Agência Brasil

Doleiro encontrado morto havia admitido participação em esquema da Odebrecht

25.03.19 17:31

Encontrado morto na tarde deste domingo, 24, o doleiro Antonio Claudio Albernaz Cordeiro havia colaborado com a Polícia Federal nas investigações sobre entregas de propina da empreiteira Odebrecht.

Ele havia sido preso duas vezes pela Polícia Federal. Primeiro, em março de 2016, pela Lava Jato. Depois, em 2018, na operação “Câmbio, Desligo”, que investiga doleiros no Rio.

Conhecido como Tonico, Antonio Cordeiro foi encontrado morto em casa, em Porto Alegre. A Polícia Civil do Rio Grande do Sul investiga o caso e a principal suspeita é de suicídio.

O doleiro colaborou com as investigações desde a primeira prisão, em 2016. Um dia após ser pego pela Lava Jato, ele admitiu, por exemplo, que emprestava contas no exterior para receber dinheiro da Odebrecht e fornecer valores em espécie no Brasil. Em troca, ficava com uma comissão.

Cordeiro disse que passou a operar para a Odebrecht em 2009, em Porto Alegre. Ele estimava ter movimentado por ano cerca de 1,2 milhão de dólares – cerca de 4,6 milhões de reais.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

Só R$ 1,90* no primeiro mês

Edição nova toda Sexta-Feira. Leia com Exclusividade!

Assine a Crusoé

*depois, 11 x R$ 14,90

Deixar para mais tarde

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Como já começou a “queima de fogos”,desculpe,”queima de arquivos”;acho melhor que os futuros condenados fikem na prisão e não deixem que Gilmar e outros os solte,pois na PF estão com a vida garantida.Agora vão pagar pra não serem soltos ... só resta saber a kem ???

Mais notícias
Assine
TOPO