Alan Santos/PR

Sintoma de fraqueza extrema

O impasse em torno da indicação de André Mendonça ao STF revela um presidente cada vez mais refém dos blocos fisiológicos que o sustentam – agora, a disputa é travada entre o Centrão e os evangélicos
15.10.21

Não é a primeira vez que Jair Bolsonaro sente os efeitos da completa rendição do governo à miríade de interesses dos blocos fisiológicos que o sustentam. Mas, certamente, o que tem acontecido nos últimos dias e ainda deve se arrastar pelos próximos é a face mais visível dessa condição de refém de um presidente que topou pagar um preço alto para permanecer agarrado à cadeira até o fim do mandato.

Nesta sexta-feira, 15, a indicação do ex-chefe da Advocacia-Geral da União André Mendonça para o Supremo Tribunal Federal completa 93 dias. O processo, ainda pendente da quase sempre protocolar sabatina pela Comissão de Constituição e Justiça do Senado, tem se tornado um duplo e quase inédito constrangimento. Para o governo – e para o presidente, em particular –, por escancarar a completa incapacidade de mobilizar sua base de apoio para aprovar o nome de Mendonça. Para o próprio indicado, pela vergonha: temendo ser rejeitado, ele transformou a ascensão à vaga em uma comovente saga pessoal, exposta em sermões em igrejas de Brasília, como mostrou Crusoé em reportagem recente.

A tibieza deixou o presidente em uma encruzilhada. Entre os grupos antagônicos que se digladiam em torno da cadeira no Supremo, estão dois pilares fundamentais de sustentação do governo: o Centrão e as lideranças evangélicas. Os expoentes do Centrão, experts em criar dificuldades para obter facilidades em todo e qualquer governo, argumentam agora nos bastidores que o “nosso Kassio” – Kassio Marques, o primeiro indicado de Bolsonaro para a corte – nunca foi “deles”. O ministro do STF, conforme essas mesmas vozes, “apenas” foi chancelado pelo bloco, depois de ser escolhido por um consórcio composto por advogados ligados ao Planalto e pelo próprio filho 01 de Bolsonaro, Flávio Bolsonaro. Por esse raciocínio, agora seria a hora de, finalmente, emplacar um ministro com o “verdadeiro DNA do Centrão”.

Do outro lado da trincheira, os evangélicos cobram o que chamam de “promessa de campanha de Bolsonaro”, qual seja, a de elevar ao Supremo um ministro “terrivelmente evangélico”. A palavra teria sido empenhada, mais uma vez, em reunião há duas semanas no Palácio do Planalto, com a presença de quinze das mais importantes lideranças da corrente religiosa.

Adriano Machado/CrusoéAdriano Machado/CrusoéAndré Mendonça: entorno de Bolsonaro já joga a toalha, mas situação ainda está indefinida
O busílis é que Bolsonaro precisa dos dois lados. Se desagradar ao Centrão, pode vir a amargar derrotas políticas não só no Congresso, mas também fora dele. O bloco fisiológico não forma apenas a principal bancada de apoio ao governo no Legislativo. Governo e Centrão, como o próprio presidente já confessou publicamente, se confundem. “Eu sou Centrão”, já disse. Uma das provas dessa irrefutável simbiose é que Ciro Nogueira virou ministro da Casa Civil. Arthur Lira, outro que está sempre de olho em cargos estratégicos na Esplanada, é hoje o dono da caneta capaz de desencadear o impeachment, e seu partido, o Progressistas, que vem a ser também o de Ciro e igualmente o do líder do governo na Câmara, Ricardo Barros, é o que atualmente se encontra em negociações mais avançadas para oferecer abrigo ao presidente.

Só que arrumar confusão com os evangélicos significa empurrar cerca de 30% do eleitorado brasileiro para o colo do ex-presidente Lula, hoje principal adversário de Bolsonaro na corrida ao Planalto. Os pastores, por ora, seguem com o governo. Não há dúvidas de que há uma convergência entre as pautas do setor evangélico e as defendidas pelo bolsonarismo. Mas, assim como o Centrão um dia já foi Lula e PT, os evangélicos também já o foram, e não teriam o menor pudor em mudar de casaca, a depender das conveniências políticas de ocasião.

Cientes de que Bolsonaro se equilibra no fio da navalha, os atores envolvidos na disputa sobre o preenchimento da vaga em aberto no STF intensificaram as pressões durante a semana. Em pelo menos três jantares promovidos nas últimas duas semanas, Ciro Nogueira, o ministro das Comunicações, Fábio Faria, e a ministra da Secretaria de Governo, Flávia Arruda, tramaram enfiar goela abaixo do presidente o nome do advogado Alexandre Cordeiro Macedo, hoje presidente do Conselho Administrativo de Defesa Econômica, o Cade, como a melhor opção para o STF. Cordeiro cultiva amizade antiga com Ciro Nogueira. Sua irmã, Sabá Cordeiro de Monteiro, é chefe de gabinete do ministro. Antes, foi assessora parlamentar de Ciro. Alexandre Cordeiro Macedo só é presidente do Cade, órgão antitruste responsável por zelar pela livre concorrência, por obra e graça do atual chefe da Casa Civil.

Sentindo-se atropeladas, as lideranças evangélicas exibem os dentes. Embora Alexandre Cordeiro Macedo se apresente como evangélico, ele está muito distante de ser enquadrar no quesito “terrivelmente evangélico”, como prometeu Bolsonaro e agora exigem os pastores. Eles ainda acusam Ciro Nogueira de ter cruzado o sinal vermelho. Crusoé apurou que, antes mesmo de qualquer sinalização do Planalto, o chefe da Casa Civil submeteu o nome de Cordeiro a ministros do STF e recebeu o aval de um deles, Gilmar Mendes. Foi o estopim para o pastor Silas Malafaia estrilar nas redes sociais. Em vídeo no YouTube, Malafaia disse que os ministros políticos do governo (numa referência direta a Ciro Nogueira, Flávia Arruda e Fábio Faria) “são obrigados a defender a indicação do presidente Bolsonaro”, sob pena de incorrerem em insubordinação.

Alan Santos/PRAlan Santos/PRO pastor Silas Malafaia abriu guerra contra o Centrão
Fábio Faria, o ministro das Comunicações, nega que tenha participado de convescotes destinados a cabalar apoio para o presidente do Cade, mas ao ser cobrado por uma liderança evangélica, em conversa recente sobre manifestações favoráveis à indicação de Mendonça ao STF, disse que não o faria temendo “desagradar a Aras”, em referência ao procurador-geral da República, ainda terrivelmente candidato a ocupar a cadeira no Supremo, embora não deixe transparecer.

Com o veto ao presidente do Cade, o próprio Centrão passou a circular o nome de Marcos Pereira, presidente do Republicanos, como “plano B”. Também não deve colar. “Marcos Pereira é terrivelmente Universal (alusão à igreja que Pereira representa e da qual é bispo licenciado), e não terrivelmente evangélico”, diz um influente pastor que esteve recentemente com o presidente no Planalto. Os religiosos até aceitam um nome alternativo, desde que se encaixe no conceito original – ser “terrivelmente evangélico” virou mesmo uma exigência incontornável. Os pastores ainda veem chances na aprovação de André Mendonça, a despeito das dificuldades que se impõem. Nos últimos dias, eles apostavam entre uma conversa derradeira entre Bolsonaro e Davi Alcolumbre, presidente da CCJ do Senado, que segue relutando em marcar a sabatina.

Como já é público e notório, o senador do Amapá é hoje o principal opositor ao nome de André Mendonça no Congresso. Alcolumbre não esconde de ninguém que prefere Aras, e promete batalhar pelo nome do PGR até os instantes finais. Para o Planalto, a tática do senador de adiar a sabatina por todo esse tempo teve o objetivo de matar dois aspirantes à cadeira no STF numa tacada só: além do ex-AGU, o presidente do STJ, Humberto Martins, candidato do coração de Flávio Bolsonaro, perdeu a vez porque a lei define 64 anos como a idade limite para a indicação à corte – Martins completou 65 anos no último dia 7.

É fato que Alcolumbre joga suas fichas na confusão. Para um parlamentar que sempre foi do baixo clero, jogar em time grande e na arena onde as principais decisões são tomadas aumenta consideravelmente seu cacife e seu poder de barganha. A aliados, durante a semana, ele insinuou se espelhar no caso do então presidente americano Barack Obama, que indicou à Suprema Corte o presidente do Tribunal de Recursos de Washington, Merrick Garland, para a vaga do conservador Antonin Scalia. Como a bancada dos republicanos se recusou a sabatiná-lo, a indicação caducou e coube ao sucessor de Obama, Donald Trump, nomear o novo ministro. Raposas do Congresso acreditam, porém, que tudo não passa de jogo de cena para que, ao fim e ao cabo, o impasse leve o governo, os evangélicos e o Centrão a “ungirem” Aras para a vaga. Ou ajude Alcolumbre a receber algum regalo do Planalto.

Adriano Machado/CrusoéAdriano Machado/CrusoéCiro Nogueira, o insaciável, já tem um substituto na agulha
Um diálogo amistoso entre o senador e Bolsonaro parece cada vez mais improvável. Em encontro com o filho 01, Flávio Bolsonaro, na segunda-feira 11, Alcolumbre mostrou-se bastante insatisfeito com o presidente. Disse que, ao contrário do que Bolsonaro andou falando, é o governo que lhe deve favores. “Não sou o filho da p. da história”, teria dito Alcolumbre. Empoderado por uma decisão do ministro Ricardo Lewandowski, que na mesma segunda-feira negou um pedido para obrigar o Senado a marcar a sabatina de André Mendonça, o senador exigiu retratação de Bolsonaro.

Como não há sinais de armistício, os senadores favoráveis ao nome de André Mendonça agora pressionam o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, a realizar a sabatina diretamente no plenário da casa. Um dos argumentos é o de que a Constituição não exige que indicados ao STF passem necessariamente pelo crivo da CCJ. “Se o presidente da República pedir, Pacheco executa”, afirma um parlamentar. Pacheco, porém, dá sinais de que não pretende atropelar Alcolumbre.

Hoje, a margem tanto para aprovar quanto para rejeitar o nome de Mendonça está estreita. No entorno de Bolsonaro reina o pessimismo. Há quem, entre seus interlocutores, já considere o ex-chefe da AGU uma carta fora do baralho. O sentimento de um auxiliar que esteve com o presidente nos últimos dias é o de que Bolsonaro está consciente de que Mendonça “já foi degolado pelo Senado”.

Se consumada a derrota – a primeira desde 1894, no governo de Floriano Peixoto, quando cinco indicados ao STF foram reprovados pelo Senado –, o desafio de Bolsonaro será juntar os cacos e escolher um novo nome capaz de agradar a todos os envolvidos. Para um presidente sequestrado pelas conveniências dos grupos que garantem sua sobrevivência no cargo, é quase uma quimera.

Colaborou Fabio Leite
Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. E. Povão, aqui embaixo, brigando dentro da família por conta deste ou daquele candidato. Mudam-se às moscas, mas a merda continua a mesma. Lembrem-se, nas próximas eleições vote certo vote no DR ZERO ZERO CONFIRMA ou no DR SÉRGIO MORO se sair candidato

  2. É essa a nossa realidade nua e crua, os três poderes são independentes realmente, mas quanto aos interesses todos só tem interesses que não tendem a ser republicanos, com gostam de falar!!! O povo é só pro forma!!!

  3. ministro do STF não pode ser colocado lá por interesses políticos tem de ser por merecimento , por trabalho , tem de ser juiz de carreira, um absurdo esta forma de eleger o judiciario

  4. É o fim do mundo (pura politicagem) fulano ser indicado pq é evangélico, ou ateu, ou qualquer coisa… Seria suficiente ter experiência jurídica comprovada , ético, honesto e independente.

    1. A questão aqui não é ser terrivelmente evangélico, terrivelmente ateu, etc. A característica principal para ser aceito pelo senado é ser terrivelmente corrupto e não basta ser só corrupto, tem que ser terrivelmente.

  5. Brasil de Podres Poderes! Executivo que só executa em causa própria, legislativo que só legisla em causa própria e judiciário que só julga em causa própria! O Capetão Celerado vendeu corpo e alma ao Centrão! E sucateou o país pra salvar a Familicia…

  6. Não existe Virgem neste prostibulo da política. O que impressiona são as forças que o obtuso deixa emergir, por exemplo, ser pressionado por Malafáia, Hang, Olavo, que nível chegamos com esse vagabundo do Bolsonaro e sua ORCRIM. O Mendonça é ex funcionário do Toffoli.

  7. Cria cuervos y te sacarán los ojos! Crie corvos e eles te arrancarão os olhos! Que seja esse o destino do Capetão que vendeu corpo e alma aos corvos do centrão!

  8. O presidente questiona o STF todo dia mas quando vai indicar alguém não usa nenhum critério para a vaga. Indicou um ministro que cópia e cola e agora quer indicar um terrívelmente evangélico e não um jurista renomado. Como melhorar essa corte!!!!

  9. Um ministro terrivelmente evangélico, um presidente terrivelmente incompetente, aliados terrivelmente interessados em resolver o q for melhor pra eles. Do outro lado gente morrendo, desemprego, fome, miséria. Não passou pela cabeça de JB indicar um ministro TERRIVELMENTE COMPETENTE E HONESTO? Não é disso q o STF precisa? O Brasil agradeceria muito.

    1. Isso nem passa pela cabeça deles, apenas interesses próprios. Vergonha desses dirigentes. País sem educação elege esses tipos de políticos.

    2. Após destruir a educação e acabar com as pesquisas, aparece agora com uma indicação para o Supremo de um terrivelmente evangélico, quando as exigências sempre foram de um terrivelmente JURISTA

  10. O Nhonho 2, presidente do Amapá vai quebrar as fuças logo ali. Ele passou dos limites e já já cairá na vala da insignificância igual o Nhonho.

  11. Mais um medíocre escolhido de forma vil pra uma inutilidade na qual se transformou em lavanderia de condenados por corrupção. Desdém da população pra essa esbórnia.

  12. Nessa história circense nada se fala de carreira sólida, currículo exemplar, exemplo de correção moral e ética, qualquer um que sirva à corja política é que se destaca. É nojento tudo isso.

  13. Começo a entender que o nome de André Mendonça não deve ser tão ruim como pensava, afinal o Alcolumbre, Gilmar e o Centrão não engolem o “cara”. Certamente, o motivo não é republicano.

  14. Ministro do stf "terrivelmente evangélico". Mas que diabo é isso? Não estamos no Irã. Pobres de nós, na mão dos mercadores do centrão, que é a caldeira mais funda do inferno, e desses "evangélico$" do Mala (de Dinheiro) Fala. Recolham impostos, como eu, para ganharem respeito.

    1. Nao basta termos os piores ministros do stf (na ativa ao mesmo tempo) de nossa história, essa vergonha para a eternidade, um presidente com o cérebro de uma galinha em crise existencial, e um congresso abarrotado de mercadores, todos fingindo que respeitam a nação e a constituição sofrível que temos. Claro que essa conjunção de desgraças não pode dar certo, né?

  15. Teria que mudar o foco: para ocupar cadeira no Supremo, concurso público. Verdade que para isso , obrigatoriamente tem que haver uma PEC, mudar a Constituição.

    1. O que não é muito difícil quando de interesse deles, PEC5 está aí como mostra recente.

  16. Pois é, aquilo que se dizia que seria diferente de tudo que passou. Não passou de uma falácia para enganar a boiada bolsonarista. Entre quatro paredes, a trupe de calhordas e cretinos brigam entre si para colocar outro rola bostas no STF. E depois, os idiotas querem passar o trator sobre o STF e o Congresso. Nada muda ou mudou. Continuamos assistindo as mesmas mazelas de sempre.

  17. E o saber jurídico, cara pálidas????? Pessoalmente, não gosto do Mendonça. A advogada chefe da AGU antes dele tinha muito mais dignidade.

  18. Em uma sociedade civilizada, política e religião não se misturam. Nunca vi um "pastor" que não fosse mercenário ...

    1. Pastor não é o cara q cuida dos cordeiros e das abelhas?

  19. o país tem maioria absoluta de católicos, mas quem manda é o fisiológico Centrão e os milionários pastores evangélicos, e o país vai se afundando cada vez mais em um poço que não tem fundo , o cargo mais importante do país é sempre disputado pelos piores grupos da política, quando deveria ser preenchido por critérios republicanos e por méritos, e preferencialmente que viesse da Magistratura, mas por aqui tudo é negociata.

  20. Ótima reportagem,só vemos esses políticos evangélicos querendo o poder e envolvidos em roubos e falando de Deus com a maior cara de pau.

  21. Ótima reportagem de bastidor. Bolsonaro é burro, Aras se mostrou mais útil ao longo de tanto tempo. E que é o eleitorado "terrivelmente evangélico" A franja neopentecostal... Ainda temos 60% de católicos.

  22. Espetáculo circense à parte, estamos diante de duas faces da mesma moeda. Apenas fingem que são forças antagônicas. Não sei o que é pior para o nosso Brasil. Enquanto isso as nossas instituições estão cada vez mais empurradas para o lugar comum do descaso.

  23. Com todo respeito, melhor o André Mendonça no STF do que os outros candidatos nominados. O Senado não pode humilhar e transformar o jurista indicado como está ocorrendo. Essa história de ministro escolhido pelo Centrão só contribui para apequenar o Tribunal perante a população e a comunidade jurídica internacional. Portanto, não afigura-se benéfica aos interesses do próprio país. Além do que - se procedente - fazer negócios com a indicação de nomes ao Supremo atenta contra a moralidade pública,

    1. Concordo com você "Conselheiro". Independente de ser religioso, comenta-se q ele tem um bom curriculum. E isto é importante. Já pensou alguém indicado p elo Centrão? Aí que a "festa" é grande. Pelo amor de Deus.

    2. E acha que esse lupanar chamado governo tem algum compromisso com algum "ato benéfico ao país"? Doce ilusão a sua...

  24. QUEM ACREDITA NESSA CANTILENA DESSES BANDIDOS? O BOZO APENAS ESTÁ FAZENDO AQUILO QUE ACORDOU COM OS CANALHAS DA ORCRIM POIS INDICAR O EX AGU FOI APENAS PARA ENGANAR O MALA-FAIA E SEUS SEGUIDORES E TENTAR MANTER ESSES VOTOS, QUE É IMPOSSÍVEL. TUDO ENSAIADO PARA LUDIBRIAR OS IDIOTAS QUE AINDA ACREDITAM NO GENOCIDA PQ O BANDIDO PGR JÁ COBIÇA ESTA VAGA HÁ MUITO TEMPO. QUALQUER UM DESSES TRABALHARÁ PARA A ORCRIM. BATORÉ É ATOR PQ FINGE MUITO BEM. SÃO TODOS CANALHAS DO MESMO TIME. MORO PRESIDENTE! 🚔

  25. Quimeras mil é se encandear entre Aras e Mendonça. Ambos os inúteis são e agradam igualmente o Centrão, PT e bozistas .

  26. O q é o Bolsonaro, senão um cachorro com vários donos. Não gosto de sentir pena de ninguém, mas estou tendo esse sentimento em relação ao André Mendonça. ELE DEVERIA TER APRENDIDO, QUE NÃO SE DEVE QUERER ALGO QUE DEPENDA DOS OUTROS e sobretudo, que force vc a virar às costas para a sua moralidade, coisa que o Mendonça está fazendo, por querer a todo custo ir para o STF. Eu jamais me coloquei nessa situação. Deve ser por isso q durmo bem e consiga me olhar no espelho toda manhã. Moro 🇧🇷

    1. Disse tudo e perfeito, como sempre, PAULO. Certamente o André Mendonça rastejou e beijou inúmeras vezes os pés do presidente quando esteve a frente vida AGU. Colhe com isso, a ingratidão do chefe maior. Uma vergonha!!! É preciso o mínimo de moralidade e vergonha na cara para ser ministro do STF e não essa subserviência nojenta!!

  27. Um presidente acuado! Como disse Celso de Melo, nunca esteve e nem está à altura do cargo que exerce!! Péssimo para o país!

    1. cada candidato pior do que o outro..... ser apoiado por GM ja mostra o nível..... Justiça caminhando cada dia para ser mais injusta , desqualificada e imoral....

  28. Como pode esta vergonheira que aí está se chamar democracia ! Como pode o STF ser uma corte imparcial, voltada para defender os interesses dos cidadãos (nós que inclusive pagamos os salários deste pessoal), a Constituição e a democracia ? O próprio sistema de indicação deveria prever referendo popular dos nomes. A médio prazo deveríamos discutir Parlamentarismo (vide países verdadeiramente prósperos e democráticos) e reforma política ampla (voto distrital, candidaturas independentes, etc) !

    1. Acho que será necessário discutir, urgentemente, uma NOVA Constituição! Depois das eleições, Moro presidente, congresso renovado, CONSTITUINTE! O Brasil tem cura.

  29. Estamos perdidos e mal pagos. O Senado só tem colocando no STF pessoas sem qualificação para ser ministro do STF. Não acredito mais no atual Congresso, nem no STF e menos ainda na PGR. Sem esperança para o Brasil. Neste país o crime compensa mesmo. Lamentável.

  30. Blá,blá,blá,blá,blá. Querem apostar q ele vai ser o ministro da máfia STF. Parem de desenformar o povo, revistinha de merda!

    1. Desenformar é top.. tipo bolo de laranja.. ou pudim de.. bem, melhor nem falar..

  31. Difícil entender que ainda têm gente que acredita piamente que o corrupto é o candidato “ do outro” e que briga até com a família por causa desses seres. Se tivermos 10% de gente decente nesse meio, já é muito.

    1. Esse comentário era para a coluna anterior “ o mercadão das emendas “ .

  32. a incoerência paga alto preço . Bolsonaro nunca deveria ter indicado sequer o primeiro e para moralizar a corte totalmente sem crédito junto ao povo devia ter tentado mudar a forma de nomeação e não fez . não passava? deixasse vaga mas indicar jamais.

  33. O requisito para ser um ministro do STF não teria de ser “terrivelmente versado em Direito Constitucional”? Esses candidatos à vaga não me parecem preencher o requisito.

    1. Eunice talvez o critério seja ser reprovado em concurso público como uns por lá reprovados até para delegado . eita povo desmemoriado . cuidado pode ser Alzheimer ou fanatismo idiotizado.

  34. o ACORDÃO dos DEGENERADOS MORAIS para EVITAR o IMPEACHMENT do BOLSONARO e TIRAR LULA da CADEIA! os EXEMPLOS EXECRÁVEIS que uma SOCIEDADE tão CORRUPTA é capaz de produzir! Em 2022 SÉRGIO MORO “PRESIDENTE LAVA JATO PURO SANGUE!” Triunfaremos! Sir Claiton

    1. o Beira-mar de vez chega de intermediários.

  35. Brasil entregue ao que há de pior! O Congresso é um retrato fiel das nossas instituições falidas e das nossas práticas perniciosas. Todos se vendem por dinheiro - qualquer merreca! - porque a ética é palavra desconhecida. Quando não há Educação e Cultura o que temos é o vazio, o nada! Cabeças ocas…

  36. No tempo do FHC e do lula não existia essa fraqueza. Era só abrir os cofres públicos e pagar mensalinho, mensalão, petrolao e etc....

  37. É só se vender, como vcs o fizeram, por 8 paus! Ou no caso comprar compropinoduto, como fez pt ou psdb. Vcs sao canídeos.

    1. quanta saudade uns sentem da roubalheira mas são tão ignorantes que nem sabem que pagam a conta.

  38. Que país pode dar certo assim ??--o presidente jair ANTICRISTO aliado de evangelicos VENDILHÕES DO TEMPLO-- colocando no stf já carcomido, pastores mentecaptos. o brasil é apenas um mapa no globo.

  39. Não entendo ??? Todos que se apoiaram no centrão para ficarem fortes , se tornam fracos , entendem???É de Rir. Pois Lulaladrao fez o diabo e não ganhou nada, Dilmanta fez o diabo e Caiu, Temer se manteve , só aprovou a mini reforma trabalhista, nem reforma previdenciária conseguiu , o Bozobosta não consegue bosta nenhuma e aí ???????Nunca vi comprar ladrao e não levar nada, só por que o dinheiro não é dele, ou está levando Muito???? O Brasil só PIORA, então não fecha este sistema de Governo!!

  40. A cena clássica dos urubus esperando a carniça; o papel a que o ex- agu está se prestando nessa humilhação toda, ao invés de retirar seu nome dessa história feia, envolvendo essa gentalha feia; e Davi Alcolumbre/Bolsonaro lembrou o livro o primo Basílio, em que a dona da casa fica refém da empregada que a chantageava porque conhecia todos os seus segredos podres... Se revirar mais, o fedor ainda aumenta.

    1. Bando de desqualificados, todos eles. Em nenhum momento estão preocupados em levar à corte alguém digno, merecedor, que cumpra o papel que a constituição exige. Querem um apaniguado! Gente imunda

Mais notícias
Assine 50% off
TOPO