Jefferson Rudy/Agência Senado

Miranda diz à PF que não gravou Bolsonaro, mas volta a dizer que pode haver gravação

27.07.21 20:21

Por quase duas horas, o deputado Luis Miranda prestou depoimento nesta terça-feira, 27, na sede da Polícia Federal, no inquérito que investiga se o presidente Jair Bolsonaro prevaricou no caso da compra da vacina da Covaxin.

Questionado se gravou a conversa mantida com Bolsonaro, em 20 de março, no Palácio da Alvorada, Miranda reafirmou o que disse à CPI: falou que não fez a gravação, mas não garantiu que ela não exista.

“Não gravei, nem gravaria o presidente. Mas não posso confirmar se outra pessoa gravou. Havia mais gente na sala. Também disse que recebi informações de pessoas que já escutaram a gravação. E que passei a suspeitar que alguém do próprio presidente possa ter gravado a conversa. O governo nunca rebateu essa possibilidade de gravação.”

Aos delegados da PF, o deputado também voltou a dizer que levou detalhes do esquema ao presidente da República. E que Bolsonaro, ao ser alertado, citou o nome do deputado Ricardo Barros, líder do governo na Câmara, como alguém que teria cometido irregularidades.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Variações sobre o mesmo tema não colam. Julgamentos baseados em opiniões são superados pelos fatos: Contrato suspenso pelo MS e intermediações inocorridas. O resto é balela que custa caro ao povo. Contra fatos não há argumentos.

  2. Sergio Moro ao sair do governo, externou que deixou de ser ministro, pelas investidas do Bolsonaro contra a PF. Bolsonaro reuniu os seus papagaios de pirata e chamou o Moro de mentiroso. Para mim ficou provado que quem mentiu foi o Bolsonaro. O deputado Miranda, sabendo da falta de caráter do Bolsonaro, vaticinou. Ter ou não uma gravação, não altera em nada, no que tange a moralidade desse governo. RB continua líder do governo na Câmara e Bolsonaro continua se fingindo de morto.

  3. Tem que parar com essa bozistada. Se gravou, libera logo a gravação. Se não, então deixa de zurrar. Bozista zurrando sobre bozista é a coisa mais bizarra que pode existir, né Nyco Penyco?

  4. Em conhecendo esse picareta e estelionatário, tanakara que ele tinha intenções sinistras para com o PR para depois poder chantageá-lo. Pior que usou o próprio irmão cabeça-fraca nessa empreitada.

    1. ... e o picareta Roberto Jefferson? "Dirceu, sai daí rápido, senão você vai condenar um homem inocente (Lula)!" Lembra dele? Essa é a qualidade do caráter dos que andam ao lado do Bozo atualmente. Sem medo de errar, não há maior estelionatário do que esta deformidade que ocupa a PR do Brasil hoje. Ele superou até Dilmanta.

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO