Marcos Oliveira/Agência Senado

‘O problema é o negacionismo’: senadores criticam postura do governo sobre vacinas

03.12.20 19:20

Na sessão do Senado que aprovou nesta quinta-feira, 3, a medida provisória que libera quase 2 bilhões de reais para a Fiocruz produzir e disponibilizar a vacina de Oxford contra a covid-19, a postura do governo Jair Bolsonaro quanto aos imunizantes foi alvo de críticas de parlamentares, inclusive daqueles que integram as hostes governistas.

A fala mais contundente partiu da senadora Simone Tebet (foto), do MDB, que preside a Comissão de Constituição e Justiça do Senado. “O problema não é financeiro. Aqui o problema é, realmente, o negacionismo do governo. Negou a pandemia e agora quer negar um passado e um presente louváveis do Brasil, reconhecido pela Organização Mundial da Saúde, de que o Brasil tem a maior política de imunização do planeta”, disparou. “Dizer que nós só poderemos vacinar em março? Começar em março por quê? Porque de novo está negando a verdade dos fatos: o Brasil tem capacidade de vacinar, o Brasil só não teve um governo que se organizou, que reconheceu e se preparou estrategicamente. Nós vamos começar a vacinar em março não é por falta de dinheiro, é por falta de organização, porque apostou todas as fichas em uma única vacina, e essa vacina não consegue suprir sozinha todas as necessidades da população”, sublinhou.

Em recado a Davi Alcolumbre, ausente da sessão, Tebet pediu “uma fala firme da Mesa Diretora do Senado” contra o atraso nas imunizações brasileiras. A reunião foi presidida por Antonio Anastasia, do PSD, vice-presidente da câmara alta.

Outro que usou a palavra para reclamar da estratégia de Bolsonaro foi Izalci Lucas, do PSDB de Brasília, ex-vice-líder do governo. “Vacina não pode ser politizada, partidarizada, discriminada. A situação no Brasil está muito ruim. Sinceramente, fiquei muito preocupado. Parece que existe uma discriminação, basta ver essa medida provisória: parece que a exclusividade será da Fiocruz. O Instituto Butantan, como foi dito, está fazendo agora 126 anos. Isso não é do Dória, não é do PSDB, não é de São Paulo; o Instituto Butantan é do País”, declarou.

“Presidente, para março, a previsão é que nós já tenhamos mais de 200 mil brasileiros mortos – 200 mil! Será que o governo não vê essa conta? Vamos votar favoravelmente, mas o governo tem que parar com essa história de politizar a vida das pessoas. Não é a vacina que ele está politizando; está politizando a vida das pessoas” acrescentou Randolfe Rodrigues, da Rede, líder da minoria no Senado.

Na estratégia de imunização divulgada pelo Ministério da Saúde no início da semana, o governo não mencionou a Coronavac, produzida pelo Instituto Butantan. O documento relaciona apenas os imunizantes de Oxford e aqueles que integram o consórcio Covax Facility. A gestão Bolsonaro vem sendo cobrada para incluir também a vacina da Pfizer – aprovada para uso em massa no Reino Unido – em seus planos, mas a farmacêutica é tratada com reticência por Brasília.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

Só R$ 1,90* no primeiro mês

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

*depois, 11 x R$ 14,90

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Felipe Moura Brasil, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. O senado compactuando com essa vergonhosa escolha autoritária, carreando um rio de dinheiro para uma vacina em que nem os ingleses estão acreditando? O Brasil 🇧🇷 conhece e confia na CORONAVAC DO BUTANTÃ! Imunizando há 126 anos, não pode ser alvo de imbecilidade política...

  2. O governo negou a pandemia, por isso não preparou como devia quando havia tempo. Depois, quando o vírus chegou, o governo promoveu eventos de contaminação em massa em vários lugares do país, alastrando a doença. Não contente, o governo foi aos Estados Unidos e de lá trouxeram vírus para contaminar a população brasileira. Depois o governo boicotou o próprio ministro da saúde, criando confusão e atrasos. Mais recentemente, o governo atua agora contra a vacina. O Bozo é o vírus!

  3. As vacinas que começam a ser utilizadas mundo a fora já foram testadas . Diversos laboratórios contatam os responsáveis pela saúde no país tanto no ministério , como no gabinete presidencial e não há resposta tampouco decisão se vão comprar quando , quanto . A maioria dos países do cone sul Já adquiriram vacina e o Brasil até agora só faz divagar. Na produzida pelo Butantã então , nem se fala . Razão cabe à Simone Tebet e demais senadores ! Este governo negacionista é verdadeiro caos .

  4. Tomarei a Coronavac assim que se iniciar a vacinação!!! Imagine se, depois de tudo, confiarei na vacina escolhida pela marginalha bolsonalha que, com certeza virá a SÃO PAULO vacinar escondido com a Coronavac!!!!

  5. Quais são mesmo as Vacinas disponíveis e aprovadas pela Anvisa senadores? Afinal, existe reinfecçao por coronavirus da covid 19? Se existe, quem for vacinado pode ser reinfectado? Se não é possível a reinfecçao, quem já teve a doença será obrigado a tomar a vacina? Algum país já está fazendo vacinação em massa da população? Quantos mortos tivemos por covid 19 e quantos com covid 19? Não seria negacionismo ter desmontado todos os hospitais de campanha e não mais cavar valas comuns?

    1. Sr. Ney Vossa senhoria demonstra total desconhecimento da reunião na Anvisa com representantes do Butantã, se estivesse informado já teria a resposta do atraso, leia o comunicado da Anvisa feito após a reunião de 26/11 Arrotar mortadela é fácil, se informar, ler e interpretar já é uma tarefa difícil a vcs. Lhe desejo saúde, felicidade e prosperidade.

    2. A matéria é sobre o atraso que já inexorável. Acorda bozomerda.

  6. A Gripezinha de Mérida trucidará mais brasileiros, excedendo, possivelmente, 200 mil óbitos. Vai alguém sugerir aos seus familiares que devem encarar a tragédia como machos? Nada se aprendeu com o resultado das eleições recentes, nas quais se rejeitaram Brucutus de Esquerda e Brutukus de Direita, extremos que se confundem, deixando a população fundida e malparada? Não satisfeitos com seus disparates, ainda se dedicam a bajular fisiologistas notórios do Quadrilhão Central. NB: 2022 vem aí, viu?

    1. O que está sendo questionado é a falta de planejamento para a vacinação em massa. Nem seringas suficientes temos em estoque. Quando da aprovação da ANVISA isso tudo já teria que estar pronto. A maioria dos países europeus e o USA começarão a vacinação agora em dezembro, no mais tardar em janeiro. Já o Brasil a previsão é para março. Isso é uma previsão. Como já sabemos os 3 poderes brigam entre eles o que com certeza vai atrasar ainda mais.

    2. Ney Você deve estar sendo pago com mortadela. A mortadela deve ter pago a assinatura da revista para que possa postar comentários de malandro de boteco. Quando faltam argumentos a esquerda abaixa o nível, típico da falta de cultura e analfabetismo político. A política serve para discuti as variadas opiniões e não para desclassificar de pronta as que não lhe agradam.

    3. A alternativa era o fantoche do presidiário. Muito difícil.

    4. Apoio a sua ideia Sr Félix, as Vacinas já existem independentemente da aprovação da Anvisa. Os senadores e deputados já poderiam ser cobaias de teste antes da populacao Muito bem.

    5. Gostaria de nada dizer, mas leios muitos comentários q/nada tem a ver com as veracidades dos fotos. Ainda não foi aprovada pela Anvisa nenhuma vacina contra o coronavirus. Tude que existem sao experementais. Talves os Senadores que se pronunciam quanto ao governo, poderiam servirem de cobaias e tomarem as vacinas que tanto comentam. Senhora Simene Tabet, seus assessores poderiam orienta-la melhor quanto este assunto. Conheci seu pai como político, ele era politico justo e Patriota.

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO