Divulgação

‘A corrupção sempre contra-ataca’, diz Bruno Brandão, da Transparência Internacional

18.10.20 12:12

Pelo segundo ano consecutivo, a Transparência Internacional publicou um relatório sobre os retrocessos no combate à corrupção no Brasil. O trabalho diz que houve uma piora no quadro geral nos últimos doze meses, principalmente devido à interferência política em órgãos de controle. O diretor-executivo da Transparência Internacional no Brasil, Bruno Brandão (foto), de 38 anos, conversou com Crusoé pelo telefone.

Há um ano, um relatório da Transparência Internacional apontou retrocessos no combate à corrupção no Brasil. O que mudou de lá para cá?
Aquele foi o nosso primeiro alarme. De lá para cá, a situação se agravou. A ingerência política nos órgãos de controle atingiu seu ápice na renúncia do ministro da Justiça Sergio Moro, que saiu do governo fazendo pesadas alegações. A nomeação de um procurador-geral (Augusto Aras) fora da lista tríplice no ano passado também foi um fator negativo, que nós já vínhamos apontando no primeiro relatório. Essa escolha desrespeitou uma prática que vinha se consolidando e que tinha dado maior independência ao Ministério Público. Nos doze meses seguintes, nossos medos se confirmaram. Atos e declarações graves do procurador-geral da República geraram um descrédito e uma desconfiança muito grande. A situação no Judiciário também definhou. Esse agravamento se deu principalmente nos recessos do Judiciário, quando o ministro Dias Toffoli assumiu o comando das apelações e decisões de urgência. Aí se acumularam diversas decisões altamente controversas que beneficiaram réus poderosos em casos de corrupção. No Congresso, não tivemos nenhum avanço de reformas significativas contra a corrupção. Algumas propostas na lei de lavagem de dinheiro e na lei de improbidade administrativa podem ter efeitos perigosos. Por fim, temos notado um aumento das hostilidades contra jornalistas investigativos.

A que se atribui essa piora?
Nas três décadas de experiência da Transparência Internacional, aprendemos uma máxima: a corrupção sempre contra-ataca. Depois que se fez um empenho vigoroso no país contra a corrupção, quebrando paradigmas de impunidade e prendendo réus poderosos, ocorreu uma desestabilização do antigo sistema, um desequilíbrio político. Sabíamos que fatalmente viria o contra-ataque da corrupção. Seus agentes são capazes de se organizar, muitas vezes de maneira coordenada, para resgatar o status quo. Assim, eles podem garantir novamente a impunidade e até se vingar daqueles que os perseguiram.

A postura do presidente Jair Bolsonaro, que afirmou ter acabado com a Lava Jato, está por trás desses retrocessos?
Sempre que um país entra em uma situação de deterioração democrática, os órgãos de controle são neutralizados. Isso ocorre porque, por natureza, eles são um limite ao poder constituído. Então, esses órgãos sofrem com redução de autonomia e perda da capacidade técnica. No Brasil, o combate à corrupção foi capturado por um projeto populista e autoritário, e as instituições de combate à corrupção foram as primeiras a sofrer. Nenhum país do mundo venceu a corrupção dando uma “voadora no pescoço”, como afirmou o presidente.

No primeiro relatório, a Transparência Internacional tinha apontado que o Congresso seria o espaço mais legítimo para o debate e aprovação das reformas necessárias para a luta contra a corrupção. O sr. tem visto um esforço por parte dos parlamentares?
O Congresso e o Supremo Tribunal Federal tiveram papel importante na consolidação dos marcos legais que possibilitaram o surgimento da Lava Jato. Mas hoje está claro que, dentro dessas instituições, há grupos querendo promover a impunidade. Ultimamente, eles ganharam força e o equilíbrio de forças se alterou. O presidente disse que acabou com a Lava Jato, mas muito mais grave que isso foi solapar as condições que permitiram que a Lava Jato e outras operações contra a corrupção surgissem. Se o país deixar isso acontecer e não avançar com reformas legais e institucionais, veremos a repetição de episódios lamentáveis e vergonhosos que atentam contra a dignidade da sociedade brasileira, como esse do senador (Chico Rodrigues) pego com dinheiro na cueca. Vamos ver cuecas mudando de cor, mas não vamos ver o problema acabar.

O senador Chico Rodrigues era o vice-líder do governo no Senado. Que conclusão podemos tirar daí?
Todo país que conseguiu controlar a corrupção fez isso com uma combinação de boas leis, instituições melhores e uma cidadania ativa. Nada disso combina com a armadilha da solução populista e autoritária para um suposto enfrentamento da corrupção.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

Só R$ 1,90* no primeiro mês

Edição nova toda Sexta-Feira. Leia com Exclusividade!

Assine a Crusoé

*depois, 11 x R$ 14,90

Deixar para mais tarde

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Sem tapar o sol com a peneira, gostaria que alguém me indicasse como governar um país com a corja mais indecente que nós eleitores colocamos nesta palco como atores principais ? E, consequentemente, com este judiciário perdulário e corrupto ? E este executivo inchado e inútil ? Ou seja, como já dito, um governo que é o problema, não a solução. Pobre Brasil !

  2. Eu acho que vivo num outros país... eu vejo a PF atuando direto e reto, aumento significativo do efeito da PF, não vi até o momento nenhuma ministro, nenhum diretor de estatal ou banco publico, sendo preso por corrupção (isso signifa que não há ou não há investigação?) os problemas que vemos são políticos gerados pelo Congresso e pelo STF... acho que a critica deveria ter sido canalizada melhor.

  3. Casos de corrupção no Executivo e na gestão atual são desconhecidos, senão a mídia já os teria descoberto e colocado a boca no trombone, porque a investigação por ela, nesse ponto, é ferrenha. Aliás, quem menos contribui para o combate à corrupção é a própria mídia tradicional, que sonha voltar ao status quo e se abasteceer com os cofres generosos do governo, como era nas administrações petistas. Por favor, não confundam corrupção estatal, do Executivo, com corrupção do Legislativo e Judiciário.

    1. José, você é simplemente o maior imbecil que aqui comenta; cite as fontes, idiota.

    2. Que tal o subsídio de 600bi para os grileiros? Se isso não é corrupção, então creio que você precisa revisar urgentemente o seu dicionário.

    1. O CAPITÃO TRAIRA mamou quase 30 anos nas tetas desse congresso imundo.....Brasil Pátria Amada...Papinho furado...Tá junto e misturado aos VERMES q dominam o PAIS a décadas.Basta olhar quem o cerca.Tudo RATAZANA

  4. Perfeito. O Brasil está em solo retrocesso. Ou o Brasil se livra do Bozo ou o país entrará novamente em uma crise permanente. Já estamos novamente em recessão. Pior: já temos novamente uma década perdida! Nenhum país aguenta tanto.

  5. Excelente análise. Como um mau militar que planejou explodir bombas em quartéis , autor do plano terrorista Beco sem Saída, tendo erguido o seu maior troféu como presidente “Acabei com a lava Jato “, não tem corrupção no meu governo,sem explicar as rachadinhas, lavagem de dinheiro, $89mil depositados por Queiroz, compra com $$ vivo de imóveis e outros ilícitos praticados pela FAMILÍCIA. Será que BolsoNero tinha propósito de acabar com a corrupção ou é psicopata adepto de uma milícia mafiosa ???

    1. O maior 171 eleitoral dos últimos 30 anos.Pagou de bom moço. E o POVO mais uma vez abraçou....Sujeito despreparado intelectual e moralmente.Otimo ator,reuniu o q ha de pior na politica....Bando de ABUTRES.Tão cagando pro POVO. Só nas URNAS conseguiremos nos livrar desse LIXO....Não a REELEIÇÃO.....De presidente a vereador.Exterminio total desses Vermes nojentos.

  6. E o STF, a maior causa da corrupção que ocorre ? Não foi só Marco Aurélio, a maioria dos ministros, em especial Gilmar, Toffoli e até Fachin quando proibiu as forças de segurança de proteger as pessoas nas comunidades. A ordem era "retirar Bolso", o que vc faria ? Chama-se Legítima Defesa usar de meios, que podem até se confundir com corrupção, mas se tivéssemos uma imprensa correta seria relatado diferente. Chantageado e sabotado Bolso tomou medidas menos invasivas possíveis para se manter.

  7. SE EXISTE UM ÓRGÃO QUE NÃO MERECE A MENOR CREDIBILIDADE É A TRANSPARÊNCIA INTERNACIONAL. SIMPLES ASSIM. É PRECISO QUE ESTES ÓRGÃOS, SE REORIENTEM. TRABALHAR A FAVOR DE CRIMINOSOS, COM O ATUAL NÍVEL DE INFORMAÇÕES É UM SUICÍDIO, OU ENTÃO SEUS FINANCIADORES NÃO SE PREOCUPEM COM OS RESULTADOS.

  8. A fórmula do antídoto contra o ""contra-ataque"" da marginalha geral: CONJUNTO ***POVO BRASILEIRO DECENTE, PRESIDENTE SÉRGIO FERNANDO MORO E O SEU-NOSSO TIME DOS SONHOS***!!!!!

  9. Quando lembro de toda luta, das dificuldades para conseguirmos Leis q auxiliassem o combate à corrupção e q em menos de 2 anos o velho sistema corrupto enraizado nos 3 poderes da República conseguiu rapidamente distorcer, adulterar, mudar os rumos... Sem o menor pudor... perco as esperanças de ver o nosso Brasil como um país melhor para se viver e trabalhar!

  10. No início o Bolsonaro tinha mesmo o propósito de combater a corrupção. Não foi a toa que ele colocou o Moro como ministro da justiça. O sistema (esquerda, rede globo, OAB, boa parte da imprensa, etc) reagiu fortemente, investigando toda a vida do Bolsonaro. Como não encontraram nada, foram na família dele e encontraram algumas coisas bem menores que nos tempos de PT, mas encontraram. Foi a forma de atingirem o calcanhar de aquiles do Bolsonaro e o chantagearem com a possibilidade dele ver seus f

    1. "Nos tempos do PT". Essa narrativa padrão para passar pano não cola. Tanto PT quanto o sem partido bolsonaro não prestam. Corruptos de marca maior.

    2. Tarsa, Bolsonaro simplesmente soube ouvir o que a sociedade queria - combate severo a corrupção - e inseriu esse discurso em sua plataforma. E ainda usou a figura emblemática de Sérgio Moro para encenar seu novo papel. Bem parecido com o que Collor fez. Ambos, e incluo nisso tb o PT, cometeram um grande estelionato eleitoral. O grande erro de nós brasileiros e acreditar em salvadores da pátria. Temos que aprender a buscar a história dos candidatos antes de darmos nosso voto a eles.

    3. Tarsa eu acredito q o Bozo enganou o Moro e a todos os brasileiros. Ele nunca foi a favor do combate a corrupção. Desfiguramento do COAF, da Inteligencia da Receita Federal e do pacote anticrime, colocação de um PG q não procura nada alias é um Petista de carteirinha, virou amigão do Tofolli e do Gilmau Mendes, etc...

    4. O Bolsonaro nunca quis combater a corrupção, pois sempre fez a tal rachadinha qdo era deputado . Os filhos fazem a mesma coisa. E os 90 mil depositado pelo Queiroz na conta da Micheque?

  11. A mesma ladainha de sempre... chavões, platitudes, lugares comuns, slogans.. enfim, mais um papagaio repetindo a mesma conversa mole desde q me conheço por gente... enquanto tais “medalhões” e suas mesmas “mediocridades” continuarem a ser referendados, ouvidos e seguidos continuaremos na lama..

  12. Os esquerdopatas estão em silêncio, esperando o circo pegar fogo, cuidado brasileiro pagador de impostos, eles querem voltar como salvador da pátria, quem não quer votar em forma de protesto, não esqueça eles votam no Lula ladrão e outros da quadrilha, essa história não pode repetir no Brasil.

    1. Verdade. Perdendo votar em algum candidato referendado pelo Moro, ou no próprio, caso seja candidato.

  13. Infelizmente a pandemia possibilitou que a "formula Sales" de aproveitar para passar a boiada fosse posta em prática. Só que isso foi muito mais amplo do que o dublê de ministro falou. Está sendo aproveitado pelos três poderes, enquanto o povo não pode ir para as ruas.

  14. Com a decepção que está sendo o Bolsonaro, espero que os eleitores abram os olhos e enxerguem o embuste do qual fomos vítimas ao votar num mentiroso, roubou nossos sonhos e esperança de um Brasil decente.

  15. A declaração pública do Familícia “acabei com a Lava Jato” é muito pior do que as “pedaladas da Dilmanta; se tivéssemos homens públicos de caráter e brio no Congresso. E logo a seguir outro show de asneiras , “porque não tem corrupção no governo” . Nem 24 h após mais uma mentira descarada, a PF encontra na bunda do Senador Líder do Governo e amigo de longas datas do BolsoNero psicopata.

  16. Pois é, o Dr. Moro vai fazer muita falta para o combate da corrupção, mas fico preocupada também, que volte o tempo da total esculhambação, onde era uma festa no meio dos corruptos, que nunca imaginaram serem punidos na época das vaquinhas gordas. EXCELENTE MATÉRIA! MORO 2022!

  17. Surreal. Votei em Bolsonaro que prometeu firmeza no combate a corrupção. justo no seu governo acontece o maior retrocesso no combate a corrupção .inclusive com todos os corruptos condenados ou investigados fazendo parte do governo.

    1. Maria você jamais votou em Bolsonaro. Se o tivesse feito enxergaria e compreenderia que a maior causa da corrupção é o STF. Essa decisão de Narco Aurélio só apareceu porque ultrapassou demais, como o Rato, se tivesse "roubado o normal" não teria caído. No Brasil só os excessos macabros são julgados dos donos do poder, o STF, por exemplo. Bolso teve que se aliar com quem não gostaria por Legítima Defesa. Vc sabe, que MORO terá que poupar SERRA entre MUITOS outros, afinal são amigos de longa data.

    2. Poucos não se decepcionaram com o presidente JB Votaria no Moto com tranquilidade, mas acho que ele não sairá candidato

Mais notícias
Assine
TOPO