Reprodução

Confrontos entre jovens encapuzados e policiais durante greve na Colômbia

21.11.19 19:29

Os colombianos realizaram nesta quinta-feira, 21, uma greve geral. A manifestação foi organizada por sindicatos, centros estudantis, partidos de oposição e grupos indígenas.

Segundo os organizadores, mais de 1 milhão de pessoas foi para as ruas em todo o país. De acordo com o governo, o número real foi de 200 mil.

Distúrbios foram registrados nas principais cidades. Em Bogotá, estudantes encapuzados (foto) entraram em confronto com os policiais, que lançaram bombas de gás lacrimogêneo, jatos de água e dispararam com balas de borracha. Os jovens tentaram entrar no aeroporto El Dorado, mas foram impedidos. Em Cali, saques levaram o governo a decretar toque de recolher.

Os manifestantes criticam o presidente Iván Duque, a reforma trabalhista e de previdência, mas há outras demandas. “Não há uma causa única. Tem gente protestando contra o governo. Outros são contra as privatizações, que não ocorreram. Estudantes pedem mais dinheiro para a educação. É muito difícil avaliar o que está ocorrendo”, diz o cientista político colombiano Marcos Peckel.

Para Peckel, também não há um descontentamento entre a população que justifique algo parecido com os protestos no Chile. Este ano, a economia da Colômbia deve crescer 3,3%.

Antes da greve, o governo fechou as fronteiras do país e expulsou pelo menos 24 venezuelanos. Eles foram acusados de querer se infiltrar na manifestação. Armas e aparelhos de comunicação foram confiscados.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. é a ESQUERDA se aproveitando das "buchas de canhão"-estudantes , pretensos jornalistas"- para mostrar seu inconformismo pela perda do PODER em varios paises da america LATRINA !!! precisamos de governos fortes , de DIREITA , para que os MELIANTES de ESQUERDA saiam do PODER em TODA a AMERICA LATINA onde só querem distribuir MISERIA e ATRASO !!!

  2. A velha manipulação dos idiotas úteis pela esquerda (estudantes e jornalistas, por exemplo). Os comunistas fazem isso há mais de um século mas o tal cientista político não percebe.

  3. Onde a eskerda se instalou, não progrediu a Educação, a Economia, a Infraestrutura e o Patriotismo, pois o estado de miséria e dependência do governo com suas “bolsas” os doutrinaram a viver como sub-raça e sendo “massa de manobra” alienados. Para o trabalhador ficou péssimo, seus proventos não asseguram uma vida digna a ele e seus familiares. As classes sociais se aniquilaram, ficando só os ricos e os pobres; os políticos usurpadores e o povo no cabresto. Nossas vidas merecem um País melhor.

  4. Até quando nós, cidadãos que só querem viver em paz, trabalhar e se divertir vamos aturar esses comunistas arruaceiros, que estão sendo orquestrados desde as entranhas do foro de sp, por Cuba e seus satélites? Os países da América Latina devem declarar uma guerra aberta contra esses narcoterroristas satanicos.

  5. O cientista social esqueceu o óbvio: a economia está indo bem, mas o povo está mal. A Colômbia está retroagindo no que diz respeito ao índice de Gina. Procurem que vocês acharão. A direita sul-americana não aprende: quem semeia ódio, nunca colherá paz e prosperidade. A história se repete mais uma vez.

    1. Só se for da Gina, e não de Gini. Kkkk vc é ridículo.

  6. Sendo assim, reprimi-los e estigmatizá-los só serve para que o ressentimento recrudesça e eles se tornem mais suscetíveis a espertalhões querendo utilizá-los como massa de manobra. Portanto, não faz mal procurar por grupos mais "abertos" e propensos ao diálogo, mesmo que eles não tenham motivos suficientes ou concretos para estar reclamando.

  7. Portanto, estes indivíduos são extremamente fáceis de serem manipulados, pq basta chegar alguém que banque o PAIZÃO, assim como diga que todos aqueles que querem tirar os "direitos" deles são inimigos, para que eles se convençam. Por outro lado, há que se observar que, não é só pq eles são FISIOLÓGICOS, que as demandas deles não podem ter algum fundo de verdade. Às vezes tudo o que eles querem é um pouco de atenção, alguém que ouça as demandas deles.

  8. Não existe massa de manobra maior do que estudantes, servidores públicos e usuários de programas sociais, são indivíduos expostos ao FISIOLOGISMO e que, portanto, tem todos os incentivos para manter o status quo que supostamente lhes favorece e beneficia. Estão dispostos a piorar sua situação material, mas não aceitam abrir mão do seus status dentro do sistema social. Se a situação material deles melhorar, mas eles se sentirem "socialmente" abaixo na escala social, há ficarão insatisfeitos.

  9. Só para Lembrar de 2 coisas. Primeira, a esquerda está fazendo algazarra em todos os países da América do SUL . Segundo, a Maior parte dos imigrantes da Venezuela entraram na Colombia, que inocentemente não fez uma triagem e agora uma parte deles está ajudando a organizar os protestos de esquerda a mando de Maduro e do Maldito Foro de São Paulo!

  10. Se o poder do Estado é superior ao do cidadão, então cabe aos agentes de um Estado democrático adotar as medidas para não fazer nenhum uso excessivo e injustificado da força e da violência. Sobretudo, cabe ao Estado fazer uso da inteligência para efetivamente eliminar a "euforia" decorrente do excesso de confiança que a sensação de ser parte de uma manada "injeta" nos mais inconsequentes e manipuláveis.

  11. Mesmo que o confronto sirva para disseminar o pânico, sempre tem uma margem residual que não se deixa apavorar e parte para tentar revidar à agressão. Mas como estão em desvantagem tática e destrutiva, é lógico que eles sairão como os maiores perdedores do processo. Há que se inclusive agir para resguardar a integridade dos MENTECAPTOS, indivíduos que pela sua idade ou inconsequência são incapazes de resguardá-la por si mesmos, colocando-se em situações onde estão totalmente expostos.

  12. As palavras do cientista político são bem clara: "não há uma causa única..." Ou seja, é uma orquestração para perturbar a Colômbia. Quem ganha com isso? O Foro de São Paulo. Está na hora de entender que é guerrilha. O Brasil será a bola da vez. Só haverá uma saída: repressão. Não há reinvindicações, só vandalismo.

  13. De repente, gente que saiu às ruas com o objetivo específico de causar confusão, anarquia e desordem, inclusive ameaçando a integridade física e até a vida alheia, se transformar nas grandes vítimas. Acendem o pavio e depois reclamam de terem sido atingidos pela explosão. O Estado democrático não é baseado na repressão e na violência, mas na justiça. Se for necessário o uso da violência, ele deve ser justificado, seja pelo judiciário, seja pelas evidências (imagens no caso de protestos).

  14. Os verdadeiros coordenadores botam a massa de manobra na rua, deixam ela apanhar e depois chegam para a sociedade civil dizendo: "está vendo, pessoas inocentes e desarmadas sendo atacadas pelos opressores, enquanto os IMPERIALISTAS lucram com a exploração do trabalhador, o povo apanha nas ruas". Ou seja, querem manipular a opinião pública, no que a repressão só serve para aumentar o poder de manipulação, pois passa a imagem do mais forte contra o mais fraco.

  15. Se o indivíduo considera que não tem nada a perder, então pq ele vai seguir a lei e se refrear de partir para o "radicalismo" e o "extremismo"? Quando a insatisfação não se refere a algo específico e concreto, sendo algo estrutural e além de políticas de um governo (como no Chile) ou tratando-se de aproveitadores (e até terroristas) tentando causar dificuldade para vender facilidade, reprimir só serve para transformar os manifestantes em "vítimas" da brutalidade e da violência.

  16. É um exemplo, mas o Estado moderno e democrático deveria focar mais em enforçar a lei e menos na repressão. Em coordenação e cooperação com o setor privado e civil, deveria adotar ações para mitigar riscos e prejuízos. Agora, é óbvio que isto só se aplicaria a situações nas quais o grosso da população não está insatisfeita e já chegou ao limite de tolerância em que ela não está nem aí de ser identificada ou não, que não é questão de coragem ou não, mas de puro desespero, como na Venezuela.

  17. Quem teria o anonimato é quem ajuda a combater a violação da lei, não os violadores, pois o nome dele não precisaria ser revelado e ninguém saberia que foi ele quem identificou um manifestante praticando algum ilícito. Além disto, a partir do momento em que o manifestante está conectado e vê que as imagens estão sendo transmitidas em tempo praticamente real ou real, ele já pode achar que não está tão anônimo assim e pode depois sofrer alguma imputação por atos ilícitos.

  18. Exemplo: um drone captura imagens em tempo real e transmite para um servidor em tempo real tb. Do servidor, as imagens já são editadas e publicadas em redes sociais e aplicativos de msg. Se houver quebra-quebra, o drone pode focar nos perpetradores e dar um zoom no rosto deles. Pelas próprias redes sociais e aplicativos de msg, até mesmo indivíduos mascarados poderiam ser reconhecido por algum conhecido, fornecendo as informações de quem poderia ser a pessoa.

  19. As imagens podem servir para se alimentar softwares de reconhecimento facial posteriormente, nem é necessário que seja em tempo real. A questão é exatamente acabar com a "coragem" e a "bravura" de gente que quer se valer do anonimato e da intrepidez que só a manada fornece. Depois que o sujeito está cercado e sem saída, que outra opção, a não ser contraatacar, ele tem? Aliás, hj com a internet, o sujeito depredando patrimônio público ou privado já pode ficar online em poucos minutos.

  20. A polícia e o Estado deveriam estar equipados para coordenar com a sociedade civil e utilizar a tecnologia para gravar todas as ações dos manifestantes. Com uma pequena "força" de drones é possível se fazer isto, priorizando a filmagem de indivíduos mascarados e armados com artefatos suspeitos que possam vir a se utilizados para destruir patrimônio privado e público. Não só as imagens deveriam ser amplamente divulgadas, mas os responsáveis deveriam ser identificados.

  21. Mas hj, com a tecnologia, é fácil gravar imagens e depois utilizar equipamentos de reconhecimento facial para se identificar qq um que cometas atos de vandalismo e depredação. Ao invés de se reprimir, deveria-se utilizar a inteligência contra aproveitadores e gente que quer causar tumulto para subverter as expectativas da maioria da população. Tal como a prisão do filho de El Chapo no México, indivíduos fazem o restante da população de refém para obter algo em troca. A lógica é a mesma.

  22. Um dos motivos de as pessoas ficarem "corajosas" quando estão na internet é o anonimato. Quando as pessoas estão em grupo, há um outro efeito para o sujeito ficar "corajoso": ele não está sozinho contra o mundo malvado. Adicione estes dois fatores e aumente o número de gente, é fácil perceber que no meio das manifestações não vai faltar gente "corajosa", que sozinha não teria coragem de chamar a atenção de alguém que passou na frente dele em uma fila, mas que na multidão vira um Golias.

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO