Dossielândia

18.01.19

Está aberta, em definitivo, a nova temporada de dossiês e bruxarias em Brasília. Há duas semanas chegou ao ministro Augusto Heleno Ribeiro, do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, um conjunto de informações sobre o deputado Fábio Ramalho, candidato à presidência da Câmara. Elas diziam respeito, basicamente, a amizades pouco ortodoxas do parlamentar. A “denúncia” aterrissou no Planalto logo após a visita que Ramalho fez a Jair Bolsonaro.

Adriano Machado/CrusoéAdriano Machado/CrusoéEnquanto Ramalho visitava Jair Bolsonaro, para quem levou pé-de-moleque e linguiça, o palácio recebia informações sobre ele

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Que me desculpe o prezado, mas com essa cara eu não entregaria um centavo para ele guardar para mim. Há muitos pessoas que demonstram o caráter na cara. A margem de erro para eu apontar o comportamento do sujeito pela cara e alguns trejeitos é muito pequena.

  2. O COAF quando fritou Flavio com informações financeiras sigilosas vazadas não tinha problema? Agora que Flavio esclareceu, espero que o coaf contra ataque e exponha os extratos financeiros dos jornalistas da Globo, Folha, Estadao e Veja !! Numa República, ninguém está acima da lei e nem acima de seu semelhante

  3. É bom que as fichas dos indicados para fazer parte do governo estejam bem limpinhas para não manchar a imagem do presidente!!

  4. Falou, falou e nada informou. Só fofoca, fofoca .... fofoca. Neste ritmo Crusoé vai muito mal. Assinei está revista para receber informações isentas, confiáveis e fundamentadas. Isto é só fofoca. Onde estão os nomes das pessoas de relacionamento do deputado, que geram desconfianças ao Planalto. Maynarde, Sabino, por favor tomem uma atitude. Queremos informações, não fofocas. Se continuar assim não removi minha assinatura.

  5. Com essa cara nem precisa de dossiê, mas ainda tem a fama que a imprensa nem se dá ao trabalho de suavizar. Só que o responsável por termos esses tipos no Congresso é nosso, é o eleitor que dá aval pra esse tipo de coisa.

Mais notícias
Assine
TOPO