Foto: Câmara dos Deputados

Apadrinhados de deputado do Centrão receberam R$ 7,5 milhões em créditos ‘sob suspeita’

28.11.20 08:04

Como apoiador do governo Bolsonaro, o deputado federal e integrante do Centrão Sebastião Oliveira (foto) conquistou o direito de indicar afilhados políticos para postos-chave no governo federal. Entre eles, o Departamento de Estradas e Rodagens de Pernambuco.

Em maio, dias depois de Oliveira indicar Silvano Queiroga Filho e Schebna Machado de Albuquerque para o DER-PE, eles foram alvos de buscas por suspeita de integrarem um esquema que desviou dinheiro das obras da BR-101 no estado.

Ao autorizar a quebra de sigilo e o bloqueio de bens dos dois apadrinhados pelo parlamentar do Centrão, o juiz Cesar Arthur Cavalcanti elencou uma série de transações nebulosas efetuadas pelos investigados. No total, eles teriam recebido 7,5 milhões de reais em créditos considerados sob suspeita em suas contas.

Queiroga Filho era o fiscal do contrato alvo de apuração. Já Albuquerque, o então ordenador de despesas. O primeiro, diz o juiz, recebeu junto com a esposa ao menos 3,1 milhões de reais de origem duvidosa. Além disso, ele mantinha uma extensa lista de bens como veículos, embarcações e imóveis registrados em nome de pessoas interpostas ou empresas.

“O sobredito casal ostenta patrimônio incompatível com os ganhos auferidos através de suas ocupações formais e lícitas”, diz trecho da decisão.

Albuquerque, por sua vez, recebeu ao menos 5,9 milhões de reais em suas contas. Desse total, 4,4 milhões de reais são, segundo o juiz, de “créditos questionáveis”. “Verifica-se relevante discrepância entre créditos em contas bancárias e rendimentos dos cargos que exerceu no período”, diz o despacho.

Segundo a PF, foram colhidos elementos que apontam para a “existência de suposto conluio entre funcionários públicos vinculados ao DER-PE e representantes do Consórcio Andrade Guedes/ASTEP”. A investigação ainda está em andamento e até o momento os crimes apurados são os de peculato, corrupção, associação criminosa e lavagem de dinheiro.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

Só R$ 1,90* no primeiro mês

Edição nova toda Sexta-Feira. Leia com Exclusividade!

Assine a Crusoé

*depois, 11 x R$ 14,90

Deixar para mais tarde

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Diferentemente do que o jornalista menciona no primeiro parágrafo da reportagem, o Departamento de Estradas e Rodagem de Pernambuco não é um órgão federal.

  2. Ainda bem que o comando está nas mãos de um juiz de primeira instância. Se fosse para as mãos do STJ ou do STF já estaria engavetado.

  3. Está revista é tendenciosa na maioria absoluta de seus cronistas e jornalistas, achei que seria imune , mas infelizmente torce prata um lado

    1. João o tendencioso aqui parece ser você que é conveniente com corruptos, defensor de um presidente aliado de criminosos, chefe de milícia e pai da rachadinha. São aleitares anencéfalos que perpetuam gente como Jair Mentira Boçal no poder por tantas décadas!

    2. Jair só escolhe para cargos administrativos de seu governo pessoas que tem a mesma paridade moral dele e da famiglia rachadeira

Mais notícias
Assine
TOPO