Adriano Machado/Crusoé

Em meio a reformas e guerra no Centrão, Bolsonaro coloca Ramos de férias

07.08.20 15:00

O presidente Jair Bolsonaro resolveu autorizar férias de uma semana ao ministro-general Luiz Eduardo Ramos. O chefe da Secretaria de Governo, que comanda a articulação política do Planalto, vai ficar fora do ar de segunda-feira, 10, até a sexta-feira, 14. 

O afastamento ocorre em meio à guerra interna do Centrão, que trava uma disputa nos bastidores para afastar o deputado Aguinaldo Ribeiro, do Progressistas, da liderança da Maioria na Câmara. A base do governo não quer um aliado de Rodrigo Maia no cargo e trabalha para emplacar no posto Celso Sabino, do PSDB, que sofre processo de expulsão na sigla. 

Um integrante do governo ouvido por Crusoé estranhou o movimento de Bolsonaro para dar folga a Ramos. “Eu não sabia que ele ia tirar férias. É uma semana importante no Congresso, com a reforma tributária em plena evolução”, analisou.

Conforme mostrou Crusoé, o Planalto está no meio do fogo cruzado entre setores do governo que pedem mais recursos para obras e programas sociais, enquanto Paulo Guedes não abre mão do Teto de Gastos. Ramos é também um dos bombeiros da crise interna. Fontes palacianas evitaram comentar as férias do general aposentado, de 64 anos. 

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

Só R$ 1,90* no primeiro mês

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

*depois, 11 x R$ 14,90

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Felipe Moura Brasil, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. na inciativa privada esse período seria de 7 dias, aliás proibido, já em estatal, funcionalismo público e nós 3 poderes, 30 dias viram 6 períodos de 5, perfazendo o total de 42 dias, cerca de 30% de ganho.

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO