Carlos Fernandodos santos lima

Sou amigo do Gandola

24.07.20

“Quem me mandou aqui foi o Gandola!” Esse foi um dos bordões humorísticos mais repetidos no Brasil nos anos finais da ditadura militar. O personagem de Jô Soares, ao se candidatar a um emprego, lembrava sempre ao dono do negócio que o tal Gandola era seu padrinho. Mas não bastava ser aceito por conta da influência deste, o personagem sempre queria cargos e benefícios melhores, repetindo “veja bem, quem me mandou aqui foi o Gandola!”.

O pitoresco desse personagem foi que, somente após um ano e meio de programa, a censura percebeu que Gandola se referia a uma espécie de túnica que faz parte do uniforme militar e determinou a troca do nome de tal padrinho, pois o Gandola, por óbvio, era a referência aos militares no poder e à pequena corrupção do apadrinhamento, tão comum no Brasil.

Interessante que esses dois fenômenos repetem-se hoje na farsesca república que vivemos. Os Gandolas continuam por aí, como sempre, e quando descobertos, muitas vezes, recorrem ainda à censura como forma de calar a crítica legítima. Esses “amigos do rei” transitam de bermudas por palácios de Justiça, alcançam medidas judiciais inéditas para seus ricos clientes, ofendem agentes públicos por terem tido a ousadia de tentar fazer valer a lei para todos, enfim, dormem com nossa prostituída República na cama, local e maneira que escolhem.

Mas a república é um conceito tão caro para nossa Constituição como a própria democracia. Coisa pública significa em seu sentido último a igualdade de todos perante a lei. Entretanto, poucas coisas são tão vilipendiadas quanto essa igualdade. Falamos em cidadãos comuns, como se a palavra “cidadão” pudesse ter restrição em si mesma. Somos todos simples e unicamente cidadãos, ou então, se há pessoas privilegiadas, ninguém o é realmente!

Nesse sentido, um dos efeitos colaterais da operação Lava Jato foi a exposição dessa realidade, que se escondia sob uma camada de verniz, quase nos fazendo acreditar que o país tivesse atingido uma maturidade institucional em que o “sabe com quem está falando?” não tivesse mais lugar. Infelizmente, logo após a eleição de Bolsonaro e a não reeleição de parcela significativa do Congresso Nacional, houve a percepção desses privilegiados de que, se não reagissem, haveria uma mudança significativa dessa estrutura de privilégios e relacionamentos escusos.

Esse foi realmente o pacto tão noticiado nos primeiros meses de 2019. Um pacto pela reação contra as tentativas de mudar o status quo que tiveram início com as gigantescas manifestações de rua de 2013. Um pacto da elite do poder, especialmente Dias Toffoli, Davi Alcolumbre, Rodrigo Maia e Jair Bolsonaro — este último constrangido e pressionado pelas revelações do rachid nos gabinetes de seu filho Flávio e de nepotismo em seu gabinete parlamentar —, para que esse sistema odioso de privilégios se perpetuasse.

Como em O Leopardo, de Lampedusa, a única mudança permitida seria aquela que mantivesse tudo como estava antes. E assim, essas cabeças dos três poderes soltaram seus sabujos, uma renca de homens pequenos, ávidos de ascender ao poder, bajuladores e sem limites ou pudor, para destruir qualquer tentativa de mudança.

Esse movimento explica totalmente os dois últimos anos, desde o famigerado inquérito de Alexandre de Moraes, com sua tentativa inicial de censurar a revista Crusoé, os repetidos procedimentos disciplinares contra Deltan Dallagnol, o desvirtuamento do pacote anticrime em mudanças que dificultam ainda mais investigações, prisões e colaborações premiadas, a edição de uma lei de abuso de autoridade que visa a punir e constranger policiais, procuradores e juízes, a intervenção de Augusto Aras na independência das forças-tarefas do Ministério Público Federal e até as seguidas decisões judiciais restringindo e paralisando investigações.

Comecemos com Rodrigo Maia. Em entrevista recente, o nosso pouco humilde presidente da Câmara dos Deputados defendeu Augusto Aras e insistiu na fiscalização e “correção” dos comportamentos que ele entende abusivos de procuradores da República. Infelizmente, ninguém lhe perguntou, já que gosta tanto de criticar a ausência de punição adequada aos membros do Ministério Público, sobre a absoluta falta de processos disciplinares da Câmara dos Deputados contra os inúmeros parlamentares, alguns condenados por crimes graves.

