Adam Schultz/Casa Branca via Flickr

Biden cobra união de democratas e diz ao povo que fica

08.07.24 11:07

Joe Biden (foto), o presidente dos EUA, anunciou nesta segunda-feira, 8, que deverá manter sua campanha à reeleição — apesar de cobranças cada vez mais vocais, dentro e fora do Partido Democrata, para que ele abra mão de sua candidatura contra Donald Trump.

Em uma carta endereçada a parlamentares do partido no Congresso, Biden cobrou união em torno do seu nome, e indicou que, aos 81 anos, é o nome para parar o candidato republicano, ex-presidente entre 2017 e 2021.

“Agora que vocês voltaram do feriado de 4 de Julho [dia da independência americana], quero que saibam que, apesar da especulação na mídia e em outros lugares, estou firmemente comprometido em permanecer nesta corrida, indo nela até o final, para bater Donald Trump”, inicia Biden na mensagem.

Ele evita os questionamentos sobre sua idade avançada —ele já tem 81 anos— e sobre sua performance apática durante o primeiro debate contra o candidato do Partido Republicano. Após ter participado de uma série de comícios na semana passada, Biden ainda acredita: “Eu não estaria concorrendo de novo se eu não acreditasse plenamente que eu sou a melhor pessoa para vencer Donald Trump em 2024.”

O texto tem um apelo ora interno —cobrando os parlamentares a respeitarem o resultado das primárias, onde ele praticamente concorreu sozinho— e parte externo, listando os méritos no setor econômico do país. Ao fim, o democrata cobrou unidade do partido para manter seu nome. “Meus caros democratas — temos o histórico, a visão e o comprometimento fundamental às liberdades da América e à nossa democracia para vencer.”

A mensagem vem após 10 dias de caos dentro da legenda, que viu a pressão contra uma candidatura Biden se tornar pública. Parlamentares do partido chegaram a pedir publicamente que o presidente (que poderia estar com 86 anos ao fim de um eventual segundo mandato) abra mão da candidatura à tempo. A revista The Economist chegou a publicar uma matéria de capa crítica ao presidente, substituindo o púlpito presidencial por um andador para idosos com dificuldades de locomoção.

Como já possui os votos necessários para garantir sua nomeação a presidente, apenas uma renúncia do próprio Biden garantiria isso. Agora, sem a indicação que ele assim o fará, a vida de Donald Trump (que tem 78 anos) fica mais fácil. As pesquisas eleitorais mais recentes mostram isso.

Leia mais em Crusoé: O que as pesquisas pós-debate revelam sobre a campanha de Joe Biden

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
Mais notícias
Assine agora
TOPO