Adriano Machado/Crusoé

Dos quase R$ 6 mi que Flávio pagou por mansão, R$ 1.780.000 estão sem explicação

03.03.21 23:32

A conta não fecha. Na escritura que formalizou a compra de uma mansão em Brasília por quase 6 milhões de reais, Flávio Bolsonaro declarou que uma parte do valor, exatamente 2.870.000, foi paga com recursos próprios. O restante, 3.100.000 reais, foi financiado junto ao BRB, o banco do governo do Distrito Federal.

Acontece que, nesta quarta-feira, 3, em resposta ao Antagonista, o empresário brasiliense Juscelino Sarkis, que vendeu a casa a Flávio Bolsonaro, apresentou comprovantes de transferências feitas pelo filho 01 do presidente que somam apenas 1.090.000 reais, e não os 2.870.000 reais que, segundo a escritura, Flávio acertou com recursos próprios.

Ou seja, entre o que registra o documento oficial e os comprovantes apresentados pelo empresário, há uma diferença de 1.780.000 reais.

Como a escritura e também o registro no cartório de imóveis dão como quitados os 2.870.000 reais que Flávio Bolsonaro afirma ter colocado no negócio por meio de recursos próprios, é incontornável a pergunta: como ele pagou esses 1.780.000 restantes?

Caso mais adiante ele diga que o valor ainda não foi pago ao vendedor, por que os documentos oficiais registram a operação como concluída e não fazem qualquer menção a parcelas que ainda estariam em aberto? Excesso de confiança entre as partes? Estranho, no mínimo.

A diferença nos valores lança mais sombra sobre a nova transação de Flávio, que foi investigado pelo Ministério Público do Rio de Janeiro por realizar operações imobiliárias suspeitas – os promotores sustentam que o filho 01 do presidente da República usou dinheiro do esquema rachid em seu antigo gabinete na Assembleia Legislativa fluminense para adquirir várias propriedades.

Uma nota oficial distribuída pelos advogados de Juscelino Sarkis também nesta quarta-feira afirma que, dos 5.970.000 reais pelos quais a casa foi vendida, foram pagos 4.190.278,30 – a soma se refere aos 1.090.000 de reais repassados por Flávio por meio de três transferências bancárias efetuadas entre novembro e dezembro de 2020 e a exatos 3.100.278,20 relativos ao valor financiado pelo BRB. Não há, no texto, qualquer menção à diferença de 1.780.000 reais.

Diz a nota: “Até o presente momento todos os termos contratados têm sido devidamente adimplidos, já tendo sido efetuado o pagamento do valor de R$ 4.190.278,30 (quatro milhões, cento e noventa mil duzentos e setenta e oito reais e trinta centavos), dos quais R$ 1.090.000,00 (um milhão e noventa mil reais) foram cumpridos através de transferências bancárias (TEDs) realizadas em 23/11/2020 (R$ 200.000,00), 10/12/2020 (R$ 300.000,00) e 11/12/2020 (590.000,00), e também pela liberação de valores alusivos ao financiamento bancário no valor de R$ 3.100.278,30 (três milhões e cem mil duzentos e setenta e oito reais e vinte centavos), ocorridos em 02/02/2021”.

A nota, observe o leitor, se limita a dizer genericamente que “até o presente momento todos os termos contratados têm sido devidamente adimplidos”. Se Flávio ainda está devendo uma parte, por que não dizer? Os advogados de Juscelino Sarkis afirmam, nas últimas linhas da manifestação, que “os valores da venda serão devidamente declarados às autoridades fazendárias“.

Logo após a revelação da transação pelo Antagonista, Flávio Bolsonaro afirmou, também em nota oficial, que a casa “foi comprada com recursos próprios, em especial oriundos da venda (de) seu imóvel no Rio de Janeiro“. A nota prossegue: “Mais da metade do valor da operação ocorreu (sic) por intermédio de financiamento imobiliário. Tudo registrado em escritura pública“.

A indagação, que precisa ser respondida o quanto antes pelos envolvidos na transação, especialmente pelo filho do presidente, está no ar: e os 1.780.000 reais? Depois da célebre “Cadê o Queiroz?”, repetida em prosa e verso durante o longo sumiço do operador do caixa paralelo do antigo gabinete de Flávio, essa é a pergunta que agora se impõe. Talvez um novo relatório do Coaf seja necessário para que venha a resposta.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

Só R$ 1,90* no primeiro mês

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

*depois, 11 x R$ 14,90

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Esse dinheiro ou foi pago em especie ou fora do pais. Agora vocês acham mesmo que alguém vai investigar. Acabou, a cleptocracia voltou com tudo graças ao Minto, esses politicos enrolados com a justiça, PGR, STF, STJ, CNMP, OAB e grupos advocatícios poderosos financiados pelo dinheiro do contribuinte graças as leias aprovadas por esses mesmos politicos, o mecanismo esta a todo vapor e a sociedade acuada pelo COVID tendo so a social mídia para se manifestar e com togados apavorando a população.

    1. Concordo com o texto, menos qdo diz que “a sociedade está acuada pelo COVID”. Libera torcida para um jogo de futebol, vê se não lota o estádio. Na verdade a maioria das pessoas não estão preocupadas com a roubalheira, pois se estivessem lá fariam o mesmo. Veja o auxílio emergencial, muitos se inscreveram sem ter direito. O corrupto é bem visto na sociedade. É, infelizmente, até invejado. Merecemos o que tá acontecendo. Já diz o hino RS: “ povo que não tem virtude, acaba por ser escravo “.

    2. As mamatas acabaram para os outros! Mamata, agora, só para os Bolsonaro e seu cúmplices políticos.

    3. o que mais me entristece me sentir abandonado como cidadão, sem ter aonde recorrer aos desmandos, as péssimas decisões, o STF mudou sentenças julgadas no passado por uma lei que eles aprovaram e que não existia na época do julgamento do caso, o MPF agora tem que trabalhar com uma bola de cristal para poder saber o que pode ou não fazer perante a constituição, constituição a qual e interpretada a bel prazer e ate a lingua portuguesa, STF que alterar o significa das palavras tudo pela impunidade

  2. Familia de gangsters. Todos os gastos são feitos com $$$ vivo e agora está faltando 1.780.000 na conta. Sempre ganharam seu dinheiro do Estadoa e a preocupação é tão somente a proxima eleição. Parabéns à jornalista !!!!

    1. São iguais a marginais, milicianos,mau caráter,dinheiro adquirido de formas escusas(roubalheira mesmo) só a justiça,que não quer ver!monstruoso patrimônio com dinheiro de parlamentar!

  3. É por estas e outras que a classe politica é permeada de gatunos que sob o manto protetor de outros venais da justiça agem assaltando os cofres publicos sabendo que não serão punidos. Assim é a cleptocracia escancarada com um nome de fachada de democracia. Este país tem jeito????

  4. Essas materias que só servem para colocar dúvidas no ar e atiçar as especulações são uma vergonha. A Crusoé entrou no esquema da Globolixo.

    1. Pode até ser "cortina de fumaça " . Tem mais rolando por fora.

    2. Júlio, você é pago para ter dúvidas. Todos os brasileiros sensatos, tem certeza. Até a justiça, preferiu cancelar provas para livrar o Flávio Bolsonaro. Enquanto o povo morre. Enquanto o povo passa fome. Flávio Bolsonaro compra uma mansão, com a certeza de impunidade. Se tem uma coisa que temos que reconhecer, é que ele explicitou, tal qual uma vagina numa revista para adultos, que a justiça está dominada, que o congresso está dominado. Quem sabe, compre agora uma ilha ou um Ap em Manhattan.

  5. Adoro uma boa Teoria Conspiratória. Um amigo, também investidor na B3, me disse: "Cumpade, VC sabia q ALGUÉM obteve informações privilegiadas naquele imbróglio da substituição do Presidente da Petrobrás? E o cara ganho exatos 8 milhões comprando opções da Petrobrás e apostando na queda das ações?" Eu disse q não sabia...e ele continuou: "Pois é...Os minoritários estão enfurecidos. Acionaram a CVM e vão entrar na Justiça, se preciso for..." Tô pensando no Flávio e onde ele conseguiu a grana...

    1. Pessoas publicamente expostas devem informar sua ocupação , no momento do cadastro nas corretoras de valores, salvo se tiver um laranja. Tem sentido.

  6. Ele tem até o encerramento do presente ano fiscal para explicar. Ao fisco, não aos jornalistas abelhudos e zelantes que nos governos anteriores recebiam, direta e indiretamente, para se calarem . Se não explicar o ministério público deverá agir. Comprou no nome dele e não de um amigo se fez algo errado vai ter que ser responsabilizado. Ele não o amigo ou o amigo do amigo.

    1. Muda teu discurso gado.... responder para quem? COAF até um diretor da receita foi exonerado, STJ todos comungados com o clã e STF ri da nossa cara. Os jornalistas precisam levar as notícias sim, e não ter medo. Uma coisa que aconteceu no governo PT não justifica o que podem estar fazendo hoje. Corruptos iguais e milicianos não vamos nos esquecer disso.

    2. Para explicar a maracutaia de agora, ele deveria explicar a maracutaia de antes. Não explicou. A justiça, onde o pai dele que é o presidente, negocia vagas, não aceitou às inúmeras provas. O MP que você cita, já que é gado e escreve bobagem, levantou ás já mencionadas provas, que não foram aceitas. Então para o brasileiro, já que a justiça, congresso e a PF, estão todas dominadas, resta a imprensa investigativa, que mesmo com as manobras do delinquente senador, descobriu essa maracutaia.

  7. O que aconteceu com as malas de dinheiro: Satiagraha, a do assesor do Temer, a do mafioso das Gerais, os milhões no apartamento? Flavio Bolsonaro não conseguiu justificar às operações financeiras. A justiça cancelou às provas. Então fica tudo por isso mesmo? Ele desvia recursos, e fica com o dinheiro? E então fica mais audacioso, compra uma casa que vale 10 mi, por 6 mi, e mesmo com essa depreciação de 40%, não consegue justificar novamente, de onde vem tanto dinheiro. Esse é o Brasil do Bozo.

    1. Flavio Bolsonaro é o mago. Enquanto o preço dos imóveis sobe, ele compra na baixa. Será que a loja de shopping, que foi vendida numa pandemia, foi vendida com valor maior do que foi comprada? Se foi, ele deveria escrever um livro demonstrando a sua estratégia.

  8. Além do fato de que a casa custa mais que 6M. Operação casada. Compra por um valor abaixo do de mercado (provavelmente com pagamento por fora em espécie) e empréstimo mega suspeito (+70% da renda, juros baixíssimos e BRB). #somostodosotarios

  9. A certeza da impunidade agora é total. Essa compra, quase que certamente subfaturada, acontece bem numa hora em que Flávio Bolsonaro está bem no centro dos holofotes. Mas não há motivo para qualquer preocupação, não é mesmo?

  10. Ninguém se deu conta de que a mansão estava anunciada antes por 10 milhões? 6 milhões é o valor que as partes criaram para reduzir o impacto.

  11. O FB (01) deveria ter consultado o Lula e o advogado e amigo dele para resolver a compra ou empréstimos de imóveis para lazer ou moradia. Essa conta que tanto comprador como o vendedor estão querendo demonstrar “não vai fechar”

  12. O Beiçola resolve. Não vai dar em nada, denovo. Só barulho. Protegidos pela corte. Acorda Brasil!!!🇧🇷🇧🇷🇧🇷

  13. Hummm... isto está me cheirando a um pagamento cash de US$ 350 mil para fechar a conta. Na época da transação o câmbio girava em torno de R$ 5,09.

  14. O 01 de se sentir muito apoiado nos esquemas ( amigos do congresso espúrio e do judiciário contaminado ) em que se meteu pois a coisa toda está parecendo muito cheia de falhas para demonstrar tanta arrogância.

  15. O País está perdido com tanta gente que não presta nos mais altos cargos de governo. Saudades da época da lava jato, um sonho breve que acabou.

    1. Esse aí vai querer ser o Messi. Hehehehehe. #wakeupdeadman

  16. Sei não... existe algo de podre no Reino da Dinamarca, digo no Reino de Brasília. Melhor ainda: no quintal do Flávio Bolsonaro! A conferir os próximos capítulos dessa novela Kafkiana.

  17. o povo morrendo nas portas dos hospitais ou de fome esperando os 250 reais do auxílio emergencial, e esse meliciano com o dinheiro da rachadinha(corrupção) comprando mansão na cara dura,e mais uma informação antagonista esta casa de 2400metros estava sendo vendida por 9 milhões e oitocentos mil ,vão atrás que vocês vão achar mais coisas

  18. O NOME DISSO É PECULATO. PECULATO É DESVIO DE DINHEIRO PÚBLICO. DINHEIRO PÚBLICO É O MEU, O SEU, O NOSSO DINHEIRO. FORA CANALHAS. FORA PINÓQUIO-GENOCIDA.

    1. O PECULATO DO RAPAZ GEROU MAIS DE 6 MILHÕES DE REAIS, SEGUNDO AS INVESTIGAÇÕES QUE O STJ FEZ O FAVOR AO PINÓQUIO-GENOCIDA DE ANULAR. PECULATO É CRIME. QUEM COMETE CRIME É CRIMINOSO.

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO