Adriano Machado/Crusoe

Abuso de poder religioso volta à pauta do TSE

13.08.20 10:01

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Porque as igrejas desejam tanto entrar na política! Afinal elas devem pregar o Evangelho de Cristo, ou o interesse de receber as beneces do governo. Como disse Jesus:"Daí a César o que é de César e a Deus o que é Deus".

  2. Com idêntico argumento o TSE deve proibir também que jornalistas, sindicalistas, professores ou qualquer líder de associação emitam opiniões em seus discursos contra ou a favor de qualquer candidato.

    1. Bem interessante esse argumento. Qual a diferença na hora de pedir votos entre um templo, uma sala de aula, uma assembleia de trabalhadores ?

  3. Daqui a pouco, ser corintiano, sãopaulino, flamenguista também será passível de discussão no STF por influenciarem eleitores. Não é verdade Crusnãoé?

  4. O maior absurdo é proibir as pessoas de falar em política em qualquer lugar que seja. Não é possível que vi jornalista na Globo News defender a ideia de que religiosos não podem falar de política nos cultos. Não sou religioso, mas até quem fez curso de massinha 1 sabe que isso é censura da grossa. Até a velhinha de Taubaté ficou escandalizada. Então deveria ser crime políticos populistas que prometem aquilo que nunca cumprirão. Sabe, isso é ridículo.

Mais notícias
Assine
TOPO