GranmaMédicos cubanos serão reconvocados pelo governo para atuar nos rincões do Brasil: edital sai até o fim do mês

Ingerência externa

Como a ditadura cubana coletou informações eleitorais no Brasil e usou o Mais Médicos para fazer campanha política para o PT
18.01.19

Dos 5.570 municípios brasileiros, Limeira, no interior de São Paulo, está entre os duzentos mais desenvolvidos. É uma referência em saúde e, portanto, destino de pacientes de cidades próximas, nas áreas de oncologia, traumatologia, nefrologia, neurocirurgia e tratamento de queimados. Apesar dessas qualidades, em 2014, quase quarenta médicos cubanos chegaram ao município para trabalhar com clínica geral. Entre eles estava Tatiana Carballo Gomez, que já tinha cumprido missões na Venezuela e em Belize. Mal chegou, ela participou de reuniões com o coordenador da Organização Panamericana de Saúde (Opas). “Achei estranho. Ele falava muito mais de política do que de medicina”, diz ela.

Devidamente instalada, Tatiana passou a cumprir com zelo suas novas funções. “Eu precisava mandar mensagens em um grupo de WhatsApp coordenado por membros do Partido Comunista falando quais eram as possibilidades de cada um dos candidatos”, diz. Naquele mesmo ano, Dilma Rousseff concorreu à reeleição. Com a votação se aproximando, Tatiana teve de assumir um papel mais ativo. “O coordenador da Opas e os agentes do G2 (o serviço de inteligência estatal cubano) nos mandaram falar bem do PT para os pacientes. Também tínhamos de dizer que, se Dilma Rousseff fosse embora, nós iríamos junto”, afirma. Dois anos depois, foi a vez das eleições municipais. Tatiana então foi ordenada por seus superiores a falar bem do então prefeito, Paulo Hadich (PSB), que tentava um segundo mandato. “Ele era amigo dos médicos. Nos apoiou e nos acolheu.”

Livres da opressão da ditadura, os médicos que trabalharam no programa governamental de Dilma Rousseff e pediram as contas no meio do caminho se sentem agora mais à vontade para falar sobre a situação de escravidão a que foram submetidos. Aos poucos, também começaram a dar mais informações sobre as tarefas que eram obrigados a cumprir sob ameaça.

Tatiana, que atualmente mora no estado americano de Kentucky, é um dos quatro profissionais que abandonaram o programa, mudaram-se para os Estados Unidos e, agora, estão processando a Opas. Eles querem que a entidade, ligada à ONU, devolva-lhes a comissão que cobrou de seus salários para intermediar o negócio entre os dois países. Mas o documento do processo vai mais além e traz dados preciosos. “Além de receber treinamento em português, os litigantes eram preparados para doutrinar as pessoas que eles iriam atender no Brasil com propaganda política pró-cubana”, afirma a peça inicial do processo, que corre em um tribunal da Flórida. A atuação dos médicos também incluía imiscuir-se na política nacional e coletar informações para que a ação fosse mais efetiva.

Em entrevista a Crusoé no ano passado, outra médica que também integra a demanda contra a Opas, Ramona Rodriguez, confessou que foi obrigada a fazer propaganda para o PT. “Tinha de falar bem da Dilma”, disse Ramona, que vive em Miami. Nos arredores de Brasília, Alioski Ramires conta uma história parecida. “Todos éramos orientados a exaltar o PT, mas era preciso fazer isso de maneira discreta. Se falássemos abertamente, isso poderia ser considerado intromissão em assuntos de outros países”, diz.

Nenhum dos cubanos foi poupado de treinamento político na ilha. Assim que foram escolhidos para integrar a missão, os cubanos tiveram de fazer o que chamam de “curso do partido”. Durante um mês ou dois, participaram de aulas sobre marxismo. Foram ensinados sobre as maravilhas do comunismo e sobre os defeitos do capitalismo. Entre eles, a pobreza. “É uma doutrinação para quem quer ser doutrinado”, diz a cubana Eva Maria Arzuaga, que abandonou o Mais Médicos. Ainda em solo cubano, os médicos receberam as primeiras orientações sobre o que teriam de dizer aos pacientes brasileiros.

Segundo o processo contra a Opas, que foi abraçado por um advogado americano, o preparo também envolvia táticas militares. “Em Cuba, é obrigatório, para obter um diploma médico, receber treinamento militar intensivo para permitir que os futuros doutores possam atuar com um papel duplo, como médico e soldado nas missões no exterior”, lê-se na página 24 do documento. De fato, estudantes de Medicina em Cuba recebem ensinamentos militares no quinto ano (para mulheres) e no sexto ano (para homens). Aprendem a cavar trincheiras e a sobreviver em ambiente hostil. Ao final da faculdade, recebem o título de “tenente” juntamente com o diploma de médico. Mesmo pessoas que fizeram cursos nas áreas de humanas podem sair com um certificado dizendo que estão aptas para atuar na “infantaria motorizada”.

Adriano Machado/CrusoéAdriano Machado/CrusoéAlioski Ramirez (à esquerda): preparação com fuzil em território cubano
“Todos nós, homens, aprendemos a usar o fuzil na universidade”, diz Alioski, que foi dirigente estudantil do Partido Comunista em Cuba e hoje critica a ditadura. “Nossos chefes diziam que, no caso de um golpe de estado, teríamos de trocar o equipamento médico pelo fuzil e lutar até a última gota de sangue”, emenda. Essa prontidão, contudo, era exigida nas missões para a Venezuela. Para o Mais Médicos, no Brasil, os cubanos afirmam que a ênfase era “mais política”.

Na estimativa da Opas, 62 milhões de brasileiros chegaram a estar cobertos pelo programa Mais Médicos. A maior parte dos que foram atendidos, cerca de 80%, era de baixa renda. Eles conversaram com os doutores dentro de suas casas ou nas salas dos postos de saúde. Trata-se de uma força eleitoral gigantesca, que deixa as especulações sobre a interferência russa nas eleições americanas de 2016 no chinelo.

Agindo sob orientação do Kremlin, russos teriam roubado mensagens do comitê do Partido Democrata e as divulgado no site Wikileaks. Também teriam montado campanhas no Facebook. Nada que possa chegar perto da conversa tête-à-tête, com eleitores sendo atendidos em um momento de necessidade e os médicos na condição de autoridade. “O que os cubanos fizeram no Brasil foi muito maior do que aquilo que os russos podem ter realizado com recursos cibernéticos nos Estados Unidos, na Europa Ocidental ou no Oriente Médio”, diz o diplomata Paulo Roberto Almeida. “Eles têm uma tecnologia que combina a Stasi (polícia secreta da Alemanha Oriental), a KGB (hoje FSB, agência secreta russa) e uma enorme penetração em vários grupos de esquerda na América Latina.”

Por quatro longos anos, o proselitismo cubano atuou impunemente. No Brasil, nada pesa contra alguém que exprima sua própria opinião. Estrangeiros também têm esse direito assegurado. O que eles não podem é fazer propaganda política a mando de outra nação. Pela Constituição, somente brasileiros natos e naturalizados podem ter atuação política. “Por uma lei complementar de 1990, pode-se entender que o PT e a presidente Dilma abusaram de seu poder político e econômico para obter vantagens eleitorais. Eles poderiam ser julgados inelegíveis ou serem obrigados a pagar uma multa”, diz o advogado Alberto Rollo, especialista em direito eleitoral. O prazo para entrar com uma ação, contudo, se encerra quinze dias após a diplomação dos candidatos que foram beneficiados por tais manobras. O tempo para isso já passou. Além disso, o desenrolar dos acontecimentos já cuidou de neutralizar a ingerência externa.

Ao experimentar a liberdade, cubanos que foram instruídos a fazer propaganda política muito rapidamente descobriram que a ditadura os mantinha como escravos e não valia a pena se sacrificar por seus algozes. Suas consultas, misturadas com odes a Dilma ou ao PT, sofreram resistência, principalmente entre as populações mais instruídas e mais ricas. “Era difícil convencer as pessoas, porque os moradores de Limeira eram bem instruídos e eram muito antipetistas”, diz Tatiana Carballo Gomez.

Outra médica, Russela Margarita Rivero Sarabia, que hoje vive no Texas, experimentou o mesmo obstáculo. Ela trabalhou na Unidade de Saúde da Família (Usafa) em Las Palmas, no Guarujá, litoral de São Paulo. O local fica a uma caminhada de doze minutos do tríplex de Lula no Edifício Solaris, na Praia de Astúrias, no Guarujá. “Atendi pessoas com bons recursos, que eram um pouco burguesas, e sempre aparecia alguém criticando o programa. Aí, nós éramos obrigados a refutar. Mas nem sempre discutíamos, porque também estávamos sendo enganados.”

A derrota do projeto político cubano no Brasil não aconteceu por obra da Justiça. Quem sepultou o plano de Havana foi o povo brasileiro e os doutores cubanos que rejeitaram o programa. Em 2016, o prefeito de Limeira, Paulo Hadich, do PSB, que foi ajudado pelos médicos cubanos, ficou com 11% dos votos e não se reelegeu. Foi trabalhar como delegado seccional em São João da Boa Vista, uma cidade próxima. “Nunca tive conhecimento de médicos cubanos fazendo campanha política em Limeira”, diz. Na eleição de 2016, quem saiu vitorioso na cidade foi Mario Botion (PSD), de direita, e o candidato petista teve 1,5% dos votos. Das 38 vagas abertas com a saída de Cuba do Mais Médicos, 37 já estavam ocupadas no início deste ano. Dilma Rousseff sofreu impeachment, Jair Bolsonaro foi eleito e o Brasil não se transformou em uma segunda Cuba.

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. OBS: quanto a afirmação de que somente brasileiros natos e naturalizados podem ter atuação política, observa-se que também podem os portugueses com IGUALDADE DE DIREITOS E OBRIGAÇÕES CIVIS E GOZO DOS DIREITOS POLÍTICOS, ainda que com certas limitações- v.g. alguns cargos como o de Presidente da República etc.). É que existe o Estatuto de Igualdade de Direitos que prevê, entre outras coisas, o gozo dos direitos políticos de brasileiros em Portugal e vice-versa. (Tratado de Amizade, Cooperação e C

  2. Isso precisaria ser melhor divulgado pois tem muito inocente util no meio da população brasileira, que foram "socializados" e nao sabem.

  3. Me chama a atenção nesse episódio o MPF até o momento, não ter se pronunciado. Se comprovado, acredito que seja, um fato gravíssimo e tem que ser apurado a responsabilidade de cada um dos atores.

  4. Nunca tive dúvidas de que esse programa tinha origem e objetivos eminentemente políticos. Graças à Deus o nosso país foi salvo.

  5. Tem alguma prova ou é só depoimento, Crusoé? Tem algum print de WhatsApp, áudio? Como tem um esquema deste tamanho e nenhum médico cubano nunca gravou um áudio pra denunciar? Sem provas complica ;)

    1. Calma que as provas concretas vão surgir.... mas para um entendido, meia palavra basta.

  6. Parabéns ao Duda que desde que passou a compor os quadros da Crusoé tem contribuído para que a revista não seja uma versão mais densa do site oantagonista.

  7. Quando vocês deixam um espaço para entrar na conversa, isso significa que? Percebi que entrei na conversa, mas é como se estivesse comentando com as paredes.

  8. Esse assunto já foi postado aqui outras vezes, achei o texto bastante repetitivo, uma das poucas novidades foi a comparação com a interferência russa.

  9. Bolsonaro não vai conseguir limpar esse petismo, essa doutriinação só com quatro anos.Precisará das mídias isentas e do povo esclarecido

    1. Também gostaria de compartilhar essa reportagem com meu grupo como farei?

  10. O que assusta é eles conseguirem desestabilizar o Governo Bolsonaro, como fizeram com o Temer, e daqui à 4 anos voltarem com a mesma cantilena.

  11. O que mais me enoja é que essa quadrilha ainda é considerada partido político e recebe dinheiro do governo (nosso) para continuar existindo!

  12. Idealizador de tudo= José Dirceu Foi treinado lá por anos. Conseguiu enganar a própria mulher por anos. Teria sido presidente do Brasil. Dá pra imaginar onde estaríamos hoje? Melhor nem pensar

  13. Resta pouco tempo para o comunismo cubano, resta pouco tempo para Joáo de Deus, para o Lula, esse regime, e essas poracarias de gente estáo no final. a menos que o Sarney lhes passe a fórmula negra da pocáo .

  14. Ninguém mais tem dúvidas que o PT é uma FACÇÃO CRIMINOSA disfarçada de partido político, e como tal precisa ser extinta.

  15. Trata-se de crime contra a Segurança Nacional.O PT não tem mais condições de permanecer impune como instituição política(Partido).Tem que ser caçado.Uma CPI no Congresso e prisão dos seus líderes.

  16. É tb relevante constar que trabalharam no Brasil sem se submeter ao revalida. Sua receitas traziam um número MS ( Ministério da Saúde) jaboticaba inventada pelo PT para substituir o CRM

  17. Nos comentários aqui feitos parece que os médicos cubanos estavam falando com analfabetos que não têm opinião própria. Como mostraram os resultados das eleições, as opiniões dos médicos cubanos não tiveram nenhuma influencia. Quem aceita a opinião de que a região de Limeira, Piracicaba, Rio Claro, Americana, etc pode ser induzida a acompanhar as opiniões dos médicos cubanos é porque não tem nenhum conhecimento da região, e o próprio paciente reclamaria. Em regiões longínquas até pode ser.

    1. Sou limeirense e desconheço esta tentativa de indução política. Sim em cidade como Limeira e região é fácil encontrar médico brasileiro que queira atuar no lugar dos cubanos que aqui foram bem vindos, vamos ver nos confins do Brasil se o desejo será o mesmo. Quanto a necessidade de médico nesta região realmente há regiões muito mais carentes neste imenso país.

  18. Reportagem excelente. A partir dela é possível pautar várias outras reportagens investigativas. Mãos à obra. Os brasileiros precisam ser informados e o PT precisa ser extinto.

  19. Comunistas, cancro, tumor maligno e parasitas são iguais em qualquer lugar do planeta. Gosto deles em cemitérios de segurança máxima.

  20. O que dizer quando se lê tais declarações? Ficam as certezas que eram canalhas estes petistas, cubanos comunistas e que o BRASIL OS ODEIA. Nunca mais voltarão.

  21. No mínimo algo estranho o desconhecimento que esta revista tem sobre a realidade real do povo brasileiro. Só com o fim dos programa, é que se informam através dos próprios médicos cubanos ex-participantes do engodo. Só sabem esculhambar o Bolsonaro, mas ir a campo no Brasil profundo, nequinha. Como digo, são amoedistas elitistas, que não sabem muito sobre a terra deles.

  22. Esses governos cubanos são um bando de facínoras. O desejo deles de perverter nosso país vem de longe. Isso se deve à posição do Brasil na América Latina, sendo um dos países mais relevantes da região. As tentativas de obter a queda do Brasil são anteriores ao nosso regime de 1964. São nossos verdadeiros inimigos e como tal devem ser tratados por qualquer governo brasileiro. Já pagamos um elevado preço para esse maldito país, seja em perdas materiais seja em vidas !

  23. Parabéns!!! Reportagem corajosa e essencial. Precisa ser acessada por todos os leitores. Quem convive com cubanos sabe a abominação que é aquilo. Fábrica de perseguição política e lavagem cerebral. Grave denúncia que precisa ser divulgada e propagada sem descanso.

  24. Boa reportagem, começo-meio e fim tratando uma nuance pouco conhecida da exploração de escravos Cubanos pelo Brasil em troca da transferência superfaturada de recursos para os idealizadores do Foro de São Paulo.

  25. Jornalistas, na sua maioria, são ventríloquos de seus jornais. Empresas essas que hoje formam o maior “partido” de oposição. Vivem demonizando as redes sociais.

  26. O vergonhoso apoio do PT ao terrorismo e ditaduras como as de Cuba e Venezuela. Isso é suficiente para sentir nojo do PT e vergonha alheia por 159 anos. #PTnunca+ #renão

  27. Em Curitiba cidade modelo existiam inúmeros “médicos”cubanos. Não seriam eles para os mais distantes municípios do Brasil ?

  28. Onde estavam os jornalistas que hoje fazem oposição ao Presidente Jair Bolsonaro durante esse trabalho dos mais médicos? Sabiam de tudo, e não tiveram a mínima intenções de salvar a Pátria, pelo contrário, esconderam o que sabiam em troca de favores oferecidos pelos governantes do PT. Esses mesmos Jornalistas deveriam ter vergonha de tocar no nome do Bolsonaro, um homem que veio a serviço do povo brasileiro contra o que a esquerda fez nos anos que ficaram no poder. Deveriam ser expatriados!

    1. Depois do Santo Lulla só me faltava o Santo Bolsonaro. Eita povo ignorante.

  29. Em Limeira , os cubanos podem não ter influenciado significativamente a população, mas é nos rincões do Norte e Nordeste? Lá com certeza a história é diferente. Mandar vir para o Brasil pessoas treinadas militarmente para atuar no mais médicos é só mais uma das coisas relacionadas ao aparelharemos do estado promovido pelo PT. A responsabilização por estes fatos precisa ser revista e a lei que cuida de situações como esta tem que ser mudada para evitar que no futuro tudo se repita, novamente se.

  30. Com a abertura da caixa preta BNDES prevista para sexta 18 teremos uma boa visão do escândalo financeiro que este programa representou. A infiltração política era evidente!

    1. Não esqueça que a Dilma conseguiu se reeleger em 2014 com votos do Nordeste e esses médicos cubanos ja estavam atuando lá.

Mais notícias
Assine
TOPO