Reprodução/nstagram

Com prisão mantida, atenção se volta para cassação do deputado bolsonarista

19.02.21 20:55

A manutenção da prisão do deputado Daniel Silveira, do PSL, por 364 votos a 130, sacramenta a continuidade de uma conveniente paz instalada em Brasília. Com vários parlamentares enrolados na Justiça, entre eles seu próprio presidente, Arthur Lira, a Câmara não quis afrontar o Supremo Tribunal Federal.

No julgamento em que ratificaram a prisão do ex-policial militar, expedida por Alexandre de Moraes, os ministros da corte deixaram claro que as ameaças e xingamentos eram intoleráveis e que uma punição exemplar se impunha. A cúpula da Câmara, liderada por Lira, ainda tentou negociar a soltura do deputado, em troca da promessa de futuras sanções no Conselho de Ética. Mas com a resposta negativa do Supremo, a maioria da Câmara decidiu deixar Daniel Silveira atrás das grades para manter serenos os ânimos na Praça dos Três Poderes.

O presidente Jair Bolsonaro, desta vez, silenciou, antes e depois da votação da Câmara dos Deputados. Para acalmar a franja bolsonarista mais radical, que o cobrou duramente por um posicionamento, Bolsonaro deve agora negociar uma punição mais branda para Daniel Silveira no Conselho de Ética.

Durante discurso no plenário nesta sexta-feira, Arthur Lira disse que o episódio foi “um ponto fora da curva” e defendeu a atuação do Conselho de Ética, “para que o ambiente da democracia nunca se contamine a ponto de se tornar tóxico”. Uma efetiva punição, entretanto, vai depender do clima político ao fim do processo por quebra de decoro parlamentar contra Silveira. O regimento da Câmara abre brechas para diversas manobras protelatórias e há dúvidas se os parlamentares, imbuídos de espírito corporativista, vão se empenhar – sobretudo após a votação desta sexta, na qual os desejos dos ministros do Supremo já foram devidamente atendidos, com a manutenção da prisão de Silveira.

Na Câmara, a expectativa é de que o parlamentar do PSL possa deixar a prisão na semana que vem, com a exigência de uso de tornozeleira eletrônica. Pelo tom adotado em seu discurso nesta sexta, Daniel Silveira não deve entrar em novos embates com o Judiciário. O parlamentar de primeiro mandato argumentou que é inexperiente e se desculpou pelo grande “impasse” criado entre os poderes após a divulgação do vídeo. Um fator será determinante para que Silveira mantenha a postura low profile após deixar a prisão: um passo em falso pode elevar a pressão do Supremo por uma cassação rápida.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

Só R$ 1,90* no primeiro mês

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

*depois, 11 x R$ 14,90

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. O mínimo que esse deputado merece é perder o mandato, já que alguém como ele não tem condições de representar o povo brasileiro...

  2. jogo nojento, o stf tornou-se um poder amoral sem o respeito e admiração do povo ,por outro lado os nobres deputados não estão preocupados com o país, em resumo: farinha do mesmo saco, só querem manter suas mordomias.

  3. Que péssima companhia. Realmente, não vale a pena defender um radical desse, totalmente despreparado para o convívio democrático. Merece ser cassado como exemplo de mau parlamentar.

  4. Triste Brasil com suas instituições falidas. Para tentar consertar as coisas deveria-se primeiro voltar a representação parlamentar equilibrada alterada por Geisel em Abril de 77.

  5. Qual é o projeto dos bolsonaristas para o Brasil? Armar a população e implantar a ditadura. Agora qual é o projeto que o Brasil quer para o Brasil? É esse projeto bolsonarista? Bolsonaro quebrou o Brasil. Todos esses parlamentares que se elegeram na onda bolsonarista, não servem para um Brasil melhor. Servem para xingar, brigar, ameaçar. Mas não servem para trabalhar pelo Brasil.

  6. Eu vejo uma posição favorável à por uma mordaça na boca dos boquirrotos (um boquirroto chegou à presidência do Brasil). Agora, esperamos que o Ministro Alexandre Moraes finalize o inquérito dos Atos Antidemocráticos e ponha na cadeia TODOS aqueles que tentaram impor uma ditadura no Brasil. O STF e a Câmara mostraram o Caminho que o Ministro Alexandre Moraes deve seguir, pois, mais tarde, pode ser tarde demais.

  7. Olha a foto das duas criaturas. Ambas produtos das ações do demônio. Prestem atenção nos olhos. Ambos possuídos. Há algum exorcista por aí?

    1. Concordo, Marcia. E bolso sempre casa com os q o rodeiam. Já falou do casamento com guedes, com o senador do xu caglado e de outros.. Com esse aí deve ter pelo menos noivado. São mesmo perfeitos um para o outrinho.

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO