo mais recursos.Sem falar do uso de máscara.

    1. orgulho de ser Cearense... Bozo levou uma surra no NE....agora embalem a bosta q colocaram no Planalto... não servia nem para porteiro

    2. São Paulo já começou a dar o troco, hoje teve manifestações com gritos de FORA DORIA, alguém precisa contar ao governador que não chega à presidência se não houver vitória em São Paulo, pelo jeito os paulistas não estão exatamente satisfeitos com esse governador!

  59. Os efeitos colaterais da cloroquina são nada comparado ao uso de antibióticos em geral. Absurda a politização quando milhares continuam morrendo.

  60. A Crusoé adora uma fofoquinha que possa prejudicar Bolsonaro, mas não falou nada sobre as manifestações em São Paulo contra o Dória. Assinarei a Revista Oeste, onde Ana Paula Henkel escreve depois de deixar a Crusoé. É uma revista com proposta de defesa do Capitalismo e do Conservadorismo.

    1. É inacreditável! O sujeito assina uma revista para ler somente o que vai de encontro com a sua crença, qquer informação isenta ou que abra o leque de opiniões é detonada pela extrema ignorância.

  61. Os efeitos colaterais da cloroquina são “light” se comparados a antibióticos de uma forma geral, é só ler a bula. Absurdo se apegar a isso para impedir o uso do medicamento. O que pode ser pior, correr sério risco de morrer ou tomar um medicamento com efeitos colaterais leves e passageiros e ter uma boa chance de não morrer? Esse é o ponto, a politização passa por cima disso, mesmo com milhares de óbitos pela frente.

  62. Pelos efeitos colaterais mencionados eles são muito menos agressivos do que os que você encontra ao ler a bula de praticamente qualquer antibiótico. Não precisa ser médico ou cientista para comprovar isto. Quando a questão entra no âmbito político perde toda a racionalidade, mesmo que envolva o risco de vida de milhares de pessoas. Lamentável!!

  63. Segundo o patético comentário (sim não passou de mero comentário essa semana), cloroquina não passa de “uma tigela de sucrilhos”. Pergunto: Crusoé está fechando as portas? O descaso conosco, assinantes, principalmente por parte do Diogo, está às escâncaras.

    1. Pronto. Agora apareceu o “isentão” cris para dar vexames ao tentar ensinar. Como se ninguém soubesse fazer juízo de valor e não houvesse entrelinhas. Já passou do pré-primário?

    2. Os Bolsonarista detestam verdade e isenção, pra eles se não aprovar todas as loucuras do “mito” não serve. A seita petista era um saco mas a bolsochavista além de chata é completamente irracional, credo!

    3. Alguém apostaria que Dr Kalil e Uip foram as únicas cobaias da droga ? Qual seria a razão de renomados médicos utilizarem a droga ? Dr Kalil, com sinceridade e gratidão agradeceu, Dr Uip, além de negar, ao não responder ao jornalista, levantou a bandeira de ir a justiça. Como não sou médico não entendi. Kalil ou Uip, um dos dois está errado. Lembrei do avião caindo. Todos os paraquedas existentes não tinham o selo do INMETRO. Qual seria sua decisão ? Era pegar ou largar. Situação semelhante !

  64. Muito bom o seu artigo. É um resgate da Crusoé ao jornalismo não tendencioso e confiável. Só politizaram o uso da cloroquina por causa do Presidente. Golpe baixo que pode custar muitas vidas.

  65. Crusoé ah! Crusoé . Qual pesquisa vocês da midia e Doutores da REDE BOBO querem? Aquela onde se tem 400 pacientes com COVID19: 200 tomam CLOROQUINA AZETROMICINA e ZINCO e os outros 200 PLACEBO. Qual será o resultado ? Com certeza os 200 do placebo morrerão. Vocês recomendaria essa pesquisa para vocês ou seus familiares com COVID19 HIPOCRISIA,MENTIRAS e CANALHICES CRUSOÉ. Já estão recebendo dinheiro para fazer matérias SENSACIONALISTA. Vergonha, como artistas FICA EM CASA e VÃO PRA RUAS

  66. CRUSOE, POR QUÊ VOCES NÃO INVESTIGAM A MUDANÇA DE COMPORTAMENTO DA MÍDIA, COM RELAÇÃO AO USO DE HIDROXICLOROQUINA? TEM VÍDEO DA GLOBO MOSTRANDO O USO DA HIDROXICLOROQUINA PARA PROTEGER FETOS, DO ZICA VÍRUS. UM REMÉDIO QUE PODE SER USADO POR GRÁVIDAS, NÃO PODE OFERECER RISCOS PARA O USO POR CINCO DIAS, NO CASO DO COVID. HA ALGO PODRE NO AR.

  67. Quem não está interessado na cura? Naturalmente os oportunistas inimigos do trabalho da ordem e da prosperidade do povo. O que interessa para eles é a tomada do poder para fazerem a farra do boi com o dinheiro do cofre!

  68. Os médicos que mentiram pra defender questões políticas deveriam ser caçados pelo Conselho de Medicina. Começem pelo Dr Uip

  69. A frase que vai matar mais que o vírus é: “não há comprovação científica” obviamente por questões políticas não se render às evidências e casos de sucesso no mundo inteiro virou bandeira anti Bolsonaro no Brasil, pouco importa se salva ou não. Está é a triste realidade

  70. O uso de derivados da cloroquina para combater o CoVid-19 está sendo feito com o método nenhum pouco científico chamado "tentativa e erro". Pode até dar certo, já aconteceu... Agora, porque não usar HOMEOPATIA, que é uma especialidade médica no Brasil e que ao longo dos últimos duzentos anos mostrou sua fantástica eficiência em epidemias muito mais graves do que essa? Pesquisem no Google, por exemplo, "gripe espanhola-homeopatia". Façam isso sem preconceitos e sentados, por segurança

  71. Saldo da matéria: usar cloroquina com acompanhamento médico no início da doença é mais eficiente, cura as pessoas (e elas ficam imunes pra teabalhar e conviver), evita o agravamento da doença, economiza leitos de UTI e é barato. Ou seja, SALVA VIDAS! A consequência, depois de SALVAR VIDAS é salvar a economia, os empregos! Mas uma consequência ruim para a esquerda é a torneira fechada dessa gastança toda sem licitação e a suspensão dos reinados dos tiranetes.

  72. Pois é. Boa matéria. Mas Crusoé TINHA que ilustrar a matéria com uma embalagem de Cloroquina do laboratório EMS, né? Logo esse, que era o maior cliente de Zé Dirceu e da petralhada e que está dando uma rasteira nos demais, inclusive no Apsen, na importação do sal (substância básica) que JB conseguiu com exclusividade junto ao Governo da Índia. Depois não querem que tiremos certas conclusões...

    1. Smilei está certo, Mônica. Pode até ser coincidência, mas havia dois carregamentos já quase na pista do aeroporto, com destino ao Brasil, após acerto de JB com o Governo indiano. Um era do EMS e o outro do Apsen. No penúltimo momento, só o do EMS foi liberado. O dono desse laboratório foi o maior cliente de Zé Dirceu, em "palestras" e "cursos". E lucrou muito na era petista. Ainda tem muita gente aparelhada nos Ministérios. Burocracia pode ser mais eficiente que soldados ou que autoridades.

    2. Era só o que faltava associar o petista José Dirceu ao presidente Bolsonaro! A cloroquina é usada há 70 anos! Por coincidência um laboratório grande vende um medicamento antigo e barato. Isso é mais FOFOCA! Quem quer salvar vidas AGORA não escolhe de qual prateleira tirar o remédio. Criem vergonha nessas caras!!!

    1. Concordo plenamente com vc Paulo. Que gente estupida, o remédio indicado pra elas é o carbonato de lítio.

  73. Vou "dar" uma pauta bomba p/ vcs! Antagonista é "inteligente" e vai pegar essa se quiser ir atrás de algo consistente por trás de um "disfarçe" político nessa briga: Sabem quanto $$ p/ um laboratório habilitar a fabricação de um medicamento (mesmo já "velho" = Genérico) no Brasil?? Custos "oficiais" e não...Quanta burocr e enrolação? E agora vem um medicamento "velho", na MÃO DE 4 laboratórios SÓ para salvar a pátria? Ahh não mesmo!! 1° reparte esse bolo, caso contrário "não descem pro play" OK?

  74. Só para ficarem sabendo: este remédio, a CLOROQUINA, é o mesmo receitado em unanimidade no Brasil todo, inclusive pela Globo, para tratamento de mulheres gravidas com Zika. Naquele tempo, não tinha contra indicação nenhuma ao contrario, JÁ ERA UM REMÉDIO TESTADO E SEGURO. Oque será que mudou, Crusoé?!

    1. Eu não sabia que um canal de tv prescreve medicação.

  75. Faltou consultar médicos que atuaram e os que atuam corriqueiramente no uso desse medicamento fabricado e utilizado há mais de 50 anos. Lastimável.

  76. Bolsonaro como sempre estragou a farsa, médicos famosos sabendo da eficácia tomando e receitando pros seus clientes ricos, mas era segredo pra não estragrar a quarentena, o povo ,ora o povo fica em casa e não encham o saco...

    1. E lembrando, quem teria importado o Covid-19 à nossa querida tropicália? Certamente não foram os habitantes de comunidades como a da Maré! Foram justamente os clientes ricos de médicos famosos, os turistas com recursos para viajar pelo mundo! E me pergunto: serão estes os mais apegados e disciplinados seguidores desta quarentena que tanta angustia causa aos menos favorecidos? E que, pela lógica deveria ter começado por essa elite egoísta e egocêntrica? Quanta hipocrisia!!!

  77. se alguém tiver que ler a bula de qualquer medicamento, deixa de usa-lo. Seus efeitos colaterais são tão nocivos ao paciente ao invés da cura.

  78. Na bula da cloroquina é informado que de cada 1000 pacientes 1 pode sofrer arritmia, 0,1% , e isso se você tomar por longos períofos o que não é o caso em relação a covid19, sejam honestos, só pra variar.

  79. Ótima reportagem! Parabéns à revista, parabéns a Fábio Leite e a todos aqueles que contribuíram para nos informar com essa esclarecedora reportagem! Muito obrigada.

  80. essa revista, como a maioria da imprensa, tem a intenção de desacreditar a pessoa física do Governo com críticas rasteiras, vesga com o objetivo de tira-lo da presidência.

    1. vejo forte ranço ideológico que escorrega até mesmo para os cientistas, procurando ridicularizá-los

  81. Crusoé, em épocas de guerra, vc irá aguardar a CUT e as Centrais Sindicais dar o parecer favorável ao uso ? Vamos flexibilizar, é melhor tentar, do que morrer diante da gravidade. Sou do centro, achei a matéria direcionada para o radicalismo da esquerda.

  82. Um dos fármacos mais vendidos no mundo,a Sildenafila (Viagra) tem efeitos colaterais muito,mas muito piores, em tese, que Cloroquina.Se vc ler a bula, não toma.Assim, a maioria dos laboratórios éticos em seus estudos, antes de lançar um produto e a FDA antes de aprovar considera a ocorrência de eventos danosos. O PERCENTUAL de casos é que determina a contra indicação ou a precaução ao fármaco. Com tatos dados positivos e usado a mais de 60 anos, inexiste razão sólida p/o não uso. Só esquerdices.

    1. Com todos os estudos, estatísticas, exames, experiências, dados coletados por anos de testes exaustivos, que sabemos serem feitos pelos grandes laboratórios, qualquer médico dará mais peso à sua própria experiência clínica com o medicamento. Dele e de seus pares, especialmente grandes especialistas e renomados professores. E a resposta clínica da cloroquina, e sua derivação de radical c/ indicativo alcoólico (hidroxi) é satisfatória há mais de 60 anos no mundo, onde salvou milhões de vidas.

    2. Se um médico receitar um medicamento para dois pacientes e um deles vier a óbito por causa do produto, estatisticamente houve falência do remédio em 50% de seus casos,certo?Mas isso não autoriza o médico, no entendimento do que seja trabalho científico de farmacologia, a condenar a droga. Por isso é que os percentuais devem ser considerados num universo muito maior de casos tratados e repetidas vezes, sempre separando os pacientes testados por idade, sexo, situação social, comorbidades etc.

    3. Bem lembrado... Mas o marketing de um grande laboratório não divulgará os efeitos colaterais, só virá a imagem feliz de um casal cheio de orgasmos

  83. Dessa forma, a indústria de protege e deixa para o prescritor a responsabilidade. E como se a indústria dissesse: eu avisei...

  84. Bulas normalmente são feitas para proteger a população indústria farmacêutica.Muitos dos efeitos colaterais são relatados por pacientes tratados na fase clínica, mas podem não ter necessariamente relação com a droga testada. Exemplo: um paciente incluído no estudo pode relatar ideação suicida durante o teste. Isso não obrigatoriamente tem relação com a droga em questão, mas o pesquisador irá relatar nas conclusões do estudo.

  85. Gostaria de comentar o seguinte: o meu convívio diario com pacientes infectados pela covid-19 mostra que o uso do coquetel apresenta resultados poucos expressivos naqueles com quadro moderado a grave. No entanto, a experiência com pacientes oligossintomaticos ainda é pequena e ninguém pode afirmar nada até o momento. Com relação as bulas, o leigo interpreta o que le sem estabelecer relações casuais.

  86. Ninguem usou mais e mais vezes que o pessoal do exercito na amazonia nos ultimos 50 anos. Nunca reclamaram por isso sempre foi liberado até 15 dias atrás. Eu tomaria para malaria e para covid 19 tranquilamente.

  87. A Hidroxicloroquina vai se tornar um tratamento precoce no indivíduo com acesso a saúde privada, e o indivíduo do SUS só terá acesso na internação, infelizmente. Parece-me que o tratamento em grandes comunidades precisaria ser feito precocemente no próprio local. Não podemos esperar o paciente ficar num quadro mais serio para ser internado.

  88. Se vocês lerem a bula de qualquer remédio, com certeza não vai tomar. Então faça como eu, tome sem ler,e pronto estamos curados. Por outro lado, se morrer seu caixão vai ser lacrado de qualquer jeito.

  89. Lendo os comentários, imagino que ao atender um caso de Covid-19, só falta o profissional de saúde perguntar se o coronavírus do paciente é de direita ou de esquerda para instituir o tratamento adequado. A discussão resvalou para o ridículo.

  90. que desespero de achar um salvador da pátria tem a mídia e o Sr Bozzo... ate economista, porteiro, cabeleireiro estão especialistas em tratar COVID com cloroquina... medica de renome duvidoso e sensacionalista no topo da mídia... FioCruz? onde ficou? ciência aqui no Brasil não tem valor? Midia desesperada e Sr BOZZO que está competindo palmo a palmo com Dilmanta... Vamos la, senhores jornalistas..., vamos fazer jornalismo mais serio..., que foi o motivo de eu assinar este jornal.

  91. Antes de ficar se degladiando inutilmente, por que não lêem a bula e tentem imaginar que os idosos principalmente são polimedicados para diversas outras doenças. https://docs.google.com/viewerng/viewer?url=https://uploads.consultaremedios.com.br/drug_leaflet/pro/Bula-Farmanguinhos-Cloroquina-Profissional-Consulta-Remedios.pdf

  92. A linha editorial de vocês a respeito do covid-19 está me incomodando pela linha parcial ao não abordar o lado mais cruel de se interromper as atividades econômicas. Os autônomos, os informais, trabalhadores que não recebem assistência por não se enquadrarem nas regras de ajuda. O genocídio virá após o pronlogamento dessa situação absurda de impedimento do trabalho. Após o fim da quarentena esse vírus estará aonde ? Certamente no pulmão de alguém assim como o influenza ainda continua há tempos!

  93. Suponhamos a seguinte situação: eu pego uma gripe comum, no 2o. dia dos sintomas, como são parecidos com as da Covid-19, eu, por precaução, tomo o coquetel com Hidroxicloroquina. Passados poucos dias, eu pego a Covid-19. E aí? Eu posso tomar o coquetel de novo? A Azitromicina, por certo, eu não poderei tomar. E então, como é que fica?

    1. É, Marcus, da próxima vez que você ficar doente, não vá ao médico, não procure um hospital. Use seu “LIVRE ARBÍTRIO”. Asno.

    2. Você decide se espera ou não. O livre arbítrio é uma dádiva.

  94. Cloroquina faz mal.à.saúde ? Só pode ser alegação de comunista (esquerdista ) mesmo. Eles.não leem as bulas dos remédios controlados? Até sem.receita a cloroquina era vendida! Hipocrisia desses.esquerdistas!!! Ao adoecerem, serão os primeiros a utilizarem o único remédio que pode salvar dezenas de milhares de.vidas. Olha, a hipocrisia é tanta que cada médico que se coloca contrário, e cada esquerdista pode, inclusive , já ter hidroxicloroquina estocada em.casa para uso, se.preciso for.

    1. Brasil está doente a vinte anos FHC compra o congresso para releicao, Lula mensalão e petrolato, Dilma pedalada e Temer Friboi e Aécio?

    2. Todo remédio, dependendo de como é usado, pode fazer mal à saúde ou não. Do que é que você está falando?

  95. A dose que vem sendo ministrada por diversos médicos (quer no exterior como no Brasil), nos estágios iniciais é de 200 mg de hidroxicloroquina 2 X ao dia + 500 mg de azitromicina 1 X ao dia, durante 5 dias. O Dr. Zelenko em alguns casos receita 400 mg de HCQ nos 2 primeiros dias e no terceiro volta à dose de 200mg. Ele ainda usa Zinco 220 mg 1 X ao dia. Cinco dias não é tratamento prolongado, nem 200 mg é superdosagem. Os relatos de efeitos colaterais nesse período são mínimos.

    1. E se eu estava com gripe e tomei o coquetel, 10 dias depois eu pego a Covid-19. Posso tomar de novo? O Antibiótico eu sei que não pode. E aí?

  96. Espero que o autor desta matéria nunca pegue o coronavírua mas se ele pegar quero ver ele recusar o tratamento com este remédio ou será que ele vai fazer como os médicos do Dória que não aceitam que os outros utilizem mas qdo pegam a doença correm utilizá-lo?

    1. Eduardo, descansa, a receita da pode ser repetida sem riscos adicionais. O exército brasileiro usa a HCQ preventivamente , em sua incursões na selva, por até 1 mês.

  97. A politização da cloroquina é mais letal que o próprio vírus. Sou de uma região no Brasil, onde tem auto índice de malária, e todos são tratados com cloroquina. Conheço que pessoas que contraíram malária não uma só vez, mais 15, 20, e estão vivas até hoje.

  98. Conversei com um médico sobre o uso da cloroquina o qual que disse "dá resultado em uns em outros não"... Pra mim parece obvio, uma vez que o medicamento só é utilizado em casos avançados. Ficam discutindo sobre o uso, mas na hora que a água bate no joelho, aí até as mais altas autoridades de saúde se rendem ao medicamento. Acredito que, por tratar-se de um medicamento já liberado para humanos, a fase de teste já foi realizada e, caso eu esteja seja consultado, na minha vez eu vou querer.

  99. Minha esposa possui farmácia de manipulação. O que teve de médico conhecido que correu a ela para reservar a cloroquina para eles...

  100. Fábio Leite, vc esqueceu de mencionar e considerar que as farmácias de manipulação também possuem este remédio, algumas tem para atender até 500 pessoas, pois vendem normalmente para pessoas que tem lupos, etc. então, a qt total no Brasil é para muito mais que 400 mil pessoas.

    1. Verdade, muitas pessoas fazem uso dele .Faltou na pesquisa da matéria.

  101. Eu pergunto aos médicos que não aceitam receitar a hidroxicloquina como preventivo , o que vão fazer quando a pandemia se instalar nas favelas onde não tem jeito de praticar o afastamento social entre as pessoas ?

  102. Enquanto ficam discutindo quem é o pai da Cloroquina, tem muita gente morrendo órfão. Precisamos de quais evidências a mais, são dois grandes médicos renomados (um covarde e político por não assumir), que utilizaram e tiveram melhora significativas. Pra eles não há efeito colateral? Já está na hora desta vergonha nacional, liderada pelo Dr. Ditadória, terminar e todos os esforços e foco, do governo e da classe científica, devem estar para a pandemia e para o futuro do país.

  103. Bom artigo, mas a conclusão é controversa. Autoridades sanitárias são seres humanos falíveis e não detêm a última palavra . Em situação emergencial de grave ameaça à vida, o empirismo terapêutico tem seu lugar, devidamente embasado em evidências terapêuticas ainda sem envasamento científico sólido. Assim caminha a descoberta científica , sem amarras dogmáticas

  104. Tive que interromper a leitura já na metade. Não é verdade que o CDC retirou a orientação médica O orgão, que não tem nada a ver com a FDA, retirou a informação sobre a POSOLOGIA (dosagem a ser administrada), deixando isso ao critério de cada médico. Fica levantada a dúvida sobre a proficiência do sr. Fabio Leite no idioma Inglês. Nos EUA, o Dr. Zalenko está alternando as doses iniciais (200 ou 400mg) conforme a característica de cada paciente.

  105. Náo consigo conceber que alguns fanaticos fans do capitáo sáo capazes de imaginar que existe alguem torcendo "contra " a cloroquina!!!!??? Absurdo!!!! Qq pessoa que entenda que no caso de saude os procedimentos tem que seguir os passos historicamente estudados e com a urgencia que a situaçáo pede sáo taxados de esquerdopatas, comunistas, e que torcem contra?????.....isso tem que ter urgencia MAS DENTRO DA CIENCIA,,,nenhum medicamento pode ser aprovado por decreto porra

    1. Sai pra lá seu babaca, vcs esquerdas e isentões, preferem ver pessoas morrendo, a admitir que essa medição seja amplamente aplicada no tratamento de infectados, só pelo fato que o presidente defende essa medicação. Não vem se fazer de bonzinho não, vcs não merecem respeito, bando de vagabundo. Se estou sendo grosso, estou sim, a paciência acabou faz tempo...

    2. Eu gostaria de saber se o senhor MarcoA apresentasse neste momento os sintomas do covid, iria querer aguardar os resultados científcos da eficácia da cloroquina.

    3. É mesmo, MarcoA? Então vá ler os comentários do celerado Jose (sem acento, que toma no assento) e verá quantas vezes ele desdenhou sobre a droga e dos médicos que a ministraram. Agora que os resulatados positivos pipocam em diversos países e a própria Crusoé os publica, ele vai defecar digitalmente de que forma? Adicionalmente, peço que me responda: uma pessoa que defende a ridícula tese de que o Carniça foi o melhor presidente do Brasil, deve ser definida como? Democrata é que não!

  106. A reportagem e o repórter deixam transparecer, pelo conteúdo do texto, que estão torcendo para o remédio não ser eficaz no combate à doença, pois se ateve com mais ênfase aos pontos negativos dos ué defendem o seu uso, tratando como verdadeiros expertos os que têm dúvidas contra sua eficácia ou os que são totalmente contrários à essa terapêutica. A propósito, quando mencionaram a Prevent Sênior foi para apontar as mortes que ocorreram e não para dizer que elas cessaram com a cloroquina. Lamenta!

    1. Concordo plenamente com JOÃO e MARCELO, pena que está revista e seu site não estejam nem mais disfarçando, mudaram de lado!

    2. Na mosca João. Infelizmente a Cruzoé e o Antagonista mudaram sua linha de uns tempos para cá. Mas enfim, cabe a nós continuarmos firmes em nosso caminho defendendo no Presidente. Os que perderam a boquinha e a mamata do $$ fácil, vão ficar agindo e torcendo contra. O Povo? Que se lixe.

  107. Resumo da ópera: Quando são chamados a falar sobre o tratamento com a Cloroquina, a maior parte dos cientistas são muito céticos com relação ao medicamento, entretanto se forem contaminados pelo vírus correm para utiliza-lo! Vale o velho ditado: Pimenta nos olhos dos outros é refresco!!! No momento que for achado um produto, com resultado melhor, e mais promissor que a Cloroquina, ok, abandonamos a Cloroquina. Mas parece que o grande problema, é a associação do medicamento com o presidente!

  108. O artigo é o "politicamente correto". A mim chamou a atenção o "diferenciação do tipo de letras ao finsl" - não sei se para destacar chamando a atenção ou diferenciação do "politicamente correto" ?? - a política partidária é a preferência ou o nos e eles e a tônica a ser bem explorada. os fins justificam os meios.

  109. Cloroquina e hidroxicloroquina podiam ser comprada até em loja de conveniência de posto de gasolina. De repente passou a ser perigosa. Estranho, não?

  110. Essa matéria é bastante inócua... tenta ser isenta e não acrescenta nada! O problema é grave demais para tanta vacilação! A Crusoé e O Antagonista estão se perdendo no emaranhado ideológico... uma pena!

  111. Tudo bem, então qual o próximo passo? Temos que tomar o coquetel no segundo dia dos sintomas. Mas que sintomas? Tosse, febre, falta de ar? Cada brasileiro deve ter, em mãos, os remédios necessários, porque ninguém garante que encontraremos um médico ou que compraremos o remédio a tempo. Como isso será operacionalizado, vão distribuir de graça? Onde? Quando? E quem não tem dinheiro para comprar? Qual o tratamento? Qual a dose, por quantos dias tomar?

    1. Então, o jeito é não fazer nada, né Antônio? Deixa o povo morrer e toca o barco. Canalha.

    2. Ficar em casa em São Paulo, pelo jeito também não funcionou, depois de colocar 150 milhões nas ruas no maior carnaval do Doria! Conversa fiada!

  112. Parabéns a CRUSOE, pelo menos uma matéria isenta e sóbria, já estava parecendo a folha! Isto bem posto só leva a corroborar com minha opinião muito bem formada de que políticos como doria, Botafogo e ku lumbre, associados a banda podre do STF e governadores corruptos não estão preocupados com o povo e sim quem vai ganhar politicamente, não importa quantos morram! Dão uma de preocupados pra enganar o povao. Creio que seus discursos estão caindo por terra e retomada do poder e da corrupção minguou

  113. Se o remédio existe há 70 anos, é usado intensamente na região amazônica inclusive pelos militares que servem nas regiões de fronteira, será que não existe nenhum registro oficial sobre os efeitos dessa medicação ? Sou do Pará e lá vivi até 1959. Tive muitas recidivas de impaludismo. Não havia hidroxicloroquina. O tratamento era a base de injeções de quinino. Estou aqui, com a saúde normal de alguém com 85 anos. Deve ter muitos profissionais de saúde que participaram do Projeto Rondon por ai

  114. Fábio, pq hj a torcida do vírus fala tanto nos efeitos colaterais se esse remédio era vendido livremente sem necessidade de receita? Agora a ANVISA exige tudo bem! Só por esse detalhe vemos como há pessoas más nesse país!

  115. vamos fazer assim,quem for contra deixa por escrito que é para deixa lo morrer , mas não use a droga. Vamos começar pelos médicos e políticos.

    1. Vamos fazer o seguinte, quem é a favor do remédio vai pra rua aglomerar. O Brasil não pode parar!

  116. Não consegui continuar a ler a reportagem. Deu espaço a quem critica o uso do remédio, que pode salvar milhares de pessoas, chamando-o de remédio do Bolsonaro.

  117. A situação atual não é normal Se algo está funcionando, deve-se utiliza-lo sob rigoroso controle. Como é algo ainda em estudo, não pode ser adotado como política pública. Há de tudo nessa discussão, menos a vontade de salvar pessoas. É preciso entender que a situação é de guerra. Não há tempo para lari-lari.

    1. O pessoal que é contra o remédio do Bolsonaro comprou tudo antes, não sei se pra automedicação ou pra que os outros não tivessem acesso. O próprio Uipócrita já tinha o remédio 1 semana antes de pegar covid.

  118. A Prevent Senior milagrosamente ficará na história do Brasil. Que DEUS lhe dê vida longa e também aos seus profissionais. Amém!!!

  119. O coronavírus e a cloroquina: quando exigir consenso é um tremendo contrassenso. Dr. Marcos Eberlin, PhD, é um grupo de renomados cientistas, estão recomendando o uso imediato da Cloroquina. Lançaram um manifesto essa semana.

  120. Vou simplificar. Quero só ver, qdo qq indivíduo estiver internado, começando a sentir falta de ar, ficar preocupado se a Cloroquina vai ferrar seu fígado, rim etc etc. Se vc olhar qq bula de remédio não toma e morre. Então não entendi até agora pq justamente esse Cloroquina q aleija e mata. Uma vergonha num momento como esse, diante de uma doença desconhecida, isso esteja sendo usado só pra contradizer o pres Bolsonaro. Doria, Witzel e até o ministro da saúde terão muitos mortos nas costas!

    1. E tem médico que manda a gente tomar pelo menos uma aspirina por dia, todos os dias....

    2. É isso. Se ler a bula de qualquer remédio, até aspirina, a gente não toma.

  121. Matérias assim, sem a contaminação político partidária é o que engrandece e diferencia alguns segmentos da imprensa. Parabéns Crusoé.

  122. Faltou a reportagem falar sobre o interesse que está por trás dos laboratórios que apostam no caos para apresentarem a solução com um novo medicamento ou vacina.

    1. De qualquer maneira, o laboratório que descobrir ou já fabricar o remédio que der efeito contra o Corona vai encher a burra de grana. Evidente...

  123. James Todaro, MD Tons of updates added to this google doc on evidence for hydroxychloroquine and azithromycin in prevention/treatment of #COVID19. -Breaking research results -HCQ pharmacokinetics -Ongoing clinical trials -Zinc -Cardiac injury/toxicity Please disseminate!

  124. Gostei da matéria até o último parágrafo quando o Fábio Leite começa a escrever em letras menores e chamando de “especialistas sérios” apenas os que continuam a recomendar o isolamento social como a medida mais adequada para evitar contaminação pelo coronavírus. Ressalto que considerando as altas taxas de pacientes infectados com o COVID-19 no Brasil o CFM e CREMAM em 8 de abril de 2020 publica uma resolução de número 101/2020: “Recomendar o uso de cloroquina e hidroxicloroquina”.

  125. Mandetta não compreende bem o conceito de evidência científica. Mais de 90% dos tratamentos que usamos hoje em dia não apresentam um nível adequadamente forte de evidência científica. Isto ocorre pelo reduzido número de estudos científicos adequadamente planejados e executados. A maioria das pesquisas em saúde apresentam baixo nível de evidência. A maioria dos erros ocorre no método para formar grupos controle e grupos teste para evitar vieses de comparação entre tratados e não tratados.

    1. Evidências são gradativas e dependem da disponibilidade de um bom Número de grandes estudos bem conduzidos. É claro que esperar isto não será possível nesta crise. Portanto, caso Mandetta estabeleça este pré requisito para usar a cloroquina isto não será alcançado. Mas também, se o nível de evidência fosse o pré-requisito, a penicilina nunca teria sido usada na guerra salvando milhões de vidas humanas.

  126. Excelente matéria, apresenta sem paixões os dois lados. Só tem uma solução, a esquerda que combate o uso ao ser infectado não autoriza o médico a fazer uso da medicação, pronto, problema resolvido.

  127. Quando as paixões políticas se sobrepõem à saúde de milhões de pessoas temos a certeza de que alguma lição o homem precisa aprender de toda essa tragédia. A humanidade não pode sair dessa incólume. O governo chinês não pode sair dessa sem forte repressão. A indústria farmacêutica não pode sair dessa sem repensar sua leviandade. A comunidade médica e científica não pode sair dessa sem reafirmar seu juramento de salvar vidas.

  128. Acho engraçado o ministro da saúde dizer que pode rezar, porque a fé ajuda a curar, e se posicionar contra o uso dos remédios que tem salvados várias vidas. Sabemos que não será uso prolongado. A cura se dá em duas semanas em vários casos. Os remédios são utilizados há anos no Brasil, tratando várias doenças. A ciência nunca foi taxativa e final, ela sempre evolui/muda. Portanto não faz sentido esperar e deixar pessoas morrerem.

  129. parabéns ,pela reportagem sem cunho político , rezemos agora que o capitalismo não fale mais alto e a Índia, consiga nos entregar os insumos necessários para nossa produção , se não fizerem como a China tem feito tirando proveito , como fez por exemplo com respiradores que custavam 8.000 e hoje custam quase 50.000 e não está tendo , Deus abençoe o Brasil ,pois esse remédio, nós somos o maior produtor , só precisamos da parte indiana.

  130. Reportagem muito boa ponderando os dois lados. Assim deveria ser a atitude do Antagonista também. So acho que faltou citar se os efeitos colaterais de quem toma o medicamento durante alguns dias e considerável A longo prazo tenho experiencia que compromete a visao. Nesse caso varios anos.

  131. Parabéns pela reportagem. Tarefa árdua de se embrenhar na mata densa de paixões políticas, fanatismo, desinformação e interesses políticos. E fazer de lá sair um texto simples, mas preciso e equilibrado. Imagino que não tenha sido fácil.

  132. Parabéns assim mesmo que se faz uma bela reportagem agora quem quiser se aprofundar nos assuntos que procurem os meios adequados.

  133. Bolsonaro realmente foi ungido para presidente. Deus deu a ele “olhos de águia”. Agora os demônios sempre são contra Deus, não podemos fazer nada!

    1. Caralho, a coisa é muito séria e vem você com esta baboseira!!!!!!!

    1. Politização do tema, colocaram os interesses políticos acima dos interesses pela vida

    2. Porque os doentes não se automedicam com ele, já que ele não produz efeito imediato para os usos convencionais, e a dose é paciente dependente iniciando com 15 dias.

  134. A cloroquina só foi defenestrada pq foi uma solução proposta por Trump e Bolsonaro, os odiados! Se fosse qualquer outro palerma a ter dito que poderia funcionar, tava tudo certo. Peço aos “cientistas” de plantão que quando estiverem com suspeitas de COVId não tomem a cloroquina, ou só tomem quando estivermos intimado, com pulmão de SARA e uso de drogas vasoativas. Canalhas!!! Bolsonaro saíra gigante, pq foi corajoso e honesto o tempo todo!!

    1. Estou lendo os comentários até aqui. Só afirmo o seguinte: Além de velho, 84 anos, cardíaco com várias pontes de safena, com vários stens, várias angioplastias, portador de neoplasia, pré-diabético, tendo uma prótese na aorta abdominal TOMA 15 REMÉDIOS diários. Se eu fosse ler as bulas não tomaria NENHUM. E.T. ainda dirijo, faço exercícios diários, assessoro os netos, adoro minha esposa e família, e.... não mais e, por enquanto não morri. EU TOMARIA ESSES REMÉDIO ou discutimos o SEXO DOS ANJOS?

  135. O mais coerente é o depoimento da Nize ! Resumindo se ja mostrou resultados ; e confirmavao cientifica q venha depois !! Se nao tem tu vai tu mesmo...

    1. Que bom que a imunologista dra. Nise foi chamada para ajudar nesse momento de crise. Trata-se de renomada cientista é extremamente simpática, diga-se. Só esse fato + a declaração do conceituado cardiologista dr. Kalil , de que tomou o medicamento, bastam para indicar o uso da hidroxicloroquina. Érico

  136. Sabe-se que a indústria farmacêutica é uma das maiores do mundo, com faturamento de bilhões, muitos bilhões de dólares anualmente. Não por acaso, a mídia sabidamente de aluguel, como se vê escancaradamente dia após dia, tenta camuflar a importância da Cloroquina no tratamento do Covid 19, ainda que como coadjuvante, por ser um produto conhecido há 70 anos, como diz o Fábio e ter um custo baixíssimo. Daí que aproveitam o destempero do Bolsonaro e deitam falação. Interesse econômico camuflado

    1. Há um efeito mais frequente e de rápido surgimento que não vem sendo citado com o uso da hidroxicloroquina que é o hipoglicemiante.Pode ser fulminantente fatal em um diabético em uso de hipoglicemiante.

  137. Desprezando a “fofoca” da politização escancarada do tema o artigo sob o ponto de vista médico é honesto sobre o tema. Considero fundamental fortalecer o esclarecimento: Tomar o remédio, sabendo-se dos riscos dos efeitos colaterais, pode curar o surto da doença, no entanto não evita um novo contágio. O “tratamento” da doença com a cloroquina não elimina o isolamento para evitar novo contágio.

  138. Em voga pelas redes: "Cê vai esperar aprovação oficial dum paraquedas experimental, o único dentro dum avião caindo, ou corre o risco e salta usando ele?"

  139. Deixar de salvar vidas por polêmica política partidária é na minha opinião crime. Não sei o que diz o código penal a respeito

  140. Daqui a um ano, depois da pandemia e de milhares de mortes, saberemos que SE tivéssemos usado a cloroquina ela teria salvado milhares de pacientes OU que Tê-la usado como alternativa à NENHUM tratamento só teria causado os seu efeitos colaterais a uma porcentagem ínfima de pacientes. Para onde pende a sua balança já que não há tratamento conhecido HOJE ?

  141. Certamente se Bolsonaro se posicionar contra o remédio os interesseiros políticos de plantão vão fazer campanha favorável. A hipocrisia venceu, perdeu a vergonha de ser canalha, o povo vai ter o afago dos corruptos na época da eleição, como sempre. Os sobreviventes, claro, os mortos farão parte da campanha de desmoralização dos adversários. Triste país onde os interesses políticos e pessoais são inclementes com o povo.

  142. O maior mal que pode acometer a humanidade é a falta de atitudes ou o excesso de vaidades. ninguém vai tomar uma caixa do coquetel e ter uma intoxicação hepática ou falecimento renal mas a falta da medicacao pode matar porque colapsa o sistema. Assim só sendo muito maldoso politicamente pra não se prescrever a medida terapeutica da medicação. Ainda, numa guerra como essa pra se fazer o paciente vivo vale até mesmo torná-lo manqueta, o importante é vencer a virose e os politicos acefalos.

  143. É mais do que óbvio que, com todas as evidências internacionais sobre os benefícios da hidroxicloroquina, ela deve ser administrada assim que os sintomas aparecerem. Como a maioria dos pacientes estão vacinados para outras gripes, é bem provável que seja a Covid-19. O protocolo de administrar apenas aos pacientes graves não tem lógica, pois estes já estão com os pulmões comprometidos, e vão a óbito, o que serve para os contra-hidroxicloroquina dizerem que o remédio não funciona.

    1. Exatamente. E é bem provável que também sirva como profilaxia, da mesma forma como era usada para se evitar a Malária antes da criação da vacina.

  144. O plasma para o experimento a cura do Covid 19 é obtido do sangue de um curado. Não existiria curado se não tivesse sido tratado com a hidrocloquina. Bolsonaro na sua tosquice pôs no bolso os doutores.

    1. Tem que vir um oportunista distorcer a reportagem. Quem disse que todos os curados tomaram a Hidroxicloroquina?

  145. ESPERAR PROVAS CIENTÍFICAS, "NOS TESTES DEVAGAR, QUASE PARANDO", MUITA GENTE VAI MORRER. JÁ ESTAMOS VENDO CASOS REAIS DE CURA !!! ATÉ DÓRIA, AO SER DESMASCARADO, QUER PUXAR OS LOUROS PARA SI.

    1. Quem ? Ah, aquele bonequinho engomado de São Paulo ? Entendi ... Érico

    2. Doria é oportunista e ganancioso ... em 2022 nao volta nem p síndico ....

  146. Parabéns pela matéria. Foram pesquisar o assunto. Apresentaram os dois lados. Exatamente o que está faltando no site "Antagonista" que apenas cita outros meios de comunicação.

  147. É um absurdo politizar a vida das pessoas. Qdo os médicos contraem o vírus, eles tomam a cloroquina ou hidroxicloroquina, mas os pacientes comuns precisam esperar comprovação científica. Queria ver se o Mandeta adquirisse o vírus, se ele iria aguardar o estudo científico. Absurdo maior é do Dr. David Uip, não admitir o uso, pq seu chefe é de oposição ao governo. Pelo amor de Deus, onde vamos parar ?

  148. Desde tempos imemoriais existe o conceito de que droga e remédio é só uma questão da dosagem . Se existem evidências , mesmo que ainda empíricas da eficácia do medicamento , é obrigação moral do médico de utilizá-la , sob pena de menoscabo ao juramento hipocrático .

  149. Nada como informação de qualidade para formarmos nossa opinião. Devemos arriscar e tomar esse coquetel. Melhor prevenir que remediar. Mas fica a pergunta: vai ter para todo mundo? Depois, suspendem o isolamento e não tem remédio para todo mundo. E aí, como é que faz?

  150. Funciona! Mas ao que parece os tiranos não querem perder o controle de seus vassalos, em seus respectivos feudos. Ja ouvi falar que diretorias de empresas estatais estão “bolando” todo tipo de regras para os funcionários, como exigir cabelo preso, não ter barba!!! Tudo com base no vírus chinês.... parece que autoritarismo é o vírus mais contagioso

  151. Cada vez mais ,fica claro que quem está apostando no vírus para atingir o governo e conquistar seus objetivos políticos, sairá do cassino só de cueca e sem dólares dentro.

  152. Ótimo! Bem isenta a reportagem. Agora, somente minha opinião: um misto de distanciamento social inteligente ( mais rigoroso nas regiões com maior densidade populacional é menos rigoroso nos locais com baixa densidade) e o uso correto da hidrocloroquina poderá colocar o Brasil entre os países que melhor combateram a pandemia e com menos óbitos/habitante. Para colaborar com o plano, nossos políticos poderiam “brincar” de “vaca amarela” por 60 dias....

  153. Se a cloroquina tem efeitos colaterais mais sérios do que a hidroxicloroquina, porque a reportagem não distingue, claramente, o que está sendo testado e que possivelmente será usado no Brasil de forma ambulatorial? Clareza para o leitor é um cuidado que o repórter deve ter.

    1. Entendi o aconselhamento da hidroxicloroquina + antibiótico na fase inicial, como positivo p cura em + de 75%? Nunca a cloroquina, de uso sob controle rigoroso, principalmente em cardíacos. Me enganei? BOLSONARO vê todas as coisas "Com os olhos do coração", como desde criança minha querida mãe ensinou meus 12 irmãos a se olharem, os amigos, e todo o ser humano da terra.

  154. Necessário se faz uma retificação, o PR não faz a defesa há mais de um mês. Ele falou pela primeira vez no dia 21/03/2020.

    1. Exato. E, inclusive, mentiu sobre isso no pronunciamento oficial.

  155. Nada contra nenhum remédio, pô! MAS, radicalmente a favor da sagrada QUARENTENA > https://politica.estadao.com.br/noticias/geral,cloroquina-sim-ou-nao,70003266763

  156. Quantos leigos fanáticos...Agora viraram especialistas nessa substância química só porque o BolsoNero virou garoto propaganda...Devem ser do grupo do 02...!! Que horror!!!

    1. Simples, se vc se infectar ou seus familiares recuse o remedio. E o unico q temos no momento. Corra o risco de morrer.

    2. É incrível como o pessoal contra o Bolsonaro é também contra o remédio, sem a mínima noção do que estão falando. As evidências dos benéficos resultados da hidroxicloroquina foi primeiramente divulgado por um cientista francês e, agora, ao redor do mundo estamos tendo as comprovações. Vamos salvar vidas e não fazer politicagem rasteira.

  157. Cadê o resultado do exame do Covid19 do BolsoNero que ele se recusou a mostrar...????? Ainda pensa que essa pandemia serve pra campanha eleitoral dele é família pra 2022... Esse remédio que o JB e Tr. São garatos propaganda provoca efeitos colaterais enormes...nem toda pessoa pode tomar...cada caso é um caso...ou morre do vírus ou morre do remédio indicado pelos grandes doutores em medicina JB e Tr...!! Quanta demagogia..!!!

    1. Os caras aí tão queimando meu comentário.. agora, aqui pra nós.. que por.. ra é esse tal de Tr, camarada?

    2. Vem cá..aqui pra nós ó sumidade.. e que porra é ou quem é esse tal de Tr, camarada? Alvaro P sCosta

    3. pergunta à alguém quê mora na região Norte, Rondônia, Acre, Amazônia, desde os anos 60, se até hoje alguém morreu por causa desse medicamento? Até hoje lá ele salva vidas, vamos parar de pensar em ideologia e pensar em pessoas, até hoje só existe pessoas que estão vivas graças a ela, se tiver dúvidas vái lá conferir, eu posso falar porquê vi de perto e vivi 20 anos da minha vida lá.

    4. Hahaha... cada caso é um caso... quanta demagogia! Hahaha...

    5. impressionante, se existe uma possibilidade de um remédio ajudar a salvar muitas vidas, porém foi o Bolsonaro uns dos primeiros a dizer isso, o remédio deve ser jogado no lixo. então a melhor solução e a que o Ludoria diz "fique em casa e morra"

  158. Tão perigoso q até um mês atrás vendia sem receita... respeito quem é contra e deixa claro pra família q não quer tomar se adoecer... quem critica e toma... hipocrisia!

  159. Fico com a palavra e explicação do Dr Odorico, mestre em farmacologia, que defende o uso já nos primeiros sintomas da infecção. A droga já demonstrou a necessária eficiência frente aos mesmos efeitos colaterais apresentados por outros tantos medicamentos existentes no mercado. Entrar com o uso bem no início do tratamento evita chegar ao agravamento do quadro clínico e comprometimento da saúde do paciente.

  160. Peguem a bula de qualquer remédio que já tomaram e a leiam. TODOS eles apresentam vários efeitos colaterais. Uns até pior que a cloroquina

  161. Esses presidentes da direita não entendem nada de medicina, de pesquisas científicas, mas agora viraram garotos propaganda de remédios com o apoio de alguns médicos obscuros no mundo científico mundial e agora querem aparecer... Esse JB e Tr..fazem qualquer coisa pra se manterem no Poder...Não estão nem aí pra vida do povo..Tudo pelo Poder ...fingem que se interessam pela vida da população tudo pra enganar os seus fanáticos...que não pensam..Presidentes Irresponsáveis!!! ...

    1. Ahh analfa burra do contra.. agora acho que entendi.. tu quer dizer trump né? Kkk apcosta

    2. ah ta, o Lula e Dilma é que pensam no povo, com tanta corrupção roubo que cometeram construiram estádios de futebol e não investiram na saúde. você precisa se informar melhor.

    3. Irresponsavel foram os que desviaram dinheiro publico que deveria ter ido para a saude....

  162. Gostei muito da reportagem, foi bastante ilustrativa e sem viés ideológico. Achei que faltou explorar um pouco o fato de que, antes da crise, o remédio podia ser comprado sem receita médica nas farmácias brasileiras. À primeira vista, parece que os efeitos colaterais não seriam assim tão graves, pelo menos para o tipo de pacientes que necessitam deste remédio. Mas numa reportagem mais apurada pode mostrar outros problemas.

  163. EXCELENTE apenas permita-me, com muito respeito, alertar para a confusão do uso do termo EFICAZ relativizando-o, como, por exemplo, quando cita MAIS EFICAZ. A confusão, gerada pela intenção, ainda que despercebida, de referir-se a MAIS EFICIENTE, não é um pecado mortal, nem exclusivo de nós brasileiros, pois aparece em muitos veículos midiáticos internacionais. No entanto vulgariza o sentido erróneo da palavra EFICAZ, criada exatamente para distinguir de EFICIÊNCIA, este sim, um termo relativo.

  164. Só no Brasil, hoje, mais de 100 (CEM), pessoas morrerão. O Prevent Senior, já tem um protocolo que abrange 400 pacientes. Não esperem mais para agir, autoridades.

  165. EXCELENTE apenas permita-me, com muito respeito, alertar para a confusão do uso do termo EFICAZ relativizando-o, como, por exemplo, quando cita MAIS EFICAZ. A confusão, gerada pela intenção, ainda que despercebida, de referir-se a MAIS EFICIENTE, não é um pecado mortal, nem exclusivo de nós brasileiros, pois aparece em muitos veículos midiáticos internacionais. No entanto vulgariza o sentido erróneo da palavra EFICAZ, criada exatamente para distinguir de EFICIÊNCIA, este sim, um termo relativo.

  166. http://web.archive.org/web/20200405061401/https://medium.com/@agaiziunas/covid-19-had-us-all-fooled-but-now-we-might-have-finally-found-its-secret-91182386efcb

  167. http://web.archive.org/web/20200405061401/https://medium.com/@agaiziunas/covid-19-had-us-all-fooled-but-now-we-might-have-finally-found-its-secret-91182386efcb

  168. Abaixo, a explicação da ação da HCQ: O Covid-19 nos enganou, mas agora podemos finalmente ter descoberto o seu segredo. Nos últimos 3-5 dias, uma montanha de evidências anedóticas saiu de Nova York, Itália, Espanha etc. sobre o COVID-19 e as características dos pacientes que ficam gravemente doentes. Ele não está apenas se acumulando, mas agora está levando a um consenso geral em nível de campo, apoiado por alguns estudos anteriormente pouco conhecidos de que cometemos tudo errado o tempo tod

  169. Qual o problema em um médico ministrar um remédio? É simples: se tem chance de cura, é um médico quem receita e é um remédio vendido há mais de 70 anos, não dá pra entender a oposição ao uso. Só pode ser a desgraça da política.

  170. Se os dois médicos famosos tomaram , óbvio que eu tomaria também. Neste momento antes prevenir do que remediar.... Peço que os críticos não tomem ,para sobrar remédio para quem acredita....

  171. Muito pior que o vírus chinês, e o vírus político desse país. Bandidos como esse imbecil David ligado ao bandido Doria, que se ligou ao maior verme da história o Lula, esses sim teriam que ser eliminados da face da terra. AI5 E POUCO nesse país.

  172. Dia 8/04 vi a explicação do Dr. Mandetta do porque não se deve administrar a cloroquina em casos leves e que não tenham resultado do exame de covid19. Segundo ele os sintomas são muito parecidos com as outras gripes, portanto se caso não seja covid19 a cloroquina não irá ajudar e o paciente estará sujeito aos efeitos colaterais da droga sem resultado nenhum para a cura das outras gripes. O que se pergunta é o seguinte: Se grande parte dos pacientes de risco foram vacinados contra as outras

    1. O Dr Mandetta é um político. E ortopedista. A classe que opera sem ouvir fisiatras ou fisioterapeutas, como os ginecologistas parteiros q têm datas marcadas para viagens especiais. São operadores. O Dr. Uip é como a Vera Magalhães TV Cultura, todos a serviço de mais um "projeto criminoso de poder". A bola da vez p desestabilizar governo é o Dória, cujo plano fracassado de instituir o parlamentarismo branco em Paris, dele participou com o legislativo e judiciário,das partes fisiológicas.

    2. continuação...gripes e apresentam os sintomas clássicos da doença temos duas possibilidades: 1-) Eles tem com certeza covid19; 2-) As vacinas administradas não funcionam. Parece que o Dr. Mandetta não estudou lógica formal.

  173. Resumo: a Cloroquina e muito promissora, porém o Bolsonaro a defendeu, portanto não é promissora. Acho que o Bolsonaro, desde o início, não está agindo de forma adequada na crise. Mas nada justifica torcer pela tragédia.

  174. Parabéns pelo artigo, bem esclarecedor e isento. Na minha opinião devemos sim fazer uso do medicamento, salvo existência de cardiopatia grave, até que surja uma vacina.

  175. O que eu náo consigo entender é porque essa coisa toda n[ao fique restrita aos cientistas, aos testes, as liberacóes e pesquisas, porque o capitáo tem que se meter nisso? Já sei, viu que perdeu o bonde da historia chamando a COVIC de gripinha e se ferrou, náo sabia o que fazer e apareceu gente disposta a fazer, tomar atitudes,,ai precisava de uma tabua de salvaçao para os fanaticos,,,a cloroquina se aprovada será um apoio para a pandemia, nunca a cura,,coisa de IMBECIS FUNDAMENTALISTAS FANATICOS

    1. Imbecil, cloroquina, tamiflu, plasma, etc,etc,etc já estáo sendo utilizados nos hospitais imbecil, veja a receita que o Uip faz, dia 15.03, o capitáo cloroquina ainda nem sabia que existia,,RIDICULO quem acredita em inepto

    2. O inteligente o Presidente está empenhado em salvar vidas. E a sumidade vem com essas estultices. Vai treinar seu cérebro com algo útil.

  176. Vc q escreveu a matéria e qquer outro q leu não tomaria a cloroquina se estivesse infectado? Pois não ha comprovação científica? Vão a merda bando de hipocritas.

  177. Esse Canalha do Doria quer assumir a paternidade da cloroquina ja defendida desde o inicio pelo Jair Messias. Esse Doria, esta posando de anjinho todo dia na Rede Bobo de Televisão, chega dar nojo deste cara. O Dr. Uip fica omitindo a sua cura para não dar os devidos créditos ao Jair MESSIAS Bolsonaro, enquanto a população morre nos hospitais, preferem falir o país só para ficar todos os dias no palanque da Rede Bobo ao permitir que as pessoas saiam desta agonia financeira e médica.

  178. Parabéns pela matéria. Não se perdeu em fuxicos palacianos, mas esclareceu com relatos e evidências técnicas. Gostaria de sugerir uma matéria investigativa sobre o real número de mortes pelo covid. Apresentem um estudo amplo informando se o número de mortes por cardiopatias reduziu consideravelmente após o covid.

    1. Além do coronavírus e estava com influenza b, premiado e como foi no começo ainda se falava pouco na hidroxicloroquina. O que melhora o prognóstico de um doente? Diagnosticar e tratar precocemente então por esperar o paciente de coronavírus ficar mal para tratar. Não está comprovado com estudos robustos, verdade, mas vamos esperar”o avião cair e não usar o paraquedas ainda não aprovado pelo Imetro?”.

    2. Já estava querendo cancelar minha assinatura. Boa matéria. É com muita tristeza que vejo mais um problema médico sendo politizado. Quem não gostaria de ter um remédio eficaz e seguro. Aqui estamos com pressa, porque o sistema colapsa todos os anos com a gripe comum que tem vacina, imagina agora com o coronavírus. Não temos imunidade e se espalha com rapidez. Eu tive o coronavírus e foi uma gripe como outras que tive , tenho 70 a, hipertenso e diabético controlado. Só tomei tamiflu e azitromicina

  179. Faltou informar que o CFM encaminhou nesta semana a todos os médicos brasileiros, a Resolução 201/2020 que recomenda aos profissionais encarregados de tratamento de pacientes com Covid-19, que considerem a possibilidade de tratamento com a Hidroxicloroquina, avaliados os riscos envolvidos, mesmo nos casos sem gravidade.

  180. Parabéns, excelente reportagem. Ampla e deu espaço a ditames de todos os lados. Agradeço pois se infectado for, o que é bom, se passar "dessa", pelos 69 anos, tenho oportunidade de exigir do médico o tratamento, preferencialmente antes de chegar o extremamente grave. Banana ao Mandetta.

  181. O Canalha do Doria querendo assumir a paternidade da cloroquina foi demais esta semana. Esse ordinário quer quebrar o país para tirar proveito politico pouco se importando com a vida das pessoas. Bolsonaro desce a lenha neste cafajeste os paulistas estão do seu lado assim como o povo deste país.

  182. Há cinco mil anos uma manada de Gnus migra de um extremo a outro, no Seringueti, acompanhando as estações da chuva. Se a natureza fosse Mandeta todos morreriam de fome, por temerem enfrentar os predadores naturais (crocodilos, leopardos, leões, hienas e tantos outros). O equilíbrio natural pede sua cota de sacrifícios. Alguns vão ficando pelo caminho, mas geração a geração os Gnus vão e voltam... Os vírus e os agentes patogênicos, de modo geral, reclamam suas cotas... A Natureza vence sempre.

    1. Mandetta é um político se cacifando pra enfrentar o Dória no momento oportuno. E ortopedista. Neste jogo político insano, traidor, fascista, #elesim com perspicácia, estratégia de guerra, razão, prudência e fortaleza, evitaremos que bilhões de reais sejam "manipulados" pelos comunistas brasileiros, em sua maioria governadores. Vencerá o povo, com a proteção Divina, mais uma batalha para reconquista da NAÇÃO brasileira, dentre tantas criminosas desde o início do NOSSO GOVERNO BOLSONARO.

  183. Eu só quero ver se esses que são contra a cloroquina, forem infectados, não pedirão para tomar a mesma. Vide o caso dos médicos de São Paulo.

  184. Matéria cuidadosa, feita por quem entende. O uso dessa medicação, há décadas usada em outras doenças, é privativa do médico com anuência do paciente. Aos gestores caberá garantir o abastecimento, na falta de alternativas. Na medicina, em casos complexos, nunca existiu nem existirá consenso absoluto, o que é bom, porque não é uma ciência exata.

    1. EXATAMENTE. Politizaram o direito ao medicamento para o paciente !!!!.

    2. Tanto q o oportunista do Dória, hoje 1 jornalista político em processo de linchamento comportamental pela sociedade, quis ser o pai da cloroquina. Queriam pq queriam esses esquerdopatas, q o prontuário do PRESIDENTE viesse a público, até o judiciário se metendo nesse imbróglio. Mas o UIP não, ao médico se reservou o direito de ñ declarar o gosto do "coquetel". Tudo pra preservar a sociedade, vejam só!! Continue firme BOLSONARO, c prudência e estratégia de guerra. Vc é o nosso "enviado de Deus".

  185. Espero que hajam mais reportagens como essa, interessadas em informar. Essa revista tem na sua origem pautas assim, é isso me fez assinante. Não se percam ainda mais, FMB virou um chato ressentido

  186. Pelo que entendi, há muito mais certeza do que incerteza de cura com a cloroquina. Na reportagem, não tem nenhum depoimento que indicou que a substância traz mais riscos que benefícios. Vamos liberar essa droga já! Pelo que estou entendendo, o marxismo cultural chegou até na medicina e está impedindo o uso de um medicamento só porque a direita receitou primeiro. BOLSOFATO DE HIDROXICLOROMITO para o vírus mental da esquerda e da mídia marxista tal qual essa Cruzoé.

    1. O BRASIL sem qq sacanagem com os outros povos, poderá sabe-se protagonista pelas estratégias adotadas, e com os pulmões livres, e ñ deixando o CONGRESSO concluir a ruína deixada pelos comunistas nos últimos 35 anos, evitando o repasse de 1 trilhão aos governadores, sairemos como próspera potência mundial. Mas isto ñ pode, pq o pai dos pobres, como declarou esta semana "o poste", será eternamente o ladrão cachaceiro. Meu zapp só tá passando 1 mensagem. Aprendam como continuar passando as 5!

    2. A torcida do Corona espuma com a possibilidade do Armagedom ser adiado. E está sendo adiado, basta ver que nem de perto passamos pelo caos de outras nações e espero que continue.

    3. Não, Adelmo. Não é uma disputa de egos. É que a esquerda conta com uma crise econômica prolongada para prejudicar o governo, ainda que isso acabe com o país. É o tal do quanto pior, melhor. Já pensou o remédio sendo usado em pacientes com sintomas leves? Acabaria com os efeitos da epidemia. Seria o fim do isolamento, as pessoas poderiam trabalhar normalmente e não precisariam de auxílio, tampouco as empresas. Centenas de bilhões de reais seriam economizados e Bolsonaro sairia como heroi.

  187. Essa matéria seria uma tentativa de pedir desculpas ao Dr.Didier Raoult após os duros ataques de Mário Sabino baseado em artigo do Le Monde? Em entrevista ontem Dr.Raoult fez perfeita distinção entre médico que tem que salvar o paciente e as pesquisas de um cientista que precisam ser exaustivamente comprovadas. Para ilustrar o presidente Macron reuniu-se on tem por 1 hora com o Dr. Raoult para tratar da crise. Será que ele faria isso se ele fosse um charlatão? Reconheça o erro Sabino.

    1. Lamento ver que vou ter que buscar outra alternativa, como tantos outros leitores de Crusoé Depois de apear de 25 anos de Veja pensei ter encontrado luz no fim do túnel dessa imprensa brasileira podre. Como disse algum leitor em comentario anterior, até Diogo Mainardi tem um preço.

    2. Podia ter sido mais completa a matéria. -->> Novo estudo francês com mais de mil pacientes tem taxa de 91,7% de melhora e cura da Covid-19 com cloroquina LINK -->> https://www.jornaldacidadeonline.com.br/noticias/19840/novo-estudo-frances-com-mais-de-mil-pacientes-tem-taxa-de-917-de-melhora-e-cura-da-covid-19-com-cloroquina

    3. impressionante a preocupação com um medicação que já existe em um País onde se compra.medicacoes com se estivesse em um mercado. Os remédios são expostos em prateleiras e vendidos em promoções. É só pegar a cestinha e ir às compras.

    4. De fato, uma excelente matéria, mas confesso que, de um lado foi muito esclarecedor mas, por ou lado ficou uma dúvida, ou seja, o remédio cura ou não cura o paciente? Se não fosse o viés ideológico dos políticos dava para pender para tomar o remédio Daí vem o imbróglio, eis a questão, usar ou não usar os tais medicamentos (🐈?)

    5. Até que o mandetta se livre das dúvidas(1 anos ou mais) a epidemia já passou e deixou um rastro enorme de mortos. Eu prefiro seguir a receita do David 250 mg diário até o pico baixar.

    6. Para desestabizar. O grande Mandetta. Procura conselhos com o grande Botafogo.

    7. Artigo bem escrito, publicado no renomado British Medical Journal, seguiundo as melhores normas, mostra que não há provas de que saltar de um avião usando paraquedas seja mais seguro que saltar sem o equipamento (Parachute use to prevent death and major trauma when jumping from aircraft: randomized controlled trial). Dependemos das melhores intenções de quem publica

    8. É possível, infelizmente, torturar os números até que eles confessem. O método científico é faca de 2 gumes. Artigo bem escrito e seguindo

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO