Divulgação/MMAO ministro Ricardo Salles é alvo de um inquérito por suspeita de tráfico de influência e outro por enriquecimento ilícito

O ministro dos milhões

O MP paulista quebra o sigilo de Ricardo Salles, descobre transferências milionárias entre contas controladas por ele e agora tenta avançar nas suspeitas de lavagem de dinheiro
29.05.20

Em pouco mais de 500 dias à frente do Ministério do Meio Ambiente, Ricardo Salles coleciona uma série de polêmicas que já resultaram em manifestações de repúdio pelo mundo, expulsão do partido e pedidos de impeachment. No episódio mais recente, revelado há uma semana com o vídeo da fatídica reunião ministerial do dia 22 de abril, o ministro sugere ao governo que aproveite o foco do país na pandemia do novo coronavírus para “ir passando a boiada”, flexibilizando regras ambientais. O que realmente preocupa o ministro, porém, não é a grita contra suas posições atuais em Brasília, mas duas delicadas investigações sobre seu passado em São Paulo, onde atuou como advogado e agente público: um inquérito que o investiga por suspeita de tráfico de influência e advocacia administrativa e outro por enriquecimento ilícito.

Crusoé teve acesso com exclusividade a uma petição judicial na qual o Ministério Público de São Paulo lista volumosas transações financeiras feitas por Salles. Elas podem elucidar as duas investigações abertas pela Promotoria por improbidade administrativa e abrir uma nova frente na esfera criminal, para apurar indícios de sonegação fiscal e lavagem de dinheiro. Dados da quebra de sigilos bancário e fiscal autorizada pela Justiça mostram que o ministro repassou 2,75 milhões de reais da conta de seu escritório de advocacia para a sua conta pessoal, em 54 transferências feitas entre 2014 e 2017. Nesse período, ele exerceu dois cargos públicos na gestão do ex-governador paulista Geraldo Alckmin, do PSDB, e atuou como advogado na iniciativa privada. O que mais desperta a atenção é que 250 mil reais foram transferidos entre os dias 31 de outubro e 12 de novembro de 2014, quando ele ainda era secretário particular de Alckmin no governo e estava afastado da advocacia.

Salles deixou o governo tucano pela primeira vez no dia 26 de novembro de 2014, para atuar como “coordenador jurídico” de uma empresa do ramo de construção civil. Meses antes, ele havia alegado à Justiça queda de seus rendimentos mensais por causa do salário de 12,4 mil reais como assessor de Alckmin. Queria reduzir o valor da pensão paga aos dois filhos, de 8,5 mil reais para 5 mil reais. Menos de dois anos depois, voltou ao governo paulista como secretário do Meio Ambiente, indicado pelo PP, seu partido à época. Àquela altura, já estava com a vida financeira arrumada. Foi durante os 20 meses em que atuou como advogado da construtora, entre as duas passagens pelo governo, que ele trocou um apartamento de 137 metros quadrados por um duplex nos Jardins, bairro nobre da capital paulista, e comprou um iate de 580 mil reais que fica ancorado em Ilhabela, no litoral norte do estado.

DivulgaçãoDivulgaçãoO MP paulista listou transações financeiras de Ricardo Salles entre 2014 e 2017
As aquisições elevaram o patrimônio do ministro para 8,8 milhões de reais em 2017, quando ele deixou o governo estadual pela segunda vez, um aumento real de 335% em relação aos bens que ele possuía antes de ingressar na vida pública. Foi essa evolução patrimonial que desencadeou a abertura de um inquérito, em agosto do ano passado, para apurar eventual enriquecimento ilícito. O pedido foi feito por uma empresa que tem um litígio de 200 milhões de reais com a construtora que era defendida por Salles. Em novembro, o Tribunal de Justiça autorizou a quebra dos sigilos bancários e fiscal do ministro a pedido do MP. No documento ao qual Crusoé teve acesso, o promotor Ricardo Manuel Castro destaca que, além dos repasses do próprio escritório de advocacia, o ministro recebeu em sua conta pessoal 728,5 mil reais em 14 transferências feitas da conta da mãe dele, que é advogada e sócia da mesma banca, entre 2015 e 2017.

Segundo o promotor, a análise dos extratos bancários e das declarações de imposto de renda de Salles demonstra que ele “ocultou vultosa movimentação financeira” proveniente da sociedade de advogados, com indícios de sonegação fiscal, enriquecimento ilícito e lavagem de dinheiro. Já as transferências feitas por meio da conta da mãe do ministro, na visão do MP, indicam que ela “possa estar sendo usada como intermediária para o recebimento de vantagens indevidas” por Salles. No documento, Castro chama atenção para a “injustificada resistência” do ministro em levantar o sigilo de sua movimentação bancária e pede à Justiça a extensão da quebra para as contas do escritório de advocacia e da mãe de Salles. O pleito ainda não foi analisado.

Embora a maior parte dos repasses feitos pelo escritório de advocacia à conta pessoal de Salles tenha ocorrido no período em que ele não ocupava cargo público, a atuação dele como advogado da construtora, a única empresa que o ministro diz ter defendido no período, também levanta a suspeita. Salles deixou o governo estadual em novembro de 2014, poucas semanas após ter movimentado 250 mil reais em três transferências bancárias. Dias depois, o atual ministro foi flagrado usando a influência do cargo de secretário particular de Alckmin, que ele já não ocupava, para conseguir uma audiência com um juiz que havia negado uma liminar pedida pela construtora para anular uma ação arbitral de 200 milhões de reais. O caso chegou a ser investigado pelo próprio Tribunal de Justiça, pela suspeita de que um juiz tenha feito tráfico de influência a pedido de Salles, mas foi arquivado por falta de provas contra o magistrado.

Geraldo Alckmin: o atual ministro de Bolsonaro foi secretário do ex-governador
A atuação de Salles, porém, foi destacada em depoimentos. Amigo de clube do ministro, o juiz Ulysses Gonçalves contou ter recebido uma ligação de Salles em meados de novembro de 2014. Salles pediu ajuda para conseguir uma audiência com o juiz Guilherme Madeira, o mesmo que negou a liminar. Segundo Gonçalves, o atual ministro não disse o motivo e o magistrado contatou o colega de toga solicitando que ele recebesse o amigo advogado ligado ao governo. Também em depoimento, Madeira disse ter aceitado receber Salles pensando que se trataria de um convite para fazer uma palestra como professor. No dia do encontro, em 12 de dezembro, Salles foi ao gabinete afirmando que havia trabalhado no governo, mas que queria falar sobre a liminar porque estava defendendo a construtora envolvida no processo. Após saber que Salles não tinha procuração da empresa, o juiz pediu para que o ministro se retirasse do seu gabinete.

Outro suposto tráfico de influência ocorreu em 2015, quando um perito do Instituto de Criminalística da Polícia Civil diz ter sido pressionado por Salles e dois delegados da corregedoria da polícia para mudar um laudo e favorecer a mesma construtora em uma investigação sobre um suposto esquema de sonegação fiscal e evasão de divisas. O caso está sob investigação no MP. Os dois policiais disseram em depoimento que foram procurados pelo hoje ministro para tratar sobre o inquérito, mas negaram a pressão. O próprio ministro admitiu, em juízo, ter levado o caso do perito ao então secretário de Segurança Pública, Alexandre de Moraes, hoje ministro do Supremo Tribunal Federal. O perito foi afastado, acusado de vazar informações ao empresário adversário da construtora. O laudo foi refeito por uma comissão de peritos e a conclusão foi a mesma que havia sido contestada.

Episódio semelhante ao que aparece no inquérito do MP ocorreu em 2017, quando Salles já havia sido nomeado secretário do Meio Ambiente de Alckmin. Ele é suspeito de ter ido pessoalmente a uma delegacia, acompanhado de advogados da construtora para convencer investigadores sobre uma denúncia de fraude processual feita contra os adversários da empresa. No período em que comandou a secretaria de Alckmin, Salles levou para ser seu adjunto outro advogado que também havia defendido a construtora para a qual ele trabalhara. Em 2018, foi condenado por fraudar um plano de manejo de uma área de proteção ambiental em São Paulo para beneficiar empresas de mineração. Procurado, o ministro disse não haver irregularidades em suas movimentações. “Os meus rendimentos referem-se ao exercício da advocacia e estão todos declarados, conforme farta documentação já juntada aos autos. Quanto aos processos referidos, já analisados e julgados improcedentes, são consequência da perseguição e litigância contumaz de Eduardo Bottura, amplamente conhecido nos tribunais brasileiros”. O engenheiro Bottura é autor da representação que resultou na abertura dos dois inquéritos de que o ministro é alvo.

Tanto no governo tucano de São Paulo quanto no ministério de Jair Bolsonaro, as nomeações de Salles se deram graças à amizade com o deputado estadual Frederico D’Avila, do PSL, membro da bancada ruralista de São Paulo que era próximo de Alckmin e hoje milita nas hostes bolsonaristas. Até aqui, o ministro se segura como pode e demonstra fidelidade canina às ideias do chefe. A dúvida é se as suspeitas sobre sua vida pregressa podem colocar sua cadeira em risco. Em tempos de aliança do governo com o enlameado Centrão, talvez o cartapácio em poder do promotor paulista seja visto como apenas uma arvorezinha no meio da floresta – e ele fique onde está, firme e forte.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Tem que investigar mais e apoiar e postar quem são os amigos e inimigos deste senhor também. E quais os verdadeiros interesses dele antes e agora como ministro.

  2. Esse Ricardo Salles é um lobo em pele de cordeiro. Vai acabar com nosso meio ambiente, começando por incentivar a derrubada das florestas, tanto a Amazônica , quanto a Atlântica. Que Deus nos proteja!

    1. Nós é que teremos que nos proteger, caro compatriota, extinguindo de vez essas duas abomináveis ""pragas"" nas urnas!!! É preciso que façamos desinfestação, desinfecção e esterilização radicais contra essas duas subespécies que há anos empesteiam, devastam e humilham o nosso país!!!

  3. Atenção POLICIA FEDERAL , Fiquem atentos. Lembre que RICARDO SALLES, foi claro, J B , Filhos e seus Ministros estão disfarçando enganando Povo para a Boiada passar em todos os seguimentos...

    1. PARABÉNS !!! Pois eu não sabia que SP tinha MP, pois há muitos e muitos anos só fizeram os “miúdos” serem caçados. Se fossem “eleitos” não ficariam sob os sapatos dos políticos ( esses sim, foram eleitos). Será q é sério ou só mais um traque pra justificar salário ???

  4. Compartilhe esse conteúdo utilizando as ferramentas de compartilhamento oferecidas na página ou pelo link: https://crusoe.com.br/edicoes/109/o-ministro-dos-milhoes-2/. Nossos textos, fotos, artes e vídeos são protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo da revista em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização da Mare Clausum Publicações Ltda.

  5. O prejuízo maior não e o dinheiro do trafico de influencia (corrupção) é sim os desmatamentos para os bois pastorear. Florestas deveriam ser exploradas com critérios técnicos em prol dos humanos, tem muito mais riquezas a oferecer aos povos.

    1. Já não são mais sinais, os desmatamentos, a destruição, as investigações e a falta de caráter, já provam as condutas criminosas!!!

    1. LAMENTÁVEL A POSTURA DA REVISTA. SE JÁ FOI JULGADA A AÇÃO, SE HOUVE SENTENÇA PORQUÊ COLOCAR SOMENTE NO FINAL ESTA INFORMAÇÃO. NÃO FOI ESSE O PORQUÊ DA MINHA ASSINATURA.

    2. Vdd, nunca vi isso de não poder cancelar a assinatura. No máximo que se consegue é cancelar renovação. E mais uma matéria tendenciosa. Engraçado que só no finalzinho que colocam que muitos destes processos já foram julgados e arquivados. Porque não fazem uma matéria com as provas do acusado que disse ter!? 🤔🤔🤔

    3. pena que não conseguimos cancelar está CrusoLixo. O máximo é não permitir renovação. Mais uma revista igual a dos bandidos.

    4. Vai nada. Os bolsonaristas sempre falam isso e continuam sempre por aqui

  6. Este é mais um belo exemplo de que o JB não se acerca de pessoas honestas e comprometidas com os interesse dos brasileiros. Diga-me com quem tu andas, que lhe direi quem és!

    1. Tb fiz comentárioe me parece que foi bloqueado. ????

  7. Pensando que era somente mais dos lunáticos que cercam Bolsonaro, encontramos aqui mais um advogado envolvido com acusações de corrupção.

  8. Ué!!! porque só agora essa investigação? Quando prestava serviço para o PSDB aqui em São Paulo estava tudo certo? Não precisa explicar, eu só queria entender.

  9. Interessante o vazamento de informações de um pedido de processo - com o nome do promotor e tudo o mais, serem vazados para a imprensa. Acho que a PGR vai instaurar um inquérito a esse respeito...

  10. Duplex, iate...Boçalnaro disse que corruptos estariam fora do governo. Cadê ? Mais um ladrão a caminho da cadeia. Pobre Brasil

  11. Vá entender o (des)governo Bolsonaro, nomear e sustentar no Ministério do Meio Ambiente um Tucano de segunda plumagem. Quanta contradição entre o discurso moralista, anti "velha política" e anticorrupção do candidato para as ações do Presidente. Isso é mais uma prova cabal de que o bolsonarismo e o lulopetismo são irmãos siameses. Em ambos a sede de poder não tem limites.

  12. não estou conseguindo abrir as duas primeiras reportagens, a meu ver as principais ... eu clico para abrir e elas fecham ... por favor me ajudem ... já mandei mensagens até na reportagem da Crusoé no you tube. muito obrigada

    1. finalmente consegui abrir e ler as reportagens ... entrevista do Moro ... fantástica ... muito obrigada

  13. Somos um país dividido por facções criminosas da situação e da oposição. Nao temos governos, não temos Judiciário, não temos polícias. Temos facções criminosas no poder e tentando entrar no poder. Quando votamos, estamos simplesmente escolhendo entre o CV e o PCC. e tem idiota que sai de casa pra eleger um bandido de estimação.

    1. Não se consegue falar com a Crusoé e tão pouco com a empresa inapta contratada por eles para gerenciar as assinaturas. Não sei como cancelar. Pedir o banco para bloquear.

    1. Canalha junto de Canalha. Qdo foram atacados pelo supremo defendemos vcs. agora fazem esta merda? CANCELEM MINHA ASSINATURA AGORA.

  14. Deveriam ter divulgado o nome da construtora defendida por ele. Este ministro é um inapto, mal intencionado e pelos elementos da reportagem fortemente suspeito de CORRUPÇÃO.

  15. Vcs querem conduta ilibada? Só no céu existem anjos. Crusoé é manipuladora de matérias para fazer cair ações e compra-las barata. Conduta descarada e mercenária. Deixe o governo trabalhar em paz. É muito estranho sua mudança de posicionamento desde a matéria censurada da Odebrech....

    1. Vdd, qd oXande jogou pro fiofó deles, espernearam feito gata no cio, agora querem emplacar Moro a td custo

    2. Alexandre de Moraes censurou a revista, todos apoiamos vocês contra a atitude do Ministro. agora fazem isto. safados. CANCELEM MINHA ASSINATURA AGORA

  16. Quanto temos que AGRADECER a Moro (Reserva Moral do Brasil) por essa reunião, não iríamos saber, jamais, e provas? nunca teríamos. MORO, que Deus e N.Senhora TE Proteja e a sua família toda.

    1. Sou de Curitiba. Aqui os de outras cidades criaram o termo " República de Curitiba " Sou absolutamente " devoto " do juiz Sérgio Moro. Infelizmente Brasília já mostrou historicamente, que, é uma veroz devoradora de pessoas que entram na política com pouca experiência. Brasília é única no mundo.

  17. Que Salles está envolvido até o pescoço, usando a mãe advogada como intermediária parece não restar dúvidas. Mas a história não se repete senão como farsa. Quem não se lembra da PF e Ministério Público chegado no calcanhar de esposas de ministros do Supremo, advogadas de sucesso que provocou um desmonte em órgão do governo que mudou de nome e Ministério além de gerar a famigerada investigação das Fake News. Um caso em que a acusação partiu do Supremo (!) que também investigou e está julgando..

    1. Desgraça de revista, qdo foram atacados pelo STF defendemos vcs. Agora fazem esta canalhice com o povo brasileiro. CANCELA MINHA ASSINATURA AGORA.

  18. O ministério composto pelo capitão sinistro é formado por ideológicos malucos como Damares e Weintraub e por ladrões descarados como Sales (Desmatamento) e Marcelo Álvaro (Desocupado).

    1. O de vc estava qdo o Lula assaltou nosso país? O maior escândalo de corrupção do mundo. Onde vc estava?

  19. O fato é que muita gente está faturando milhões com a carta branca dada por Salles para invasão de terras públicas e indígenas para exploração de madeira, minérios e etc .. aí vem a pergunta ... ninguém está levando comissão para abrir o portão para a boiada passar ?

  20. As quantias são irrisórias perto do que já foi roubado nos governos anteriroes . Todos devem ser punidos , mas a começar pelos anteriores.

  21. Bolsonaro de "nova política" só tem uma coisa: quarto filhos ( não contei a garotinha Laura, ok... falo daquele do seu primeiro casamento). A "velha política " do ameba lula nos trouxe um filho fantástico: aquele que catava bosta de elefante.😂😂😂😂 Um ministro desse nos mostra que nem meio passo foi dado. Continuamos no esgoto.

  22. O escritório é pessoa jurídica e a transferência para a pessoa física , a título de distribuição de lucros, muitas vezes fica na dependência da disponibilidade de caixa. Claro que há necessidade de investigação, mas dizer que isso é crime , não acho correto.

    1. A Crusoe esqueceu o que é jornalismo! Distribuição de lucro é normal e não é crime A Crusoe acabou...

    1. Meu caro, me responde pra que você lê a entrevista inteirinha e vem com um comentário descabido desses? Você é o triste estereótipo do povo brasileiro.

    1. Esse ministro playboy bonitinho está se candidatando a ser o Geddel do desgoverno do Bozo

  23. A cada dia, mais e mais, cai a "máscara de honestidade" do BOÇALnero e seus asseclas ! Temos um governo de incompetentes tresloucados e corruptos que se esmera em se aliar ou proteger criminosos das mais diversas extrações: Marcelo Álvaro Antonio, Ricardo Salles, Fábio Wajngarten, Augusto Heleno, Abraham Weintraub, Roberto Jefferson, Valdemar da Costa Neto, Artur Lira etc. Quanto à famiglia BOÇALnero e seus "parças" Queiroz, Capitão Adriano etc, trata-se de um caso à parte !

  24. Estes aí é um verdadeiro facínora. Está recebendo uma grande preta por debaixo dos panos para deixar passar a boiada, ou seja, desmantelar a lei ambiental de forma avacalhada para facilitar a vida dos grileiros e dos criminosos fantasiados de agricultores. O prejuízo que este criminoso está dando ao Brasil é imensurável.

    1. Não vamos condenar por antecipação : a empresa brasileira adora fazer esse tipo de coisa . Depois mesmo ele sendo inocente não adianta mais nada pois a fama já se espalhou

Mais notícias
Assine 50% off
TOPO