Nelson jr SCO STF

Gilmar Mendes vota para trancar investigações sobre vazamentos na CPI

26.11.21 11:55

O ministro Gilmar Mendes (foto), do Supremo Tribunal Federal, votou nesta sexta-feira, 26, para acatar um pedido da cúpula da CPI da Covid e mandar a Polícia Federal trancar as investigações abertas nos últimos meses sobre vazamentos de documentos sigilosos por integrantes da comissão.

O julgamento foi retomado cerca de um mês após o início, quando Edson Fachin, relator do habeas corpus, se posicionou contra o pleito dos senadores Omar Aziz, Randolfe Rodrigues e Renan Calheiros por entender que a PF não cometeu ilegalidades ou abuso de poder na abertura da investigação. Na ocasião, Gilmar pediu vista do processo, adiando a conclusão do debate.

Os parlamentares acionaram a corte quando a imprensa noticiou a existência das apuração sobre os vazamentos. Embora, em princípio, tenha confirmado a condução da investigação, depois a PF afirmou que instaurou apenas um procedimento administrativo” sobre o caso por causa da divulgação do conteúdo de um depoimento prestado pelo deputado federal Luis Miranda a delegados. Foi Miranda quem denunciou o escândalo da Covaxin, a vacina indiana que o governo queria comprar.

No voto inserido no sistema virtual da Segunda Turma do STF, Gilmar Mendes atendeu a CPI sob o argumento de houve “indevido início de investigações“, porque a apuração contra os senadores, que têm foro privilegiado, não foi pedida pela Procuradoria-Geral da República, tampouco autorizada pela Suprema Corte.

Verifica-se manifesta ilegalidade e usurpação da competência constitucionalmente determinada ao Supremo Tribunal Federal para julgamento de autoridades detentoras de foro por prerrogativa de função. Tal expediente é manifestamente ilegal ao passo que a autoridade policial não possui poder de abrir investigação de ofício contra autoridades detentoras de foro e tampouco requerer a abertura ao STF, iniciativa que cabe à PGR“, sublinhou.

Os demais ministros da Segunda Turma — Ricardo Lewandowski e Kassio Marques — têm até a próxima sexta-feira, 3, para depositar os votos no sistema virtual.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Qualquer investigação esse beiço de bunda de macaco tranca. O miserávvvv!!!!! Tem que deixar a baiana rodar a saia. MORO2022🇧🇷🇧🇷🇧🇷

  2. O molusco é o candidato do STF. O Fackin já havia declarado anteriormente a nulidade pelo Foro, de que o tal foi indvidamente tirado da disputa em 2018 ?????

  3. é óbvio se fuçarem muito chegam nos asseclas .. o dr. GilMAU faz o que quer neste país puteiro tutelado.

Mais notícias
Assine 50% off
TOPO