Carolina Antunes/PR

A farra dos jetons

Ministros e outros funcionários de alto escalão usam brechas da lei para continuar recebendo pagamentos extras em conselhos de estatais
31.01.20

O major reformado da Polícia Militar do Distrito Federal Pedro César Nunes Marques de Sousa é um dos três integrantes do conselho fiscal do BNDES Participações, a holding do banco que gere investimentos de mais de 114 bilhões de reais. O currículo do PM divulgado pela empresa detalha sua vivência profissional: além do trabalho de policiamento ostensivo da capital federal, ele fez cursos de polícia comunitária e uma formação a distância sobre “uso progressivo da força”. Não há menções a experiências com gestão de dividendos, emissões de debêntures e análise de balancetes – algumas das funções regimentais dos conselheiros fiscais do BNDESPar. Outros pormenores do currículo, contudo, explicam a nomeação: Pedro César foi assessor legislativo de Jair Bolsonaro na Câmara dos Deputados e hoje é o chefe de gabinete do presidente da República. A indicação para o conselho da estatal rende 8,1 mil reais mensais em jetons ao policial, o que alavanca em quase 50% seu salário.

Pedro César Sousa é um dos 268 servidores que recebem remuneração extra para participar de conselhos de empresas públicas. A histórica boquinha para funcionários próximos do Planalto prossegue nesta gestão, apesar do discurso de austeridade do governo. Em 2019, quase 18 milhões de reais saíram dos cofres públicos em forma de jetons. Ganhar vaga no conselho de uma empresa pública é uma ótima oportunidade: os beneficiados embolsam ajudas mensais de até cinco dígitos para participar de alguns poucos encontros dos conselhos das estatais – um por mês, em geral. O chefe de gabinete de Bolsonaro faz parte de um grupo ainda mais afortunado: ele integra dois conselhos. Além de participar da gestão do BNDESPar, ele foi nomeado em outubro para o conselho do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial, o Senac. A instituição integra o Sistema S e conta com três representantes do governo federal. O jetom previsto para o cargo é de 21 mil reais.

O inchaço da máquina pública é uma das razões para as vultosas despesas com jetons. Existem hoje 202 estatais federais, 46 de controle direto e 156 de controle indireto. As 19 empresas dependentes do Tesouro têm uma folha de pessoal bilionária, que drena recursos de investimentos. O ritmo das privatizações foi lento em 2019, mas o governo promete vender 150 bilhões em 300 ativos este ano, se o Congresso aprovar novas regras para agilizar o processo de desestatização. A legislação prevê a indicação de representantes da União para os conselhos de administração das empresas públicas, mas não estabelece a necessidade de pagamento de remuneração. A legislação determina apenas que, se houver pagamento, os jetons não podem ultrapassar, em nenhuma hipótese, 10% do salário dos diretores da empresa. E a regra, obviamente, não obriga os servidores indicados a receberem o extra para integrarem essas instâncias decisórias. Mas a nomeação para a cúpula das estatais não segue a lógica do interesse público. Desde os governos FHC e Lula, os jetons viraram uma complementação salarial de altos funcionários do Executivo e de amigos dos poderosos de plantão.

Marcos Corrêa/PRMarcos Corrêa/PRBento Albuquerque, ministro das Minas e Energia, tem assento em duas estatais da área militar
Quem também teve um chefe de gabinete beneficiado com jetons é o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni. Marco Antônio Rassier Filho, servidor de confiança do deputado licenciado desde os tempos de Congresso Nacional, foi nomeado para os conselhos do BB Banco de Investimentos e da Casa da Moeda. Somadas, as duas remunerações adicionais que ele recebe totalizam 9,4 mil reais. No currículo cadastrado na sociedade anônima vinculada ao Banco do Brasil, responsável por gerir quase 10 bilhões de reais em ativos, Marco Antônio afirma ter “experiência no assessoramento em gabinetes e no contato direto com autoridades e na coordenação de agendas diárias de audiências, reuniões e despachos”. Rassier deixou a chefia de gabinete de Onyx no último dia 7.

No governo Bolsonaro, a farra dos conselhos beneficia até mesmo emedebistas históricos. Braço direito do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha e do ex-ministro Geddel Vieira Lima, ambos presos pela Lava Jato, Carlos Henrique Menezes Sobral conseguiu manter-se no poder graças à mobilização da cúpula emedebista. Hoje, ele é assessor da Secretaria Nacional de Inclusão Social e Produtiva Rural do Ministério da Cidadania, comandado pelo ministro Osmar Terra, do MDB. Desde sua posse na gestão Bolsonaro, Sobral passou pelos conselhos fiscais do Senac e do Sesc – ele segue como titular deste último. Os jetons do cargo são de 21 mil reais por reunião, o dobro do salário que o assessor recebe no ministério.

Postados em altos cargos do Ministério da Educação, o presidente do Inep, Alexandre Pereira Lopes, e o secretário-executivo, Antônio Paulo Vogel, têm vagas no conselho de estatais que não têm qualquer relação com o MEC. Lopes ganha jetons de 3,2 mil reais da Amazul – Amazônia Azul Tecnologia de Defesa S.A. Criada em 2013 para promover o programa nuclear brasileiro, a empresa é vinculada à Marinha e comandada por almirantes. Vogel compõe o conselho da Agência Brasileira Gestora de Fundos Garantidores e Garantias S.A., ligada ao Ministério da Economia e criada para agilizar as exportações brasileiras e projetos de infraestrutura. Também faz parte do conselho da Agência de Financiamento Industrial, uma subsidiária do BNDES. Os dois extras somam 12,5 mil reais. Ambos são servidores de carreiras ligadas ao Ministério da Economia.

Adriano Machado/CrusoéAdriano Machado/CrusoéJorge de Oliveira, da Secretaria-Geral: como Mandetta, ele tem assento no conselho do Senac
A Lei das Estatais, aprovada em 2016, durante o governo de Michel Temer, estabeleceu regras para o processo de escolha de conselheiros. Os representantes do governo em conselhos de estatais devem ter “reputação ilibada e notório conhecimento”. Além disso, precisam atender requisitos como comprovação de uma década de experiência profissional na área de atuação da empresa pública, da realização de atividades vinculadas aos trabalhos da estatal ou de pelo menos quatro anos de exercício em cargos de chefia. Além disso, a lei exige que o candidato tenha formação acadêmica compatível com o cargo e não seja “ficha suja”. O texto, que entrou em vigor em 2018, proíbe a indicação de ministros, de servidores sem concurso, de dirigentes partidários ou de sindicalistas. Veda ainda a escolha de pessoas que possam ter qualquer conflito de interesse com as atividades desenvolvidas pela estatal.

Especialistas reconhecem que a novidade na legislação promoveu uma limpeza nos conselhos, até então tomados de políticos e servidores comissionados. Mas, como quase toda lei, as regulamentações que vieram depois abriram brechas. Um decreto do mesmo ano liberou ministros, por exemplo, para participar de conselhos de estatais que tenham receita bruta inferior a 90 milhões de reais. Um dos beneficiários da exceção é o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque. Com remuneração básica de 49,9 mil reais, sobre a qual incide um abate-teto de 6,7 mil reais, ele recebe jetons que somam 5,9 mil reais – a remuneração extra não é contabilizada para verificação do teto constitucional. Albuquerque preside o conselho de administração da Nuclebrás Equipamentos Pesados, a Nuclep, e da Empresa de Pesquisas Energéticas (EPE). Segundo o Ministério de Minas e Energia, as duas empresas têm receitas inferiores ao patamar legal, o que autoriza a participação do ministro nos dois conselhos.

Outra grande brecha para garantir benesses a ministros está nas indicações para conselhos de entidades do Sistema S. Como são classificadas como entidades paraestatais, Sesc, Senac e Senai não estão enquadrados nas regras. Nesses casos, portanto, o governo pode indicar ministros, servidores sem concurso, sindicalistas e filiados a partidos políticos. Não faltou quem logo arrumasse um jeito de recorrer à brecha. No conselho fiscal do Senac, que garante um polpudo jetom de 21 mil reais, além do chefe de gabinete do presidente, estão dois ministros: o da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, e o da Secretaria-Geral da Presidência, Jorge de Oliveira. Para o conselho do Sesc o governo Bolsonaro indicou Guilherme Afif , assessor especial do Ministério da Economia, e o secretário da Previdência, Rogério Marinho, além de Carlos Sobral, o apadrinhado de Geddel e de Cunha. Completa o time do governo no Sesc Paulo Bauer, ex-senador filiado até hoje ao PSDB que é assessor especial da Secretaria de Relações Governamentais da Casa Civil.

Rogério MarinhoRogério Marinho, secretário da Previdência, também está entre os beneficiários
Para o professor Joelson Sampaio, que coordena a Escola de Economia de São Paulo da FGV e integra o Observatório das Estatais, a lei que impôs limites à participação de altos funcionários públicos em conselhos trouxe avanços. “Acabaram sobrando algumas brechas, mas o saldo é positivo. Houve avanços com relação à independência, à autonomia e à responsabilidade dessas estatais”, explica. “Ficaram, entretanto, alguns critérios subjetivos para avaliar quem está ou não preparado para integrar os conselhos”, acrescenta. Sampaio lembra que esses cargos são importantes para a governança das estatais. “Os conselheiros têm o papel fundamental de zelar pelo valor da empresa, de monitorar a direção e acompanhar a gestão, apoiando projetos estratégicos que agreguem.”

Indagado por Crusoé sobre os critérios utilizados para indicar os conselheiros, especialmente aqueles que ocupam postos no Palácio do Planalto, a Presidência da República informou que não iria responder. Responsável por zelar pelas boas práticas na administração pública, a Controladoria-Geral da União afirmou que incluiu em seu planejamento para este ano uma análise sobre os processos de seleção dos conselheiros escolhidos pelo governo.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. O Estado tem milhares de concursados, contratados, terceirizados, comissionados, e o fato é que essas participações em Conselhos foram instituídas por D. João VI.... Até mesmo VACCARI foi Conselheiro de Itaipú. É complementação salarial. Bastava que fossem pagas apenas DIÁRIAS E PASSAGENS. Nada mais.

  2. A tarefa do governo de reduzir os custos da máquina administrativa esta agora revendo adicionais pagos a servidores públicos que os recebem por direito. Criou, em alguns casos, critérios impossíveis de serem atendidos para receberem o adicional. Ou seja , na pratica não retiraram o adicional mas os tornaram impossiveis de serem recebidos. Enquanto isso a farra dos conselhos administrativos das estatais continua e parece incentivada. E então presidente ?

  3. Só há uma forma de acabar com isso, PRIVATIZANDO. Numa empresa privada você não encontra diretores ou conselheiros que não sejam profissionais e uteis à empresa. Os donos exigem isso. Em estatais e no Brasil assim nunca dará certo. A pressão tem que ser no Maia e o apoio total ao Guedes!

  4. Estatal é uma vaca de mil tetas incessantes, alimentada com o couro do contribuinte. Isso tem que acabar, tem que vender tudo!

  5. Preconcebemos o dito pelo não dito. Diferente de portaria de condomínio, no Planalto, não se exige atestado, antes de passar pelo portão, para prestar serviço.

  6. Lamentável, vergonhoso e decepcionante para os brasileiros saber que essa prática nefasta, do conhecimento da administração do governofederal, continue em vigor e com toda a tendência de crescimento, visto que visa a aumentar o salário de gente próxima ao governo. Se continuar desse jeito, o povo vai parar de acreditar que, de fato, há interesse do governo para cortar esses gastos abusivos...

  7. Q o desaparelhamento continue neste segundo ano de bom GOVERNO. A população brasileira hoje, provou q ñ precisa de década p mudar o comando e práticas espúrias. Se em 2.013 alinhamos as pautas ANTICORRUPÇÃO e apenas 7 anos depois temos 1 caminho possível, é natural q ñ podemos exigir, DE QUEM GARANTIU TRANSFORMAR NOSSOS PROPÓSITOS NA PRÁTICA, em apenas 1 ano, sem apoio do "mecanismo" e imprensa marrom e ñ pagadora de impostos, conclua o desaparelhamento. Uma AUDITORIA EXTERNA do judiciário já!

  8. E uma farra às custas de quem trabalha pra sustentar essa putaria chamada política....Bando de bandidos, vermes a roubar e usar a nação. Enquanto a sub-raça abana o rabo.

  9. Eu não votei em vc para presidente para dps tá nomeando políticos e amigos para conselhos de empresa estatal não seu idiota. Vc cumpra o q me prometeu durante a campanha.

  10. Vamos diminuir a máquina estatal, o número de políticos e acabar com esta vergonha de conselheiros amiguinhos de manda chuvas? Estamos chegando num ponto insustentável. Parabéns à imprensa que denuncia essas vergonhas. Pena que os jornais mais lidos e assistidos finjam que nada disso acontece. Se a grande massa soubesse, quem sabe a coisa começasse a mudar.

  11. Se a Cruso E....e com esse governo so conseguiu uma desculpa esfarrapada da Controladoria-geral......quem somos nos.....????????

  12. Enxugar é preciso. Mas não basta podar a frondosa burocracia federal, sufocada por tantos jabutis arborícolas. O contribuinte, trajado como Davi-Eleitor e sempre munido de seixos e estilingue eleitorais, exige a redução do total absurdo de políticos. Bem mais pobre que a outra república populosa das Américas, o Brasil exibe superabundância de políticos nos chamados três poderes. Justifiquem-se os 3 senadores p/estado! Os 513 deputados federais! Os 11 ministros do STF c/seus 2.800 servidores!

    1. Getúlio faço minhas as suas palavras sem tirar nem pôr nada. Chega de mordomias. Desde Fernando Henrique que começou tudo isso de Jeton, o inteligente, o morador de Paris, o que chamou todos aposentados de vagabundos, agora pergunto: e ele o que é? responde safado.

    2. Há mérito em descentralizar. Mas, ao se verificar o peso extravagante dos gastos políticos e burocráticos do País, convém repensar a Divisão Territorial do Brasil, fundido-se, logo, alguns estados da federação. Que se comece com Riossanto e se avance com Alagagipe, Pernapara e Cearagrande, até atingir o magnífico Estado do Piranhão. Ah, menos governadores e secretários, menos senadores e deputados federais, além de cortejo mais discreto de assessores, assistentes, aspones e amantes eventuais!

  13. Benesses distribuídas sem critérios ligados ao mérito, ao conhecimento ou à experiência profissional dos indicados. O que dizem os funcionários dessas instituições diante de tal descalabro que se arrasta desde os tempos do governo do FHC? Ministro Paulo Guedes, o governo foi cooptado pelo Sistema S? Imoralidade.

  14. Já beirando os meus 70 anos vou sair do conforto do meu sofá para votar nesses rebanho de filhos da puta jamais cansado de ser otário

  15. Eu imagino que no meio destes milhões de desimpregados este governo não pode escolher estes conselheiros. Isto é uma vergonha!

  16. No fim das contas, muitos conselheiros recebem bem mais do que o presidente da República. Por que a Lei é frouxa? Deve ser para incluir essas barbaridades. Vergonha!

  17. Impressionante como as serpentes se acomodam dentro da caixa escura. E os patos inocentes do lado de fora esperando serem devorados e pagando as contas. Nosso Brasil precisa de sangue novo, de jovens

  18. Esse Ministro da Saúde faz coro com o do Turismo. Jaír precisa abrir os olhos com eles, lembro que na primeira semana de GOv. ele veio ao Rio de Janeiro para resolver o problema do Hospital de Bonsucesso, tudo continua igual, enfraquecendo as bases do Jair...É fraco D+ e mal intencionado, precisa ser olhado com carinho....Se cuida Jair!!!!

    1. O Jair náo coseguiu perceber a quantidade absurda e milicianos que eram seus vizinhos de porta, provavlemente confraternizou com eles varias vezes em festas no condominio,,,vc acha que o Jair percebe alguma coisa????!!!!! Polianas aos montes no eleitorado do jair

  19. Trabalhei no Sesc Nacional. Uns cinco faziam o serviço que poderia ser feito por um. Uma teta. A teta das tetas, sem dúvida, é o respectivo Conselho Nacional.

  20. Conselho de Administração de empresas públicas. Onde está a moralização desses cargos? Varias pessoas recebendo sem merecer só pq são amigos do rei? Bote a mão nessa ferida Bolsonaro. Vá a tv e explique ao povo pq vc não consegue acabar com essa pouca vergonha desde o governo FHC. Ou vc tb vai fingir que não vê enqto o povo é roubado?

    1. "Chibata" na mão, Sr "Messias"! Tire os "vendilhões" do "Templo". Com o Palácio limpo a legião de seguidores aumentará.

  21. O Brasil tem que ser dividido em quatro , porquê é muito grande para uma tropa de burros e ladrões mandarem, para começar a história ele já foi descoberto por ladrões, assim será até o fim , comformem -se...

  22. Que a Crusoé não deixe de ser arauto de divulgação dessa continuada prática de mal aproveitamento dos recursos públicos e motive a União a corrigir as falhas!

  23. Obuseira, tudo farinha do mesmo saco. E somos nós quem pagamos por isso. Cadê aquele discurso de “mudar”? Está parecendo o Fernando Collor de Mello e sua caça aos marajás.

  24. As facilidades para o furto oficializado ainda são grandes. Diminuir a máquina pública vai impactar mais. A sociedade vai precisar informar-se, envolver-se mais, entendendo que isto lhes pertence

  25. Com a autoridade de quem ajudou a eleger Jair Bolsonaro e a convicção de que não lhe recusarei meu voto (ainda que ele continue a falar besteiras e a ameaçar fazer besteiras piores do que as que fala) se a disputa for novamente com algum partido de esquerda, não resisto, diante da matéria acima, a lhe fazer a seguinte pergunta: você vai ou não moralizar este nosso sofrido Brasil? Quer-me parecer que você não está colocando, como era de se esperar, o Brasil acima de tudo.

    1. Cobrem isso do Nho Nho que viaja viaja e só gasta fortunas e não prudus nada. E isso é do legislativo e não do executivo.

    2. Eu penso o mesmo, se não tiver uma rachadinha no meio.

  26. Parabéns a Crusoé por trazer a tona esses assuntos. Defendo a modernização que está sendo feita pelo atual governo e era contra as bandalheiras praticadas pelos governos de esquerda. Mas não concordo com essas benesses ainda praticadas pelo atual governo. Temos que combater o mau uso do dinheiro público cobrado através dos impostos.

  27. Que PALHAÇADA! Que bando de irresponsáveis, de mal caráter, de incompetentes, de pés de chinelo, participando do "Conselho" de Empresas Estatais. PIADA PRONTA! Concluindo: todos esses tranqueiras são "gatos do mesmo saco" do PT, do chefão LULA. Pobre Brasil. Até quando?

  28. Estes vícios da administração pública é quase irreparável por via de legislação ordinária e quando acontecer o STF barrará A saída é uma nova carta magna feita por brasileiros de reputação ilibada e com notório saber.

  29. Assim não dá! Paulo Guedes jamais conseguirá uma reforma administrativa decente se esses jetons e conselhos não forem eliminados!

  30. Adicione-se o fato da agência de fundos garantidores não ter realizado nenhuma operação em proveito de PPP, inclusive teve a pachorra de mandar um órgão da administração usar seu limite orçamentário para tal, este órgão todo pode sumir, pois nunca serviu de nada, nunca vi TCU ou CGU questionar sua existência

  31. Tem que privatizar tudo mesmo. Chega de roubalheira do nosso dinheiro. Não aceito mais pagar tanto imposto para os amigos do rei roubarem. BASTA!!!!

  32. Ô ARREPENDIMENTO DE TER FEITO A ASSINATURA DESSE TABLÓIDE HORRÍVEL. MAIS ARREPENDIMENTO AINDA POR TER PAGO A VISTA. NÃO TENHO ESTÔMAGO PARA LER TANTA MENTIRA E INTRIGA. NOJO.

    1. Ô chapa.. entra aí no cancelódromo e cancela essa porra duma vez. Sem choro nem vela.. alvaro costa/df

  33. As instituições públicas são viciadas em privilégios. Estão doentes e precisam de um saneamento sério. A questão é a falta de pessoas sérias que pensem o Brasil como sua verdadeira casa.

  34. Parabéns Helena! Esse é um caminho de jornalismo que o País precisa muito, para, verdadeiramente, se libertar pelo conhecimento das verdades ocultas nas velhacas estruturas dos poderes públicos e seus barnabés descompromissados com a sorte do Brasil.

  35. Sempre o mesmo jogo, tira-se de alguns desafortunados, fazendo estardalhaço, enquanto do outro lado, na "boca pequena", são dados aos companheiros, antigos "cumpanheros", as verbas de sempre. Quem se ferrou foi o Queiroz!

  36. Maria,uma cidadã em vertigem:Que tal privatizarmos o Brasil? Contratarmos profissionais de peso,de preferência em países sérios, muito bem pagos.Aposto que sairia pela metade do preço.

    1. Mais pro cancelódromo.. o que eu tenho com isso? Pô cara.. te dá orgasmos divulgar q vai cancelar? Cancela e nao enche mais o saco acosta

    2. prezado Rui, não seria mais inteligente procurar o caminho correto para cancelar sua assinatura, ao invés de ficar postando isso aqui?

  37. A Presidência da República fem o dever moral de responder todas as indagações sejam da imprensa ou de qualquer outra pessoa , afinal o dinheiro gasto é contribuinte. Tudo tem que ser feito às claras ; transparência é fundamental num país com tantas trapaças , que ao longo do tempo são descobertas.

  38. A profissionalização da gestão no setor público é algo que evolui com dificuldade. A Lei 13.303 trouxe evoluções, mas já com atenuações profundas feitas pela Câmara dos Deputados. A regulamentação feita pela SEST (decreto), abriu mais algumas brechas. E a prática, sem adequada fiscalização dos órgãos de controle e sem a necessária evolução regulatória, acabou produzindo o quadro trazido pela matéria. Ministros jamais deveriam ser presidentes ou integrantes de conselho de empresas estatais.

  39. Matéria interessante para libertarianistas e ancaps. Impossível chegar ao final sem gritar a plenos pulmões: Estado zero já!!!

  40. Continuo acreditando que o partido NOVO está preparando os candidatos para futuras eleições, ostentando como amostra ROMEU ZEMA, o brilhante e preparado governador de Minas Gerais.

    1. Me desculpe, mas essa sua fé e esse nome, então concluo que deve ser algo tipo: "Sillvia2, a missão!" Dá um tempo! NOVO? Só se for a maneira de denominar essas quadrilhas antigas, que antes eram identificadas com algum segmento político e que agora passam a representar, simplesmente, a novidade pela novidade. Natimorto é o nome que dou a mais essa empulhação dos mesmos, aqueles que praticam a "mudança, para continuar a mesma coisa". Como diria o Seu Armando Volta: Sambarilove!

  41. Mudaram só as moscas, as estatais continuam as mesmas, por isso não querem acabar com as estatais, os oportunistas só deixarão de existir se acabarem com as estatais, acho difícil, decoro não é coisa de político, por isso tantos interessados em fazer parte desse time de elite.

  42. É isso. E o Brasil é um país pobre. Mas os que chegam ao poder sempre ostentam riqueza. Creio que desde sempre, ao elaborar o orçamento, legalizam privilégios deixando as áreas pobres: pobres. Fazendo sobrar muito para poucos. Sempre há bodes expiatórios: servidores públicos, aposentados, por aí vai. Já cansou.

    1. esse tal de Jetons é o mesmo que a famosa rachadinhas entre amigos do rei.

  43. Como assim, a Presidência da República informa que não vai responder? Onde fica a propalada transparência? Que conhecimentos da área têm esses “conselheiros” incompetentes, para aconselhar alguém?

    1. Marcos falou tudo. Queremos transparência foi prometido em campanha.

    2. Por isso a Petrobrás passou por diversos problemas como a compra da Refinaria de Passadena onde a Presidanta do Conselho era a PHD Dilma Roussef. Tem que haver critérios rigorosos para ser membro de um Conselho se este que está na função não conhece nada do assunto como vai aconselhar algo. Só no Brasil mesmo.

  44. Os criterio para fazer parte destes conselhos não pode ser explicada a Crusoé, para que os eleitores continuem alheios à tudo.Quem aqui sabia que esta maracutaia de Jetons existe desde FHC.Ha quantos anos estamos sendo pilhados por estes malditos políticos?. Agora sabem que não somos amebas e temos memória e o Sr Jair prometeu e não cumpriu nada..E a TV LULA ? lembra -se da promessa ou já esqueceu? A Crusoé bem que podia fazer investigações acerca da desmemoória do Sr.Jair talvez ele se lembre.

  45. Estes antigos JETONS existem desde o governo FHC,LULA, DILMA,TEMER e agora JAIR. Além de toda mordomia ainda recebem JETONS com o nome de conselheiros de empresas públicas, são indicados por amigos do presidente e recebem por cada reunião a bagatela de 21 mil reais, tem ministros, amigos etc O Bolsonaro (que jamais terá meu voto) prometeu em campanha acabar com as empresas dos (S) Senac, Senai, etc mais depois de eleito foi mordido pela mosca azul e esqueceu tudo, e assim vai levando o barco.

    1. Mas que país cansativo!!!! Quanto mais rezamos, mais o diabo nos aparece!!! Estatais até quando vou ter que trabalhar como mula pra te sustentar???? E aí Bolsonaro?? Votei no que vc prometeu!!! ARRE!!!!

  46. preço.do congresso. seus tontos tem que focar nos deputados e senadores são eles que condicionam isso não o presidente. se não ele não governa!! quereml que ele seja ditador? querem que dezenhe?

  47. Nunca vi nenhum comentário sobre pagamento de “jetons”, desde que comecei a votar, há mais de 50 anos. Ainda bem que não estão sendo pagos a adversários, deputados e/ou senadores em troca de favores. A Privatização é a solução.

    1. Não Flávio? então agora vc já sabe. pra vc ter uma ideia os ministros recebem muito pouco, por isso são agraciados com estes JETONS.O ministros das Minas e Energia, Bento Albuquerque soma à sua remuneração básica de .49,9 mil reais, além de todas mordomias recebe ainda jetons de 5,9 mil reais toda vez que comparece às reuniões.E o sistema (S) em Bolsonaro? Você precisa tomar remédio pra sua memoria.Ou prefere a rejeição do seu eleitorado em 2022? E tem muito mais de promessa de campanha.

  48. Manter na presidência do BNDES “um garoto” que esconde da sociedade uma auditoria que custou R$ 48 milhões, para não expor os seus subordinados, embora a auditoria tenha concluído pela inexistência de ilegalidades nas contratações, já diz muito sobre os critérios governamentais na escolha de conselheiros e diretores das famigeradas estatais. Convém lembrar que o tal “garoto” é amigo da Famiglia!

    1. Este do BNDS já era pra ter sido demitido há muito tempo.Mas os amigos do presidente não aceitam e acham.que este vagabo está certo em ficar contra o Brasil para resguardar seus amigos bandidos.

  49. Que coisa hein ... então eu nunca estive enganado, desde a eleição Eu votei nele, Bolsonaro por falta de opção. Nessa matéria eu vejo confirmadas as minhas suspeitas.

  50. A farra é antiga. Acreditávamos que iria acabar. Mas continua. É triste. Trabalhamos para pagar as mamatas dos marajás. Pobre Brasil, pobre brasileiros.

  51. É só procurar que começa a feder. Político é político, como cachorro é cachorro, cobra é cobra, etc....., quando isso vai mudar, eu te pergunto meu Presidente Jair Bolsonaro, o senhor nao está vendo? Ou está fazendo de bobo, e bobo o senhor nao é.

  52. Nem li a matéria. Creio que a China tenha um pouco a nos ensinar. Nesse caso, "balananucca", um termo genovês, talvez fosse a solução... Que vergonha!

  53. Entra governo, sai governo e os ratos continuam a nos atacar de maneira implacável, não me surpreendeu em nada essa matéria, infelizmente.

  54. Nossa democracia continua a produzir excrescências como esses jetons e cargos comissionados à torto e a direito! Sempre haverá uma maneira de premiar os afilhados, pelo visto essa não é uma prática só de malandros petistas! Vergonhoso e revoltante! Está mais do que explicado porque não sobra verba para as questões verdadeiramente importantes como Saúde, Educação e Segurança

    1. Alguém pode falar mal dos governos corruptos do PT/Lula? ou é a mesma safadeza! ? Estou perplexo! Moro 22 com Janaína vice!

  55. Que todos os dias, apesar da raiva que dá ao ler, a imprensa mostre os desmandos e indecências feitas com o $ público. Tem que privatizar tudo, tudinho. Aqui no mundo real, o da economia privada, nós não temos nada disso; trabalhamos duro e quem pisa na bola é colocado no olho da rua.

  56. As entranhas do poder não muda, para os amigos tudo, inimigos nada, a meritocracia é a privatização das teles, sempre será cabide de emprego de políticos, nada mudou.

  57. Nos últimos anos essa foi uma das melhores reportagens que li. O modus operandi das entranhas do poder, está escancarado a falta de pudor dos políticos. Um major da PM no conselho de um banco? E aí Presidente vai acabar com essa indecência?

  58. O jeton é um abuso. Não faz o menor sentido receber para participar de reuniões. Não sei se o ministro da educação sabe que ninguém recebe jeton para participar de reuniões de conselhos nas universidades públicas. Essa prática foi abolida há tempos e não houve prejuízo. Ao contrário, o único bjetivo dos conselheiros passou a ser discutir os assuntos. A prática de rodízio de conselheiros para receber jeton foi extinta.

  59. Mais um motivo para privatizarmos todas as estatais! Isto não isenta este governo de não utilizar regras claras e e de mérito para a escolha de conselheiros.

  60. Pois é!!! Com a palavra o sujeito que indicou esses apaniguados. É um absurdo, compatível com essa republiqueta de banana, dirigida por um banana

  61. Bolsonaro é uma decepção, não passa de um hipócrita! Está fazendoo mesmo que criticava durante a campanha eleitoral. Cadê a meritocracia? Onde está o ministério composto de "notáveis"? Onde foi parar o apoio ao combate à corrupção? Bolsonaro não se preocupa com o país, sua principal preocupação é tentar livrar seu filho corrupto e utilizar a máquina pública para, assim como o PT, enriquecer seus apaniguados.

    1. É isso aí, muito bem explicado, curto e grosso!

  62. E o Guedes, hein, que nos primeiros dias de governo declarou taxativamente que ia intervir e acabar com as mamatas do Sistema S? É mais fácil ver um elefante voando do que isso acontecer. Existe uma disposiçao permanente em assaltar o Estado.

  63. É vergonhoso esses cargos comissionados e seus JETONS, quantos bilhoes são entregues a esses usurpadores do nosso tão suado dinheirinho, depois culpam a previdencia, a saúde, etc. Quando na verdade só deveria restar-lhes a prisão sumária.

  64. Onde há dinheiro público, há farra de gasto. Sempre! Só se soluciona o problema com privatização. Tem-se que privatizar todas as empresas, urgentemente.

    1. Sim. governo é pra governar e administrar o governo nada tem a ver com.problemas de estatais o Presidente deve privatizar tudo não deixando nem rastro, Isso é muito bem feito por empresários mas qdo é tarefa do governo acaba como a CEDAE que apenas trata o esgoto e manda pros cariocas otários tomar.agora vai fazer um mês no dia 3 que água no Rio é ou mineral ou de esgoto. Isso sem contar que a CEDAE no ano de 2019 deu um lucro ao governo do Rio no valor de 800 milhões. É pouco? Já resolve.

  65. Tem que demitir pessoas desse tipo, não resta dúvida. Pode ser até legal, pq a lei deixa brecha, mas é imoral!! Só me pergunto por onde andava essa sra Helena( dentre outros) em governos anteriores.. se tivesse sido tão diligente como agora talvez estivéssemos em situação melhor. Mas fato é que esse tipo de coisa tem que ser exposta mesmo de forma a constranger tipos que fazem isso!! Tem que acabar essa "lei de Gerson" de uma vez.

    1. continuando... não deu pra terminar a frase desculpem, ocorreu um erro.

  66. Isso é no Brasil inteiro, em todos os estados, etc... Depois tem gente que é contra as privatizações. Chega de corrupção!!!

  67. Boa matéria. Isso indica como solução o estado mínimo. Espero que o pensamento de Guedes se mantenha e se sobreponha aos demais.

  68. Assim não dá presidente votei para mudar,mas para seus afilhados a farra continua .honre nossos votos e acabe com as boquinhas e bovinas do seu governo

    1. Caraco.. boquinhas eu até entendo.. mas que diabo essa tal de bovinas. To totalmente por fora desses dialetos..

    2. Caracoo.. boquinhas eu até saco mas bovinas? Que porra é essa?

  69. Ótimo jornalismo de fundo! A Crusoé e O Antagonista mostram que é possível um jornalismo em que os fatos sempre se organizam em uma ótica crítica no interesse do povo eleitor. A segmentação dos fatos, típica do jornalismo da Grande Imprensa é inútil. Apenas Magnoli, Octavio Guedes, Ariel Palacios, entre poucos outros, são capazes de um jornalismo a contar da inter-implicação dos fatos. Ou seja, de um "pensamento complexo" ao modo contemporâneo.

  70. Não deixa de ser mais uma farra com dinheiro público que estava na calada. São os chupa cabras na moita e que quase ninguém tem conhecimento. Só boquinhas em todos os governos, inclusive militares.

  71. Os malditos políticos premiam a incompetência que lhes é própria estendendo aos amigos igualmente incompetentes e todos amorais. Criam desvios na legislação para praticarem fraudes.

  72. bem que poderia ser diferente. é certo que alguns são competentes e não ficariam no governo em troca de salário de fome, outros tantos, certamente, não possuem essa gama toda de conhecimento.

  73. Parece que a farra com os recursos públicos, a falta de ética e de seriedade por parte do governo continuam. Jetons, vôos com aviões da FAB, conflitos de interesse, tráfico de influência, corrupção via emendas e cargos, favorecimentos de toda sorte, continuam ocorrendo. Em meio à pouca vergonha, à mediocridade e às investidas contra importantes conquistas sociais e trabalhistas, resta a desculpa de sempre de que, ao menos, não estamos como a Venezuela; ao menos nos livramos do PT. É muito pouco.

    1. Só nos livrarmos do PT não adiantou, temos que fazer mais e acabarmos com estes penduricalhos que assola a república JB.

Mais notícias
Assine 50% off
TOPO