Suamy Beydoun/Agif/FolhapressO ministro Ramos: parlamentares sustentam que ele foi quem ofereceu a verba

A guerra da comunicação

A ala ideológica do governo inicia uma nova batalha pelo controle das estratégias e das verbas de publicidade do Planalto
26.07.19

O novo ministro da Secretaria de Governo, general Luiz Eduardo Ramos, chegou a Brasília com sua mudança no último sábado, 20, após uma longa viagem de mais de mil quilômetros, de carro, entre a casa onde morava, em um quartel de São Paulo, e seu novo apartamento funcional, na Asa Sul da capital federal. Aproveitou o domingo com a família e na segunda, logo pela manhã,  baixou no Palácio do Planalto para a primeira grande missão de seu mandato: debelar mais uma crise na comunicação do governo. Na sexta-feira anterior, o presidente Jair Bolsonaro recebera jornalistas estrangeiros para um café da manhã e, em menos de duas horas de conversa, disse que a fome no Brasil é uma “grande mentira” e deixou escapar que, dos governadores de “paraíba”, em referência mal calculada ao Nordeste, não gostava especialmente do maranhense Flávio Dino, para o qual o governo federal não deveria liberar recursos. Também atacou a jornalista Miriam Leitão, retorcendo a história ao dizer que ela mente ao contar que foi torturada durante os anos de chumbo.

Pegou muito mal. As declarações provocaram uma saraivada de críticas a Bolsonaro. Ante a repercussão negativa, Carlos, seu filho 02, foi às redes sociais para atacar de forma indireta o porta-voz da Presidência, general Otávio do Rêgo Barros. “Por que o presidente insiste no tal café da manhã semanal com ‘jornalistas’? Absolutamente tudo que diz é tirado do contexto para prejudicá-lo. Sei exatamente o que acontece e por quem, mas não posso falar nada porque senão é ‘fogo amigo’. Então tá, né?! O sistema não parará!”, postou Carlos nas redes sociais. No dia seguinte, o deputado federal Marco Feliciano, próximo do filho 02 de Bolsonaro, nominou o alvo: chamou Rêgo Barros de “incompetente”, “mal-intencionado” e “usurpador”.

Estava aberta, assim, mais uma batalha na guerra entre a chamada ala ideológica do governo, liderada pelo escritor Olavo de Carvalho, com os militares – a mesma guerra que já alvejou o antecessor de Luiz Eduardo Ramos no posto, o também general Carlos Alberto dos Santos Cruz. Desta vez, a bronca, no atacado, é com o protagonismo de Rêgo Barros no Palácio do Planalto e, no varejo, com o fato de ser ele o idealizador dos cafés da manhã de Bolsonaro com os jornalistas, que quase sempre têm acabado com danos à imagem do presidente. Alinhado às críticas de Carlos ao porta-voz, o secretário de Comunicação, Fábio Wajngarten, tenta diminuir o poder do general. Para começar, quer demover o presidente dos encontros. Para os críticos de Rêgo Barros, os cafés só comprovam a tese que sustentam desde o início do governo: a de que os militares querem expor o presidente para enfraquecê-lo, derrubá-lo e permitir que o vice, general Hamilton Mourão, assuma o poder. Os militares, claro, rechaçam veementemente essa leitura.

Marcos Oliveira/Agência SenadoMarcos Oliveira/Agência SenadoWajngarten, o chefe da Secom: para Olavo de Carvalho, ele é um gênio
Ramos, o general amigo de Bolsonaro a quem a comunicação do governo está subordinada (tanto o porta-voz quanto a secretaria de Wajngarten estão sob a estrutura da Secretaria de Governo), chegou ao posto com a obrigação de arbitrar a nova batalha. E logo descobriu que o problema é muito maior do que imaginava. As reclamações de Wajngarten e de toda a ala ideológica palaciana contra Rêgo Barros não se limitavam aos cafés da manhã, mas também à estrutura paralela de comunicação que, consideram, foi montada pelo general e estaria funcionando à revelia da própria Secom. Em suma, entendem que o porta-voz extrapola as suas funções. Até mesmo a possibilidade de tirar Rêgo Barros do cargo de porta-voz foi aventada – a ideia era reposicioná-lo na estrutura palaciana. O objetivo, ainda não alcançado, é enquadrá-lo. O porta-voz resiste como pode. Em uma conversa com Ramos, o novo chefe, ele disse que não se submeteria a Wajngarten. Sob ataque, Rêgo Barros ainda conseguiu mobilizar o próprio presidente a seu favor: Bolsonaro chegou a declarar publicamente que os cafés da manhã com jornalistas vão continuar a ocorrer.

A declaração do presidente pode ser uma pequena vitória no front, mas está longe de representar garantia de sucesso na batalha – menos ainda na guerra. Da última vez em que a ala ideológica avançou sobre um general, Santos Cruz, ele acabou demitido por Bolsonaro após um longo processo de fritura em praça pública. À diferença de Rêgo Barros, Santos Cruz tinha status de ministro de estado e gozava de uma amizade de três décadas com o presidente. Mas nem isso foi suficiente para segurá-lo. Wajngarten foi decisivo no episódio. Como Crusoé revelou, foi ele quem levou a Jair Bolsonaro a tela de uma suposta troca de mensagens de WhatsApp em que o militar criticava o presidente. Santos Cruz diz que o diálogo foi falsificado. O estrago, porém, foi feito.

Agora, o entorno do secretário Wajngarten garante que a ideia não é que Rêgo Barros tenha o mesmo fim que Santos Cruz. A intenção é apenas fazer com que ele se submeta às diretrizes de comunicação da Secom. Ramos é considerado peça-chave nessa operação. “Para não ter crise, depende do Ramos”, diz uma fonte. O novo ministro, de perfil conciliador, já recebeu do próprio Bolsonaro uma ordem para pôr fim à guerra na comunicação. Na cena ainda nebulosa, todos os lados tentam se posicionar estrategicamente.

Alan Santos/PRAlan Santos/PRRêgo Barros, o porta-voz: atacado pela ala ideológica
Wajngarten sabe que o apoio de Ramos é fundamental para que ele consiga ocupar definitivamente todas as estruturas de comunicação do governo e busca aproximar-se do novo ministro. Levou-o, por exemplo, ao SBT para conhecer Silvio Santos. Intermediou também um almoço dele com o Grupo de Líderes Empresariais, o Lide, o influente grupo de empresários sediado em São Paulo e fundado pelo governador João Doria. Ramos, por sua vez, sabe da relevância que Wajngarten ganhou desde que foi escolhido por Bolsonaro para o cargo. Oriundo da comunidade judaica paulistana, o secretário conheceu o presidente há dois anos em um jantar. Deu liga. A relação se estreitou após a facada que o então candidato levou durante a campanha eleitoral. O pai de Wajngarten é médico do hospital Albert Einstein, onde Bolsonaro foi operado. Foi o secretário quem intermediou a transferência de Juiz de Fora para São Paulo e a internação. No Planalto, ele chegou com a missão de azeitar as relações do governo especialmente com os grandes canais de televisão.

É na relação com as TVs, aliás, que está o maior ativo de Wajngarten na área de comunicação. Sua missão principal no palácio passa longe da tarefa de atender jornalistas. Ele tem procurado, cada vez mais, estreitar as relações do governo com emissoras, em especial aquelas que são vistas com mais simpatia pelo Planalto. Foi um dos fundadores do Controle de Concorrência, que faz a intermediação de interesses de agências de publicidade com os canais, principalmente os concorrentes da Rede Globo. É um crítico contumaz da forma como o grupo da família Marinho atua no mercado — outro ponto de divergência com os militares, que preferem não discriminar a emissora. “A gente tem uma emissora líder com 35% da audiência para um total investido nela entre 80% e 85% (dos recursos financeiros). É um ecossistema que o mercado precisa repactuar”, disse, em rara fala pública durante uma audiência em maio, na Comissão de Constituição e Justiça do Senado.

Dos 22 encontros registrados na agenda oficial de Wajngarten com representantes das principais TVs, 20 foram com Record, SBT, Band e RedeTV. Na maior parte das conversas, ele falou em aproximá-las do governo. O secretário também tem sinalizado que pretende rever o modelo de distribuição das verbas de publicidade. Um de seus planos é a criação de uma “central de mídia”, pela qual a gestão de todas as verbas publicitárias federais, incluindo as das estatais, seria unificada para dar à Secom mais condições de negociar descontos. Isso, diz, garantiria uma economia de algo em torno de 400 milhões de reais, que poderiam ser redistribuídos. A despeito das ressalvas que faz à Globo – no fim de semana, ele torpedeou a emissora nas redes sociais –, na última terça-feira o secretário almoçou no Rio de Janeiro com João Roberto Marinho para “reconstruir pontes”. Não significa muito, porém. Wajngarten goza de prestígio na ala ideológica do governo justamente por sua postura, digamos, anti-Globo. É o que faz ele ser querido, por exemplo, por Olavo de Carvalho, guru da turma e autor dos mais ferozes ataques aos generais do governo. “O Olavo acha o Fabio um gênio”, diz o deputado Pastor Marco Feliciano, amigo de Wajngarten e franco-atirador na campanha para diminuir o poder dos militares na comunicação palaciana. A guerra, tudo indica, ainda levará tempo para terminar. Se é que terminará.

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Feliciano é o pastor que pediu em seu culto que os irmãos de fé,poderiam usar cartão de crédito para efetuar suas ofertas,com a maquininha na mão.Nada contra evangélicos,mas alguns "pastores "extrapolam a fronteira de suas atribuições,unificar o rebanho. Feliciano está mais preocupado em derrubar os Generais do entorno do Capitão,se fosse inteligente pararia com essa obsessão,caso isso ocorra,Bolsonaro cai no outro dia,os militares ,são quem o sustentam,paguem pra ver.

  2. Se existe uma área em que o governo é deficiente é na comunicação, mais pelo ímpeto do Presidente do que por falha de sua equipe, OS ACERTOS ENQUANTO GOVERNO são OFUSCADOS pelos ERROS DE COLOCAÇÃO em seus pronunciamentos, infelizmente o Presidente tem dado aos opositores e a mídia que os apoia MUNIÇÃO SUFICIENTE para que eles, MESTRES DA COMUNICAÇÃO, DA AUDIENCIA E DO ILUSIONISMO ofusquem o bom desempenho do governo, e quase sempre com temas de menor importância, EQUILIBRIO NOS PRONUNCIAMENTOS!

  3. A imagem da mídia brasileira como um todo foi enormemente prejudicada.A parcialidade e os interesses financeiros dominam.Até o Jornal o Estado de São Paulo perdeu a credibilidade.

  4. A verdade soa como tortura para tucanos e petistas. É duro para eles olharem no espelho sabendo que são cúmplices do genocídio econômico ao qual submeteram 200 milhões de brasileiros. Um através de juros de 60 % e os outros através do desvio de 1 trilhão. É, eu entendo porque tucanos e petistas sentem-se torturados pela simples revelação da verdade.

  5. Nada de errado com o porta-voz e as coletivas matutinas. O presidente é que deve ser previdência nas resposta é falas soltas que profere. Corrigir-se, assessorar-se, e não evitar os repórteres. Até porque seu eleitorado gosta de assistí-lo.

    1. O problema nao está no porta voz e sim na intromissão dos filhis e seus puxa sacos. O café da manhã é excelente, só que o PR não mede suas falas e não tem quem o alerte na abordagem dos temas. Desperdiçando excelente iniciativa de interação com a imprensa. Muita gente incompetente opinando e desviando o foco das questões que o Pais precisa focar.

  6. A area de comunicacao sempre foi uma bagunca e nada indica q va melhorar. Votei em JB pra eleger um presidente e não um monarca com sua corte de principes e seu Rasputin - Olavo de Carvalho. Essa turma ja fez muito mal ao pais com seus factoides, tirando o foco da reforma da previdencia q e' vital pra tirar o pais do buraco. Tenho pena do Guedes e do Moro q trabalham pro pais melhorar enquanto o presidente, familia e o rasputin, atrapalham o tempo inteiro com intrigas palacianas.

    1. Concordo que o presidente precisa sair da campanha e nos representar com grandeza!

  7. Hoje vivemos uma guerra de comunicações: de um lado, a imprensa tradicional que cria, propaga e divulga mentiras de forma industrial e do outro brasileiros comuns que usam o youtube e outras redes para fazer frente a essa quadrilha fria e suja que se chama jornalismo brasileiro (ressalvadas as exceções). A imprensa perderá essa batalha e entrará para a história como última trincheira do crime organizado derrotada em 2022 por Jair Messias Bolsonaro. Obs. o choro continuará LIVRE.

    1. Caio, acho q o presidente tem q dar o exemplo. Ele tem um monte de coisas boas pra falar, mas insiste em criar polemicas q so atrapalham. Se ele quer q sejam publicadas noticias boas, pq nao fala das coisa boas?

  8. Por falar em verbas de publicidade, será que o Tribunal de Contas de Maranhão e o MP/MA já começaram a investigar os milhões que o Governador Petista Flávio Dino queimou para financiar a extrema-imprensa? Estão esperando o quê? Mais milhares de Maranhenses morrerem na miséria?

  9. O Sistema continua. Trocaram alguns pares. Lembrem da mensagem dada pelo Mecanismo!!! São tantos interesses ocultos e escusos cirandeando pelos altos escalões e a Pátria amada ainda não saiu da UTI.... Importante termos um jornalismo isento e comprometido com a verdade, como a Crusoé, que nos possibilita acompanhar, tanto quanto possível, estes bastidores e tentarmos entender os sinais que emitem, embora que, muitas das vezes, se assemelhem a hieróglifos....

  10. Já tô começando a ficar de saco cheio desse Jair bolsonaro e desse monte de porcaria que ele fala, votei pra tirar o lixo do PT, mas é uma atrapalhada atrás da outra não entendeu ainda que em boca fechada não entra mosquito E tá assim fazendo um monte de coisas que eu não concordo mandar esse filho para embaixada dos Estados unidos chamar os nordestinos de Paraíba atacar a ciência e os cientistas....fala sério, cala a boca e foca no saneamento básico!

    1. até que enfim vejo alguem aqui com os pés no chão. o bolsonaro ja disse tanta besteira que fica dificil entender como ele passou na academia. é uma tolice atrás de outra. mostra total desconhecimento de qualquer assunto, é um ignorante total, meu deus do céu. sera que entre os militares não havia alguém mais competente. castelo Branco, geisel, costa e silva e figueiredo devem estar se revirando de vergonha no tumulo.

    2. O problema é mais profundo. Estavamos acostumados a ouvir balelas e um monte de besteiras dos governos anteriores passivamente, como cordeiros. PR Bolsonaro está dando um choque de realidade para mudar esse “status quo” entranhado na passividade do povo brasileiro. A esquerda ditou mentiras exaustivamente durante anos que as fez parecer verdades. Agora, a verdade que as contraria, convulsiona a todos.

    3. O problema é mais profundo. Estavamos acostumados a ouvir balelas e um monte de besteiras dos governos anteriores passivamente, como cordeiros. PR Bolsonaro está dando um choque de realidade para mudar esse “status quo” entranhado na passividade do povo brasileiro. A esquerda ditou mentiras exaustivamente durante anos que as fez parecer verdades. Agora, a verdade que as contraria, convulsiona a todos.

  11. Ridícula discussão! O problema não é o café da manhã, nem o general porta voz que aliás, é excelente! O problema é o Bolsonaro abrindo a boca sem engatar o cérebro. Votei no Bolsonaro, votaria de novo mas está mais do que na hora dele controlar os filhos e a boca solta.

    1. Várias vezes sugeri a ele a brincadeira da "Vaca Amarela".

  12. A divisão de verbas tem que seguir a divisão de audiência. Se a globolixo tem 35% de audiência, tem que receber 30% da verba no máximo é assim por diante com as outras emissoras, de forma que para cada emissora o total recebido será sempre 5% a menos. De tal forma que no final teremos uma sobra que será alocada pelo próprio presidente para quem ele quiser, dividindo está grana com seus apoiadores blogueiros.

    1. As TVS não deveriam receber verba nenhuma!!! Chega de dar nosso dinheiro para estes caras!!!!

  13. É lamentável que o filho 2 ,ataque o tempo todo os militares,o general não tem culpa das besteiras que Bolsonaro fala ,e não são poucas .PQUE ELE NÃO CUIDA DE MORALIZAR A CÂMARA DO RIO ? OU PQUE NÃO SE PREOCUPA EM EXPLICAR O PORQUÊ O IRMÃO FLÁVIO CORREU A SE ABRIGAR SOB A TOGA DO AMIGODOAMIGODOMEUPAI?

  14. Esses 80% de patrocínio para 35% de audiência que o Wajgarten menciona conferem? Se for real, o Wajgarten tem razão na mudança de rumos.

  15. Tomara que o General Luiz Eduardo Ramos não caia neste buraco que o Zero 2, Carlos, está querendo dominar. Mas sendo filho de Bolsonaro, não creio que o novo Ministro Ramos, vá poder mudar esta trama, que envolve muito dinheiro, é o que atrai o Zero 2, e seus aliados. Estes filhos do Bolsonaro vão "queimar o filme" deste governo, é só aguardar.

  16. Tudo muito complicado e que não ajuda em nada ao nosso presidente, deixando tudo mais difícil para a sua governança. Contudo vamos continuar apoiando a nossa grande confiança nesse governo

    1. Estou do lado dos leitores de Olavo de Carvalho. Seus leitores jamais usariam de termos na tentativa de diminuí-lo. Seus textos falam por si. A propósito: será que Sandro e Anna já leram uma página do homem que deve ser considerado o elemento despertador da direita no Brasil? E sem morar no Brasil? Precisa dizer mais? Leio e recomendo: Olavo de Carvalho. Simplesmente esclarecedor....

    2. pqp o astrológico Go que não quer me dar no Brasil, ao TRE nvew prefere passar fpm nos EUA o maior benfeitor do povo brasileiro! Só falta falar que o 02 será o próximo presidente com o astrólogo como vice. o Luladrão quero preso, junto com milicianos, quem faz rachadinha, quem contrata pessoas que residem a mais de 150 km do ofício e estudam em tempo integral, quem pede pra depositar na conta da esposa pq não tem tempo para ir ao banco ble quem não declara, na prestação de contas de campanha...

    3. Olavo de Carvalho quebrou a hegemonia da esquerda na cultura nacional. Somente tal fato seria o bastante para tê-lo como o maior benfeitor do povo brasileiro em toda a história do País.

  17. O presidente pateta e seus filhinhos inúteis deveriam se preocupar com a economia estagnada e os milhões de desempregados e não com fantasmas comunistas e com boquinha de emprego na embaixada americana.

    1. Pois é,12 milhões de desempregados,deixados pelo PT,milagre nem Irmã Dulce faria e tem mais,os filhos do Capo presidiário,enriqueceram licitamente?Aceitar a derrota e ajudar o Presidente governar é o mínimo que a esquerda,alma penada,poderia fazer.

    2. Pelo menos não discutimos mais como Engarrafar Vento. O problema é mais profundo. Estavamos acostumados a ouvir balelas e um monte de besteiras dos governos anteriores passivamente, como cordeiros. PR Bolsonaro está dando um choque de realidade para mudar esse “status quo” entranhado na passividade do povo brasileiro. A esquerda ditou mentiras exaustivamente durante anos que as fez parecer verdades. Agora, a verdade que as contraria, convulsiona a todos.

    3. A questão é, a esquerda com suas mentiras e inversão de valores, incomoda e distorceu fatos ao longo dos anos. Ao opor posições e temas que as contrariam , inflamam animos. Deixe que isso ocorra, pois deixamos de ser o País do futebol, hoje nos bares se comenta mais politica que os titulos do Palmeiras no mundial.

    4. Por acaso você está falando de um passado recente? Os filhinhos eram tão inúteis quanto nocivos ao país. Certamente que você deve ser fã de futebol americano.

    5. Calma que o vermelho vai delatar e a caixa preta daquele banco público vai ser aberta em breve! kkkk

    1. Segundo pesquisa recente da Ipsos, a maior preocupação dos brasileiros é com a segurança!!! Então, precionemos o Congresso Nacional para alinhar a pauta de votações a essa agenda popular do pacote do ministro Moro. Por favor!!! É urgente apoiar esse governo que elegemos!!!

    2. Governo não precisa de nenhum Guru... não precisa dcombater o pensamento Grammsciano... GOVERNO e sua EQUIPE têm que ter capacidade de GESTÃO PÚBLICA... O RESTO VIRÁ CONVERSAS DE COMADRES FOFOQUEIRAS... aquelas que se encontram nas esquinas... nas praças... nos chás e cafés... ou seja falta do que fazer!!!

  18. Entendo que o presidente tem a noção correta da guerra de informação que é travada sutilmente nos meios de comunicação social. O estrago causado pela doutrinação marxista é de grandes proporções culturais. Essa realidade tem que nortear as comunicações do governo que a clara maioria dos brasileiros elegeu!

  19. Esse é o presidente que temos para o momento. Ponto. Foi capaz de levantar a bandeira do Brasil em meio a um mar de flâmulas vermelhas. Foi contra o crime organizado e se elegeu presidente com uma agenda de decência. Vamos cobrar coerência! Exigir o cumprimento das posições defendidas na campanha! Esses são os pontos relevantes! Ou não???

    1. Ou o senador Bolsonaro paga o que deve quando deputado estadual ou o presidente Bolsonaro vai junto para a mesma lama do mensaleiro da corte alta.

  20. O Presidente já provou que não vai respeitar a ditadura do maldito “politicamente correto”. Leio, abaixo, comentários vindos de quem gosta mesmo é de ler bilhetes do presidiário publicado pela Folha/Uol/Globo. Gente, aqui é Crusoé. Querem que desenha?

  21. Se as empresas de comunicação fossem minimamente sérias e bem administradas, fariam propagandas gratuitas do que o governo faz pelo progresso do país. Jamais ficariam esperando e pregando a volta de governos corruptos que pagavam para manter uma falsa aparência de honestidade e de supostos benefícios aos pobres . Se o país cresce, elas crescem juntas e tornam-se independentes.

  22. Toda essa bagunça deve ser debitada na já vasta conta da incompetência do presidente, pelas constantes besteiras que diz e faz. Aliás, não há como esperar competência de um indivíduo que tem um guru, e este guru é o olavo de carvalho, que se destaca pela má educação, palavreado chulo e desrespeito a quem tem o mau gosto de assisti-lo na tv, fumando e usando sua linguagem desbragada e inaceitável.

  23. O maior adversário do Bolsonaro é ele mesmo. Precisa ter postura de estadista e não de militante. Infelizmente ele não está à altura do cargo, bem como o PT e a esquerda. Precisamos de alguém equilibrado, estadista e moderado.

  24. E o povo, que se exploda! E sobre educação, hospitais, estradas, sanidade pública, segurança, trens, ônibus, metrô, remédios aos carentes, etc., quando vão falar disso tudo? Quando irão "botar" o dinheiro do contribuinte nisso?

  25. O maior adversário do Jair Bolsonaro é o Jair Bolsonaro. A campanha acabou. Seus filhos falam demais, embora já tenham reduzido bastante, até o vereador Carlos (ele trabalha como vereador?! Tem relevância como vereador no Rio? Pergunto porque não sei.). O Jair Bolsonaro deve se preparar para dar entrevistas, inclusive para não dar o que parte da mídia deseja, POLÊMICA. 30 anos no congresso devem ter contribuído para um mínimo de aprendizado.

  26. O problema não é o café da manhã. O problema é a fala do Presidente que não tem nada de diplomacia Está vendo que a mídia está esperando cada vírgula que ele fale para torpedear. Agora ele falando o que falou .... tenha dó né..!! Será que não percebe ? Não dá pra falar o que vem à cabeça, principalmente um Presidente.

    1. Jussara: concordo totalmente com você. Tanto o Presidente quanto seus filhos precisam pensar antes de falar. Parece que estão na oposição! Acabam sendo seus próprios inimigos. Boca fechada não fala besteira.

    2. Que o digam Dilma e Lula!! Grandes e inesquecíveis “perolas” , apesar das poucas ou nenhuma entrevistas “abertas” a jornalista, amigáveis ou não.

  27. A censura deveria atuar melhor, proibir a Globo de exibir reapresentações de novelas que passa nos horários das 19:00 , 20:00 e 21:00 horas , com chancela de ,Vale a pena ver de novo , durante as tardes , com nudez, beijos gay, assassinatos e, muito mais !

  28. "Ala ideológica liderada por Olavo de Carvalho" ... putz, que delírio ... Se perguntarmos quem faz parte dessa "ala" ou como "Olavo" os lidera, aposto que o autor não saberá responder.

  29. Alguém aí já ouviu falar em canal do Dom e no Cristal Vox? Os seus respectivos donos têm como figura máxima do país o Vice-Presidente, general Mourão, e atacam ferozmente o Presidente Bolsonaro, dia sim e outro também; são dois esquerdalhas enrustidos, passando-se por interessados no bem do país, mas com supremo interesse em arranjarem uma "boquinha" no sonhado governo do general, após a "derrubada" do atual Chefe da Nação. Acessem os canais e tirem suas conclusões...

  30. É impossível impedir que Bolsonaro fale bobagens, elas já fazem parte do folclore político. O resto é briga de poder de quem deveria trabalhar mais e conspirar menos.

  31. Olavo um guru??? Por que tanto desrespeito com o filósofo, escritor e um dos, se não o principal responsável pela mudança cultural que está ocorrendo no Brasil, Crusoé?

  32. Quer saber? Votei no Bolsonaro e votaria outra vez, não pelo que ele fala , mas pelo conteúdo do que ele fala, uma grande diferença. Aí é que está toda a questão. Ele não está mais em campanha, ele agora é Presidente e tem que saber dar seu recado sem tanta verborragia de botequim. A sua linguagem pode ser popular com a do Guedes, mas sem agredir tanto.

  33. Estou com o Wajngarten. A guerra principal de informação não é palaciana. Essa é guerra de poder interna. A grande guerra é ideológica e não tem quartel. Está em todos os lugares e cabeças. Em países especial, nas escolas, produção televisiva e no jornalismo comunista. Essa é uma guerra difícil pelo sucesso da aplicação da teoria da hegemonia cultural do filósofo marxista António Gramsci. Até parte do clero católico foi dominado pela teologia da libertação! Ora veja!

  34. A Crusoe’ precisa ser isenta o suficiente para reconhecer publicamente que as Organizações Globo são contra o governo e contra o país. Não dá pra querer crescer como mídia usando Folha, Veja, Época como fontes de informação: O leitor da Crusoe’ cancelou as assinaturas com esses órgãos de esquerda contra o governo que distorcem notícias todos os dias para criticar o governo mesmo quando ele acerta - tem que se posicionar e entender que isso é uma guerra.

    1. Sem nenhum favor, o grupo O Antagonista está salvando o jornalismo do macunaísmo da mídia tupiniquim. Menos male !

    2. Concordo! Assinei a Crusoé buscando uma fonte de notícias limpa e isenta. Mas vejo, que, no Brasil atual, isto é quase impossível. Qto ao café da manhã do presidente com órgãos de imprensa, concordo q deveria ser totalmente suspenso. Pelo menos até q o nosso presidente aprendesse a se comportar como tal.

  35. O capitão, todos sabem das suas limitações, portanto, ele deve continuar entretido em matar as baratas e ratos espalhados pelos órgãos e repartições públicos e instituições ideologicamente comprometidas com a Orcrim e suas praticas e acoes criminosas, criadas na seita nefasta do PTismo. Deixar o plano de desenvolvimento do país com min. Guedes com apoio das forças armadas e CN. Brasil em 3o. na economia mundial em 20 anos.

    1. Concordo! Ótimo comentário. Ninguem espera que o Bolsonaro seja brilhante, apenas honesto e que deixe os excelentes ministros Guedes, Moro, Tarcisio e os outros trabalharem pelo bem do país.

  36. Tenho certeza de que os críticos do Olavo de Carvalho o fazem por ignorância! Se lerem o que ele vem escrevendo desde os anos 90, mudariam de opinião.

  37. O que me dá mais asco é ver políticos com religiosos, estes últimos, achacadores do bolso dos idiotas crentes. E o presidente conivente.

  38. Existe um embate,até natural,mas que precisa ser decidido.Por conceito e construção a "abordagem" e modus operandi militar são diferentes da civil.Quando se opta,mesmo "setorialmente",pela espartana (objetiva,controlada e eficaz)todos se enquadram(unidade de comando) ou não se obterá exito(ao contrário).O processo transforma-se em confusão.O militar é eficaz(atinge sempre o objetivo).O Civil é eficiente(nem sempre atinge o objetivo mas,seguirá a melhor relação custo/benefício).

  39. Por quê os jornalistas brasileiros depreciam tanto o Olavo de Carvalho? Essa onda conservadora que surgiu em nosso país tem a raiz em seus discursos, matérias, livros e cursos. Então, não acho justo o que falam sobre ele; fez muito mais pelo país mesmo morando fora do que o nosso jornalismo. A própria Crusoé hoje já toca no Foro de S Paulo, porém essa matéria era tabu aqui em nosso país, porém o Olavo sempre falou dele, destacou sua importância no desenvolvimento do comunismo na América Latina.

  40. Os generais positivistas devem pedido público de perdão ao povo brasileiro por terem pactuado em ação e/ou omissão com os governos totalitários nazicomunoglobalistas desde Vargas até Temer. E por terem batido continência para notórios agentes políticos do Foro de São Paulo, dos tipos Aldo Rebelo e Raul Jungman

  41. Resumo da ópera: enquanto ministérios dirigidos por pessoas competentes (como os da Justiça, Economia, Agricultura, Infraestrutura etc) desenvolvem políticas que tocam o Brasil prá frente, afastando-o do abismo cavado pelo PT, um grupinho influenciado por um "ideólogo-astrólogo" (o abominável guru da Virgínia) trama para dominar a cena e manter sob sua tutela a fraca cabeça do errático JB. E isto com claro interesse de alinhar ideologicamente o governo com a "direita" de Steve Bannon. Péssimo!

    1. Silvana. Não adianta discutir com apedeutas. Eles têm 2 neurônios analógicos: direita/esquerda. Falta-lhes percepção para entender a realidade. São cegos conduzidos por outros cegos. E com argola no nariz... Sobre alguns que se intitulam de "direita" ou "liberais e conservadores", fico com o pensamento lapidar do poeta caolho: "Que inimiga não há, tão dura e fera, Como a virtude falsa, da sincera". Um falso e mal intencionado "direitista" é como lobo em pele de cordeiro. Olho nele!

    2. Ronaldo, quem repudia a esquerda não está obrigado a bater continência para gurus e extremistas de direita. TAOK?

    3. Se você prefere o caminho da Venezuela, pode ir pra lá. Se não entende o que a esquerda pretende para o Brasil, sugiro ler o programa de governo do PT e o poste, antes de falar baboseiras.

  42. Aos que chamam os generais de"milico melancia" me resta lamentar a ignorância dos relevantes serviços prestados, anonimamente, ao país por mais de 45 anos. São todos patriotas e contra o anticomunistas desde o início de suas carreiras. Os outros são ambiciosos e radicais, não pensam no país, pensam no poder.

  43. Quando o 02 fala que "melhor não falar senão vão dizer que é fogo amigo", ou ele é hipócrita - pois ali está dito: "é fogo amigo"-, ou é ingênuo (acho que não, né). Quem diz "os militares querem derrubar o presidente" deve relacionar Por Quais Meios essa derrubada pode ser feita. Essa conversa ñ cola! Por impeachment!? Só se o presidente cometer um crime (ñ acredito nisso). À força (golpe militar)? Quem pensa assim ñ conhece as FFAA. Impopularidade? No presidencialismo só c/ revolução.

  44. Se o Olavo fosse líder e guru da turma, como vcs fazem crer, já estaríamos anos luz da ameaça comunista/bolivariana que ainda nos sombreia. Vcs estão fazendo desinformação. E outra coisa, o Olavo é infinitamente maior que o governo Bolsonaro. O presidente, que tem como maiores virtudes, a sinceridade, a coragem e a humildade foi um excelente candidato para representar a onda conservadora inspirada (e não liderada) principalmente pelo escritor que vcs chamam de guru.

    1. Estou lendo as obras de Olavo. O velho é um visionário. Fantástico!

    2. Quer dizer que um astrólogo que só possui nível escolar médio é tudo isso? Eu imagino o nível intelectual dos seus seguidores...

  45. Esse Fábio wajngarten é uma hiena, junto com Marco Feliciano formam uma dupla perigosa dentro área palaciana, não vejo indícios para não acreditar nas intenções dos militares em colaborar dando o melhor no apoio ao presidente.

  46. O Jair Bolsonaro precisa ter cuidado com os milico Melancias ao seu lado, esse é um problema que ele vai carregar, agora qualquer coisa da uma freada brusca na ladeira com o caminhão e vamos ver o que acontece com as Melancias.....

    1. Nesta guinada de 180°gráus que o Governo precisa dar,após 20 anos de domínio ESQUERDISTA,que tal adotar a sabedoria oriental de nesta fase inicial ouvir e analisar mais e só falar o estritamente necessário; o que sem dúvida EVITARIA que os METEORITOS que os atingem de todos os lados fossem DESVIADOS!

Mais notícias
Assine
TOPO