Nelson Jr./Ascom/TSE

Gilmar Mendes vê ‘crises de gestão graves’ em meio à pandemia

30.07.20 19:08

O ministro Gilmar Mendes (foto), do Supremo Tribunal Federal, afirmou nesta quinta-feira, 30, que vê “crises de gestão muito graves” no combate ao novo coronavírus e destacou que responsabilidades terão de ser discutidas.

“Há um consenso entre os especialistas de que nós poderíamos ter tido um outro manejo dessa crise e que talvez pudéssemos ter reduzido significativamente os danos causados por essa pandemia”, disse durante uma live do Instituto de Direito Público.

Gilmar classificou como “macabra” a marca de mais de 90 mil mortes decorrentes da Covid-19 no Brasil. “Certamente vamos ter que analisar também responsabilidades nesse contexto muito confuso em que estamos inseridos”, completou.

Na avaliação do ministro, durante a crise, o SUS “tem sido um grande e importante ativo”. “Sem dúvida, é um experimento institucional que deu certo. É claro que nós vamos ter que discutir a sustentação desse sistema de saúde no pós-Covid”.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Infelizmente é opinião de um magistrado, que tem contribuído para o baixo nível da SC, jamais visto até então. Apenas a China se “preparou” para esta pandemia. Nenhum outro país!

  2. claro GILMAR sepre muito sabio, VAI SABER como apontar as responsabilidades e de quem partiram as ordens para que governadores e prefeitos administrassem, roubassem, mentissem ....

  3. Não entendo qual a relevância dos comentários desse sr, repercutidos por vcs e outros órgãos de imprensa. Realmente, o q interessa para qq brasileiro decente o q ele "acha", do q quer q seja!?!?! Encher a bola dele não faz sentido algum, ainda mais nesta revista! Vcs estão querendo deixar de ser o refúgio da vida inteligente no país?

  4. Crise gestão eu também vejo nos escritórios de advocacia de Rio de Janeiro, não é Sr. Jacob Barata Filho, e gostaria de saber como fêz para ser solto por 03 vezes pelo bufão Gilmau Mendes. Afinal confessar que pagou propinas de 150 milhões de reais não é motivo para ficar preso, né. O sr. Jacob tem que explicar ao país como conseguiu tal faceta. Acho que a gestão dos escritórios do RJ devem seguir alguma norma específica vinda de Brasilia.

  5. Essa excelência e seus pares não permitiram que fosse descontado um centavo de todo funcionalismo público para a pandemia, portanto a conta será como sempre paga pelo povo mais necessitado do país que ganha apenas para sobreviver. Tem políticos e ministros que deveriam sair da vida pública para o bem da nação. Dá nojo.

  6. O ministro adverte outros poderes sobre crise de gestão. Alguém, excetuando-se os criminosos, está satisfeito com a "gestão" do poder judiciário? Ministro olhe para seu próprio umbigo.

  7. Assim como ninguém é perfeito, ninguém é todo defeito... Geralmente discordo de atos e falas do sr ministro GM, mas desta vez, concordo. Falta gestão e comprometimento.

  8. O beiçola não poderia deixar de dar seu pitaco, mesmo que isso não lhe envergonhe e nem nunca vai lhe corar, a não ser tpmando vinho em abundância em Portugal.

    1. Creio que no mundo de conto de fada em que vive a corte, seus integrantes desenvolvem a demência.

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO