Adriano Machado/Crusoé

CPI vai cobrar Facebook e Youtube por veiculação de falas negacionistas de Bolsonaro

18.06.21 10:53

A CPI da Covid deve convocar representantes do Facebook e do Youtube, plataformas usadas por Jair Bolsonaro para a transmissão das lives semanais. As empresas serão cobradas pela veiculação e manutenção no meio digital de falas negacionistas do presidente da República.

A investida ocorre após, na transmissão ao vivo de quinta-feira, 17, Bolsonaro declarar que a contaminação pelo novo coronavírus é mais eficaz para a imunização do que as vacinas. A fala de Bolsonaro remete à estratégia da chamada “imunidade de rebanho, contestada por especialistas.

O requerimento para a convocação será protocolado pelo vice-presidente da CPI, Randolfe Rodrigues. O senador argumentou que, “por muito menos“, o Twitter e o Facebook baniram Donald Trump das plataformas e alegou que Bolsonaro não pode continuar a “disseminar notícias sem lastro na ciência, que produzem o aumento” do número de mortes e infecções pelo coronavírus.

Não se trata de censura. Que o presidente fale as besteiras que quiser onde quiser. Só não pode comprometer a vida dos brasileiros“, disse o parlamentar. “Não pode esse tipo de irresponsabilidade das plataformas, das mídias sociais, disseminando esse tipo de sentimento“.

Enquanto Randolfe falava ao microfone, ao fundo, o presidente da CPI, Omar Aziz, declarou que tem que “acabar com esse negócio de live“. O congressista comprometeu-se a pautar o requerimento para a próxima terça-feira. “Isso é de importância muito grande, porque propaga mentiras, propaga a inverdade“.

Relator da CPI, Renan Calheiros reforçou o coro. Nós temos ontem [quinta] a continuidade criminosa da defesa da imunização de rebanho, do desdém com a eficácia da vacina e o exemplo do próprio presidente de que ele era a imunização natural, porque havia contraído o vírus. Essa irresponsabilidade não pode continuar. Isso é a reiteração do crime“.

Na sequência, o parlamentar recusou-se a fazer perguntas a médicos que defendem o uso de medicamentos ineficazes contra o novo coronavírus, como a cloroquina. Os demais integrantes do G7 fizeram o mesmo.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
    1. Agora , depois da tentativa do stf, os palhaços do circo da cpi querem impor a censura ás redes sociais, seguindo o exemplo da China, ou seja, só podem publicar o que for do interesse do circo. Remédio? É só as redes ameaçarem nada mais publicarem sobre essa palhaçada política, tirando-os dos holofotes, que eles botam o galho dentro.

  1. Farmacêuticas tinham no seu portfólio de produtos, medicamentos considerados "vacas leiteiras". De repente, um presidente da República, decide reposicionar esses medicamentos p/ enfrentar uma pandemia, mesmo contra todas às evidências científicas. Através de fake news institucionalizadas motivam às pessoas a se contaminarem e a usarem os medicamentos p/ se recuperarem. Isso muda os medicamentos de "vacas leiteiras" p/ "estrelas". A pergunta que fica é: quem lucrou com o Esquema da Cloroquina?

  2. Fico ouvindo estes médicos cretinos, que insistem em propagar medicamentos ineficazes. Numa doença em que 85% dos doentes se recuperam graças ao seu sistema imunológico, é uma aposta quase certeira desses charlatães. O charlatão prescreve o medicamento, o doente se recupera graças ao seu sistema imunológico, e ele credita isso ao uso do medicamento. Se o sujeito morre, o charlatão debita do acaso e apresenta os 85% de acerto. Com isso o charlatão nunca erra.

  3. Bolsonaro segue com as suas duas cartas na mão, dobrando a aposta. Agora afirma categoricamente que a única estratégia que tinha para o enfrentamento da pandemia, era a imunidade de rebanho pela contaminação. Reforça ainda que não acredita em vacinas e que acredita em medicamentos ineficazes. Nessa altura da pandemia, isso não é crime? Onde está o Aras, que recebe salário como PGR, pago por nós? Trabalhando nos bastidores para Bolsonaro, visando ir para o STF?

  4. Bravo !!!!👏👏👏 Bravíssimo !!!👏👏👏 E ainda dizem que a CPI não vale de nada . Quanta coisa aconteceu que confirmou o que muitos, com falsas narrativas e mentiras repetiram à exaustão para serem tidas como verdades !!!É PRECISO DAR UM BASTA A ISTO . A começar pela principal fonte . A própria presidência .

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO