Rovena Rosa/Agência Brasil

Em projeto enviado ao Congresso, governo não prevê impacto da pandemia sobre contas públicas

20.04.21 20:45

Em documento encaminhado aos parlamentares na tarde desta terça-feira, 20, para subsidiar a análise do projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2022 enviado pelo governo ao Congresso, técnicos da Câmara e do Senado afirmam que o texto não trata dos impactos da pandemia sobre as contas públicas.

“Diferentemente do PLDO 2021, o PLDO 2022 não aborda, de forma separada, os riscos que podem afetar receitas, despesas e dívida pública em função dos efeitos da Covid-19. Apesar da expectativa do Poder Executivo de um crescimento do PIB em 3,2% neste ano e sua projeção de 2,5% para 2022, a pandemia continua se alastrando em 2021, aumentando as incertezas sobre o cenário das finanças públicas em 2022”, dizem os consultores legislativos.

O estudo alerta ainda para “o possível aumento do desemprego decorrente das restrições ao comércio impostas em diversas unidades da federação” em razão da pandemia de Covid-19.

Já é assinante?
Assine a Crusoé ou nosso combo e ganhe o novo eBook de Mario sabino

Assine a Crusoé

*válido até 30/06/2021

Assine a Crusoé ou nosso combo e ganhe o novo eBook de Mario sabino

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. estes analistas financeiros de quinta categoria vão se lascar feio quando o caldo entornar de verdade. Numeros fictícioa não podem evitar as consequencias daa causas.

  2. Tá correto o governo. Não há pandemia bem contas públicas. O que há são cartões corporativos desde a rodoviária do plano piloto ao palácio da Alvorada.

  3. O governo está sendo coerente. Primeiro, para o Bozo a pandemia nunca passou de uma gripezinha sem consequências. Segundo, para o Bozo, vidas humanas não possuem valor algum. Para ele, seguidor da eugenia pré-cambriana, os que morrem são apenas os fracos e que, portanto, não merecem consideração. Enquanto ele faz estas maldades, os muares Bozistas, tais como o Joãozinho e o André, zurram de alegria. Fazer o que? A vida medíocre destas criaturas decrépitas se resume a isto: Zurrar! Zurrar! Zurrar

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO