Reprodução do site

Morte em casa

28.12.18 14:23

O dia em que o primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu começou a visita ao Brasil, sexta-feira, 28, foi o mesmo da morte do mais famoso escritor de seu país, Amós Oz (foto).

Além de escritor, Oz também era conhecido pela militância pela paz entre israelenses e palestinos. Ele mantinha uma visão realista sobre o processo: dizia que um processo de paz não obriga as duas partes em conflito a se amarem, apenas a se respeitarem. O autor tinha câncer.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Li no ano de 2017, o livro JUDAS. Tenho todos os livros de OZ traduzidos no Brasil, mas JUDAS é sem dúvida alguma , o melhor deles para mim. Um texto arrebatador. Perdemos um grande escritor que não recebeu o Nobel de Literatura.

  2. Mr Oz vai fazer falta no processo de respeito mútuo entre estas nações. Espero o novo parlamento venha com mais energia para "avançar" no processo de PAZ.

Mais notícias
Assine 50% off
TOPO