Temos também Alcolumbre, que se move para alterar a Constituição Federal e permitir a sua reeleição — e Maia vai de reboque na Câmara dos Deputados — para um segundo termo consecutivo na presidência do Senado. Sua defesa das prerrogativas dos senadores — na verdade infundados privilégios — vai ao ponto de solicitar ao Judiciário que mantenha em sigilo as notas fiscais que justificam despesas da cota parlamentar, impedindo assim a transparência e a fiscalização da imprensa e do povo. Despesas estas, diga-se ainda, que convenientemente explodiram durante a sua gestão.

O governo Bolsonaro não fica atrás. Não fosse o absoluto descomprometimento do presidente com o combate à corrupção, bandeira maior que o elegeu, em um verdadeiro estelionato eleitoral, Bolsonaro ainda ignorou solenemente a lista tríplice de candidatos ao cargo de procurador-geral da República oferecida pelos membros do MPF, uma garantia implícita de independência do PGR, e escolheu um advogado que fazia as vezes de membro do Ministério Público, e que tem desenvolvido um vigoroso trabalho de destruição das forças-tarefas de investigação, bem como minando a garantia de independência funcional dos procuradores.

Por fim, mas na verdade a epítome de todos esses fenômenos, está a presidência de Toffoli no Supremo Tribunal Federal, sem sombra de dúvida a pior presidência em toda a história do STF. Não somente pela fraca argumentação jurídica de seus votos, alguns tão contraditórios que precisam ser traduzidos do javanês, mas especialmente pela intransigente e indecente defesa da política “tal qual ela é”, ou seja, do imoral e obsceno festim de privilégios e desrespeito às leis e à Constituição que ela é hoje.

Assim, sob esse ponto de vista, podemos entender a suspensão durante meses do compartilhamento de informações do Coaf com o Ministério Público a pedido da defesa de Flávio Bolsonaro; a decisão de autorizar, em detrimento da segurança das informações, o compartilhamento de todos os arquivos de todas as investigações do país para a PGR; a decisão de suspender a busca e apreensão no gabinete do senador José Serra; e o arquivamento liminar de pedido de investigação das relações do presidente do STJ e seus filhos em processos naquela corte. Em tudo, mesmo de partidos e interesses diferentes, há o mesmo desejo de que tudo fique como está.

Esse é o Brasil que teima em não morrer. Um país em que o mecanismo de privilégios tem quinhentos anos, onde as peças mudam mas as justificativas dos privilégios continuam existindo. Um Brasil em que, para humilhar um servidor público, um desembargador passa a lhe dirigir a palavra em francês, ou que um dirigente da Petrobras, ao ser preso, diz indignado: “Que país é esse?”. Uma camarilha de privilegiados que perpetuam um país injusto e desigual. Esse Brasil de foro e pessoas privilegiadas, de Gandolas e amigos dos Gandolas deve morrer. E somos nós, cidadãos, que devemos matá-lo.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

Só R$ 1,90* no primeiro mês

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

*depois, 11 x R$ 14,90

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Felipe Moura Brasil, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Um país onde apesar de tudo isso esfregado na cara de todos,as pessoas se dividem e viram torcidas q se odeiam,pensam está em extremos diferentes,mas servem a um bando só,a dos privilegiados do poder. Texto maravilhoso, porém triste.

  2. O Gandola e todos os seus amigos tem que desaparecer da face da Terra.Temos que nos unir,pois percebo que uma força maligna e poderosa vinda do executivo despertou todos os Gandolas de Brasília e do Brasil afora.Não podemos permitir este estelionato eleitoral DESCARADO nunca visto.É o fascismo de mãos dadas com a corrupção.

  3. POR FAVOR, QUE ESTE TEXTO MARAVILHOSO E SIMPLESMENTE ESCRITO COM TODA A VERDADE DA NOSSA REALIDADE SEJA ABERTO AO PÚBLICO.ESTE TEXTO É O TIRO NO ALVO!!!QUERIA PODER COPIÁ-LO PARA DIVULGAR!!!

  4. Não sou seu amigo, e muito menos do Gandola. Mas tornei-me seu fã, desde os idos da Lava Jato. Texto quase que assustador, se não se apresentasse como tão necessário e didático no resgate da nossa triste realidade. Cerremos fileira, nobre procurador, pois ainda há a esperança do voto/bala de prata em Moro/2022. Nunca desistiremos do Brasil.

  5. Soberbo todo o texto, nada a acrescentar ou retirar. Se todos tivessem a honestidade de ser e pensar desta forma, teríamos im país melhor!!

  6. Sem partidarismo, será que só nós conseguimos ver a verdade. Toffoli, Maia, Alcolumbre, Aras, Bolsonaro, hoje no comando das maiores instituições da República, não estão a altura de seus cargos

  7. Análise perfeita, desnudando todas raposas felpudas da República, se é que a podemos chamar assim. Meus cumprimentos, Dr. Carlos Fernando. É de pessoas como o senhor que precisamos nas altas cúpulas.

  8. Uma síntese extraordinariamente perfeita do momento político do nosso país. O povo brasileiro honesto, precisa reagir com urgência, antes que esses presidentes da Câmara, Senado , STF, Brasil e Procurador Geral, consigam extinguir o mais brilhante trabalho do Brasil nos últimos anos, que é a Lava Jato.

  9. Estamos em pós-2022, Moro eleito, escolhe um PGR inimigo, um STF que é o que ele é, o Presidente tem que lidarcom um Congresso feroz, com um centrão ávido por cargos, senão não se move a máquina e as reformas. Entendeu, que se não mudar essas instituições não vai mudar nada? Não adianta ficar batendo em Bolsonaro, ele é vítima. O próximo presidente será a próxima vítima. O texto comunicou muito bem isso, parabens.

  10. Texto magistral, Carlos. Lhe indago apenas o seguinte: não seriam, os personagens citados, também sabujos de setores influentes e poderosos de nossa sociedade? Será que tudo se inicia e se encerra no âmbito do Estado? Qual o papel do poder econômico, do PIB nacional, nesse estado de coisas.

  11. Fazia tempo que não lia um artigo tão bom. Sintetizou primorosamente o Brasil que temos que combater, para termos um dia o Brasil em que queremos e nos orgulharemos de viver.

  12. Um primor de artigo. Tenho um sonho de ver Moro na presidência, com Carlos Fernando, Dellagnol em sua equipe de primeira linha.Este país merece e carece emergencialmente de pessoas dignas e competentes em seu comando.

  13. luto todos os dias para ainda crer. luto todos os dias tentando mostrar para quem está ainda crendo e lutando em quanto cumpro minha quarentena que sim na hora que eu puder e precisar de mim estarei lá. maravilhoso o seu texto

  14. Perfeita análise! A grande dificuldade é descobrir um método que funcione contra essa ORCRIM. A Constituição determina que políticos não podem legislar em causa própria. Mas SE políticos investigados frequentam as casas legislativas, por óbvio irão fazer exatamente o que seria inconstitucional.

  15. 👏🏼👏🏼👏🏼👏🏼👏🏼👏🏼👏🏼👏🏼👏🏼👏🏼👏🏼👏🏼👏🏼👏🏼👏🏼👏🏼👏🏼👏🏼👏🏼👏🏼👏🏼👏🏼👏🏼👏🏼Bravo! Bravíssimo!!!

  16. "O pior presidente de toda a história do STF" já apareceu em anexo da delação de Léo Pinheiro, ex-presidente da OAS. Aquele que providenciou um apartamento no Guarujá para Lula e uma bela reforma na casa de Toffoli. Também recebia uma mesada de 100.000,00 da mulher advogada. Não passou em concurso para juiz de 1a. instância.Provavelmente porque as provas não eram em javanês.

  17. Tres poderes, tres rabos amarrados em um nó que só uma revolução popular eternamente esperada pode desatar. Enquanto isto continuamos vivemos em um sistema de castas que dão inveja à India ou aos regimes "comunistas" da Rússia e da China.

    1. Disse o que nós gostaríamos de dizer. E nenhuma contestação da parte dos citados pode mais calar a voz da revolta que se apossa do brasileiro, ao ver o Brasil forçado a andar pra trás em favor dos privilegiados de sempre. Precisamos de reação forte, de vozes corajosas! Parabéns!!!

  18. Parabéns Dr. Carlos, seu artigo traduz muito bem o que acontece na republiqueta dos e das bananas. Moro 2022 e precisaremos muito do senhor ainda.

  19. Não entendo que Bolsonaro e Aras tenham abandonado a bandeira de combate à corrupção. A LJ Não só está andando como seu governo ainda não teve corrupção. Faz um bom governo apesar do Congresso, do STF, da imprensa e dos comunistas perdedores das eleições.

    1. ARAS é um daqueles procuradores da república que ingressaram np MPF antes da CF/88 e conservaram o direito adquirido de poderem advogar, concomitantemente. Sempre priorizou a advocacia privada, relegando o múnus público à equipe do gabinete na na Procuradoria. Soma-se a isso sua forte influencia cultural de toda uma geração de sua terra natal que cresceu e se formou sob a égide do “carlismo”, introjetando em seu âmago uma excessiva tolerância como que há de pior nas velhas práticas da política.

  20. Texto irretocável ... Porém , Carlos Fernando é só cidadão comum como nós ... infelizmente nossas palavras são um instrumento ineficiente para mudarmos o sistema ... somos muitos mas por incrível que possa parecer não conseguimos mudar nada ...

    1. Só uma revolução civil sangrenta será eficaz. Enquanto não vier seremos iludidos facilmente por salvadores da pátria.

  21. Excelente texto! Retrata muito bem a situação do Brasil no momento. Chama a atenção para a responsabilidade dos cidadãos no hora do voto para rompermos com este “mecanismo”.

    1. Só o voto não resolve.O povo unido tem que cobrar postura ética e moral.

  22. Brilhante texto! Análise impecável da realidade brasileira. A primeira luz contra a corrupção no país veio com o surgimento da Lava-jato. Agora vejo que foi a única. E seu enfraquecimento causa desesperança.

  23. Excelente e corajoso artigo. Disse o q pensamos de algumas figurinhas carimbadas da República. Cada vez q leio/escuto o Sr., o Moro e o Dallagnon percebo pq a Lava Jato chegou longe: competência e coragem. Precisamos vencer estes corruptos protegidos na lei e no voto. Não dá para reeleger certas figuras e suas proles.

    1. Onde existe a "cultura" de comprar e vender votos,fica difícil.Pior! com o nosso dinheiro e nas barbas doTSE.

  24. Em tempos de pandemia - 80 mil mortos, isolamento social, desgoverno etc.- todos andamos com o moral meio baixo. Depois de ler o magistral artigo do ex-Procurador, confesso que minha expectativa de mudança (pra melhor) nesse pobre país ficou abaixo de barriga de serpente. Nunca tomei Lexotan, mas acho que vou ter que ir até a drogaria mais próxima...

  25. Vamos ver até quando Alexandre de Moraes vai deixar publicar os artigos de Carlos Fernando. E a grande imprensa muda diante da decisão do delegado-promotor-juiz fazendo censura prévia. Tudo por medo da CPI da Lava Toga.

  26. Posicionamento democrata e republicano inspirador. Milhões de cidadãos bem que tentamos em 2018. Fomos logrados. 2022 nova oportunidade. Vamos à luta. É preciso

  27. Foi essa a mensagem incompreendida (ou mal explicitada) do senador Álvaro Dias, de refundar a República. Não podemos desistir, precisamos tentar nas próximas eleições, votar em candidatos e candidatas comprometidos com o fim dos privilégios da classe política

  28. Esse texto está bom. Já começou a se soltar na escrita e criticar o STF, Maia e Alcolumbre. A limpeza do Brasil passa por aí muito mais do que se centrar apenas na figura do presidente. Sem instituições como essas citadas funcionando decentemente não há NENHUMA POSSIBILIDADE de o país evoluir!

  29. Pois é, mas como matá-lo ???? São pessoas com foro e privilegiadas. O Toffoli se acha um rei, e às vezes toma decisões como se o fosse. Cuidado, suas redes sociais podem ser excluídas

  30. Perfeita a sua análise sobre o sistema que nos cerca. Faltou somente uma abordagem sobre o centrão, no qual incluo o MDB, e sua característica de prostituição, se deitando com quem está no poder e recebendo por isso. Sempre me lembro da piada de Deus ponderando com americanos, japoneses, russos sobre os privilégios do Brasil - que não tinha vulcão, terremoto, furacão, tsunami e tinha um solo e clima riquíssimo - ao que Deus retruca ponderando: mas vocês vão ver o “ povinho” que vou colocar lá!

    1. Pois é. Que povinho!!!!! De onde vem tanta arrogância? A elite do poder é podre.

  31. Emfim uma matéria razoavelmente palatável. Faltou falar da mídia corrupta, peça fundamental na engrenagem desse mecanismo. Crusoé, infelizmente, não é exceção.

    1. Edney,se achou o tema PALATÁVEL, parabéns pro seu estômago.É rir pra não chorar.

  32. Excelente.Parabens. A "tríade" está formada, como nos filmes onde o impera o desmando,corrupção e perseguição .Não cabe super heróis, mas sim a quebra da "tríade".Começar por qual dos braços ? .Na minha modesta opinião,pelo legislativo.Forme uma frente "muda congresso", com vários políticos decentes, agentes públicos, lideranças da nossa sociedade civil. Quantas leis não ficaram para traz? .Inclue o Moro nessa "boa onda" , e ocupem o congresso.

  33. Gostaria de ver o Dr. Carlos Fernando no Senado. Lá, faltam maturidade, compromisso com a verdade, com o Brasil e seu povo e um mínimo de vergonha na cara, desfastio necessário, urgente e, há muito, atrasado.

  34. Muito bom Dr. Carlos Fernando! Eu continuo sendo amiga de mim mesma. E a única forma de acabar com esse sistema, é sendo cidadãos e mostrando pelo voto, que quer mudanças.

    1. Instalou-se no país as castas legislativa , executiva e judiciária, no VOTO temos a chance de destituí-las.

  35. Admiro sua coragem, sua lucidez e sua resistência intransigente em favor da democracia e da república com que sonha todo cidadão de bem. Em 2018 milhares de cidadãos tentatar matar esse Brasil “de foro e pessoas privilegiadas”. Não conseguimos. Fomos logrados. Em 2022 teremos nova oportunidade, vamos à luta, é preciso.

  36. Admiro seu combate incansável, sua resistência intransigente. Obrigada. Em 2018 milhares de votos dcidadãos tentaram matar esse Brasil, mas não conseguiram. Em 2022 teremos nova oportunidade. Vamos continuar lutando

  37. Parabéns pelo brilhante , forte e lúcido texto. Raciocínio lógico brilhante e, infelizmente " um soco no estômago " do brasileiro crítico e atento a esse vergonhoso momento que estamos vivendo em nossa Pátria! Congresso Nacional que não nos representa em sua gde maioria! Mais de 30 siglas partidária só patifarias que colhemos. Geração perdida...de novo...

  38. Excelente a analise... vergonhosa a degradação politica que a cada eleição só faz desacreditar e empobrecer o pais. Até quando essa profissão de políticos da roubalheira, vai se perpetuar pela proteção das leis ??

  39. Fazem as leis para se perpetuarem e manter o status quo, e têm o Tesouro para comprar votos nas eleições. Só uma Revolução Francesa muda isto.

    1. Pensei a mesma coisa quando ele disse que temos que matá-lo. Acho que só na guilhotina mesmo, para dar um pouquinho de medo, porque eles, os poderosos, não têm o mínimo medo do Povo. Eu começaria com a cabecinha sebosa do Dias Toffoli.

  40. O Brasil precisa de mais Carlos Fernando , registro aqui minha admiração pela sua sensatez , valores democráticos e de justiça

    1. pena que não tenha espaço para um trabalho para mudarmos todas às irregularidades! iniciamos a viagem e somos surpreendidos com à turma do Bozo contrariando.....

  41. A República foi capturada de vez pela bandidagem que opera a luz do dia. Toffoli essa excrescência de presidente, por falta de conhecimento jurídico e caráter, está lá para fazer qualquer coisa.

  42. Dr não podemos esperar mais nada dessa estrutura de poder.Temos um presidente da mais alta corte, que segundo o noticiário ,jamais conseguiu ser aprovado em concurso para juiz de primeira instância.Foi advogado do partido político mais corrupto da história da república e por isso foi assessor da casa civil, quando o corrupto José Dirceu estava sentado na cadeira de ministro.Será preciso mudar a constituição, ,para que ocorram as transformações e as mudanças necessárias .

  43. Texto perfeito do ex procurador CARLOS FERNANDO, agora advogado. Aponta com meridianos clareza os malefícios que os políticos perniciosos causam ao povo brasileiro. Ele é o doutor MORO continuam na trincheira dos incansáveis lutadores contra a corrupção!!!

  44. Excelente texto. Expressou com precisão o grito que está entalado na garganta dos brasileiros que tem consciência política e que não aguentam mais o tratamento privilegiado dos poderosos (fico imaginando o quanto se divertem as nossas custas a cada decisão descabida que tomam em detrimento da sociedade).

  45. Perfeito! Demonstrou de forma concisa e clara a realidade do país que insiste em permanecer como outrora. A mudança é de todos. Começa com o voto, instrumento tanto importante, porém, desvalorizado. Unamos os esforços e conscientizemos os familiares, os amigos para mudar esta realidade triste. Temos as redes sociais como aliada e se soubermos utilizá-las, poderemos contribuir com nosso país. Parabéns Carlos Fernando, pela excelente matéria.

  46. SÉRGIO MORO em 2022 será nosso “PRESIDENTE LAVA JATO PURO SANGUE”! O Brasil finalmente terá Um Governo Fundado no “IMPÉRIO DA LEI”! Triunfaremos!

  47. Nossa condição de miseráveis perante o mundo, Não é uma fatalidade histórica.O texto de Dr. Carlos Fernando,traz a maioria das respostas.

  48. Concordo que nós, cidadãos, devemos unir forças e matá-lo. Mas como se insurgir diante de um sistema que insiste em se manter às custas destes privilégios se todos que ocupam cargos de importância são adeptos do não mudar? Tão logo Moro e os representantes da Lava Jato surgiram como luz no fim do túnel iniciou-se o processo para sua desconstrução, tentando asfixiar qualquer possibilidade de êxito. É pela força? Pela guilhotina na porta do congresso? Até quando?

  49. Sr Carlos Fernando faço de suas minhas palavras!! Mas infelizmente não vejo uma saída com esse sistema politico que temos, e ainda mais com essas pessoas que hora dominam o campo politico e da justiça. Falsos e mentirosos, inescrupulosos, interesseiros, e pouco se preocupando com o futuro do País, pois seus interesses, já estão assegurados.

  50. Excelente artigo. Só indo para as ruas em massa, mostraremos a estes bandidos a nossa ira e indignação. Basta de corrupção! O STF é uma vergonha!

  51. Como pode?Setores da grande imprensa ignorarem essa realidade que nos consome como Nação e desmereceram o soberbo trabalho da Lava Jato? Má fé ou esperteza? Parabéns,Dr. Carlos Fernando.

  52. Não preciso falar muito. Basta dizer ESPETACULAR. Parabéns! Sua crônica, ao mesmo tempo que lavou a minha alma, deixou-me entristecido. O Brasil continua o mesmo. De quase nada adiantaram os nossos esforços. A corrupção está institucionalizada!

  53. um País sem eira nem beira, desgovernado sem dirigente, sem alguém com caracter paraxsegurar as redeas e desativar essa corrente do mal....como ter esperanças

  54. União faz a força...as ruas esperam nosso grito de BASTA E NAS URNAS DEIXAREMOS NOSSO REPÚDIO...REAJA BRASIL..É HORA!

  55. Milagre. Deus é grande!!! Nenhum bolsomínion para encher o saco e dizer que cai cancelar a assinatura. Articulista milagroso esse.

  56. Dois ministros-generais conseguindo nomeações para filhas em órgãos públicos em cargos comissionados. “Quem me mandou aqui foi o gandola!!’”. Kkkk. Muito bom o texto e o Jô Soares sempre foi mesmo um gênio!

  57. Muito bom este texto. E muito bem lembrado o personagem do Jo Soares. Eu lembro bem das carteiradas durante a ditadura militar, que eram impetradas com o orgulho da proximidade com a "nobreza" daquela gente que se dizia, e ainda diz, "de bem". Já desisti deste país. Vou morrer sem ver o futuro,tantas vezes prometido, que não chegará nunca enquanto prevalecer essa mentalidade tacanha, dos que se acham "nobres" em meio a tanto plebeu que os sustenta.

    1. Eu tbm. Lutei nas ruas, andei com estandarte contra o Dias Toffoli a Avenida Paulista e Brigadeiro inteiras. Filiei-me a um partido pela primeira vez, por acreditar em seus princípios. AINDA acredito, mas desisti de ver uma mudança nessa vida. Estou de partida para a Alemanha em 2021. Viver um pouco sem dor de estômago de tanta revolta

  58. Excelente e historico artigo que pelo bem do Brasil a Crusoé poderia liberar o acesso a todos os que se interessarem. Parabens ao colunista.

    1. Concordo . Artigo excelente! Liberar seu acesso faria um bem ao país!

  59. Carlos Fernando resumiu nesse excelente artigo o Brasil real do faz de conta e da corrupção instalada, esperar de decisões patrióticas de personagens como Alcalheiros, Botafogo, Tofinho, e outros, é dar murro em ponta de faca.

  60. Parabéns...um excelente artigo...e eu que sou tão cética fiquei mais triste ainda...pois não vislumbro nenhuma mudança...é isso tudo aí...e continuará assim.

  61. Parabéns...um excelente artigo...e eu que sou tão cética fiquei mais triste ainda...pois não vislumbro nenhuma mudança...é isso tudo aí...e continuará assim.

  62. Abalizada matéria da grandeza de seu autor Carlos Fernando dos Santos Lima. Trás com riqueza de detalhes o Brasil daqueles que querem continuar no que sempre foi. A Lava Jato não pode parar, sob pena do Brasil ficar a mercê dos bandidos de sempre.

  63. Os realmente patriotas e honestos tem que achar um meio de educar e conscientizar a população da importância do seu voto para expulsar esses parasitas da política, divulgando os nomes de todos os envolvidos em corrupção.

  64. Excelente artigo. São tantas desilusões que não é fácil acreditar que um dia teremos um Brasil mais justo para todos. Poucos na vida publica tem caracter. Você tem meu respeito. Continue com o megafone lutando por nós.

  65. Carlos Fernando resumiste em poucas palavras o resultado de nossos 500 Anos de história! Nós não veremos essa Nação mudar nunca!

  66. Parabéns, tudo super bem explicado, mas dá uma tristeza, canseira, parece que quanto mais se faz, mais ainda se tem que fazer.

  67. Ótimo artigo, simples e direto, mostrando que o brasileiro precisa valorizar a ética e o caráter ao escolher seus representantes.

  68. Bolsonaro era minha maior esperança depois da catástrofe do abjeto PT que não é um partido mas uma quadrilha! Minha maior decepção vendo o presidente destruir a Lava Jato!! Triste !

  69. Estou chorando. Me emocionei lendo um texto que diz a verdade sobre o Brasil. Me emocionei porque me dei conta que luto contra tudo isso desde 1984. Fracassamos....tristeza danada. Sigamos na luta.

  70. Perfeito!! Temos neste texto a definição do que é o Brasil. Com pessoas como Bolsonaro, Toffoli, Alcolumbre e Maia estamos condenados à mediocridade!!!!

    1. Parabéns! Um dos mais verdadeiros textos sobre a situação em que nos encontramos! Até quando?

    2. Com algumas exceções é claro, o ex procurador está corretíssimo em suas afirmativas, pois expõe a verdade nua crua, somente não exergam quem não quer. É isto aí e ponto final

    3. Fantástico !!!! Parabéns Carlos Fernando . Como disse o Antônio , porque não se candidatar a senador ? Temos que limpar essa gente imunda que está no congresso e senado . o senhor messias cometeu sim estelionato eleitoral. Nem PT, PSDB,MDB, nenhum partido destruiu tanto a operação Lava-Jato, como o senhor messias .

    4. Seria bom que explicasse sua menção ao estelionato eleitoral do Presidente!

    5. Sr. Carlos Fernando, sempre cheio de sí e de razão!!!! Sempre achando que procuradores são santos, principalmente os da República de Curitiba!!!!

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO